domingo, 17 de fevereiro de 2019

A Graça


    A Graça é a gratuidade que caracteriza as ações de Deus. Mas como d'Ele tudo procede, em geral usa-se o termo Graça para designar Suas grandiosas e especiais dádivas, às vezes a todos notórias, que exclusivamente partem de Sua iniciativa. Isto é, elas indicam momentos nos quais se experimenta uma grande intimidade com o Pai, com a Trindade Santa. Intimidade essa que se tornou total através do Cristo, que nos trouxe o Espírito de Deus. São Pedro diz das profecias que anunciavam o Salvador: "Esta Salvação tem sido o objeto das investigações e das meditações dos Profetas, que proferiram oráculos sobre a Graça que vos era destinada." 1 Pd 1,10
    Assim, em essência, ela é uma inequívoca manifestação do poder de Deus, que tudo controla. É pela Graça, pois, que Jesus nos arrebata do pecado e nos purifica, concedendo-nos participar de Sua divina natureza, ou seja, de Sua Glória, como o Príncipe dos Apóstolos fala das contrariedades dos cristãos: "O Deus de toda Graça, que em Cristo vos chamou à Sua Eterna Glória, depois que tiverdes padecido um pouco, aperfeiçoar-vos-á, tornar-vos-á inabaláveis, fortificar-vos-á." 1 Pd 5,10
    Toda Graça, portanto, é sinal de Sua onipotência, onisciência e onipresença, para que se perceba o estabelecimento e a vigência do Reino de Céus. É algo sobrenatural, e por isso esplendoroso, ainda que também possa ser sutil e pessoal. É o caso da Graça da adoção, como São Paulo ensina: "Em Seu amor predestinou-nos para sermos adotados como Seus filhos por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de Sua livre vontade, para fazer resplandecer Sua maravilhosa Graça, que por Ele nos foi concedida no Bem-Amado." Ef 1,5-6
    E é pela Graça que conhecemos o Espírito Santo, a 'sempre atuante mão de Deus'. Mesmo antes de Sua 'oficial' manifestação no Pentecostes, as ações do Pai já se faziam cumprir por Seu intermédio. Com toda propriedade, os seguidores da tradição de São Paulo chamam-nO "... Autor da Graça." Hb 10,29
    Assim como o Espírito Santo, também o Filho, mesmo antes de Sua Encarnação, permanentemente agia, embora de velado modo. São João Evangelista, olhando para o passado, bem percebeu Suas obras: "Tudo foi feito por Ele..." Jo 1,3
    Este evangelista igualmente registra esse detalhe do Advento: "... a Graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo." Jo 1,17
    Logo, para os Apóstolos a manifestação do Cristo era inconfundível: "Todos nós recebemos de Sua plenitude Graça por Graça..." Jo 1,16
    Em seu testemunho sobre o Evangelho, São Pedro não vacila: "Minha intenção é de admoestar-vos e assegurar-vos que esta é a verdadeira Graça de Deus, na qual estais firmes." 1 Pd 5,12b
    Pelos relatos que ouviu, São Lucas apontava Jesus, desde Sua infância, como fonte e manifestação da Graça: "O Menino ia crescendo e fortificava-Se: estava cheio de Sabedoria, e a Graça de Deus n'Ele repousava." Lc 2,40
    E após Sua Ressurreição, o testemunho dos Apóstolos era a garantia da Unção: "Com grande coragem os Apóstolos davam testemunho da Ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a Graça." At 4,33
    De fato, como previsto pelo Profeta Isaías, Jesus declarou que Sua Missão era "... publicar o ano da Graça do Senhor." Lc 4,19
    Não resta dúvida, contudo, que a Graça das Graças é a Salvação que obtemos pela Redenção da Cruz, a ser consumada no Último Dia. Diz São Pedro: "Cingi, portanto, os rins de vosso espírito, sede sóbrios e colocai toda vossa esperança na Graça que vos será dada no dia em que Jesus Cristo aparecer." 1 Pd 1,13
    E assim pede: "Todos vós, em vosso mútuo tratamento, revesti-vos de humildade. Porque Deus resiste aos soberbos, mas dá Sua Graça aos humildes (Pr 3,34)." 1 Pd 5,5b
    São Paulo até rezou a Deus que o livrasse de uma específica provação, mas d'Ele recebeu a seguinte resposta: "Minha Graça é o bastante para ti, porque é na fraqueza que plenamente se revela Minha força." 2 Cor 12,9a
    Por isso adotou essa saudação, que em todas suas cartas rigorosamente usa: "A vós, Graça e Paz!" 1 Ts 1,1b
    No que foi imitado por São Pedro, em sua primeira carta: "A Graça e a Paz em abundância sejam-vos dadas." 1 Pd 1,2b
    Assim como na segunda: "... Graça e Paz em abundância sejam-vos dadas por um profundo conhecimento de Deus e de Jesus, Nosso Senhor!" 2 Pd 1,2
    E por São João Evangelista, no livro do Apocalipse: "João às sete igrejas que estão na Ásia. A vós, Graça e Paz da parte d'Aquele que é, que era e que vem, e da parte dos sete Espíritos que estão diante de Seu Trono..." Ap 1,4
    Enfim, ao mencionar a suprema dádiva da reconciliação com Deus, que pelo Sangue de Jesus nos é oferecida, o Último Apóstolo alerta para o absoluto respeito que se deve aos Sacramentos ministrados pela Igreja: "Na qualidade de colaboradores de Deus, exortamo-vos a que não recebais Sua Graça em vão." 2 Cor 6,1
    Pois como denuncia São Judas Tadeu, os Sacramentos, notadamente o da Ordenação, têm sido usado para as piores formas de abominação: "Pois certos homens furtivamente introduziram-se entre nós, os quais desde muito tempo estão destinados para este Julgamento: uns ímpios que transformam a Graça de Nosso Deus em licenciosidade e negam Jesus Cristo, Nosso Único Mestre e Senhor." Jd 4
    E não por acaso, uma das principais aparições marianas é a de Nossa Senhora das Graças, quando ela prometeu que, através da Milagrosa Medalha, "Todos que a usarem, receberão grandes Graças."


5 'TIPOS' DE GRAÇA

    Falando dos Sacerdotes da Igreja, São Pedro afirma que a Graça de Deus se manifesta de muitas formas, conforme os dons do Espírito Santo: "Como bons administradores das diversas Graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: a Palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um Ministério, para exercê-lo com divina força, a fim de que em todas coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo." 1 Pd 4,10-11a
    E não resta dúvida de que é o Espírito de Deus Quem os distribui, como São Paulo argumentou: "Há diversidade de dons, mas um só Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. Também há diversas operações, mas é o mesmo Deus que em todos tudo opera. A cada um é dada a manifestação do Espírito para comum proveito. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos estes dons, a cada um repartindo como Lhe apraz." 1 Cor 12,5-7.11
    O que Ele sempre faz, como visto, visando o bem de toda comunidade de fé: "Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja." 1 Cor 14,12
    Assim, para efeito de melhor compreensão, podemos estudar as Graças quanto a seus fins. São elas:

    Graça Santificante: é a Graça da qual toda humanidade pode usufruir tão somente por força da Encarnação do Cristo, e que recebemos através do Sacramento no Batismo. Maria foi concebida sem pecado, mas nós, para afastá-lo e sermos justificados, precisamos dessa benção ininterruptamente concedida por Deus aos que O buscam, pois santificar-nos é Sua perene vontade. Antes de subir aos Céus, Nosso Salvador apareceu à multidão de seus seguidores e instruiu os Apóstolos: "Quando O viram, adoraram-nO. Entretanto, alguns ainda hesitavam. Mas Jesus, aproximando-Se, disse-lhes: 'Toda autoridade foi-Me dada no Céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas nações. Batizai-as em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.'" Mt 28,18-19
    E foi o que eles fizeram, a princípio sob a notória liderança do Príncipe dos Apóstolos, como se deu no Pentecostes: "Pedro respondeu-lhes: 'Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.'" At 2,38
    Essa Graça, portanto, é essencial condição para que vivamos nossa divina filiação. Disse São Paulo: "Porquanto não recebestes um espírito de escravidão para ainda viverdes no temor, mas recebestes o Espírito de Adoção, pelo qual clamamos: 'Aba! Pai!'" Rm 8,15
    É o que ele diz a São Timóteo, em vista da vocação deste para o sacerdócio: "Portanto, tu, meu filho, fortifica-te na Graça que está em Jesus Cristo." 2 Tm 2,1
    Escreveu a São Tito: "E não por causa de obras de justiça que tivéssemos praticado, mas unicamente em virtude de Sua Misericórdia, Ele salvou-nos mediante o Batismo da regeneração e renovação, pelo Espírito Santo, que em profusão nos foi concedido por meio de Cristo, Nosso Salvador, para que nos tornemos, uma vez justificados por Sua Graça, herdeiros da esperança da Vida Eterna." Tt 3,5-7
    E mencionando os sagrados preceitos da Igreja, ele argumentou com os tessalonicenses quanto à autoridade do clero: "No mais, irmãos, aprendestes de nós a maneira como deveis proceder para agradar a Deus, e já o fazeis. Rogamos-vos, pois, e exortamos-vos no Senhor Jesus a que sempre mais progridais. Pois conheceis que preceitos vos demos da parte do Senhor Jesus. Esta é a vontade de Deus: vossa santificação. Que eviteis a impureza, que santa e honestamente cada um de vós saiba possuir seu corpo, sem se deixar levar por desregradas paixões como os pagãos que não conhecem a Deus. Por conseguinte, desprezar estes preceitos é desprezar não a um homem, mas a Deus, que nos infundiu Seu Espírito Santo." 1 Ts 4,1-5.8
    São Pedro magistralmente resume: "Nisto consiste a Graça: injustamente sofrer, suportando as aflições, com a consciência da presença de Deus." 1 Pd 2,19
    Ora, o próprio Pai havia-nos determinado: "... sede Santos, porque Eu, o Senhor, Vosso Deus, sou Santo." Lv 19,2

    Graça Sacramental: é a Graça obtida por cada um dos Sacramentos que nos acompanham pelas etapas da vida, dos quais a Eucaristia é o Sacramento por excelência. Jesus instituiu-o: "Em seguida tomou o pão e depois de ter dado graças, partiu-O e deu-lhO, dizendo: 'Isto é Meu Corpo, que é dado por vós. Fazei isto em memória de Mim.'" Lc 22,19
    Ao Santíssimo Sacramento todos demais estão ordenados, e do Qual todos nós devemos frequente e impreterivelmente participar: "Então lhes disse Jesus: 'Em verdade, em verdade, digo-vos: se não comerdes a Carne do Filho do Homem, e não beberdes Seu Sangue, não tereis a Vida em vós mesmos.'" Jo 6,53
    Ora, são os Sacramentos que nos confirmam como parte de Corpo Místico de Cristo, ou seja, Sua Igreja. Foi essa Comunhão Espiritual que Jesus estabeleceu através da Confissão: "Disse-lhes outra vez: 'A Paz esteja convosco! Como o Pai Me enviou, Eu envio a vós.' Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: 'Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados. Àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.'" Jo 20,21-23
    São Paulo diz não somente do perdão, mas dos dons para não tornarmos a pecar: "Nesse Filho, pelo Seu Sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da Sua Graça que profusamente derramou sobre nós em torrentes de Sabedoria e de prudência." Ef 1,7-8
    E é pelo Sacramento da Crisma, só concedido pelo Bispo, sucessor dos Apóstolos, ou alguém por ele especialmente designado, que se recebe o Espírito Santo: "Os Apóstolos que se achavam em Jerusalém, tendo ouvido que a Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João. Estes, assim que chegaram, fizeram oração pelos novos fiéis, a fim de receberem o Espírito Santo, visto que ainda não havia descido sobre nenhum deles, mas só tinham sido batizados em Nome do Senhor Jesus. Então os dois apóstolos lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo." At 8,14-17
    Enfim, são os Sacramentos que santificam a Igreja, como São Paulo pregou: "Mas a cada um de nós foi dada a Graça, segundo a medida do dom de Cristo... para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo." Ef 4,7.12-13
    O Apóstolo dos Gentios questiona: "O Cálice de bênção, que benzemos, não é a Comunhão do Sangue de Cristo? E o Pão, que partimos, não é a Comunhão do Corpo de Cristo?" 1 Cor 10,16

    Graça Habitual: é a Graça dada a todos os Santos, ou seja, aos que com sinceridade buscam as 'coisas do alto', para que permanentemente façam a vontade de Deus. Exaltando a Nova Aliança, o Ministério do Espírito Santo, São Paulo convoca os romanos: "Oferecei-vos a Deus, como vivos, salvos da morte, para que vossos membros sejam instrumentos do bem a Seu serviço. O pecado já não vos dominará, porque agora não mais estais sob a Lei, e sim sob a Graça." Rm 6,13-14
    Citando os Profetas, exemplos de fidelidade a Deus, ele diz o que a Igreja representa: "É o que continua a acontecer no presente tempo: subsiste um resto, segundo a eleição da Graça." Rm 11,5
    É através dos Santos, pois, que dia a dia o Pai sustém a humanidade, como Santo Estevão, um diácono escolhido para auxiliar os Apóstolos: "Este parecer agradou a toda assembleia. Escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos aos Apóstolos, e estes, orando, impuseram-lhes as mãos. Sempre mais divulgou-se a Palavra de Deus, consideravelmente multiplicava-se o número dos discípulos em Jerusalém. Grande número de sacerdotes também aderia à . Estevão, cheio de Graça e fortaleza, fazia grandes milagres e prodígios entre o povo." At 6,5-8
    Igualmente foi o caso de Apolo, um judeu de Alexandria que se converteu a Cristo e tornou-se uma importantíssima figura na cidade de Corinto: "Como ele quisesse ir a Acaia, os irmãos animaram-no e escreveram aos discípulos que bem o recebessem. Sua presença em Corinto foi, pela Graça de Deus, de muito proveito para os que haviam crido, pois com grande veemência publicamente refutava os judeus, provando, pelas Escrituras, que Jesus era o Messias." At 18,27-28
    E havia sido o caso de Moisés, como se vê na missão que Deus lhe atribuiu nos dias da escravidão do Egito: "O Senhor disse a Moisés: 'Vai procurar o faraó, porque lhe endureci o coração e o de sua gente para manifestar Meus prodígios em meio a eles. Para que contes a teus filhos e a teus netos as maravilhas que fiz no Egito e os prodígios que operei entre eles, e para que saibais que Eu sou o Senhor.'" Ex 10,1-2
    Com efeito, essa é a meta defendida por São Paulo: "Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe agrada e o que é perfeito." Rm 12,2
    É o que ele ensina desde suas primeiras pregações, como em Antioquia da Pisídia: "Depois que a assembléia terminou, muitos judeus e devotos prosélitos seguiram Paulo e Barnabé, os quais com muitas palavras os exortavam a perseverar na Graça de Deus." At 13,43
    E denunciou as posturas que vão contra a Sã Doutrina, exclusivamente transmitida pelo Magistério da Igreja: "Já estais separados de Cristo, vós que procurais a justificação pela Lei. Decaístes da Graça. Quanto a nós, é espiritualmente, da fé, que aguardamos a esperada justiça." Gl 5,4-5
    Seus seguidores advertem e, afastando crendices, recomendam a vida piedosa: "Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda eternidade. Não vos deixeis desviar pela diversidade de estranhas doutrinas. É muito melhor fortificar a alma pela Graça que por alimentos, que nenhum proveito trazem aos que a eles se entregam." Hb 13,8-9
    São Pedro em idêntico sentido diz: "Vós, pois, caríssimos, advertidos de antemão, tomai cuidado para que não caiais de vossa firmeza, levados pelo erro destes ímpios homens. Mas crescei na Graça e no conhecimento de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele a Glória agora e eternamente." 2 Pd 3,17-18
    Aliás, a própria Missão de Jesus é sinal desta Graça: "Meu alimento é fazer a vontade d'Aquele que Me enviou, e cumprir Sua obra." Jo 4,34

    Graça Especial: é a Graça conhecida por carisma, que pode ser prodigiosa, como o dom de curas e milagres. Jesus prometeu à Igreja: "Estes milagres acompanharão aqueles que crerem: em Meu Nome expulsarão os demônios, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal. Imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados." Mc 16,17-18
    Como um sinal de Deus, Ele já havia dado tal autoridade aos Apóstolos desde a primeira missão: "Por onde andardes, anunciai que o Reino dos Céus está próximo. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!" Mt 10,7-8
    Sobre essa Graça também temos uma palavra de São Paulo: "A um pelo Espírito é dada uma palavra de Sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a Graça de curar as doenças, no mesmo Espírito; a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas." 1 Cor 12,8-10
    Ele garante aos coríntios: "Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela Divina Graça que vos foi dada em Jesus Cristo. N'Ele fostes ricamente contemplados com todos dons, com os da Palavra e os da ciência, tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo." 1 Cor 1,5-6
    Diz de si mesmo: "Mas, pela Graça de Deus, sou o que sou, e a Graça que Ele me deu não tem sido inútil. Ao contrário, tenho trabalhado mais que todos eles. Não eu, mas a Graça de Deus que comigo está." 1 Cor 15,10
    E São João Evangelista aponta a vitória sobre mundanos espíritos e falsos profetas: "Vós, filhinhos, sois de Deus, e venceste-los, pois Aquele que está em vós é maior que aquele que está no mundo." 1 Jo 4,4
    Uma das Graças Especiais é a Graça de Estado, que totalmente se volta para os ministérios da Igreja. Como vimos, São Paulo havia pontuado: "Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja." 1 Cor 14,12
    Em específico, e igualmente visto, o Ministério da Palavra: "Por conseguinte, desprezar estes preceitos é desprezar não a um homem, mas a Deus, que nos infundiu Seu Espírito Santo." 1 Ts 4,8
    Ele discorreu: "Temos diferentes dons, conforme a Graça que nos foi conferida. Aquele que tem o dom da profecia, exerça-o conforme a fé. Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o dom de ensinar, que ensine; o dom de exortar, que exorte; aquele que distribui as esmolas, faça-o com simplicidade; aquele que preside, presida com zelo; aquele que exerce a misericórdia, que o faça com afabilidade." Rm 12,6-8
    E, mais uma vez, esse é o exemplo de Jesus: "... Cristo amou a Igreja e entregou-Se por ela, para santificá-la, purificando-a pela Água do Batismo com a Palavra, para a Sia mesmo apresentá-la toda gloriosa, sem mácula, sem ruga nem qualquer outro defeito, mas santa e irrepreensível." Ef 5,25b-27

    Graça Atual: é a Graça de uma extraordinária intervenção de Deus, que direcionadamente se realiza na vida de um cristão, e pode acontecer desde sua conversão até que se complete sua santificação, pois nestes sinais consistem a Comunhão e o agir com o Pai. Está na Carta aos Hebreus: "Confiantemente aproximemo-nos, pois, do trono da Graça, a fim de alcançar Misericórdia e achar a Graça de um oportuno auxílio." Hb 4,16
    Pode ser um sinal, um milagre, uma cura, e foi um dos meios usados por Jesus para divulgar o Evangelho, sempre visando redimir a humanidade: "Seguia-O uma grande multidão, porque via os milagres que fazia em beneficio dos enfermos." Jo 6,2
    Foi assim na conversão de São Paulo, quando Jesus lhe apareceu no caminho de Damasco: "Então eu disse: 'Quem és, Senhor?' O Senhor respondeu: 'Eu sou Jesus, a Quem persegues. Mas levanta-te e põe-te em pé, porque te apareci para fazer-te ministro e testemunha das coisas que viste e de outras, para as quais hei de manifestar-Me a ti. Escolhi-te do meio do povo e dos pagãos, aos quais agora te envio para abrir-lhes os olhos, a fim de que se convertam das trevas à Luz e do poder de Satanás a Deus, para que, pela fé em Mim, recebam perdão dos pecados e herança entre os que foram santificados." At 26,15-18
    E assim acontecia através de São Paulo e São Barnabé em suas missões: "Em Icônio, Paulo e Barnabé, segundo seu costume, entraram na sinagoga dos judeus e ali de tal modo pregaram que uma grande multidão de judeus e de gregos se converteu à fé. Mas os judeus, que tinham permanecido incrédulos, excitaram os ânimos dos pagãos contra os irmãos. Não obstante, eles ali se demoraram por muito tempo, falando com desassombro e confiança no Senhor, que dava testemunho à Palavra da Sua Graça pelos milagres e prodígios que Ele operava pelas mãos dos Apóstolos." At 14,1-3
    Para esse fim, Jesus prometeu à Igreja: "Eis que estou convosco todos dias, até o fim do mundo." Mt 28,20
    E também disse do Espírito Santo: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele dá-vos-á outro Consolador, para que eternamente fique convosco." Jo 14,16


ENCONTRAR GRAÇA AOS OLHOS DE DEUS

    A expressão 'encontrar Graça aos olhos de Deus' é frequente nas Escrituras. Aqui estão alguns exemplos:
    "Noé, entretanto, encontrou Graça aos olhos do Senhor." Gn 6,8
    "Então disse o rei a Sadoc: 'Reconduz a Arca de Deus à cidade. Se eu encontrar Graça aos olhos do Senhor, Ele reconduzir-me-á e far-me-á revê-la, bem como o lugar de Sua habitação.'" 2 Sm 15,25
    "Oxalá a bondade e a fidelidade não se afastem de ti! Ata-as a teu pescoço, grava-as em teu coração! Assim encontrarás Graça e reputação, aos olhos de Deus e dos homens." Pr 3,3-4
    "Na medida em que fores grande, deverás praticar a humildade, e assim encontrarás Graça diante do Senhor." Eclo 3,20a
    "Eis o que diz o Senhor: 'No deserto, encontrou Graça o povo que escapou da espada. Dentro em pouco, Israel gozará de repouso.'" Jr 31,2
    "O anjo disse-Lhe: 'Não temas, Maria, pois encontraste Graça diante de Deus.'" Lc 1,30

    Essa expressão significa obter um 'privilégio' de Deus, ou uma clara possibilidade de poder solicitar-Lhe uma dádiva, um favor de inestimável valor, uma extraordinária benção.
    Mas lembremos que Sua intenção, ao conceder Suas Graças, é sempre revigorar-nos e ajudar a construir Seu Reino, ou seja, promover a Igreja, a Salvação das almas.

    "Esperamos entrar na Vida Eterna!"