sábado, 17 de março de 2018

São Patrício


    Em 432 chegou como bispo a Irlanda, uma nação quase que totalmente pagã, e em 30 anos converteu praticamente todo povo ao Catolicismo, inclusive o rei.
    Nasceu em 386, na Bretanha Romana, em um local chamado Bannavem Taburniae, provavelmente a atual aldeia de Banwen, no País de Gales. Era neto de padre, pois nesses tempos ainda se ordenava casados, e filho de diácono. Apesar da família de religiosos, São Patrício só se interessou mais a fundo pelos assunto da após a adolescência, pois tudo aquilo lhe era muito natural.
    Aos 16 anos um acontecimento marcou para sempre sua vida: foi sequestrado por piratas e vendido como escravo na Irlanda, onde por 6 anos executou trabalhos forçados, a maior parte deles na condição de rude pastor.
    Em 408, já em outro trabalho, embarcou num navio que levava cães de caça irlandeses a França, e, ao aportarem, foram atacados por piratas nórdicos, mas ele fugiu, conseguindo desembarcar. Deus estava com ele: foi inspirado por seu Anjo da Guarda a buscar suas origens de família cristã, indo ao encontro de religiosos que viviam nos mosteiros da região. Logo se viu diante de São Germano, que estava abandonando as funções de prefeito na Gália para tornar-se sacerdote e, em 418, seria consagrado Bispo de Auxerre.
    Vendo a nítida vocação sacerdotal de São Patrício, este Santo tomou-o sob seus cuidados e foi seu professor. Em 429 São Germano de Auxerre foi enviado em missão a Inglaterra, para combater a heresia do pelagianismo, que pregava que o ser humano não depende da Graça de Deus para salvar-se, mas tão somente de si mesmo e de sua retidão moral. Não teve dúvida: levou São Patrício consigo.
    Ele acompanhava-o com perfeita obediência, mas São Germano já sabia que São Patrício alimentava o sonho de ir evangelizar a Irlanda, o país pagão que o havia escravizado. A situação, porém, era muito complicada: em 431 Paládio tinha sido enviado para lá como primeiro bispo, e já em 432 foi assassinado pelos hereges.
    Mesmo assim, por sua insistência e através da indicação de São Germano, São Patrício foi chamado a Roma, consagrado bispo e enviado a Irlanda ainda no ano de 432. Ele tinha uma ideia: com sua natural humildade e carisma, fundou vários mosteiros em cada uma das cinco províncias de ilha, que inicialmente serviram de escola para crianças e jovens irlandeses. Na verdade, estava simplesmente replicando sua experiência pessoal, da fase em que chegou a Gália e foi acolhido por São Germano. Esse método foi mais tarde aplicado na Inglaterra e na Alemanha com o mesmo sucesso.
    O rei e sua corte foram os primeiros a impressionarem-se com tamanha espiritualidade e convicção religiosa. Logo se converteram. Com extrema habilidade, ele atraía a mística cultura celta para os Sacramentos da Igreja, e revelava ao povo a dimensão maior do amor de Deus, pregando o Reino dos Céus anunciado por Jesus. Sua inspiração era realmente divina: a Irlanda tornou-se um centro de formação de grandes missionários, que foram muito bem sucedidos em vários países. Entre muitos deles podemos citar: São Columbano, São Galo, São Donato, São Willibrordo e São Tarásio. Se mais tarde a Irlanda seria chamada de 'Terra de Santos', ninguém esquece quem foi seu pai espiritual.


    Além de induzir muitas conversões, era grande confessor. Por sua simplicidade, multidões acorriam a ele e abriam-lhe o coração em busca de reconciliação com Deus e Paz celestial. Por esses anos a Irlanda era conhecida como terra de serpentes, dada a quantidade que lá existia, mas a São Patrício é atribuído o milagre de tê-las eliminado, com suas frequentes viagens em missão por todo o país. De fato, nosso Santo apenas acreditava no que Jesus havia dito aos Apóstolos: "Eis que vos dei poder para pisar serpentes, escorpiões e todo poder do inimigo." Lc 10,19
    E nessas longas jornadas por ermos territórios, nas quais diz ter enfrentado doze situações de grande risco, ele sempre levava consigo um trevo de três folhas, para explicar a mais humilde gente o mistério da Santíssima Trindade: 1 Deus, em 3 Pessoas. Em sua homenagem, o trevo e sua cor verde passaram a ser símbolos da Irlanda.


    São Patrício fundou a primeira Santa Sé do país, a cátedra do bispo local. Escreveu 'Confissão', testemunho que deu no final de sua vida, onde diz de seus primeiros anos como escravo: "Após chegar a Irlanda, eu diariamente pastoreava as ovelhas, e diversas vezes ao dia rezava - o amor de Deus e o respeito a Ele cresciam mais e mais, e minha fé fortalecia-se. E meu espírito foi tocado de modo que, em um único dia, eu fazia cerca de cem orações, e mais cem à noite, mesmo quando estava nos bosques e na montanha. E antes da aurora, eu levantava-me para rezar, e mesmo que nevasse, estivesse frio ou chovendo, nada me atingia."
    Deixou-nos sua oração, que rezava todas as manhãs, considerada a mais antiga poesia vernácula da Europa. Aqui temos uma parte: "Levanto-me hoje pela força do amor dos querubins, em obediência aos anjos, a serviço dos arcanjos... Levanto-me hoje pela força do Céu: luz do sol, iluminação da lua, esplendor do fogo, rapidez do relâmpago, velocidade do vento, profundidade do mar, estabilidade da terra, firmeza da rocha. Cristo guarde-me hoje, contra veneno, contra fogo, contra afogamento, contra ferimento, para que eu possa receber e desfrutar a recompensa. Cristo comigo, Cristo à minha frente, Cristo atrás de mim, Cristo em mim, Cristo embaixo de mim, Cristo acima de mim, Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda, Cristo ao me deitar, Cristo ao me sentar, Cristo ao me levantar, Cristo no coração de todos os que pensarem em mim, Cristo na boca de todos que falarem em mim, Cristo em todos os olhos que me virem, Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem."
    É carinhosamente chamado de 'Apóstolo' da Irlanda, e também registrou:
    "Eu sou Patrício, sim, um pecador e, de fato, indomável. No entanto, estou estabelecido aqui na Irlanda, onde me professo bispo. Tenho certeza, em meu coração, de que tudo que sou, eu recebi de Deus. Assim, vivo entre bárbaras tribos, estranho e exilado pelo amor de Deus."
    "Diariamente, eu espero ser assassinado ou traído ou reduzido à escravidão, se a ocasião surgir. Mas não tenho medo de nada, por causa das promessas do Céu."
    "Se eu tiver algum valor, é viver minha vida para Deus, como quando ensino a esses povos. Mesmo assim alguns deles ainda me desprezam."
    "Rezo a Deus para dar-me perseverança e dignar-me de que eu seja Sua fiel testemunha até o fim da minha vida, por meu Deus."
    "Que a força de Deus nos guie, que a Sabedoria de Deus nos instrua, que a mão de Deus nos proteja, que a Palavra de Deus nos direcione. Seja sempre nosso, hoje e para sempre."
    "E lá, à noite, eu tive a visão de um homem... vindo como que da Irlanda, com inúmeras cartas. E ele deu-me uma delas, e eu li as palavras iniciais da carta, que eram: 'A voz dos irlandeses...' e quando eu li o começo da carta, pensei que no mesmo momento eu ouvia a voz deles - eram aqueles do lado de 'Madeira de Voclut', que está perto do Mar Ocidental - e assim eles gritaram como com uma só boca: 'Nós pedimos-te, garoto, venha e caminhe entre nós mais uma vez.'"
    
"Antes eu era humilhado, era como uma pedra que no fundo da lama, e Aquele que é poderoso veio e, em Sua compaixão, levantou-me e exaltou-me muito alto, e colocou-me no topo da parede."
    "Ele [Deus] velou por mim antes que eu O conhecesse, e, antes que eu aprendesse o sentido ou mesmo distinguisse entre o bem e o mal, Ele protegeu-me e consolou-me como um pai faria a seu filho."
    "Eu sou imperfeito em muitas coisas, no entanto, quero que meus irmãos e parentes conheçam minha natureza, para que possam perceber o desejo de minha alma."
    "O Senhor abriu a compreensão do meu incrédulo coração, para que eu lembrasse meus pecados."
    "Pois, após o castigo de Deus, e em reconhecimento a Ele, nosso modo de recompensá-Lo é exaltá-Lo e professar Suas maravilhas diante de cada nação sob o Céu."

    "Deixe qualquer um rir e insultar, se assim desejar. Eu não guardo silêncio, nem escondo os sinais e as maravilhas que muitos anos antes de acontecerem me foram mostradas pelo Senhor, que de tudo sabia, mesmo antes do começo dos tempos."
    "Não sou ignorante do que é dito de Meu Senhor no Salmo: 'Tu destruirás aqueles que falam a mentira.' E novamente: 'Uma boca mentirosa causa morte à alma.' E, da mesma forma, o Senhor diz no Evangelho: 'No dia do Juízo, os homens devem dar conta de todas ociosas palavras que proferem.'"
    
"O que eu proferi em latim não são minhas palavras, mas as palavras de Deus e dos Apóstolos e dos Profetas, que, claro, nunca mentiram. Quem crer será salvo, mas aquele que não acredita será condenado. Deus falou."
    "Nunca confie num cachorro para vigiar seus alimentos."
    "Para dizer o bastante, a cobiça é uma ação mortal. Você não deve cobiçar os bens de seu vizinho."


    Viveu longa vida, e morreu em 493, aos 107 anos, na cidade de Down, que depois foi renomeada Down Patrick.
    Em 1191 os irlandeses construíram uma bela catedral na capital, Dublin, para sua devoção.


    Sua obra foi amplamente reconhecida pelo mundo. É venerado como Santo também pelas igrejas anglicanas, luteranas e ortodoxas.
    Muito venerado nos Estados Unidos, que tiveram desde o ano de 1600 uma forte presença dos imigrantes irlandeses, a São Patrício foi consagrada em Manhattan uma imponente catedral, que é a sede da Arquidiocese de Nova Iorque.


    O local de seu sepultamento, ao lado da igreja de Down Patrick, é muito reverenciado.


    São Patrício, rogai por nós!