terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Os Profetas


    Os verdadeiros arautos de Deus são homens exclusivamente inspirados por Seu Espírito, como nos ensinou São Pedro: "Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus." 2 Pd 1,21
    Sobre o período que antecedeu o exílio da Babilônia, Neemias reconheceu perante Deus: "Vossa paciência para com eles durou muitos anos. Vós fazíeis-lhes admoestações pela inspiração de Vosso Espírito, que animava Vossos Profetas." Ne 9,30a
    Aliás, disse o Profeta Amós, todos projetos de Deus são comunicados em primeiríssima mão a estes luminosos protagonistas: "Porque o Senhor Javé nada faz sem revelar Seu segredo aos Profetas, Seus servos." Am 3,7
    Os seguidores da tradição de São Paulo atestaram esse proceder ao longo da Revelação: "Muitas vezes e de diversos modos, outrora falou Deus a nossos pais pelos Profetas." Hb 1,1
    Também atestou São João Evangelista, falando sobre as revelações dos últimos tempos: "... mas nos dias em que soasse a trombeta do sétimo anjo, cumprir-se-ia o Mistério de Deus, de acordo com a Boa Nova que confiou a Seus servos, os Profetas." Ap 10,7
    A força que move os Profetas, portanto, é o próprio Espírito de Deus: "O Senhor desceu na nuvem e falou a Moisés. Tomou uma parte do Espírito que o animava e a pô-la sobre os setenta anciãos: apenas repousara o Espírito sobre eles, começaram a profetizar, mas não continuaram." Nm 11,25
    E enquanto grandes sinais de Deus, eles sempre estiveram presentes em meio ao povo, como nos tempos de Ezequiel: "Naqueles dias, depois de ter-me falado, entrou em mim um espírito que me pôs de pé. Então eu ouvi Aquele que me falava, o Qual me disse: 'Filho do homem, Eu envio-te aos israelitas, nação de rebeldes, que se afastaram de Mim. Eles e seus pais revoltaram-se contra Mim até o dia de hoje. A estes filhos de cabeça dura e coração de pedra, vou enviar-te, e tu dir-lhe-ás: 'Assim diz o Senhor Deus.' Quer te escutem, quer não, pois são um bando de rebeldes, ficarão sabendo que entre eles houve um Profeta.'" Ez 2,2-5
    Alguns profetizaram ao som de música, como Eliseu ao proferir conselhos de Deus a Josafá, rei de Judá: "'Mas agora me trazei um tocador de harpa.' Apenas fez o tocador vibrar as cordas, veio a mão do Senhor sobre Eliseu, e ele disse: 'Eis o que diz o Senhor...'" 2 Rs 3,15
    Isso não era tão raro: "Davi e os chefes do exército apartaram para o serviço os filhos de Asaf, de Hemã e de Iditum, que profetizavam ao som da harpa, da cítara e dos címbalos." 1 Cro 25,1
    Não ouvi-los, pois, é sinal de desgraça, como Daniel confessou a Deus pela desolação que sobreveio a Jerusalém: "Não escutamos Vossos servos, os Profetas, que falaram em Vosso Nome a nossos reis, a nossos chefes, a nossos antepassados e a todo povo da terra. Recusamos ouvir a voz do Senhor, Nosso Deus. Não seguimos as Leis que Ele nos oferecia pela boca de Seus servos, os Profetas." Dn 9,6.10
    Quanto ao dom da profecia, que sempre deve ser visto a partir e em função do Cristo, é um dos carismas que invariavelmente têm por fim cooperar para a edificação da Igreja, ou seja, para a santificação do povo de Deus, para a Salvação das almas. Diz São Paulo: "Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja." 1 Cor 14,12
    Como os demais dons ele é concedido pelo mesmo e único Espírito de Deus, ou seja, eles não podem estar em contradição: "A respeito dos dons espirituais, irmãos, não quero que vivais na ignorância. Há diversidade de dons, mas um só Espírito. A um é dada pelo Espírito uma palavra de Sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a , pelo mesmo Espírito; a outro, a Graça de curar as doenças, no mesmo Espírito; a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos estes dons, repartindo a cada um como Lhe apraz." 1 Cor 12,1.4.8-11
    Tais carismas podem ser previstos por profecias, como disse São Paulo a São Timóteo: "Eis aqui uma recomendação que te dou, meu filho Timóteo, de acordo com aquelas profecias que foram feitas a teu respeito: amparado nelas, sustenta o bom combate, com fidelidade e boa consciência, pois alguns desprezaram-na e naufragaram na fé." 1 Tm 1,18-19
    Os Profetas, portanto, têm específicas funções perante o povo de Deus, ainda segundo o Apóstolo dos Gentios: "Aquele que profetiza, porém, fala aos homens, para edificá-los, exortá-los e consolá-los." 1 Cor 14,3
    E são importantíssima parte das Escrituras, nas palavras do próprio Jesus: "Depois disse-lhes: 'Isto é o que vos dizia quando ainda estava convosco: era necessário que se cumprisse tudo que de Mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.'" Lc 24,44
    São Pedro não deixa de evocá-los ao exortar o povo de Deus: "... apelo às vossas recordações para em vós despertar uma sã compreensão, e para lembrar-vos as predições dos santos Profetas, bem como o Mandamento de Nosso Senhor e Salvador, ensinado por vossos Apóstolos." 2 Pd 3,1b-2
    Exaltando a Revelação em detrimento de fábulas, ele reforça: "Assim demos ainda maior crédito à palavra dos Profetas, à qual fazeis bem em atender como a uma lâmpada que brilha em um tenebroso lugar, até que desponte o dia e a Estrela da Manhã se levante em vossos corações." 2 Pd 1,19
    Pois o dom da profecia pode revelar corações durante o culto, como afirma São Paulo: "Se, porém, todos profetizarem, e entrar ali um infiel ou um simples homem, por todos é convencido, por todos é julgado, os segredos de seu coração tornam-se manifestos. Então, prostrado com a face em terra, adorará a Deus e proclamará que Deus realmente está entre vós." 1 Cor 14,24-25
    Hoje chamados de pregadores, ou seja, nossos Sacerdotes, eles devem presidir estritamente sob o comando de Deus, que significa obedecer à Sã Doutrina, jamais por próprio impulso. Neste registro das primeiríssimas Santas Missas, quando frequentemente se usava de concelebrações, a homilia era partilhada: "Em suma, que dizer, irmãos? Quando vos reunis, quem dentre vós tem um cântico, um ensinamento, uma revelação, um discurso em línguas, uma interpretação a fazer... Que isto se faça de modo a edificar. Quanto aos profetas, falem dois ou três, e os outros julguem. Se for feita uma revelação a algum dos assistentes, cale-se o primeiro. Todos, um após outro, podeis profetizar, para todos aprenderem e todos serem exortados. O espírito dos profetas deve, porém, estar-lhes submisso, porquanto Deus não é Deus de confusão, mas de Paz. Se alguém se julga profeta ou agraciado com dons espirituais, reconheça que as coisas que vos escrevo são um Mandamento do Senhor." 1 Cor 14,26.29-33.37
    Por isso, ele pedia total fidelidade ao Evangelho: "Temos diferentes dons, conforme a Graça que nos foi conferida. Aquele que tem o dom da profecia, exerça-o conforme a fé." Rm 12,6
    É uma máxima de São João Batista: "Ninguém pode atribuir-se a si mesmo senão o que lhe foi dado do Céu." Jo 3,27
    E Jesus sentenciou: "Toda planta que Meu Pai Celeste não plantou, será arrancada pela raiz. Deixai-os. São cegos e guias de cegos. Ora, se um cego conduz a outro, ambos tombarão na mesma vala." Mt 15,13b-14
    Como sinal da submissão à Verdade, o Antigo Testamento prescreve que a cabeça do profeta ou da profetisa esteja coberta, o que explica os paramentos ainda hoje usados pelos Sacerdotes, principalmente os bispos: "Todo homem que ora ou profetiza com a cabeça coberta falta ao respeito a Seu Senhor. E toda mulher que ora ou profetiza, não tendo coberta a cabeça, falta ao respeito a Seu Senhor, porque é como se estivesse rapada." 1 Cor 11,4-5
    Pois honrando a Deus, estaremos honrando-nos uns aos outros: "Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o dom de ensinar, que ensine; o dom de exortar, que exorte; aquele que distribui as esmolas, faça-o com simplicidade; aquele que preside, presida com zelo; aquele que exerce a misericórdia, que o faça com afabilidade. Que vossa caridade não seja fingida. Aborrecei o mal, apegai-vos solidamente ao bem. Amai-vos mutuamente com terna e fraternal afeição. Adiantai-vos em honrar uns aos outros." Rm 12,7-10
    Além do dom da profecia, os Profetas sempre estudaram as Escrituras com o fim de iluminar e animar a comunidade de fé. São Pedro anotou: "Esta Salvação tem sido o objeto das investigações e das meditações dos Profetas, que proferiram oráculos sobre a Graça que vos era destinada. Eles investigaram a época e as circunstâncias indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava e que profetizava os sofrimentos do mesmo Cristo e as Glórias que deveriam segui-los. Foi-lhes revelado que propunham não para si mesmos, senão para vós, estas revelações que agora vos têm sido anunciadas por aqueles que vos pregaram o Evangelho da parte do Espírito Santo, enviado do Céu. Revelações estas, que os próprios anjos desejam contemplar." 1 Pd 1,10-12
    As próprias Escrituras, aliás, são obra de profecias. Ao fim da Carta aos Romanos, São Paulo rende graças "Àquele que é poderoso para confirmar-vos, segundo meu Evangelho, na pregação de Jesus Cristo, conforme a Revelação do mistério guardado em segredo durante séculos, mas por ordem do Eterno Deus agora manifestado e por meio das proféticas Escrituras dado a conhecer a todas nações, a fim de levá-las à obediência da fé, a Deus, único, sábio, por Jesus Cristo, Glória por toda eternidade! Amém." Rm 16,25-27
    Mas, mesmo assim, as profecias ainda comunicam um imperfeito e provisório conhecimento, por vezes condicional, pois Deus pode revogá-las, e devem ser contempladas estritamente sob o olhar da fé. Contudo, com a ostensiva instauração do Reino dos Céus e a plena manifestação de Deus, ou seja, a beatífica visão, todas suas imperfeições serão esclarecidas: "A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. Nossa ciência é parcial, nossa profecia é imperfeita. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança. Hoje vemos como por um espelho, confusamente, mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte, mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido." 1 Cor 13,8-12
    Foi o que disse a samaritana a Jesus, embora tal profecia refira-se à Sã Doutrina, ou, em lato sentido, à Onisciência de que participaremos à Sua Definitiva Volta: "Respondeu a mulher: 'Sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo). Pois quando Ele vier, far-nos-á conhecer todas coisas.'" Jo 4,25


A VINDA DO ESPÍRITO SANTO

    Com a manifestação do Divino Paráclito, o carisma da profecia, vale dizer, o anúncio da Salvação, foi franqueado aos fiéis. São Pedro aponta o cumprimento dessa profecia de Joel no dia de Pentecostes, o dia do Nascimento da Igreja: "Acontecerá nos últimos dias - é Deus Quem fala -, que derramarei de Meu Espírito sobre todo ser vivo: vossos filhos e vossas filhas profetizarão. Vossos jovens terão visões, e vossos anciãos terão sonhos. Sobre Meus servos e Minhas servas derramarei naqueles dias de Meu Espírito, e eles profetizarão (Jl 3,1-2)." At 2,17-18
    Jesus mesmo havia-O predito como condição para o testemunho de Sua passagem entre nós, que foi iniciado pelos Apóstolos: "... descerá sobre vós o Espírito Santo e dar-vos-á força. E sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda Judeia e Samaria e até os confins do mundo." At 1,8
    Desde então Ele tem estado com Igreja, e, ao contrário do que dizem incautos, ininterruptamente. Nosso Senhor declarou: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele dar-vos-á outro Paráclito, para que convosco fique eternamente." Jo 14,16
    O real fato é que só a Igreja O recebe, o que explica tanta estupidez e a animosidade do mundo contra ela: "É o Espírito da Verdade, que O mundo não pode receber porque não O vê nem O conhece. Mas vós conhecê-Lo-eis, porque convosco permanecerá e em vós estará." Jo 14,17
    A primitiva Igreja espelhava essa fartura de Graças: "Por aqueles dias desceram alguns profetas de Jerusalém a Antioquia. Um deles, chamado Ágabo, levantou-se e pelo Espírito deu a entender que haveria uma grande fome em toda terra. Esta, com efeito, veio no reinado de Cláudio." At 11,27-28
    Jerusalém era um verdadeiro celeiro deles, como revela o episódio do Primeiro Concílio: "Então bem pareceu aos Apóstolos, e aos anciãos com toda comunidade, escolher homens dentre eles e enviá-los a Antioquia com Paulo e Barnabé: Judas, que tinha o sobrenome de Barsabás, e Silas, homens notáveis entre os irmãos. Tendo-se despedido, a delegação dirigiu-se a Antioquia. Ali reuniram a assembléia e entregaram a carta. Judas e Silas, que também eram profetas, dirigiam aos irmãos muitas palavras de exortação e de animação." At 15,22.30.32
    Mas não só lá: "Partindo no dia seguinte, chegamos a Cesareia e, entrando na casa de Filipe, o Evangelista, que era um dos sete diáconos, ficamos com ele. Tinha quatro filhas virgens que profetizavam. Já estávamos aí fazia alguns dias, quando da Judeia chegou um profeta, chamado Ágabo. Veio ter conosco, tomou o cinto de Paulo e, amarrando-se com ele pés e mãos, disse: 'Isto diz o Espírito Santo: assim os judeus em Jerusalém ligarão o homem a quem este cinto pertence, e entregá-lo-ão às mãos dos pagãos.'" At 21,8-11
    E até ainda mais longe: "Então havia na igreja de Antioquia profetas e doutores, entre eles Barnabé, Simão, apelidado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, companheiro de infância do tetrarca Herodes, e Saulo." At 13,1
    Esse dom tornou-se um título na hierarquia da primitiva Igreja, sendo que profeta, evangelista e pastor pouco mais tarde seriam incorporados à função do Sacerdote. São Paulo listava: "A uns Ele constituiu Apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo." Ef 4,11-13
    Os profetas, portanto, só ficavam atrás dos Apóstolos, título este que só coube aos 12, sendo Judas substituído por São Matias, e inclui São Paulo, a quem Jesus também chamou pessoalmente: "Na Igreja, Deus primeiramente constituiu os Apóstolos, em segundo lugar os profetas, em terceiro lugar os doutores, depois aqueles que têm o dom dos milagres, o dom de curar, de socorrer, de governar, de falar diversas línguas." 1 Cor 12,28
    E junto aos Apóstolos tornaram-se os fundamentos da Igreja: "Consequentemente, já não sois hóspedes nem peregrinos, mas sois concidadãos dos santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos Apóstolos e profetas, tendo por pedra angular o próprio Cristo Jesus." Ef 2,19-20
    Não bastante, e ainda no Pentecostes, o Espírito de Deus também deu à Igreja o dom de se expressar em outras línguas, como já citado: "Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo concedia-lhes que falassem." At 2,4
    São Paulo atestou esse carisma por ocasião das Crismas que celebrou em Éfeso: "E quando Paulo lhes impôs as mãos, o Espírito Santo desceu sobre eles, e falavam em estranhas línguas e profetizavam." At 19,6
    Tal dom, porém, deve ser acompanhado de sua interpretação, para que haja uma efetiva edificação da Igreja: "Suponhamos, irmãos, que eu fosse ter convosco falando em línguas, de que vos aproveitaria se minha palavra não vos desse revelação, nem ciência, nem profecia ou doutrina? Por isso, quem fala em línguas peça em oração o dom de interpretá-las. Graças a Deus que possuo o dom de línguas superior a todos vós. Mas prefiro falar na assembléia cinco palavras que compreendo, para também instruir os outros, a falar dez mil palavras em línguas." 1 Cor 14,6.13.18-19
    Portanto, o dom da profecia, ou seja, a pregação sacerdotal propriamente dita, é superior ao dom de línguas, pois suas palavras são imediatamente inteligíveis: "Empenhai-vos em procurar a caridade. Igualmente aspirai aos dons espirituais, mas sobretudo ao de profecia. Aquele que fala em línguas não fala aos homens, senão a Deus. Ninguém o entende, pois fala misteriosas coisas, sob a ação do Espírito. Aquele que fala em línguas edifica-se a si mesmo; mas o que profetiza, edifica a assembléia. Ora, desejo que todos faleis em línguas, porém muito mais desejo que profetizeis. Maior é quem profetiza que quem fala em línguas, a não ser que este também as interprete, para que a assembléia receba edificação." 1 Cor 14,1-2.4-5
    Pois é o próprio Espírito Santo que, pelos profetas, isto é, por nossos atuais Sacerdotes, fala ao povo de Deus. São João Evangelista registrou esta recomendação do próprio Jesus: "Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas..." Ap 2,7
    E as profecias e o Santo Paráclito são inseparáveis. São Paulo pedia: "Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias." 1 Ts 5,19-20
    Contudo, como bem ensinou o Último Apóstolo, o dom da profecia não supera o dom da caridade: "Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos mistérios e toda ciência, mesmo que tivesse toda fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada." 1 Cor 13,2


OS PROFETAS ANUNCIAM O CRISTO

    Quanto às revelações feitas através dos Profetas, em geral, elas são uma só, como concluiu São João Evangelista: "Porque o espírito profético não é outro senão o testemunho de Jesus." Ap 19,10
    E tudo nas Escrituras aponta para o Cristo: "Paulo, servo de Jesus Cristo, escolhido para ser Apóstolo, reservado para anunciar o Evangelho de Deus. Ele outrora o prometera por Seus Profetas na Sagrada Escritura, e diz a respeito de Seu Filho Jesus Cristo, Nosso Senhor..." Rm 1,1-3
    Nesse ponto, os atuais profetas têm o mesmo papel dos Apóstolos: "Lendo-me, podereis entender a compreensão que me foi concedida do Mistério de Cristo, que em outras gerações não foi manifestado aos homens da maneira como agora tem sido revelado pelo Espírito a Seus santos Apóstolos e profetas." Ef 3,4-5
    Falando dos profetas do Antigo Testamento, São Pedro afirma: "Sobre Ele, todos Profetas dão o seguinte testemunho: todo aquele que acredita em Jesus receberá, em Seu Nome, o perdão dos pecados." At 10,43
    O rei Davi também tinha o dom da profecia, e anunciou, como os demais Profetas, detalhes sobre a Vinda do Salvador. O Príncipe dos Apóstolos relata: "Irmãos, seja permitido dizer-vos com franqueza: do patriarca Davi dizemos que morreu e foi sepultado, e seu sepulcro está entre nós até o dia de hoje. Mas ele era Profeta e sabia que Deus lhe havia jurado que um de seus descendentes seria colocado em seu trono. É, portanto, a Ressurreição de Cristo que ele previu e anunciou por estas palavras: 'Ele não foi abandonado na região dos mortos, e Sua Carne não conheceu a corrupção (Sl 15,8.10).'" At 2,29-31
    O livro do Apocalipse também é pura profecia. São João Evangelista registrou: "Ele disse-me: 'Estas palavras são fiéis e verdadeiras, e o Senhor Deus dos espíritos dos Profetas enviou Seu anjo para mostrar a Seus servos o que deve acontecer em breve. Eis que venho em breve! Felizes aqueles que põem em prática as palavras da profecia deste livro.' Fui eu, João, que vi e ouvi estas coisas. Depois de tê-las ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que as mostrava. Mas ele disse-me: 'Não faças isto! Sou um servo como tu e teus irmãos, os profetas, e aqueles que guardam as palavras deste livro. Prostra-te diante de Deus.' Ainda disse ele: 'Não seles o profético texto deste livro, porque o momento está próximo.' Eu declaro a todos aqueles que ouvirem as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes ajuntar alguma coisa, Deus ajuntará sobre ele as pragas descritas neste livro; e se alguém dele tirar qualquer coisa, Deus lhe tirará sua parte da árvore da Vida e da Cidade Santa, descritas neste livro." Ap 22,6-10.18-19
    Esse livro trata de revelações feitas pelo próprio Salvador: "Revelação de Jesus Cristo, que Lhe foi confiada por Deus para manifestar a Seus servos o que em breve deve acontecer. Ele, por Sua vez, por intermédio de Seu anjo, comunicou a Seu servo João..." Ap 1,1
    Ele versa sobre coisas ao tempo da primitiva Igreja e futuras: "Escreve, pois, o que viste, tanto as atuais como as futuras coisas." Ap 1,19
    Portanto, depois da Vinda do Cristo, seguida da do Seu Santo Espírito, a mensagem da Salvação tornou-se uma universal profecia, como já acenava o dom de línguas derramado no Pentecostes. São João Evangelista gravou: "Foi-me, então, explicado: 'Urge que ainda profetizes de novo a numerosas nações, povos, línguas e reis.'" Ap 10,11


O QUE DISSE JESUS

    O Cristo, enfim, veio dar pleno cumprimento às profecias e às Escrituras: "Não julgueis que vim abolir a Lei ou os Profetas. Não vim para aboli-los, mas sim para levá-los à perfeição." Mt 5,17
    De fato, Ele é a essência dos Sagrados Livros: "Vós perscrutais as Escrituras, julgando nelas encontrar a Vida Eterna. Pois bem! São elas mesmas que dão testemunho de Mim. Se crêsseis em Moisés, pois, certamente creríeis em Mim, porque ele escreveu a Meu respeito." Jo 5,39.46
    E nominalmente citou vários Profetas em suas pregações: "Esta adúltera e perversa geração pede um sinal, mas não lhe será dado outro sinal que aquele do Profeta Jonas..." Mt 12,39
     Desde os que dão os mais importantes detalhes de Sua Vinda: "Foi-Lhe dado o livro do Profeta Isaías. Desenrolando o livro, escolheu a passagem onde está escrito: 'O Espírito do Senhor está sobre Mim, porque Me ungiu. Ele enviou-Me para anunciar a Boa Nova aos pobres, para sarar os contritos de coração, para anunciar aos cativos a redenção e aos cegos a restauração da vista, para pôr em liberdade os cativos, para publicar o Ano da Graça do Senhor (Is 61,1s.).' E enrolando o livro, deu-o ao ministro e sentou-Se. Todos quantos estavam na sinagoga tinham os olhos fixos n'Ele. E Ele começou a dizer-lhes: 'Hoje se cumpriu este oráculo que vós acabais de ouvir.'" Lc 4,17-21
    Até os que anunciam acontecimentos posteriores à Sua passagem: "Quando virdes estabelecida no santo lugar a abominação da desolação que foi predita pelo Profeta Daniel..." Mt 24,15
    Ele próprio, aliás, foi anunciado como um Profeta. Estava entre as prescrições de Moisés ao povo de Israel: "O Senhor, Teu Deus, dentre teus irmãos suscitará um Profeta como eu. É a Ele que devereis ouvir." Dt 18,15
    E como Moisés, Ele traria a mais genuína Palavra de Salvação. Deus mesmo disse: "... Eu suscitar-lhes-ei um Profeta como tu dentre seus irmãos. Pôr-Lhe-ei Minhas Palavras em Sua boca, e Ele far-lhes-á conhecer Minhas ordens." Dt 18,18
    Não por acaso, desde os primeiros sinais realizados por Jesus, o povo começou a tratá-Lo como tal: "Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: 'Um grande Profeta surgiu entre nós..." Lc 7,16
    E isso Lhe valia como defesa: "Ouvindo isto, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que era deles que Jesus falava. E procuravam prendê-Lo, mas temeram o povo, que O tinha por um Profeta." Mt 21,45-46
    Pois em Israel assim eram identificados os santos homens, como atestou o cego de nascença por Ele curado: "Perguntaram ainda ao que era cego: 'Que dizes tu d'Aquele que te abriu os olhos?' 'É um Profeta', respondeu ele." Jo 9,17
    E mesmo gente que não professava essenciais capítulos do judaísmo, como a samaritana que estava no poço de Jacó: "'Senhor', disse-Lhe a mulher, 'vejo que és Profeta!...'" Jo 4,19
    As pessoas que presenciaram a multiplicação dos pães e peixes, porém, não tinham mais dúvida: Ele seria o Profeta anunciado por Moisés: "Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: 'Este verdadeiramente é o Profeta, Aquele que deve vir ao mundo.'" Jo 6,14
    Assim como parte dos que O ouviram prometer Água Viva em Jerusalém, durante a Festa dos Tabernáculos: "Ouvindo essas palavras, alguns daquela multidão diziam: 'Este realmente é o Profeta.'" Jo 7,40
    Jesus também Se referiu a Si mesmo como um Profeta: "É necessário, todavia, que Eu caminhe hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não é admissível que um Profeta morra fora de Jerusalém." Lc 13,33
    Era esse o título que Lhe davam quando de Sua triunfal entrada em Jerusalém: "A multidão respondia: 'É Jesus, o Profeta de Nazaré da Galileia.'" Mt 21,11
    Assim também O chamavam Seus discípulos que partiram para Emaús no Domingo após Sua Paixão: "A respeito de Jesus de Nazaré... Era um poderoso Profeta, em obras e palavras, diante de Deus e de todo povo." Lc 24,19
    Por tão íntegra vida, São João Batista foi confundido com o Profeta anunciado por Moisés, à sua época tão aguardado pelos judeus. Enviados de Jerusalém pelos principais, sacerdotes e levitas interrogaram-no: "'Pois, então, quem és?', perguntaram-lhe eles. 'És tu Elias?' Disse ele: 'Não o sou.' 'És tu o Profeta?' Ele respondeu: 'Não.' Perguntaram-lhe de novo: 'Dize-nos, afinal, quem és, para que possamos dar uma resposta aos que nos enviaram.'" Jo 1,21-22a
    E como Jesus o identificou, o Batista era o cumprimento de uma promessa de Deus feita pelo Profeta Malaquias: "Vou mandar-vos o Profeta Elias, antes que venha o grande e temível Dia do Senhor, e ele converterá o coração dos pais para os filhos, e o coração dos filhos para os pais, de sorte que não mais ferirei de interdito a terra." Ml 3,23-24
    Com efeito, a missão do Batista era muito especial, como disse Zacarias, seu pai: "E tu, menino, serás chamado Profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor e preparar-Lhe-ás o Caminho..." Lc 1,76
    Jesus mesmo atestou seu valor: "Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Que fostes ver, então? Um homem vestido com luxuosas roupas? Mas os que estão revestidos de tais roupas vivem nos palácios dos reis. Então por que fostes lá? Para ver um Profeta? Sim, digo-vos eu: mais que um Profeta. É dele que está escrito: 'Eis que Eu envio Meu mensageiro diante de Ti para, preparar-Te o caminho (Ml 3,1).'" Mt 11,7-10
    E com a Nova Aliança, Jesus apontou-o como o último Profeta: "Porque os Profetas e a Lei tiveram a Palavra até João." Mt 11,13
    Mas essa condição de porta voz de Deus, mesmo como simples fiel, não é nada cômoda. Ele disse no Sermão da Montanha: "Alegrai-vos e exultai, porque grande será vossa recompensa nos Céus, pois assim perseguiram os Profetas que vieram antes de vós." Mt 5,12
    Até mesmo entre os mais íntimos: "Um Profeta só é desprezado em sua pátria, entre seus parentes e em sua própria casa." Mc 6,4
    E citou exemplos: "Em verdade, digo-vos: muitas viúvas havia em Israel, no tempo de Elias, quando o céu se fechou por três anos e meio e houve grande fome em toda terra. Mas a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva em Sarepta, na Sidônia. Igualmente havia muitos leprosos em Israel, no tempo do profeta Eliseu, mas nenhum deles foi limpo, senão o sírio Naamã." Lc 4,25-27
    Entretanto, tantas injustiças para com os enviados de Deus não restarão impune, como Ele asseverou: "Por isso, também disse a Sabedoria de Deus: 'Enviar-lhes-ei Profetas e Apóstolos, mas eles darão a morte a uns e perseguirão a outros.' E assim a esta geração se pedirá conta do sangue de todos Profetas, derramado desde a Criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o Templo." Lc 11,49-51
    Garantiu, contudo, que quem os bem tratassem não ficaria sem a devida recompensa: "Aquele que recebe um profeta, na qualidade de profeta, receberá uma recompensa de profeta." Mt 10,41
    
FALSOS PROFETAS

    Não nos enganemos, porém, com os falsos profetas. Pois é pelo poder do inimigo que eles realizam suas 'façanhas': "Mas a Fera foi presa, e com ela o falso profeta que realizara prodígios sob seu controle..." Ap 19,20
    Jesus mesmo avisou: "Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão sinais e portentos para seduzir, se possível for, até os escolhidos." Mc 13,22
    E o grande mal que eles causam é distorcer a Palavra de Deus, pois enquanto movidos pelo Pai da mentira se negam a compreendê-la em toda sua grandeza. São Paulo explica: "É que, de fato, não somos como tantos outros falsificadores da Palavra de Deus. Mas é na sua integridade, tal como procede de Deus, que nós a pregamos em Cristo sob os olhares de Deus." 2 Cor 2,17
    Isso provoca irreligiosidade e não é de agora, como falou Deus através do Profeta Jeremias: "Por isso, eis o Oráculo do Senhor dos Exércitos contra os profetas: 'Vou nutri-los com absinto, e dar-lhes de beber águas contaminadas. Porquanto, é pela atitude dos profetas de Jerusalém que a impiedade invadiu a terra.'" Jr 23,15
    São Pedro profetizou a continuação deste problema, também acusando quem os segue: "Assim como houve entre o povo falsos profetas, também haverá entre vós falsos doutores que disfarçadamente introduzirão perniciosas seitas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, sobre si atrairão uma repentina ruína. Muitos os seguirão em suas desordens, e deste modo serão a causa de o Caminho da Verdade ser caluniado." 2 Pd 2,1-2
    Assim também São Paulo, sendo bem específico: "A ira de Deus manifesta-se do alto do Céu contra toda impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a Verdade. Porque, conhecendo a Deus, não O glorificaram como Deus nem Lhe deram graças. Pelo contrário, extraviaram-se em seus vãos pensamentos e obscureceu-se-lhes o insensato coração. Pretendendo-se sábios, tornaram-se estultos. Trocaram a Verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém! Por isso, Deus entregou-os a vergonhosas paixões: suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza. Do mesmo modo os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida a seu desvario. Apesar de conhecerem o justo decreto de Deus que considera dignos de morte aqueles que tais coisas fazem, não somente as praticam, como também aplaudem os que as cometem." Rm 1,18.21-22.25-27.32
    Ele pedia a profética coragem: "Porque bem o sabei: nenhum dissoluto ou impuro ou avarento, verdadeiros idólatras, terá herança no Reino de Cristo e de Deus. E ninguém vos seduza com vãos discursos. Procurai o que é agradável ao Senhor e não tenhais cumplicidade nas infrutíferas obras das trevas. Pelo contrário, abertamente condenai-as! Porque as coisas que tais homens ocultamente fazem, até delas falar é vergonhoso." Ef 5,5-6a.10-11
    Repreensão, aos da Igreja: "Portanto, severamente repreende-os para que se mantenham sãos na fé, e não deem ouvidos a judaicas fábulas nem a preceitos de homens avessos à Verdade. Proclamam que conhecem a Deus, mas na prática renegam-nO, detestáveis que são, rebeldes e incapazes de qualquer boa obra." Tt 1,13-14.16
    Excomunhão para os mais graves casos: "Em Nome do Senhor Jesus, reunidos vós e meu espírito com o poder de Nosso Senhor Jesus, seja esse homem entregue a Satanás para mortificação de seu corpo, a fim de que sua alma seja salva no Dia do Senhor Jesus. Pois que tenho eu de julgar os que estão fora? Não são os de dentro que deveis julgar? Os de fora é Deus que os julgará... Tirai de vosso meio o perverso." 1 Cor 5,4-5.12-13
    E advertia: "Não são carnais as armas com que lutamos. São poderosas, em Deus, capazes de arrasar fortificações. Nós aniquilamos todo raciocínio e todo orgulho que se levanta contra o conhecimento de Deus, e cativamos todo pensamento e reduzimo-lo à obediência a Cristo. Também estamos prontos para castigar todos desobedientes, assim que perfeita for vossa obediência." 2 Cor 10,4-6
    Jesus denunciou os falsos religiosos de Seu tempo, e apontou a raiz do problema: "Por que não compreendeis Minha linguagem? É porque não podeis ouvir Minha Palavra. Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na Verdade, porque a Verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. Mas Eu, porque vos digo a Verdade, não Me credes." Jo 8,43-45
    Mas eles não restarão incólumes perante Deus: "Irei contra os profetas de enganadores sonhos que, ao narrá-los, com mentiras e fatuidade ludibriam Meu povo. Quando nem missão lhes outorguei, nem mandato algum, e de nenhuma valia são para esse povo - Oráculo do Senhor." Jr 23,32
    Ao tempo do retorno da Babilônia, a estes determinou Deus a pena capital, e pelas mãos dos próprios pais, como registrou o Profeta Zacarias: "Se alguém ainda intentar dar um oráculo, seu pai e sua mãe que o geraram repreendê-lo-ão: 'Vais morrer porque dizes mentiras em Nome do Senhor!' E quando ele proferir seus oráculos, eles mesmos, seu pai e sua mãe que o geraram, transpassá-lo-ão.'" Zc 13,3
    E com a Vinda de Jesus, enfim, seriam desmoralizados: "Naquele dia, os 'profetas' terão vergonha de suas 'proféticas visões', e não mais se cobrirão com o manto de peles para mentir. Cada um dirá: 'Não sou profeta, mas lavrador, e possuo terras desde minha juventude.'" Zc 13,4-5
    Porque, se bem observadas, suas profecias não se cumprem, como Deus disse a Ezequiel: "Estenderei Minha mão contra esses profetas de ineptas visões e de enganadores oráculos." Ez 13,9
    E dar-lhes ouvido também é provocar a ira de Deus, como foi dito através de Jeremias: ""Eis o que diz o Senhor dos Exércitos: 'Não escuteis os profetas que vos transmitem vãos oráculos.' São visões do próprio espírito que vos divulgam, e não as Palavras do Senhor. 'Não cessam de proclamar aos que Me desprezam: Oráculo do Senhor: tudo irá bem para vós! E aos que obstinadamente seguem as tendências do próprio coração dizem ainda: Nada de mal vos acontecerá.' Mas qual deles assistiu à deliberação do Senhor? Quem O viu e Lhe escutou a Palavra? Quem a ouviu e lhe prestou atenção? Ora, eis que explode a tempestade do Senhor, Seu furor, e a tormenta que redemoinha, prestes a cair sobre a cabeça dos maus. Não se acalmará a cólera do Senhor enquanto não se executarem e cumprirem Seus desígnios. 'Poderá um homem ocultar-se de tal modo que Eu o não veja?' - Oráculo do Senhor." Jr 23,16-20a.24a
    O Deuteronômio já havia avisado: "Quando o profeta tiver falado em Nome do Senhor, se o que ele disse não se realizar, é que essa palavra não veio do Senhor." Dt 18,22a
    E como exemplo de pleno cumprimento, temos as palavras de Nossa Senhora: "Por isto, desde agora todas gerações me proclamarão bem-aventurada..." Lc 1,48b
    O povo, contudo, também tem sua parcela de culpa ao se deixar levar por heresias e mentiras. São Paulo denuncia os que se espalham e acabam espalhando o rebanho: "Para que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus enganadores artifícios. Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas frívolas idéias. Eles têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da Vida de Deus. Indolentes, entregaram-se à dissolução..." Ef 4,14.17-19
    Em recomendação que fez a São Timóteo, ele apontou as heresias como a causa da falta de religiosidade: "Empenha-te em apresentar-te diante de Deus como homem digno de aprovação, operário que não tem de que se envergonhar, íntegro distribuidor da Palavra da Verdade. Procura esquivar-te das frívolas conversas dos mundanos, que só contribuem para a impiedade. As palavras dessa gente destroem como a gangrena." 2 Tm 2,15-17a

    "Lembrai-Vos, ó Pai, de Vossa Igreja!"