quarta-feira, 11 de julho de 2018

São Bento


   Também chamado de São Bento Abade, ou São Bento de Núrsia, lugar onde nasceu, foi um monge italiano que viveu o recolhimento como opção às incapacidades morais que vicejavam entre as pessoas de seu tempo. Roma, aonde foi enviado pelo pai com sua irmã gêmea, Santa Escolástica, para estudar Retórica e Filosofia, teria-lhe causado uma profunda aversão. Acabados os estudos, foi-se de lá e desde então não quis mais viver em centros urbanos.


    Ajudado por um monge, chamado Romano, viveu numa caverna no monte Subiaco, nas proximidades da cidade de Affile. Passava seus dias entre orações e leituras espirituais.
    Por certo, foi influenciado pela história de Santo Antão, que vendeu a propriedade após a morte do pai, pagou um internato para a irmã, distribuiu o restante do dinheiro com os pobres e pelo resto da vida foi morar nos desertos do Egito. Quando este Santo era encontrado por religiosos que queriam levar vida igual à sua, ele achava um jeito de recolher-se de novo. Antes, porém, preparava-os, ensinando seus métodos, como atestou Santo Atanásio que com ele aprendeu, e então partia para um lugar ainda mais distante, para viver plenamente o eremitério.


    Nos arredores dessa caverna, a fama da santidade de São Bento logo se espalhou e ele começou a ser procurado por pessoas que queriam rezar, aconselhar-se ou simplesmente estar com ele.
    Também foi procurado por religiosos que lhe queriam como mestre. Elegeram-no abade do mosteiro de Vicovaro, no norte da Itália, mas após algum tempo uns monges acharam-no rigoroso demais, e, para dele verem-se livre, tentaram envenená-lo. Uma vez com um cálice de vinho, outra vez com pão. Mas esse símbolos sagrados não lhe poderiam fazer mal: do cálice saiu uma serpente, e o pão foi levado por um corvo. Uma de suas imagens retrata exatamente essa história.
    Ademais, Jesus havia prometido aos Apóstolos: "Estes milagres acompanharão aqueles que crerem: expulsarão os demônios em Meu Nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados." Mc 16,17-18
    Estes lamentáveis fatos, principalmente por virem de 'monges', fizeram com que ele regressasse à vida na caverna do monte Subiaco. As visitas de muitos religiosos, porém, não o deixavam viver a solidão e a contemplação que desejava. Seguindo uma ideia que bem lembrava Jesus, fundou doze mosteiros, com apenas doze monges em cada um, criteriosamente escolhidos.
    Mas, perseguido por um sacerdote que se incomodava com sua presença, e com o assédio de tanta gente que apenas queria vê-lo, vai recolher-se na remota região de Nápoles, onde em 529, aos 49 anos, funda a grande Abadia de Montecassino e a Ordem dos Beneditinos, que hoje é uma das maiores do mundo.
    Em 540 escreve a 'Regra dos Mosteiros', hoje chamada Regra de São Bento, que serviu ao longo dos séculos, e ainda serve, como fonte de inspiração para as constituições de muitas ordens religiosas.


    Após o surgimento dos beneditinos, por seis séculos a vida da Europa teve como referência o que era ensinado nos mosteiros que seguiam sua Regra. Foi por seu apreço pelos livros espirituais e pelo conhecimento que os mosteiros da Ordem se tornaram a salvação de boa parte dos manuscritos guardados nos países europeus, sobre os mais diversos assuntos, nas épocas de guerras e destruição. Por esse feito, foi intitulado Santo Padroeiro da Europa. E é venerado como Santo também pelos 'ortodoxos'.


    Sua história foi registrada poucas décadas depois de sua morte, e por ninguém menos que São Gregório Magno, ao tornar-se Papa. Sua intenção era falar sobre aquele que havia transformado o modo de viver na Europa. Entre tantos outros milagres que realizava, ele conta que São Bento tinha o dom de discernimento de espírito: conhecia as pessoas e seus pensamentos. Isso justifica porque preferia ou a companhia de bons monges ou simplesmente o isolamento.


    Sua oração dá-nos uma ideia dos combates que travou:
    "A Santa Cruz seja minha Luz
    Não seja o Dragão meu guia
    Retira-te, Satanás
    Nunca me aconselhes coisas vãs
    É mal o que tu me ofereces
    Bebe tu mesmo de teu veneno."

    E são suas palavras:
    "O Profeta mostra que, por causa do silêncio, devemos abster-nos até de uma boa conversa. Se isto é assim, quanto mais necessário é que nos abstenhamos de más palavras, por causa da penalidade do pecado!"
    "Quem nunca para de falar, não pode evitar cair em pecado."

    "Ao mestre cabe falar e ensinar, ao discípulo calar e ouvir."
    "Ouça e atenda com o ouvido de seu coração."
    "Ouça com atenção, meu filho, os preceitos de seu mestre, e incline o ouvido de seu coração. Receba de bom grado e cumpra eficazmente o conselho de seu amoroso pai, para que pelo trabalho de 
obediência possa retornar Àquele de Quem você partiu pela preguiça da desobediência."
    "O primeiro grau de humildade é a pronta obediência., que naturalmente vem para aqueles que amam a Cristo acima de tudo."
    "Os sonolentos gostam de dar desculpas."
    "Agora é hora de levantarmo-nos do sono."

    "Pois eles são verdadeiramente monges quando vivem do trabalho de suas mãos."
    "A ociosidade é inimiga da alma. E, portanto, os irmãos devem estar empregados em trabalho manual em certos momentos, em outros, em devota leitura."
    "Ora et labora."
    "Aquele que trabalha enquanto ora, com as mãos eleva seu coração a Deus."

    "Seja qual for o bom trabalho que você começa a fazer, implore a Deus com a mais sincera oração para aperfeiçoá-lo."
    "Tenha o cuidado de ser gentil, para evitar que, ao remover a ferrugem, você quebre o instrumento inteiro."

    "Antes de tudo, e acima de tudo, deve ser dada atenção ao cuidado dos doentes, para que sejam servidos como se fossem o próprio Cristo."
    "Atribuir a Deus, e não a si mesmo, qualquer bem que se veja em si mesmo. Mas sempre reconhecer que o mal é o fazer por si mesmo e imputá-lo a si mesmo."
    "Cingido com e com a realização de boas obras, sigamos em Seus caminhos pela orientação do Evangelho."
    "A oração deve ser curta e pura, a menos que seja prolongada pela inspiração da Divina Graça."
    "E primeiro deixe que eles orem juntos, para que possam associar-se em Paz."
    "Toda idade e grau de compreensão devem ter sua medida apropriada de disciplina. No que diz respeito aos meninos e adolescentes, portanto, ou àqueles que não conseguem entender a gravidade da pena de excomunhão, sempre que forem delinquentes, sejam submetidos a severos jejuns ou levados a termo por meio de duras surras, para que possam ser curados."
    "É inútil subjugar a carne pela abstinência, a menos que a pessoa realmente desista de sua vida irregular e abandone vícios que contaminam sua alma."
    "Não há nada melhor para mostrar a Verdade, sob uma excelente luz, que uma clara e simples declaração dos fatos."
    "O abade deve ter sempre em mente o que ele é e a que é chamado. Ele deve saber que a quem mais é confiado, mais é exigido."
    "Ele deve saber que quem empreende o governo das almas, deve preparar-se para prestar contas delas."
    "Ele deve primeiro mostrar-lhes em atos, em vez de palavras, tudo que é bom e santo."
    "Deus Todo-poderoso, dá-me Sabedoria para perceber-Te, inteligência para entender-Te, diligência para buscar-Te, paciência para esperar-Te, olhos para contemplar-Te, um coração para meditar em Ti e vida para proclamar-Te, pelo poder do Espírito de Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém."
    "Pois em todos momentos, nós devemos servi-Lo com as boas coisas que Ele nos deu, para que Ele não venha, como um raivoso Pai, deserdar seus filhos, nem como um temido Senhor, provocado por nossas más ações, entregar-nos ao eterno castigo, como maus servos que se recusam a segui-Lo para a Glória."
    "Portanto, consideremos como nos convém estar à vista de Deus e dos anjos, e assim tomemos nossa parte no salmodiar que a mente e a voz combinam."
    "Agora, irmãos, que nós perguntamos ao Senhor quem habitará em Seu tabernáculo, ouvimos as condições para lá morar. E se cumprirmos os deveres de arrendatários, seremos herdeiros do Reino dos Céus. Nossos corações e nossos corpos devem, portanto, estar prontos para batalhar sob as ordens da santa obediência. E peçamos ao Senhor que Ele forneça, pela ajuda de Sua Graça, o que para nós é impossível por natureza. E se, voando das dores do inferno, desejamos alcançar a Vida Eterna, então enquanto ainda há tempo e ainda estamos na carne, e somos capazes durante a vida presente de cumprir todas essas coisas, devemos apressar-nos para fazer agora o que para sempre nos trará lucros."
    "Corra enquanto tiveres a luz da vida, para que as trevas da morte não te alcancem."

    Ia visitar sua irmã apenas uma vez por ano, e só para conversar sobre assuntos espirituais. Santa Escolástica também levava uma vida de recolhimento, e conta-se que teria demonstrado inclinações religiosas antes dele, tendo sido sua primeira mentora.
    Poucos dias antes de sua morte, nosso Santo esteve com ela numa dessas visitas, quando insistiu que ele ficasse mais um pouco para continuarem conversando. Sua santidade atingira níveis realmente espantosos, que impressionava a própria irmã, não menos Santa. Diante de sua recusa, por mera humildade e pressa em tornar a recolher-se, ela pediu e Deus mandou tão forte e longa tempestade que o impedia de voltar ao mosteiro. Assim conversaram por toda a noite, e pela última vez. Três dias depois, ela veio a falecer. E quarenta dias após sua morte, também morreu São Bento.
    Ambos foram sepultados sob o altar da Basílica de Montecassino, que é dedicada a Nossa Senhora da Assunção e a ele.


    São Bento, rogai por nós!