terça-feira, 19 de junho de 2018

Amar a Deus


    O que significa 'amar a Deus sobre todas as coisas'? Como se cumpre esse Mandamento?
    Inicialmente, é interessante notar que o primeiro dos 10 Mandamentos não fala de em Deus, mas de amor a Ele. Aliás, nenhum deles fala de fé. E é a mais pura Verdade: bem mais que fé, Deus quer ser amado. Isso até pode parecer muito humano, mas só porque esquecemos que o amor é divino, mesmo quando vivido por nós. Ora, ele é a essência de todas as coisas, a harmonia que perpassa todo o cosmo. E é o melhor conceito que São João Evangelista encontrou para o próprio Deus. Está em sua primeira carta: "... Deus é amor." 1 Jo 4,8
    Em carta a São Timóteo, exaltando a maior de todas manifestações de Deus, São Paulo põe Jesus como foco desse amor, que deve expressar-se pelo zelo à Sã Doutrina: "Toma por modelo os salutares ensinamentos que de mim recebeste sobre a fé e o amor a Jesus Cristo. Guarda o Precioso Depósito, pela virtude do Espírito Santo que em nós habita." 2 Tm 1,13
    De fato, podemos afirmar que Jesus, vivendo como humano, veio ensinar-nos a amar a Deus. Amor que Ele exemplarmente demonstrou, em absoluta obediência ao Pai, levando-o às últimas consequências. São Paulo atestou: "Sendo Ele de condição divina, não Se prevaleceu de Sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a Si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-Se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-Se ainda mais, tornando-Se obediente até a morte, e morte de Cruz." Fl 2,6-8
    E ao pronunciar-Se sobre esse assunto, para valorizar a Sagrada Tradição e ser mais preciso, Jesus mencionou a passagem do Deuteronômio que diz: "Amarás o Senhor, Teu Deus, de todo teu coração, de toda tua alma, de toda tua força e de todo teu entendimento...(Dt 6,5)" Mt 22,37
    Vale examinar:

AMAR A DEUS DE TODO CORAÇÃO

    Isso diz de refinamento, moderação de sentimentos e emoções. E, cabe esclarecer, para Jesus o coração é a sede de toda consciência moral. Ele disse: "Porque a boca fala do que lhe transborda do coração." Mt 12,34
    Disse ainda: "Porque é do interior do coração dos homens que procedem os maus pensamentos: devassidões, roubos, assassinatos, adultérios, cobiças, perversidades, fraudes, desonestidade, inveja, difamação, orgulho e insensatez." Mc 7,21-22
    Revelou o que nos identifica: "Porque onde está teu tesouro, lá também está teu coração." Mc 6,21
    E assim concluiu: "O homem de bem tira boas coisas de seu bom tesouro. O mau, porém, tira coisas más de seu mau tesouro." Mt 12,35
    Ele garantia: "Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!" Mt 5,8
    Pois segundo Nosso Salvador é aí que se travam as grandes batalhas da fé, como disse na parábola da boa semente: "... mas depois vem o demônio e tira-lhes a Palavra do coração..." Lc 8,12
    E é onde se consuma o pecado: "Eu, porém, digo-vos: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração." Mt 5,28

AMAR A DEUS DE TODA ALMA

    Requer abraçar sinceramente a vida espiritual e seus valores. Isso só é possível pelo exercício da piedade em seu verdadeiro sentido, o das práticas religiosas. É o que São Paulo recomendou a São Timóteo: "Exercita-te na piedade. Se o exercício corporal traz algum pequeno proveito, a piedade, esta sim, é útil para tudo, porque tem a promessa da presente e da futura Vida." 1 Tm 4,8
    Amar com a alma é o que disse Nossa Senhora no Magnificat, pois para isso ela estava preparada desde que foi concebida: "Minha alma glorifica ao Senhor..." Lc 1,46
    Entregar-se à devoção, portanto, é elementar para que se alcance o verdadeiro amor a Deus. Não se pode esquivar dos compromissos da fé. O cego de nascença curado por Jesus vai dizer aos judeus: "Sabemos, porém, que Deus não ouve a pecadores, mas atende a quem Lhe presta culto e faz Sua vontade." Jo 9,31
    Já os seguidores da tradição de São Paulo deixaram-nos um estamento: "Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, pois para achegar-se a Ele é necessário que primeiro se creia que Ele existe e que recompensa os que O procuram." Hb 11,6
    Pois crendo piamente que Ele existe, ou seja, vivenciando Sua presença e praticando o culto que Lhe é devido, podemos melhor contemplar Suas obras e assim estamos mais propensos a amá-Lo. O Apóstolo dos Gentios assegura: "Pois tudo que Deus criou é bom, e nada há de reprovável..." 1 Tm 4,4
    Ora, a Santa Missa foi instituída pelo próprio Cristo: "Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-O e deu-lhO, dizendo: 'Isto é Meu Corpo, que é dado por vós. Fazei isto em memória de Mim.' Do mesmo modo tomou o Cálice, depois de cear, dizendo: 'Este cálice é a Nova Aliança em Meu Sangue, que é derramado por vós...'" Lc 22,19-20
    E Ele pedia todo envolvimento espiritual: "Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e Verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é Espírito, e Seus adoradores devem adorá-Lo em espírito e Verdade." Jo 4,23-24
    Nesse sentido era a oração de São Paulo e seus seguidores em favor dos tessalonicenses: "Nesta esperança suplicamos incessantemente por vós, para que Nosso Deus vos faça dignos da vossa vocação, e que eficazmente leve a bom termo todo vosso zelo pelo bem e a atividade de vossa fé." 2 Ts 1,11
    São Pedro, ademais, recomendava um expressivo exercício de ascese, que julgava essencial aos cristãos: "Por estes motivos, o quanto possível esforçai-vos por unir à vossa fé a virtude, à virtude a ciência, à ciência a temperança, à temperança a paciência, à paciência a piedade, à piedade o amor fraterno, e ao amor fraterno a caridade. Se estas virtudes se acharem abundantemente em vós, elas não vos deixarão inativos nem infrutuosos no conhecimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Porque quem não tiver estas coisas é míope, cego. Esqueceu-se da purificação de seus antigos pecados." 2 Pd 1,5-9


AMAR A DEUS DE TODA FORÇA

    É colocar nossos corpos a serviço das coisas que agradam a Deus. A caridade, seja doação de vida a Deus, seja partilha com os irmãos dos frutos do nosso trabalho, é um grande exemplo. Os seguidores de São Paulo exortavam às duas: "Não negligencieis a beneficência e a Comunhão. Estes são sacrifícios que agradam a Deus!" Hb 13,16
    O próprio São Paulo estimulava os romanos: "Não relaxeis vosso zelo. Sede fervorosos de espírito. Servi ao Senhor. Socorrei às necessidades dos fiéis. Esmerai-vos na prática da hospitalidade." Rm 12,11.13
    Ele reconhecia a generosidade, tanto espiritual quanto material, das igrejas da Macedônia: "Em meio a tantas tribulações com que foram provadas, espalharam generosamente e com transbordante alegria, apesar de sua extrema pobreza, os tesouros de sua liberalidade. Sou testemunha de que, segundo suas forças, e até além dessas forças, contribuíram espontaneamente e pediam-nos com muita insistência o favor de poderem associar-se neste socorro destinado aos irmãos. E ultrapassaram nossas expectativas. Primeiro deram-se a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus." 2 Cor 8,2-5
    E aplaudia os louváveis feitos dos coríntios: "Com respeito ao auxílio a prestar aos irmãos, acho quase supérfluo continuar a escrever-vos. Porquanto estou ciente de vossa boa vontade, que enalteço, para glória vossa, ante os macedônios, dizendo-lhes que a Acaia também está pronta desde o ano passado. O exemplo de vosso zelo tem estimulado a muitos. Dê cada um conforme o impulso de seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama aquele que dá com alegria." 2 Cor 9,1-2.7
    Também diz São Tiago Menor: "Por exemplo: um irmão ou irmã não têm que vestir e falta-lhes o pão de cada dia. Então, se algum de vós lhes disser: 'Ide em Paz, aquecei-vos e comei bastante' e, no entanto, não lhes dá o necessário para o corpo, que adianta isso?" Tg 2,16-17
    E sob o aspecto espiritual, amar a Deus com toda a força também significa resistir fisicamente ao pecado e aos sofrimentos com que o mundo nos aflige: "Considerai, pois, atentamente aquele que tantas contrariedades sofreu dos pecadores, e não vos deixeis abater pelo desânimo. Ainda não tendes resistido até o sangue na luta contra o pecado." Hb 12,4
    São Paulo também pede: "Mortificai, pois, vossos membros no que têm de terreno: a devassidão, a impureza, as paixões, os maus desejos, a cobiça, que é uma idolatria. Dessas coisas provém a ira de Deus sobre os descrentes. Outrora também vós assim vivíeis, mergulhados como estáveis nesses vícios. Agora, porém, deixai de lado todas estas coisas: ira, animosidade, maledicência, maldade, torpes palavras de vossa boca, nem vos enganeis uns aos outros. Vós despistes-vos do velho homem com seus vícios, e revestistes-vos do novo, que vai restaurando-se constantemente à imagem d'Aquele que o criou, até atingir o perfeito conhecimento." Cl 3,5-10
    E diz que esse é nosso único caminho: "... até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. ... pela sincera prática da caridade, cresçamos em todos sentidos..." Ef 4,13.15a

AMAR A DEUS DE TODO ENTENDIMENTO

    É a necessidade de chegar a uma esclarecida fé, através do pleno concurso da razão. Esse entendimento só é possível com o consciencioso exame da mensagem divina, feito de boa vontade, isto é, sem preguiça, e de modo moralmente corajoso. É um exercício de conhecimento e que nos acompanha a vida inteira. Sempre teremos o que aprender. São Paulo vai dizer aos efésios: "Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas frívolas ideias. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-lhes afastados da Vida de Deus. Indolentes, entregaram-se à dissolução, à apaixonada prática de toda espécie de impureza. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, se é que O ouvistes e d'Ele aprendestes, como convém à Verdade em Jesus. Renunciai à vida passada, despojai-vos do velho homem, corrompido por enganadoras concupiscências. Renovai sem cessar o sentimento de vossa alma, e revesti-vos do novo homem, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade." Ef 4,17-24
    São Pedro, por sua vez, pedia plena consciência da vida espiritual cristã: "Estai sempre prontos a responder em vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito." 1 Pd 3,15
    Nosso amor a Deus, portanto, carece de conhecimento de Sua Palavra e de Suas manifestações, sem que nos atrapalhe a dissimulação ou a mentira. Ninguém pode fugir a esse exercício da razão. Sobre a devoção dos gregos, por exemplo, sempre colocada por São Paulo em oposição a dos judeus, ele escreveu aos romanos: "Porquanto o que se pode conhecer de Deus eles leem-no em si mesmos, pois Deus lho revelou com evidência. Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, Seu sempiterno poder e divindade, tornam-se visíveis à inteligência por Suas obras, de modo que não se podem escusar." Rm 1,19-20
    Sem dúvida, sem essa constante renovação do entendimento para com o Pai e Seu amor, cai-se facilmente em tentação, como ele menciona sobre os que se esquivam da Verdade: "Como não se preocupassem em adquirir o conhecimento de Deus, Deus entregou-os aos depravados sentimentos, e daí seu indigno procedimento." Rm 1,28
    O salmista já dizia: "Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor e dia e noite medita Sua Lei. Ele é como a árvore plantada na margem de águas correntes: dá fruto na época própria, sua folhagem jamais murchará. Tudo que empreende, prospera." Sl 1,2-3
    Porque conhecendo a Deus, não há como não O amar, e isso se exprime pela gratidão. E por tudo: pela vida, pelas pessoas, pela natureza etc. Mas principalmente por Seu amor. Tendo essa percepção do mundo e da vida é que verdadeiramente começamos a amá-Lo, pois há um virtuoso ciclo entre o amor e Sabedoria. Diz o Eclesiástico: "O Verbo de Deus nos Céus é a fonte da Sabedoria... Ele criou-a... e difundiu-a em todas Suas obras, em toda carne segundo Sua generosidade, e doou-a aos que O amam." Eclo 1,5a.9a.10
    São Paulo, aliás, foi bem específico ao condenar a falta de interesse da parte dos judeus pela Sã Doutrina: "Pois dou-lhes testemunho de que têm zelo por Deus, mas um zelo sem discernimento." Rm 10,2

VENCER A CONSCIÊNCIA PREGUIÇOSA

    Mas eis que surgem algumas questões. Jesus, sendo Deus, e portanto falando do amor que Lhe devemos, pareceu muito exigente quando falou: "Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim não é digno de Mim. Quem ama o filho ou a filha mais do que a Mim não é digno de Mim." Mt 10,37
    Primeiro, porém, precisamos ver nessa frase Jesus revelando-Se Deus. É um dos momentos em que Ele Se declara! Se Ele Se colocou como Aquele que deve ser amado sobre todas as pessoas e coisas, fica claro Quem Ele é. Segundo, não podemos apegar-nos demasiadamente nem mesmo às pessoas mais próximas nessa vida. Todos vamos morrer, e a ausência de alguém muito íntimo, sem a fé, pode torturar-nos. Correto, pois, é amar a Deus e crer na Vida Eterna. Lá teremos todos os Seus, e pela eternidade. Por isso, falando sobre a vida mundana e sem Deus, Jesus ensinou: "Quem ama sua vida, perdê-la-á. Mas quem odeia sua vida neste mundo, conservá-la-á para a Vida Eterna." Jo 12,25
    De fato, depois da Vinda do Messias, o amor pelas coisas do mundo significa nas trevas. É o que disse São João: "... a Luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas que a Luz, pois suas obras eram más." Jo 3,19
    E segundo as próprias palavras de Jesus, não há como amar a Deus sem amá-Lo: "Desse modo, todos honrarão o Filho, bem como honram o Pai. Aquele que não honra o Filho, não honra o Pai, que O enviou." Jo 5,23
    Pelo livre arbítrio, Ele chega mesmo a propor uma experiência: "Se alguém quiser cumprir a vontade de Deus, distinguirá se Minha Doutrina é de Deus ou se falo de Mim mesmo." Jo 7,17
    Contudo, Ele é absolutamente restritivo: "... ninguém vem ao Pai senão por Mim." Jo 14,6b
    Exige empenho: "Jesus disse-lhes: 'Ó gente sem inteligência! Como sois tardos de coração para crerdes em tudo que anunciaram os Profetas! Porventura não era necessário que Cristo sofresse essas coisas e assim entrasse na Sua Glória?'" Lc 24,25-26
    E usou de toda contundência ao combater aqueles que resistiam diante de Suas obras: "Se Deus fosse vosso pai, vós Me amaríeis, porque Eu saí de Deus. É d'Ele que Eu provenho, porque não vim de Mim mesmo, mas foi Ele Quem Me enviou. Por que não compreendeis Minha linguagem? É porque não podeis ouvir Minha Palavra. Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na Verdade, porque a Verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira." Jo 8,42-44

JESUS: PARÂMETRO DE AMOR

    Para que melhor se compreenda o que significa amar a Deus, Jesus faz uma radical simplificação: põe o amor ao próximo na mesma importância que o amor a Deus. Ele diz literalmente que este Mandamento é semelhante ao primeiro: "Amarás o Senhor, Teu Deus, de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). Este é o maior e o primeiro Mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). Nesses dois Mandamentos resumem-se toda a Lei e os Profetas." Mt 22,37-40
    São João Evangelista vai no mesmo sentido: "Se alguém disser: 'Amo a Deus', mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê. Temos de Deus este Mandamento: o que amar a Deus, ame também a seu irmão." 1 Jo 4,20-21
    E foi bem mais contundente: "Quem odeia seu irmão é assassino. E sabeis que a Vida Eterna não permanece em nenhum assassino." 1 Jo 3,15
    Porque, nestes termos, Jesus estava deixando Seu Mandamento, que era ainda mais simples: "Dou-vos um novo Mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como Eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." Jo 13,34-35
    E note-se que Ele estabelecia um parâmetro para esse amor, que é Seu próprio amor por nós: "Como Eu vos tenho amado..." Idem
    Ele quis dizer, enfim, que devemos amar ao próximo como Deus nos ama. Esse foi um dos pedidos que Ele fez ao Pai por nós: "Manifestei-lhes Teu Nome, e ainda hei de manifestá-lhO, para que o amor com que Me amaste esteja neles, e Eu neles." Jo 17,26
    O Amado Discípulo explica: "Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem para conosco. Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele. Mas amamos porque primeiro Deus nos amou." 1 Jo 4,16.19
    E diz mais: "Se mutuamente nos amarmos, Deus permanece em nós e Seu amor em nós é perfeito." 1 Jo 4,12b
    São Paulo disse como isso acontece: "E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado." Rm 5,5
    Ele sabia, porém, que mais amar quase sempre significa ser menos amado: "Não vos serei oneroso, porque não busco vossos bens mas sim a vós mesmos. Com efeito, não são os filhos que devem entesourar para os pais, mas os pais para os filhos. De mui boa vontade darei o que é meu, e me darei a mim mesmo por vossas almas, ainda que, amando-vos mais, seja menos amado por vós." 2 Cor 12,14b-15
    Jesus, no entanto, deixou claro como podemos demonstrar amor a Ele: "Aquele que tem e guarda Meus Mandamentos, esse é que Me ama. E aquele que Me ama será amado por Meu Pai, e Eu amá-lo-ei e manifestar-Me-ei a ele." Jo 14,21
    Ou seja, conhecer e praticar Sua Palavra é o verdadeiro sinal de nosso amor. Ele disse ainda: "Se alguém Me ama, guardará Minha palavra e Meu Pai amá-lo-á. E nós viremos a ele e nele faremos Nossa morada." Jo 14,23
    São João Evangelista confirma tal ensinamento, lembrando o amar a Deus 'com todo entendimento': "Eis o amor a Deus: que guardemos Seus Mandamentos. E Seus Mandamentos não são penosos..." 1 Jo 5,3
    Sem dúvida, de tanto amar-nos, Deus quer viver em nossa alma. E é o que de fato acontece, como atestou São Paulo: "Vós, porém, não viveis segundo a carne, mas segundo o Espírito, se realmente o Espírito de Deus habita em vós. Se alguém não possui o Espírito de Cristo, este não é d'Ele." Rm 8,9
    Ele pergunta: "Não sabeis que sois o Templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?" 1 Cor 3,16
    E ficam estas palavras de sua inspiração: "... sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus..." Rm 8,28

    "Nosso coração está em Deus."