sexta-feira, 31 de agosto de 2018

São Raimundo Nonato


    Nonato quer dizer 'não nascido', pois São Raimundo foi tirado do ventre da mãe quando ela já havia falecido. Por esse fato, foi eleito patrono das mulheres que desejam engravidar, das grávidas, dos recém-nascidos, das parteiras e dos obstetras.
    Sua família era espanhola, catalã de Portell. Nobre mas de poucas propriedades, seu pai, logo que percebeu suas inclinações religiosas, quis fazê-lo administrador na corte real de Aragon, no nordeste da Espanha, e depois entregou-lhe as fazendas ao seu gerenciamento. No entanto, nosso Santo dava-se a exercer os ofícios dos trabalhadores e pastores, conforme suas necessidades de ajuda, e o tempo restante gastava entre o silêncio e a oração, que só confirmavam sua forte vocação para a .
    À época, um jovem francês, que viria a ser São Pedro Nolasco, mudou-se de sua pequena cidade, Mas-des-Saintes-Puelles, no sul da França, para Barcelona, com a finalidade de fazer frente à heresia divulgada pelos albigenses. Contudo, em 1218 terminou fundando a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, cujo carisma era libertar os cristãos que estavam sendo capturados pelos muçulmanos para serem vendidos como escravos na Argélia, no norte da África. Não por acaso, desde 1203 ele já arrecadava a 'esmola dos cativos' nas igrejas e nos ambientes cristãos, que para eles era a única chance de libertação.
    Diante desta aterradora realidade, e ali mesmo, em terras europeias, se por seu nascimento São Raimundo foi resgatado da morte, vai dedicar sua vida ao resgate da escravidão. Em 1224, aos 24 anos, recebe do próprio São Pedro Nolasco o hábito da Ordem dos Mercedários. Tornou-se Sacerdote e, após anos libertando cristãos na Espanha, o que fez até gastar toda sua herança, foi enviado a África, para onde já haviam sido enviados muitos cristãos escravizados. Tamanho era seu ardor e devoção pela Salvação das almas, que, um dia, após exauridos todos recursos com os quais negociava, nosso Santo ofereceu-se em troca de um escravo cristão.


    Como tal situação de calamidade que não retrocedia, sua esperança era dedicar os anos que lhe restava para alimentar a fé dos escravizados permanecendo em sua companhia, tomando confissões e animando-os pela oração e adoração ao Santíssimo Sacramento


    Das inspiradas pregações que fazia, e conseguia converter até mesmo os muçulmanos, logo se tornou vítima da raiva dos donos de escravos. Foi sentenciado à morte por empalamento, mas acabou poupado por seu valor em possível resgate. Sofreu várias e frequentes torturas, e como não parava de pregar pessoa a pessoa ou às ocultas, convertendo inclusive seus guardas, teve seus lábios perfurados com um ferro em brasa e fechados com um cadeado.


    Nessa condição, sofreu 8 meses até ser libertado mediante resgate em 1239, de coletas feitas por São Pedro Nolasco, e, realmente muito doente, foi levado de volta a Espanha.
    Ao saber de sua libertação, o Papa Gregório IX nomeou-o cardeal, pois por seus conhecimentos e oratória queria-o como conselheiro em Roma. Ele, no entanto, continuou vivendo como monge mendicante, pois era muito requisitado lá mesmo na Espanha. Em 1240, enfim, mesmo sem ter recuperado plena saúde, resolveu atender ao chamado do papa, porém, ao iniciar a viagem, morreu tomado por fortes febres ainda em Cardona, bem próximo a Barcelona.
    Seu corpo foi enterrado na capela de São Nicolau, onde havia servido como Sacerdote. Em volta dela, entre 1597 e 1625, em sua homenagem foi construído o Monastério de São Raimundo de Portell, conhecido também como o Escorial de Segarra.




    São Raimundo Nonato, rogai por nós!