quinta-feira, 12 de março de 2020

As Vigílias de Dom Hélder


    "Que seria de mim sem a Vigília?"
    "A experiência ensina que, apesar das melhores resoluções e dos mais decisivos apelos de unidade, podemos acabar o dia esquartejados, de vez que nossos pedaços foram ficando, aqui e ali, enquanto as horas passavam. Sem perder a serenidade e a Paz, achando muito natural que criatura seja criatura e barro seja barro, tentemos salvar a unidade antes de dormir. Se ela não se recompõe, tenhamos a confiança de dormir tranquilos e aproveitemos a Santa Missa da manhã seguinte para o reencontro com a Trindade, e, especialmente, com Jesus Cristo."
    "Que privilégio ter os olhos na noite escura, ter ouvidos no silêncio imenso para acompanhar o amadurecer das frutas e a formação do perfume no coração das flores!... Ir mais longe só se Deus permitisse acompanhar no íntimo do homem o nascimento do amor..."
    "O amor é o perfume das almas."
    "É na vigília que se inicia a celebração da Eucaristia, que se prolonga por todos os embates do dia. Pai, se possível continua a permitir que a Missa seja sempre a primeira. Seja preparada pela Vigília e se estenda ao dia inteiro."
    "Reparem como no meio do trabalho mais intenso - e justamente na medida em que este aumenta e se agrava - é preciso abrir espaço, descobrir tempo para o essencial. A Regra é um esquema amplo, fácil de guardar... é a visão que Deus me dá nos dias que passam: visão positiva e larga, dentro do lema de Santo Agostinho: “Ama et fac quod vis” (Ama e faze o que quiseres)... Sua remessa vale como uma confidência, como um retrato do que desejo ser. E vale, também, como um convite a não deixar que o acidental tome conta de nós e nos afogue. É incrível como o essencial nos escapa e como é preciso uma vigilância constante para, de novo e sempre, segurá-lo com as duas mãos."
    "Não há penitência melhor do que aquela que Deus coloca em nosso caminho todos os dias."
    "Deus nos ensinou a não aceitar facilidades, mas a encontrar Vida na dureza da Cruz."
    "Mais que comum dos dias, olhei o mais que pude os rostos dos pobres, gastos pela fome, esmagados pelas humilhações, e neles descobri teu rosto, Cristo Ressuscitado!"
    "Quem se arranca de si e parte como peregrino da justiça e da paz, prepare-se para desertos."
    "Não são os pobres que devem compartilhar minha esperança. Sou eu que tenho que compartilhar a deles. Eu aprendi muito daqueles que são chamados de pobres, mas que são ricos do Espírito do Senhor."
    "Faze com alma o que na vida te for dado fazer, mas não esqueças nunca de integrar-te nos grandes planos de Deus."
    "Quando se sonha só, é apenas um sonho, mas quando se sonha com muitos, já é realidade. A utopia partilhada é a mola da História."
    "... Ela mesma, a Vigília, é um mistério tão grande! Talvez o seja devido às Vigílias do Filho de Deus (e que maravilhosas Vigílias foram as de Cristo, unido mais que ninguém ao Pai Celeste, louvando, agradecendo, pedindo perdão, suplicando!) que as nossas Vigílias ajudam tanto a ver claro, a ver largo, a esquecer os miúdos problemas pessoais pela união às grandes necessidades dos homens e pelo louvor à Santíssima Trindade... Na madrugada que escapou ao espaço e ao tempo, não nos cansamos de repetir os sete pedidos maravilhosos do Pater (Pai Nosso)..."