sábado, 11 de fevereiro de 2017

A Aparição de Lourdes


    Nossa Senhora apareceu a Santa Bernardete Soubirous para cumprir ao que anunciou 12 anos antes na Aparição de Salette, em 1846. A Aparição de Lourdes, portanto, é uma confirmação das profecias e das promessas de Salette.
    Foi à margem esquerda do rio Gave, na base de um íngreme rochedo chamado de Massabielle, que significa 'rocha velha', onde há uma gruta, quando nossa vidente tinha apenas 14 anos.


    No inverno de 1858, em meio à névoa de um dia que apenas profusamente iluminava a montanhosa região dos Pirineus franceses, dentro de uma gruta surgiu a 'Senhora Maravilhosa', nas palavras de Santa Bernadette. Estava vestida de branco; o véu que cobria a cabeça descia até os pés; na cintura tinha uma estreita faixa azul; no braço direito levava um Terço; mantinha as mãos juntas e, nos pés, via-se duas rosas douradas. Era 11 de fevereiro.
    Como na Aparição de Fátima, em 1917, a Gloriosa Virgem aparentava ter entre 16 e 18 anos, exatamente a idade com a qual recebeu a Anunciação do Arcanjo São Gabriel.
    Desde a Aparição a São Domingos, no século XII, Nossa Senhora tem recomendado a recitação do Rosário como principal atividade espiritual, claro, após a observação dos Sacramentos, para que se busque a Comunhão com Deus. Ora, como já popularmente aclamado, o Rosário é a Bíblia dos pobres, os 150 Salmos dos que não têm leitura, por isso é característico que a Mãe de Deus quase sempre se apresente com o Rosário na mão.
    É igualmente luminoso que com frequência Ela apareça com a imagem de Nossa Senhora do Carmo, como aconteceu no último dia da Aparição de Fátima e na Aparição de Cimbres, o que demostra que todas Suas manifestações têm função pedagógica, isto é, seguem um padrão e estão em perfeita coerência com o Magistério da Igreja, pois de fato têm origem divina. Aliás, a última Aparição a Santa Bernardete foi exatamente em 16 de julho: o dia de Nossa Senhora do Carmo.
    Na gruta de Massabielle, portanto, já desde a segunda Aparição, Nossa Mãe Celeste disse à jovem vidente: "Não prometo tornar-te feliz neste mundo, mas no outro." Alguns 'cristãos', verdadeiros hedonistas, ficam de cabelo em pé ao ouvir essa frase, pois simplesmente ignoram que Jesus tenha dito: "Referi-vos essas coisas para que tenhais a Paz em Mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo (Jo 16,33)." Ou: "Quem não toma a sua Cruz e não Me segue, não é digno de Mim (Mt 10,38)."
    Depois Maria pediu-lhe encarecidamente: "Reza pelos pecadores desse mundo tão atribulado."
    Noutra ocasião, assim como havia advertido desde a Aparição de Quito, ela insistiu: "Reza a Deus pelos pecadores! Penitência! Penitência! Penitência!"
    Como os membros da Igreja exigiam de Santa Bernardete que aquela Senhora Maravilhosa se identificasse, na décima sexta aparição Nossa Senhora declarou em patois, dialeto falado em Lourdes: "Que soy era Immaculada Concepciou." (Eu sou a Imaculada Conceição). Foi uma encantadora revelação para boa parte do clero, pois Pio IX tinha declarado esse Dogma havia poucos anos, em 1854, e, pelas dificuldade de comunicação da época, muitos sacerdotes ainda não estavam informados dessa Verdade de proferida pelo Papa. Ou seja, essa jovem camponesa não tinha como conhecer esse título.
    Era a própria Imaculada Virgem confirmando aquilo que o Espírito Santo tinha revelado à Igreja: que a concepção de Maria no ventre de sua mãe tinha ocorrido sem a mácula do pecado original. Ela foi gerada da união carnal de São Joaquim e Santa Ana, mas Deus quis, desde o primeiro instante, que sua Concepção fosse Imaculada.
    Com tal confirmação, a peregrinação à gruta, que já era intensa, tornou-se uma grande devoção em toda a França e Espanha, além de atrair muita gente de outros países, porque muitíssimos milagres e graças eram aí alcançados.


    Esse evento foi mais um em que Nossa Senhora manifestou-se a uma adolescente, virgem, pobre e quase sem instrução, como aconteceu na Aparição de Salette, a Mélanie Calvat, em Fátima, a Lúcia, em Cimbres, a irmã Adélia, ou a uma jovem, mas em semelhantes condições, na Aparição de Paris, que era Santa Catarina Labouré.
    Vê-se que a Virgem de Nazaré quase sempre escolhe como porta-vozes humildes virgens, como ela mesma. E isso também é uma mensagem: assim como fez o Cristo, ao exaltar o celibato (Mt 19,12), Deus Pai segue claramente exaltando a castidade.
    E como mais um grande sinal relacionado a essa aparição, após seu falecimento, em 1879, o corpo de Santa Bernardete continuou incorruptível e ainda está. Sem dúvida, um acena para a ressurreição da carne anunciada por Jesus, para o advento do 'corpo incorruptível' nas palavras de São Paulo.


    Em Lourdes, de tão evidente que são as dádivas, comenta-se que aí Deus teria deixado de ser sutil. E um desses grandes sinais é a água milagrosa que se pode recolher.
    A fonte que Nossa Senhora fez surgir num pequeno buraco, cavado pelas mãos de Santa Bernardete, durante décadas foi represada em um tanque no qual muita gente coletava a água com recipientes, punha as mãos, lavava-se ou nele entrava mesmo que portando todos os tipos de doenças. Ou seja, não havia um sistema de renovação dispensando a água 'usada' ou isolando a água 'limpa' que entrava. E toda ela era indiscriminadamente usada pelos peregrinos.
    Relatos recentes, de idosos peregrinos, dão conta que ela até fedia, principalmente por causa das chagas e das graves enfermidades dos que entravam no tanque. Mas mesmo assim ninguém jamais contraiu por essa água alguma nova doença ou teve sua enfermidade agravada. Ao contrário, milhares e milhares de pessoas foram por ela curadas, e milhares e milhares de graças foram por ela alcançadas. Talvez milhões. De fato, aí Deus teria abandonado seu 'comedido' estilo, era 'escandaloso'.
    Para resolver o problema do mau cheiro, atualmente existe um sistema de tratamento sanitário para receber e renovar a água, dispensando a que foi usada, e já não se permite entrar na fonte. Mas os testemunhos de milagres continuam por todo o mundo aonde a água é levada... Diariamente.


    "Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!"