segunda-feira, 26 de março de 2018

A Luz do Mundo


    Através do grande Profeta Isaías, portanto 700 anos antes do Advento, o Cristo era prometido por Deus como mais que o restaurador de Israel: Ele haveria de ser a Luz das Nações: "Não basta que sejas Meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os fugitivos de Israel. Vou fazer de Ti a Luz das Nações, para propagar Minha Salvação até os confins do mundo... diante de Ti, reis se levantarão e príncipes se prostrarão..." Is 49,6-7b
    E foi isso que afirmou o religioso Simeão, durante a Apresentação do Menino Jesus no Templo de Jerusalém: "Agora, Senhor, deixai Vosso servo ir em Paz, segundo Vossa Palavra. Porque meus olhos viram Vossa Salvação que preparastes diante de todos os povos, como Luz para iluminar as nações, e para a Glória de Vosso povo de Israel." Lc 2,29-32
    Contudo, o sacerdote Zacarias disse algo ainda mais marcante no dia do nascimento de seu filho, São João Batista: falou na 'visita' do próprio sol: "Graças à ternura e Misericórdia de Nosso Deus, que vai trazer-nos do alto a visita do Sol nascente, que há de iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte e dirigir nossos passos no Caminho da Paz." Lc 1,78-79
    O salmista já havia dito algo parecido: "Porque o Senhor Deus é nosso Sol..." Sl 83,12a
    Assim como o Profeta Malaquias, quando através dele Deus anunciou o Cristo: "Mas, sobre vós que temeis Meu Nome, levantar-se-á o Sol de justiça que traz a Salvação em seus raios. Saireis e saltareis, livres como os bezerros ao saírem do estábulo." Ml 3,20
    São João Evangelista, por sua vez, descreve Jesus assim, dando elementos da Santíssima Trindade: "Ele estava no princípio junto a Deus. Tudo foi feito por Ele, e sem Ele nada foi feito. N'Ele havia a Vida, e a Vida era a Luz dos homens. A Luz resplandece nas trevas, e as trevas não A compreenderam." Jo 1,2-5
    E para bem diferenciá-Lo, o discípulo amado também descreve São João Batista: "Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da Luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Não era ele a Luz, mas veio para dar testemunho da Luz." Jo 1,6-8
    Jesus também falou sobre São João Batista, e lamentou que o povo se bastasse apenas em admirar seu estilo de vida: "João era uma lâmpada que arde e ilumina. Vós, porém, só por uma hora quisestes alegrar-vos com sua luz. Mas tenho maior testemunho que o de João, porque as obras que Meu Pai Me deu para executar - essas mesmas obras que faço - testemunham a Meu respeito que o Pai Me enviou." Jo 5,35-36
    Sem dúvida, mesmo sendo rejeitado por muitos de Seu povo, Jesus veio transformar-nos espiritualmente, conceder-nos a divina filiação, pois esse é o caminho da Verdade. Disse São João Evangelista: "O Verbo era a verdadeira Luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem. Estava no mundo e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não O reconheceu. Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam. Mas a todos aqueles que O receberam, aos que creem em Seu Nome, deu-lhes o poder de tornarem-se filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim da vontade de Deus." Jo 1,9-13
    Jesus, porém, bem sabia quem realmente se deixava tocar por Sua Palavra, e por isso pedia testemunho de vida às pessoas que formariam Sua Igreja, nas quais brilha Sua Luz: "Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha, nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe para todos que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos Céus." Mt 5,14-16
    De fato, ao rezar ao Pai pela Unidade da Igreja, onde se vive a verdadeira Comunhão com Deus, Ele disse sobre Seus seguidores: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim, para que sejam perfeitos na Unidade e o mundo reconheça que Me enviaste e os amaste, como amaste a Mim." Jo 17,22-23
    São Paulo apontou como é possível essa fidelidade: pela obediência: "Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas, a fim de serdes irrepreensíveis e inocentes, íntegros filhos de Deus no meio de uma depravada e maliciosa sociedade, onde brilhais como luzeiros no mundo, a ostentar a Palavra da Vida." Fl 2,14-16a
    Não acolher Sua Palavra, portanto, significa viver nas trevas e seguir para o pior dos destinos: "Então se aproximaram d'Ele Seus discípulos e disseram-Lhe: 'Sabes que os fariseus se escandalizaram com as Palavras que ouviram?' Jesus respondeu: 'Toda planta que Meu Pai Celeste não plantou será arrancada pela raiz. Deixai-os. São cegos e guias de cegos. Ora, se um cego conduz a outro, tombarão ambos na mesma vala.'" Mt 15,12-14
    Por isso, Jesus conclamava à obediência a Deus, e dizia como se pode percebê-la: "O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é são, todo corpo será bem iluminado; se, porém, estiver em mau estado, teu corpo estará em trevas. Vê, pois, que a luz que está em ti não seja trevas. Se, pois, todo teu corpo estiver na Luz, sem mistura de trevas, ele será inteiramente iluminado, como sob a brilhante luz de uma lâmpada." Lc 11,34-36
    Deu, porém, advertência ainda mais grave, aludindo ao próprio inferno: "Se a luz que está em ti são trevas, quão espessas deverão ser as trevas!" Mt 6,23b
    E avisava da inevitável repercussão de nossos pensamentos e palavras: "Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a ser conhecido. Pois o que dissestes às escuras será dito à luz; e o que falastes ao ouvido, nos quartos, será publicado de cima dos telhados." Lc 12,2-3
    Assim, desde que Jesus anunciou o Evangelho e demonstrou Seu poder, o mundo já foi julgado e a sentença é perene: "Agora é o Juízo deste mundo! Agora será lançado fora o príncipe deste mundo! Quem Me despreza e não recebe Minhas Palavras, tem quem o julgue: a Palavra que anunciei julgá-lo-á no Último Dia." Jo 12,31.48
    Ele explicou: "Se Eu não viesse e não lhes tivesse falado, não teriam pecado; mas agora não há desculpa para seu pecado. Se Eu não tivesse feito entre eles obras, como nenhum outro fez, não teriam pecado; mas agora as viram e odiaram a Mim e a Meu Pai." Jo 15,22.24
    E disse como se manifesta a Verdade, bem como se dá o Juízo: "Ora, este é o Julgamento: a Luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a Luz, pois suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a Luz, e não vem para a Luz para que suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a Verdade, vem para a Luz. Torna-se assim claro que suas obras são feitas em Deus." Jo 3,19-21
    Por isso, lembrando a 'imprudência' dos que têm boa , Ele pedia caridade mesmo que imperfeita: "E o proprietário admirou a astúcia do administrador, porque os filhos deste mundo são mais prudentes que os filhos da Luz no trato com seus semelhantes. Eu digo-vos: fazei amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles recebam-vos nos eternos tabernáculos." Lc 16,8-9
    Por fim, no oportuno momento, Jesus declarou-Se no Templo de Jerusalém: "Eu sou a Luz do Mundo! Aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a Luz da Vida." Jo 8,12
    Contudo, advertiu que não teríamos indefinidamente Sua Luz. Falava das tribulações pessoais, da iminência da própria morte e dos difíceis tempos da Grande Tribulação. Disse, porém, que devemos praticar as boas obras enquanto podemos, e sempre guardar a fé: "Ainda por pouco tempo, a Luz estará em vosso meio. Andai enquanto tendes a Luz, para que as trevas não vos surpreendam, pois quem caminha nas trevas não sabe para onde vai. Enquanto tendes a Luz, crede na Luz, e assim vos tornareis filhos da Luz. Eu vim como Luz ao mundo. Assim, todo aquele que crer em Mim não ficará nas trevas." Jo 12,35-36.46
    E pediu que Sua Revelação e Seus Mistérios, semeados naquele pequeno grupo, fossem corajosamente divulgados: "O que vos digo na escuridão, dizei-o às claras. O que vos é dito ao ouvido, publicai-o de cima dos telhados." Mt 10,27
    Ao final, lembrou que era preciso unir-se a Ele para produzir bons frutos, antes da hora do Juízo: "Não são doze as horas do dia? Quem caminha de dia não tropeça, porque vê a Luz deste mundo. Mas quem anda de noite tropeça, porque lhe falta a Luz." Jo 11,9-10


"DEUS É LUZ"

    Como fizeram os Apóstolos nas primeiríssimas pregações, São Paulo anunciava a Ressurreição de Jesus como ponto inicial da evangelização: "... Cristo havia de padecer e seria o primeiro que, pela ressurreição dos mortos, havia de anunciar a Luz ao povo judeu e aos pagãos." At 26,23
    E lembrando a perdição que cresce no mundo, ele convida: "A noite vai adiantada, e o dia vem chegando. Despojemo-nos das obras das trevas e vistamo-nos das armas da Luz. Comportemo-nos honestamente, como em pleno dia..." Rm 13,12-13
    Fala dos frutos da Luz e pede que as obras das trevas sejam explicitamente condenadas: "Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor: comportai-vos como verdadeiras luzes. Ora, o fruto da Luz é bondade, justiça e Verdade. Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas infrutíferas obras das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente. Porque as coisas que tais homens fazem ocultamente é vergonhoso até falar delas. Mas tudo isto, ao ser reprovado, torna-se manifesto pela Luz. E tudo o que se manifesta através da Luz torna-se Luz. Por isto, a Escritura diz: 'Desperta, tu que dormes! Levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará (Is 26,19; 60,1)!'" Ef 5,8-14
    São Tiago Menor, falando sobre o mesmo tema, menciona os carismas do Espírito de Deus: "Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm de cima: descem do Pai das luzes, no qual não há mudança, nem mesmo aparência de instabilidade. Rejeitai, pois, toda impureza e todo vestígio de malícia e recebei com mansidão a Palavra em vós semeada, que pode salvar vossas almas. Sede cumpridores da Palavra e não apenas ouvintes; isto equivaleria a enganardes a vós mesmos." Tg 1,17.21-22
    Para que se alcance esse objetivo, São Paulo repetidamente recomenda maior conhecimento de Deus, assim como fizeram e fazem os Santos: "... não cessamos de orar por vós e pedir a Deus para que vos conceda pleno conhecimento da Sua vontade, perfeita Sabedoria e discernimento espiritual, para que vos comporteis de maneira digna do Senhor, procurando agradar-Lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus. Para que, confortados em tudo pelo Seu glorioso poder, tenhais a paciência de tudo suportar com longanimidade. Sede contentes e agradecidos ao Pai, que vos fez dignos de participar da herança dos Santos na Luz." Cl 1,9-12
    Ele associava a Luz da Criação ao Evangelho, à face do Cristo: "Porque Deus que disse: 'Das trevas brilhe a luz', é também Aquele que fez brilhar Sua Luz em nossos corações, para que irradiássemos o conhecimento do esplendor de Deus, que se reflete na face de Cristo." 2 Cor 4,6
    Pois os que resistem ao projeto da Salvação foram seduzidos pelo inimigo: "Se nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a Luz do Evangelho, onde resplandece a Glória de Cristo, que é a imagem de Deus." 2 Cor 4,3-4
    Assim pede perseverança e sobriedade: "Mas vós, irmãos, não estais em trevas, de modo que esse Dia vos surpreenda como um ladrão. Porque todos vós sois filhos da Luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais. Mas vigiemos e sejamos sóbrios. Porque os que 'dormem', 'dormem' de noite; e os que se embriagam, embriagam-se de noite. Nós, ao contrário, que somos do dia, sejamos sóbrios." 1 Ts 5,4-8
    Os hábitos noturnos, de fato, desde os seculares argumentos de Jó já eram associados à perversão: "Outros são rebeldes à luz, não conhecem seus caminhos, não habitam em suas veredas. O homicida levanta-se quando cai o dia, para matar o pobre e o indigente; o ladrão vagueia durante a noite. O adúltero espreita o crepúsculo: 'Ninguém me verá', diz ele, e põe um véu no rosto. Nas trevas, forçam as casas; escondem-se durante o dia; não conhecem a luz. Para eles, com efeito, a manhã é uma espessa sombra, pois estão acostumados aos terrores da noite." Jó 24,13-17
    E São João Evangelista, em concordância com São Paulo, diz que é permanecendo em Comunhão que o Sangue de Cristo nos purifica: "A Boa Nova que d'Ele temos ouvido e anunciamo-vos é esta: Deus é Luz e n'Ele não há treva alguma. Se dizemos ter Comunhão com Ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não seguimos a Verdade. Se, porém, andamos na Luz como Ele mesmo está na Luz, temos Comunhão recíproca uns com os outros, e o Sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, purifica-nos de todo pecado." 1 Jo 1,5-7
    Para ele, Apóstolo de grande alcance teológico e místico, a Luz de Deus é o próprio amor: "Todavia, eu escrevo-vos agora um novo mandamento - verdadeiramente novo, n'Ele como em vós - porque as trevas passam e já resplandece a verdadeira Luz. Aquele que diz estar na Luz, e odeia seu irmão, ainda jaz nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na Luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão, está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos." 1 Jo 2,8-11
    Já o salmista via na Divina Luz uma fonte de destemor: "O Senhor é Minha Luz e Minha Salvação, a quem temerei?" Sl 26,1a
    E da própria Vida: "... em Vós está a fonte da Vida, e é na Vossa Luz que vemos a luz." Sl 35,10


"OS JUSTOS RESPLANDECERÃO"

    Entre os mais íntimos Apóstolos, e como previu o sacerdote Zacarias, pai de São João Batista, Jesus enfim exibiu Sua Luz no dia da Transfiguração, sétimo dia após anunciar Sua Paixão: "Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e conduziu-os à parte a uma alta montanha. Lá transfigurou-Se na presença deles: Seu rosto brilhou como o sol, Suas vestes tornaram-se resplandecentes de brancura." Mt 17,2
    Assim também aconteceu, e ainda com mais intensidade, quando Ele apareceu a São Paulo, a ponto de cegá-lo enquanto ele perseguia os cristãos: "Eu estava a caminho quando uma Luz do Céu, mais fulgurante que o sol, brilhou em torno de mim e de meus companheiros. Como eu não pudesse ver por causa da intensidade daquela Luz, guiado pela mão de meus companheiros, cheguei a Damasco." At 26,13;22,11
    O anjo que apareceu para libertar São Pedro, quando foi preso por Herodes, era igualmente reluzente: "De repente, apresentou-se um anjo do Senhor, e uma Luz brilhou no recinto. Tocando no lado de Pedro, o anjo despertou-o: 'Levanta-te depressa', disse ele. Caíram-lhe as cadeias das mãos." At 12,7
    Assim também se deu com o anjo que apareceu a Santa Maria Madalena, quando o túmulo de Jesus foi aberto: "... o anjo do Senhor desceu do Céu... Sua aparência era como a de um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve." Mt 28,2b.3
    Tal fenômeno já havia acontecido com Moisés, ainda que somente em seu rosto. São Paulo comentou: "Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, revestiu-se de tal Glória que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos no rosto de Moisés, por causa do resplendor de sua face (embora transitório), quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito!" 2 Cor 3,7-8
    Muito mais brilhante que Moisés, porém, Nossa Senhora apareceu toda vestida de Luz a São João Evangelista: "Apareceu em seguida um grande sinal no Céu: uma Mulher revestida do sol..." Ap 12,1
    Com efeito, Jesus garantiu que todos Seus seguidores reluziriam como Ele mesmo: "Então, no Reino de Seu Pai, os justos resplandecerão como o sol." Mt 13,43
    É uma promessa de Deus feita ao Profeta Daniel, para o grande Dia da Ressurreição: "Muitos dos que dormem no pó da terra despertarão, uns para a Vida Eterna, outros para o eterno opróbrio. Mas os que tiverem sido sábios brilharão como o firmamento; e os que tiverem ensinado a muitos homens os Caminhos da virtude brilharão como as estrelas, por toda a eternidade." Dn 12,2-3
    O salmista canta indicando a fonte dessa Luz: "O Senhor é Nosso Deus, Ele fez brilhar sobre nós a Sua Luz." Sl 117,27
    São Paulo afirma que isso acontece desde o início do processo de santificação: "Mas todos nós temos o rosto descoberto, refletimos como num espelho a Glória do Senhor e vemo-nos transformados nesta mesma imagem, sempre mais resplandecentes, pela ação do Espírito do Senhor." 2 Cor 3,18
    De fato, por seus testemunhos, Santos e Profetas são nossas luzes nesse caminho até que cheguemos à plena Comunhão. São Pedro recomenda: "Assim demos ainda maior crédito à Palavra dos Profetas, à qual fazeis bem em atender, como a uma lâmpada que brilha em um tenebroso lugar até que desponte o dia, e a estrela da manhã levante-se em vossos corações." 2 Pd 1,19
    Por fim, esse é o brilho da cidade de Jerusalém, para quem a tem como um grande sinal de Deus. Diz o Profeta Isaías: "Levanta-te, sê radiosa, eis tua Luz! A Glória do Senhor levanta-se sobre ti. Vê, a noite cobre a terra e a escuridão, os povos, mas sobre ti levanta-Se o Senhor, e Sua Glória ilumina-te. As nações se encaminharão à tua Luz, e os reis, ao brilho de tua aurora. Levanta os olhos e olha à tua volta: todos se reúnem para vir a ti; teus filhos chegam de longe, e tuas filhas são transportadas à garupa." Is 60,1-4
    Assim também é a Jerusalém Celestial, como descrita no Livro do Apocalipse: "A cidade não necessita de sol nem de lua para iluminar, porque a Glória de Deus a ilumina, e sua Luz é o Cordeiro. As nações andarão à sua Luz, e os reis da terra levar-lhe-ão sua opulência. Já não haverá noite, nem se precisará da luz de lâmpada ou do sol, porque o Senhor Deus a iluminará, e hão de reinar pelos séculos dos séculos." Ap 21,23-24; 22,5
    Ora, a luz é a própria habitação de Deus segundo São Paulo: "... o único que possui a imortalidade, e habita em luz inacessível..." 1 Tm 6,16
    Como não poderia deixar de ser, Jesus ensinou que Sua volta terá essa marca: "Pois como o relâmpago, que reluzindo numa extremidade do céu brilha até a outra, assim será com o Filho do Homem no Seu Dia." Lc 17,24
    E é assim Sua aparência, conforme a visão que teve São João Evangelista: "Voltei-me para saber que voz falava comigo. Tendo-me voltado, vi sete candelabros de ouro e, no meio dos candelabros, alguém semelhante ao Filho do Homem, vestindo longa túnica até os pés, cingido o peito por um cinto de ouro. Tinha Ele cabeça e cabelos brancos como lã cor de neve. Seus olhos eram como chamas de fogo. Seus pés pareciam-se ao fino bronze incandescido na fornalha. Sua voz era como o ruído de muitas águas. Segurava na mão direita sete estrelas. De Sua boca saía uma afiada espada, de dois gumes. Seu rosto assemelhava-se ao sol, quando brilha com toda força." Ap 1,12-16
    Bem lembra a própria imagem do Pai, vista pelo Profeta Ezequiel: "Acima dessa abóbada havia uma espécie de trono, semelhante a uma pedra de safira, e, bem no alto dessa espécie de trono, uma Silhueta Humana. Vi que Ela possuía um vermelho fulgor, como se houvesse sido banhada no fogo, desde o que parecia ser Sua cintura, para cima, enquanto que, para baixo, vi algo como fogo que esparzia clarões por todos os lados. Como o arco-íris que aparece nas nuvens em dias de chuva, assim era o resplendor que A envolvia. Era esta visão a imagem da Glória do Senhor." Ez 1,26-28

    "Alegrai-nos, ó Pai, com Vossa Luz!"
    "A todos dai a Luz que não se apaga!"