quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Deus Sutil


    É certo que Deus sempre esteja com os membros da Igreja; seja na Pessoa de Deus Jesus, como Ele mesmo prometeu: "Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." Mt 28,20
    Seja na Pessoa do Divino Espírito Santo, também por promessa Sua: "É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece, mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,17
    Seja na Pessoa do próprio Deus Pai, como Ele mesmo garantiu desde os tempos do Profeta Isaías: "Nada temas, porque Eu estou contigo, nem lances olhares desesperados, pois Eu Sou Teu Deus. Eu fortaleço-te e venho em teu socorro, Eu amparo-te com Minha vitoriosa destra." Is 41,10
    Em respeito ao Livre Arbítrio, no entanto, a Santíssima Trindade não Se permite interferir em nossas vidas, pois não são invasivos, sem que o solicitemos. Antes esperam ser invocados em momentos de reais necessidades, uma vez que Suas manifestações são decisivas. Foi o que disse Deus Pai através do salmista: "Invoca-Me nos dias de tribulação, e Eu te livrarei e Me darás Glória." Sl 49,15
    E apesar de já Se ter revelado por muitos e grandiosos sinais, em geral Deus é sutil, sereno e sensível; aguarda que O percebamos e amadureçamos na certeza de Sua presença. Jesus pregou a interiorização da : "Deus é espírito, e Seus adoradores devem adorá-Lo em espírito e Verdade." Jo 4,24
    Reclamava a prática dos mais elevados valores espirituais: "Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os mais importantes preceitos da Lei: a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Aí está o que era preciso praticar em primeiro lugar, contudo sem deixar o restante." Mt 23,23
    Ele afirmava a chegada do Reino dos Céus tão somente pelos exorcismos que realizava: "Mas se é pelo Espírito de Deus que expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus." Mt 12,28
    Ele garantiu: "O Reino de Deus não virá de um modo ostensivo. Nem se dirá: Ei-lo aqui; ou: Ei-lo ali. Pois o Reino de Deus já está no meio de vós." Lc 17,20b-21
    Falou-nos de outro conceito de Vida: "Assim como vive o Pai que Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, também aquele que comer Minha Carne viverá por Mim." Jo 6,57
    E assim explicou a Nicodemos como se daria a Unção do Espírito Santo, que se derramaria sobre a Igreja, pedaço do Reino de Deus: "O vento sopra onde quer; ouves-lhe o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece com aquele que nasceu do Espírito." Jo 3,8
    Tudo que Deus espera de nós, portanto, é que O amemos e O obedeçamos. A anunciar os 10 Mandamentos, Ele declarou: "... uso de Misericórdia até a milésima geração com aqueles que Me amam e guardam Meus Mandamentos." Ex 20,6
    De fato, quando perguntado qual o Mandamento mais importante, Nosso Salvador invocou uma passagem do Deuteronômio, que fala de amar a Deus: "Jesus respondeu-lhe: 'O primeiro de todos Mandamentos é este: Ouve, Israel, o Senhor Nosso Deus é o único Senhor. Amarás ao Senhor Teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma, de todo teu espírito e de todas tuas forças.'" Mc 12,29-30
    Nosso Pai Celeste, portanto, quer de Seus filhos mais do que fé. Quer, com razão, um relacionamento de amor, porque é inquestionavelmente superior aos demais. Com acerto, São Paulo chama-O de "Deus de amor." 2 Cor 13,11
    E ainda segundo ele, só esse amor pode explicar Sua paciência conosco: "Ou será que desprezas as riquezas de Sua bondade, de Sua tolerância, de Sua paciência, não entendendo que a bondade de Deus te convida à conversão?" Rm 2,4
    São Pedro também aponta para a longanimidade de Deus, enquanto parte da humanidade d'Ele quer ostensiva presença e demonstrações de poder: "Reconhecei que a longa paciência de Nosso Senhor vos é salutar..." 2 Pd 3,15
    E usa a mesma explicação de São Paulo para justificar Sua aparente inefetividade: "O Senhor não retarda o cumprimento de Sua promessa, como alguns pensam, mas usa de paciência para convosco. Não quer que alguém pereça; ao contrário, quer que todos se arrependam." 2 Pd 3,9
    Um amigo de Jó, reclamando de sua presunção, descreve assim um dos modo de agir do Pai: "Pois Deus fala de uma maneira e de outra e não prestas atenção. Por meio de sonhos, de noturnas visões, quando um profundo sono pesa sobre os humanos, enquanto o homem está adormecido em seu leito, então abre o ouvido do homem e assusta-o com Suas aparições, a fim de desviá-lo do pecado e de preservá-lo do orgulho, para salvar-lhe a alma do fosso, e sua vida, da seta mortífera." Jo 33,14-18


JESUS REVELA-SE DE PESSOA EM PESSOA

    Ora, Jesus também foi cobrado, e por essa mesma corrente de pensamento que imagina um deus autoritário e inclemente, demonstrando poder na forma de prodígios e milagres, resolvendo todos problemas de uma só vez. Numa dessas ocasiões, Ele vai dizer que Sua Ressurreição será o grande sinal daqueles tempos: "Respondeu-lhes Jesus: 'Esta adúltera e perversa geração pede um sinal, mas não lhe será dado outro sinal do que aquele do Profeta Jonas. Do mesmo modo que Jonas esteve três dias e três noites no ventre do peixe, assim o Filho do Homem ficará três dias e três noites no seio da terra.'" Mt 12,39-40
    Foi cobrado até mesmo por Seus parentes de Nazaré: "Seus irmãos disseram-Lhe: 'Parte daqui e vai a Judeia, a fim de que também Teus discípulos vejam as obras que fazes. Pois quem deseja ser conhecido em público não faz coisa alguma ocultamente. Já que fazes essas obras, revela-Te ao mundo.' Com efeito, nem mesmo Seus irmãos acreditavam n'Ele." Jo 7,3-5
    Mas Seu proceder era exatamente inverso, como demonstra Sua atitude após curar um leproso na Galileia: "Jesus imediatamente o despediu com esta severa admoestação: 'Vê que não o digas a ninguém. Mas vai, mostra-te ao sacerdote e apresenta, pela tua purificação, a oferenda prescrita por Moisés para servir-lhe de testemunho.' Este homem, porém, logo que se foi, começou a propagar e divulgar o acontecido, de modo que Jesus não podia entrar publicamente numa cidade. Conservava-Se fora, nos lugares despovoados; e de toda parte vinham ter com Ele." Mc 1,43-45
    Aliás, cumprindo as profecias, assim agia após todos Seus milagres: "Uma grande multidão seguiu-O, e Ele curou todos seus doentes. Proibia-lhes formalmente de falar disso, para que se cumprisse o anunciado pelo Profeta Isaías: 'Eis Meu servo a Quem escolhi, Meu bem-amado em Quem Minha alma pôs toda Sua afeição. Farei repousar sobre Ele Meu Espírito e Ele anunciará a justiça aos pagãos. Ele não disputará, não elevará Sua voz; ninguém ouvirá Sua voz nas praças públicas. Não quebrará o caniço rachado, nem apagará a mecha que ainda fumega, até que faça triunfar a justiça. Em Seu Nome, as nações pagãs porão sua esperança (Is 42,1-4).'" Mt 12,15b-21
    E ao apontar o caminho de perfeição a ser seguido, Ele simplesmente ressaltou o amor, a paciência e a tolerância com que Deus nos trata: "Deste modo sereis os filhos de Vosso Pai do Céu, pois Ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos." Mt 5,45
    Mesmo entre os judeus que queriam matá-Lo, Ele via em rostos e olhares expressões de medo e insegurança. Porém, como era próprio de Sua grandeza, tranquilizava a todos. Desfez qualquer aparência de justiceiro ou vingador, e mostrou-Se como Quem realmente era: o Messias: "Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai. Há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais vossa esperança. Pois se crêsseis em Moisés, certamente creríeis em Mim, porque ele escreveu a Meu respeito. Mas se não acreditais em seus escritos, como acreditareis em Minhas Palavras?" Jo 5,45-47
    E a singularidade de Suas Palavras era tamanha que até os guardas do sumo sacerdote, enviados para prendê-Lo, voltaram sem Ele e admirados: "Jamais alguém falou como Este Homem!..." Jo 7,46
    Tão peculiar é Deus manifesto na Pessoa de Jesus que por vezes nem mesmo alguns de Seus Apóstolos O percebiam, como quando não foram bem recebidos num povoado de samaritanos: "Vendo isto, Tiago e João disseram: 'Senhor, queres que mandemos que desça fogo do Céu e os consuma?' Jesus voltou-Se e repreendeu-os severamente. 'Não sabeis de que espírito sois animados. O Filho do Homem não veio para perder as vidas dos homens, mas para salvá-las.'" Lc 9,55-56
    Ele nem mesmo queria que os Apóstolos divulgassem Sua divindade antes de Sua Ressurreição. Foi o que aconteceu no Monte Tabor, por exemplo, quando Ele Se transfigurou: "Ao descerem do monte, proibiu-lhes Jesus que contassem a quem quer que fosse o que tinham visto, até que o Filho do Homem houvesse ressurgido dos mortos." Mc 9,9
    A mesma coisa aconteceu quando São Pedro, inspirado por Deus, declarou que Jesus é o Salvador. Ele pediu silêncio sobre o assunto: "Depois, ordenou a Seus discípulos que não dissessem a ninguém que Ele era o Cristo." Mt 16,20
    São Judas Tadeu, por sua vez, ainda inquieto com tanta serenidade e resignação à vontade do Pai, pergunta quando Jesus só se apresentaria a eles, após Sua Ressurreição: "Pergunta-Lhe Judas, não o Iscariotes: 'Senhor, por que razão hás de manifestar-Te a nós e não ao mundo?'" Jo 14,22
    Foi quando Ele respondeu que Sua intenção, assim como a de Deus Pai e Seu Espírito, pela Comunhão da Santíssima Trindade, é viver nas almas daqueles que Os amam: "Se alguém Me ama, guardará Minha Palavra e Meu Pai o amará. E Nós viremos a ele e nele faremos Nossa morada." Jo 14,23
    E, de fato, Jesus manifestou-Se apenas a Apóstolos, discípulos e seguidores, como explicou São Pedro: "Mas Deus ressuscitou-O no terceiro dia, concedendo-Lhe manifestar-Se não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia escolhido..." At 10,40-41a
    Essa pressa pela imediata e definitiva renovação de todas as coisas, entretanto, esse anseio pela divina justiça não é só dos que estão na Terra. No Céu, as almas dos Santos que foram mortos em nome do Evangelho também clamam, como atestou São João Evangelista nas visões que teve: "Até quando Tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar nosso sangue contra os habitantes da terra?" Ap 6,10
    Porém, uma vez manifesto ao Seu Corpo Místico, isto é aos membros de Sua Igreja, Jesus fica para sempre. Claro, desde que estejam verdadeiramente unidos por Seu amor, ou seja, em Comunhão: "Porque onde dois ou três estão reunidos em Meu Nome, aí estou Eu no meio deles." Mt 18,20
    Como disse São Paulo, Ele tem-Se manifestado 'a Seus Santos', pois é a Comunhão dos Santos que devemos buscar: "Agora me alegro pelos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo em minha carne por Seu Corpo que é a Igreja. Dela fui constituído ministro em virtude da missão que Deus me conferiu: de em vosso favor anunciar a realização da Palavra de Deus, mistério que esteve escondido desde a origem às gerações passadas, mas que agora foi manifestado a Seus Santos. A estes quis Deus dar a conhecer a riqueza e glória deste mistério entre os gentios: Cristo em vós, esperança da Glória! A Ele é que anunciamos, admoestando todos homens e instruindo-os em toda Sabedoria, para tornar todo homem perfeito em Cristo. Eis a finalidade de meu trabalho, a razão pela qual luto com o auxílio de Sua força, que em mim poderosamente atua." Cl 1,24-29
    Ele não é, portanto, um poderoso que soberbamente a todos Se impõe, ignorando nossos mais puros anseios, fomentados, aliás, por Seu próprio Espírito. Ele vem para participar de nosso dia-a-dia, enfrentar problemas ao nosso lado, pois sabe dos sofrimentos que passamos, principalmente quando resolvemos segui-Lo. Ele mesmo avisou: "No mundo haveis de ter aflições." Jo 16,33
    Por isso, delicadamente lembrando Sua mansidão e humildade, Ele oferece conforto. Não, porém, aos nossos corpos, mas às nossas almas: "Tomai Meu jugo sobre vós e recebei Minha Doutrina, porque Eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para vossas almas." Mt 11,29
    Desilude, pois, aqueles que têm pretensão de viver de alguma glória desse mundo, por isso se tornam incapazes de crer: "Como podeis ter fé, vós que recebeis a glória uns dos outros, e não buscais a Glória que é só de Deus?" Jo 5,44
    Com efeito, Jesus vê muito além de simples aparências, e certamente não são as vaidades que Lhe agradam. Disseram os seguidores de São paulo: "Nenhuma criatura Lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos d'Aquele a Quem havemos de prestar contas." Hb 4,13
    E em nome de uma verdadeira conversão, momentaneamente Deus até nos 'abandona' em nossos pecados, para depois, quando de nosso sincero arrependimento, resgatar-nos em definitivo. Jesus sentenciou: "Eis porque lhes falo em parábolas: para que, vendo, não vejam e, ouvindo, não ouçam nem compreendam. Assim se cumpre para eles o que foi dito pelo Profeta Isaías: 'Ouvireis com vossos ouvidos e não entendereis, olhareis com vossos olhos e não vereis, porque o coração deste povo se endureceu: taparam seus ouvidos e fecharam seus olhos, para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, nem seu coração compreenda; para que não se convertam e depois Eu os sare' (Is 6,9s)." Mt 13,13-15
    Foi exatamente o que Deus disse a Caim, pouco antes que ele matasse Abel: "O Senhor disse-lhe: 'Por que estás irado? E por que está abatido teu semblante? Se praticares o bem, sem dúvida alguma poderás reabilitar-te. Mas se precederes mal, o pecado estará à tua porta, espreitando-te; mas tu deverás dominá-lo.'" Gn 4,6-7


DEUS JESUS

    E mesmo diante de estrondosos milagres, difíceis de serem ocultados, Jesus pedia segredo aos Apóstolos. Como a ressurreição da filha de Jairo, quando Ele só Se deixou acompanhar por São Pedro, São Tiago Maior e São João Evangelista: "Jesus recomendou com insistência que ninguém soubesse do caso..." Mc 5,43
    Sem dúvida, Nosso manso e humilde Deus já Se fazia antever desde o modo como escolheu vir ao mundo: "... eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e disse-lhe: 'José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois Aquele que nela foi concebido vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho, a Quem porás o Nome de Jesus, porque Ele salvará Seu povo de seus pecados.'" Mt 1,20-21
    E foi assim, por amor à Salvação das almas, que Jesus entregou Sua vida. E até no momento em que sofria toda brutalidade que culminou na Crucificação, Ele pensou na Salvação de todos, principalmente dos que mais precisavam: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem." Jo 23,34
    Tão amorosa e tão bela é a manifestação de Deus na Pessoa de Jesus, que sempre comoverá a humanidade. São Paulo percebeu claramente Quem é Jesus, e registrou: "Ele é a imagem de Deus invisível..." Cl 1,15
    Ele já havia dito de modo ainda mais claro: "... Jesus é o Senhor..." Rm 10,9
    São João Batista, como era de sua missão, advertia os fariseus: "Eu batizo com água, mas no meio de vós está Quem vós não conheceis." Jo 1,26
    São João Evangelista arrematou: "... Deus é amor." 1 Jo 4,8

    "Ele está no meio de nós."