segunda-feira, 9 de abril de 2018

Anunciação do Senhor


A MAIOR PROMESSA

    O dia em que o Arcanjo São Gabriel apareceu a Maria foi de um grande acontecimento para a humanidade. Era a realização da maior promessa das Escrituras: Deus vinha habitar entre nós. Desde os primórdios, como registra o livro do Levítico, Ele havia firmado: "Andarei entre vós: serei Vosso Deus e vós sereis Meu povo." Lv 26,11
    Foi o Profeta Zacarias que anunciou a iminência da realização dessa promessa: "Solta gritos de alegria, regozija-te, filha de Sião. 'Eis que venho residir no meio de ti' - Oráculo do Senhor. Naquele dia se achegarão muitas nações ao Senhor: 'E se tornarão Meu povo: habitarei no meio de ti, e saberás que fui enviado a ti pelo Senhor dos Exércitos.'" Zc 2,14-15
    E São João Evangelista, dos primeiríssimos Apóstolos de Jesus, logo tratou de atestar: "E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós. E vimos Sua Glória, a Glória que o Filho único recebe de Seu Pai, cheio de Graça e de Verdade." Jo 1,14
    Por isso, inicia assim também sua primeira epístola, com um convite: "O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com nossos olhos, o que temos contemplado e nossas mãos têm apalpado no tocante ao Verbo da vida, porque a Vida se manifestou e nós temo-a visto, damos testemunho e anunciamo-vos: a Vida Eterna, que estava no Pai e que se nos manifestou. O que vimos e ouvimos nós vos anunciamos, para que também vós tenhais Comunhão conosco. Ora, nossa Comunhão é com o Pai e com o Seu Filho Jesus Cristo." 1 Jo 1,1-3
    Havia alguns séculos, o Profeta Isaías antecipara detalhes de Sua chegada: "Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um Filho, e O chamará Deus Conosco." Is 7,14
    Sabemos que a aparição de São Gabriel Arcanjo se deu em março, porque era o sexto mês da gravidez de Santa Isabel, parenta de Nossa Senhora e mãe de São João Batista: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem prometida em casamento a um homem que se chamava José, da casa de Davi, e o nome da virgem era Maria." Lc 1,27-28
    Esses seis meses foram contados a partir da aparição do anjo do Senhor ao sacerdote Zacarias, pai de São João Batista, que se deu na última semana do setembro, pois era uma das duas vezes em que a 'classe de Abias' (cf. 1 Cro 24,10), à qual ele pertencia, entrava no santuário ('na ordem de sua classe'). Diz São Lucas: "Nos tempos de Herodes, rei da Judeia, houve um sacerdote por nome Zacarias, da classe de Abias; sua mulher, descendente de Aarão, chamava-se Isabel. Ora, exercendo Zacarias diante de Deus as funções de sacerdote, na ordem de sua classe, coube-lhe por sorte, segundo o costume em uso entre os sacerdotes, entrar no santuário do Senhor e aí oferecer o incenso." Lc 1,5.8-9
    Apesar de jovem, Maria era perfeitamente esclarecida em assuntos de , o que confirma sua Apresentação ao Templo de Jerusalém, e por isso também aguardava a chegada do Salvador. É o que atestam as palavras ditas a ela por Santa Isabel, que tanto se referem à Anunciação feita pelo Arcanjo Gabriel como às profecias e à tradição judaica da Vinda do Messias: "Bem-aventurada és tu que creste, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!" Lc 1,45
    A Santíssima Virgem é uma pessoa mais que especial no projeto da Salvação. A palavra 'agraciada', usada pelo arcanjo, entre outras Graças fazia menção à sua Imaculada Concepção no ventre de Sant'Ana. Ou seja, antes da indizível Graça de gerar o Cristo, Maria já havia sido grandiosamente agraciada quando foi concebida sem pecado. Não por acaso, no Magnificat ela vai usar o termo maravilha no plural, isto é, referindo-se não só a Concepção de Jesus: "... porque realizou em mim maravilhas Aquele que é poderoso e Cujo Nome é Santo." Lc 1,49
    Por isso, antes mesmo de anunciar-lhe a Concepção de Jesus, o Arcanjo Gabriel já declarava: "Ave, agraciada, o Senhor é contigo." Lc 1,29
    E assim, sob a moção do Espírito Santo, Nossa Mãe Celeste instantaneamente se deixou envolver pela característica atmosfera das manifestações de Deus. De fato, não estranhou a aparição. Porém, por sua autêntica humildade, não imaginava que algum dia o anjo do Senhor lhe diria tão singelas palavras: "Admirou-se ela com estas palavras, e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação." Lc 1,30
    Muito menos esperava que fosse ela a escolhida para ser a Mãe do Cristo, pois, apesar de estar prometida em casamento a São José, desde a infância ela tinha sido consagrada ao Senhor, o que incluía o voto de castidade. Seu futuro marido estava consciente dessa condição e havia concordado, tanto que ela vai indagar: "Maria perguntou ao anjo: 'Como se fará isso, pois não conheço homem?'" Lc 1,35

A ANUNCIAÇÃO

    O Arcanjo Gabriel fez então a Anunciação à Nossa Senhora. O maior anseio de todas as almas iria ter fim: era o encontro entre o Criador e a criatura. E Maria teve essa grandiosíssima Graça: Deus considerou-a digna de dar à luz Seu Filho, o Redentor da humanidade: "Não te preocupes, Maria, pois encontraste Graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um Filho e por-Lhe-ás o Nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus dar-Lhe-á o trono de Seu pai Davi. Ele reinará eternamente na Casa de Jacó. Seu Reino não terá fim." Lc 1,31-34


    Diante dessa explicação, ela prontamente concordou em servir a tão sublime projeto: "Então disse Maria: 'Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo tua palavra.'" Lc 1,39
    Movida pelo êxtase espiritual de querer apresentar o Salvador ao mundo, Maria logo foi à casa de Santa Isabel, que ficava nas montanhas de Judá. As agraciadas por Deus tinham que se encontrar para que comentassem e alegrassem-se com tão extasiantes maravilhas. Agora dotada desta indizível Graça, com uma simples saudação Maria fez descer o Espírito Santo sobre sua parenta e sobre a criança em seu vente, que viria a ser São João Batista. E uma vez ungida, sem precisar de nenhum explicação, Santa Isabel de pronto entendeu o que está acontecendo: o Salvador finalmente iria nascer. São Lucas narrou assim: "Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu em seu seio. E Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Ela exclamou em alta voz:
    - Bendita és tu entre as mulheres, e Bendito é o Fruto de teu ventre." Lc 1,41-42
    Consciente de tamanha dádiva, em seguida Santa Isabel agradece a Maria pela visita, dando-lhe o título máximo, com o qual ela passou a ser conhecida em todo o mundo: "Donde me vem esta honra de vir a mim a Mãe do Meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu seio." Lc 1, 43-44
    E como resposta, ela ouve um belíssimo cântico. Em sua tenra juventude, apesar da humilde condição, a Mãe do Salvador revelou-se uma inspirada compositora, uma primorosa salmista, uma profetisa que, desde então, predisse sua própria veneração por todas gerações. Conhecedora das Escrituras, ela proclamou divinamente seu Magnificat:

    "Minha alma glorifica ao Senhor,
     Meu espírito exulta de alegria em Deus,
     Meu Salvador,
     porque olhou para sua pobre serva.
     Por isto, desde agora,
     proclamarão-me bem-aventurada todas gerações,
     porque em mim realizou maravilhas Aquele que é poderoso
     e Cujo Nome é Santo.
     Sua Misericórdia estende-se de geração em geração,
     sobre os que O temem.
     Manifestou o poder de Seu braço:
     desconcertou os corações dos soberbos.
     Derrubou do trono os poderosos
     e exaltou os humildes.
     Saciou de bens os indigentes
     e despediu de mãos vazias os ricos.
     Acolheu a Israel, Seu servo,
     lembrado da Sua Misericórdia,
     conforme prometera a nossos pais,
     em favor de Abraão e de sua posteridade, para sempre."
                                                Lc 1,47-55
    
    Prestativa e silente, a Mãe de Deus e Nossa Mãe serviu a Santa Isabel em sua gravidez por três meses, quando, pelos cuidados do estágio de sua própria gravidez, teve que retornar a Nazaré.
    Cultuada pelos cristãos desde os primeiros anos após a Ressurreição de Cristo, através dos séculos a Santa Casa de Nazaré foi preservada, e sobre ela Santa Helena mandou construir uma igreja, que acabou destruída pelos muçulmanos. Os cruzados iniciaram uma reconstrução, mas, sob novos ataques, não conseguiram concluir.
    A atual basílica foi erguida no século passado. E na gruta que servia como dependência da Santa Casa, manteve-se o altar no qual se lê: "Aqui o Verbo Se fez carne."


    A venturosa janela, pela qual teria entrado o Arcanjo Gabriel, ainda pode ser vista numa das três paredes da Santa Casa de Nazaré, que desde o fim do século XIII se encontra em Loreto, Itália, para onde foi miraculosamente transportada por anjos.


    Nossa Senhora da Anunciação, rogai por nós!