sábado, 2 de setembro de 2017

Igreja Viva


    A Igreja não existiria sem o Espírito Santo. Através da Comunhão da Santíssima Trindade, podemos dizer ela é obra Sua, pois São Lucas registra que até a comunicação entre Jesus e os Apóstolos se dava através do Santo Paráclito: "... contei toda a sequência das ações e dos ensinamentos de Jesus, desde o princípio até o dia em que, depois de ter dado pelo Espírito Santo Suas instruções aos Apóstolos que escolhera, foi arrebatado ao Céu." At 1,1-2
    Registra também quando Jesus diz que, para testemunhá-Lo, os Apóstolos primeiro precisariam receber o Espirito Santo: "... descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria e até os confins do mundo." At 1,8
    A Igreja nasceu, portanto, com a Vinda do Espírito de Deus, que São Lucas descreveu assim: "Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, Mãe de Jesus, e os irmãos d'Ele. Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem." At 1,14:2,1-4
    Ora, ser movido pelo Espírito de Deus é a condição de ser de todo cristão, como afirma o próprio Jesus: "Quem crê em Mim, como diz a Escritura: 'Do seu interior manarão rios de Água Viva (Zc 14,8; Is 58,11).' Dizia isso, referindo-Se ao Espírito que haviam de receber os que n'Ele cressem, pois ainda não fora dado o Espírito, visto que Jesus ainda não tinha sido glorificado." Jo 7,38-39
    Por isso, para salvar almas e para formar o Corpo Místico de Cristo, desde sua primeira pregação São Pedro já convocava os fiéis à Confissão, e prometia-lhes: "Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo." At 2,38
    São Paulo também deixou claro que a Palavra de Deus não pode ser corretamente interpretada sem a ajuda do Divino Paráclito: "Não que sejamos capazes por nós mesmos de ter algum pensamento, como de nós mesmos. Nossa capacidade vem de Deus. Ele é que nos fez aptos para ser ministros da Nova Aliança, não a da letra, e sim a do Espírito. Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica." 2 Cor 3,5-6
    Ou seja, longe de interpretações meramente literais ou pessoais, temos que buscar o que tem sido revelado pelo Espírito Santo, como ensinou Jesus, que prometeu à Igreja essa especialíssima assistência: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece, mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,16-17
    E sobre os verdadeiros cristãos, Ele disse à samaritana que estava no poço de Jacó: "Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e Verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e os Seus adoradores devem adorá-Lo em espírito e Verdade." Jo 4,23-24
    Jesus identificou-O como Aquele que vinha para ensinar todas as coisas de que precisamos, e fazer-nos recordar tudo o que Ele já havia dito: "Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu Nome, ensinar-vos-á todas as coisas e recordar-vos-á tudo o que vos tenho dito." Jo 14,26
    É Ele, pois, que tem acompanhado a Igreja através dos tempos, levando-nos a compreender as Revelações de Deus em Sua Palavra e na Encarnação do Cristo, bem como nos demais assuntos que surgem através dos séculos: "Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a Verdade, porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão." Jo 16,13
    De fato, os Apóstolos não podiam, em tão breve período, compreender tudo que Jesus tinha para ensinar. Ele mesmo disse-lhes: "Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora." Jo 16,12
    Por isso, como visto, Ele enviou o Santo Espírito para que permanecesse para sempre com Sua Igreja, Cuja função é exatamente apascentar Seu rebanho: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique eternamente convosco." Jo 14,16
    Pois Ele é o maior e melhor presente que Deus tem para nos dar. Disse Jesus: "Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais Vosso Pai Celestial dará o Espírito Santo aos que LhO pedirem." Lc 11,13


DONS ESPIRITUAIS

    São Pedro, assumindo sua posição de primaz da Igreja, num de seus primeiros sermões foi movido pelo Espírito de Deus para falar destemidamente aos sacerdotes judeus. Isso se deu no Sinédrio, quando foram presos pela primeira vez: "Então Pedro, cheio do Espírito Santo, respondeu-lhes: 'Chefes do povo e anciãos, ouvi-me...'" At 4,8
    Aliás, tal e qual Jesus havia predito: "Quando, porém, vos levarem às sinagogas, perante os magistrados e as autoridades, não vos preocupeis com o que haveis de falar em vossa defesa, porque o Espírito Santo vos inspirará naquela hora o que deveis dizer." Lc 12,11-12
    Assim, quem mentia a São Pedro, representante máximo da nascente comunidade cristã, mentia ao Espírito Santo, ou seja, ao próprio Deus: "Pedro, porém, disse: 'Ananias, por que tomou conta Satanás do teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e enganasses acerca do valor do campo? Não foi aos homens que mentiste, mas a Deus!'" At 5,3.4b
    Os sete primeiros Diáconos da Igreja, da mesma forma, foram escolhidos exatamente por serem movidos pelo Espirito de Deus, como determinou o Colégio dos Apóstolos: "Portanto, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de Sabedoria, aos quais encarregaremos este ofício." At 6,3
    E segundo Santo Estevão, um desses sete, contrariar a Igreja é contrariar o Divino Espírito, como ele condenou os chefes dos judeus reunidos no Sinédrio para julgá-lo: "Homens de dura cerviz, e de corações e ouvidos incircuncisos! Vós sempre resistis ao Espírito Santo. Como procederam os vossos pais, assim procedeis vós também!" At 7,51
    Ora, os Apóstolos, colunas da Igreja, batizavam e crismavam pela unção do Espírito de Deus, como vemos no 'Pentecostes' dos samaritanos: "Os Apóstolos que se achavam em Jerusalém, tendo ouvido que a Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João. Estes, assim que chegaram, fizeram oração pelos novos fiéis, a fim de receberem o Espírito Santo, visto que ainda não havia descido sobre nenhum deles, mas tinham sido somente batizados em Nome do Senhor Jesus. Então os dois Apóstolos impuseram-lhes as mãos e receberam o Espírito Santo." At 8,14-17
    Era, pois, pela ação do Divino Paráclito que a Igreja crescia: "A Igreja gozava então de Paz por toda a Judeia, Galileia e Samaria. Estabelecia-se ela caminhando no temor do Senhor, e a assistência do Espírito Santo fazia-a crescer em número." At 9,31
    Foi Ele mesmo Quem decidiu, pela pregação de São Pedro, descer sobre os não judeus, pois quer agregar todos os povos em Sua Igreja. Era o 'Pentecostes' dos não judeus: "Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a Palavra. Os fiéis da circuncisão, que tinham vindo com Pedro, admiraram-se profundamente vendo que o dom do Espírito Santo era derramado também sobre os não judeus..." At 10,44-45
    São Barnabé, igualmente, só conseguia atrair tanta gente para a Igreja porque o Espírito de Deus agia por seu intermédio: "A notícia dessas coisas chegou aos ouvidos da igreja de Jerusalém. Enviaram então Barnabé até Antioquia. Ao chegar lá, alegrou-se, vendo a Graça de Deus, e a todos exortava a perseverar no Senhor com firmeza de coração, pois era um homem de bem, cheio do Espírito Santo e de . Assim uma grande multidão uniu-se ao Senhor." At 11,22-24
    É o Espírito de Cristo Quem decide quais missões são mais importantes para a divulgação do Evangelho: "Enquanto celebravam o culto do Senhor, depois de terem jejuado, disse-lhes o Espírito Santo: 'Separai-Me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho destinado.'" At 13,2
    Foi Ele Quem decidiu o Primeiro Concílio da Igreja, como afirmou São Tiago Menor, então o Bispo de Jerusalém: "Com efeito, pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor outro peso além do indispensável seguinte..." At 15,28
    Decidia também as áreas de atuação, como determinou a São Paulo e São Timóteo: "Atravessando em seguida a Frígia e a província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a Palavra de Deus na província da Ásia." At 16,6
    E até mesmo o destino das viagens: "Ao chegarem aos confins da Mísia, tencionavam seguir para a Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu." At 16,7
    É Ele Quem investe os Bispos da Igreja, como disse São Paulo aos Anciãos de Éfeso, implicitamente indicando a Divindade de Jesus: "Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu Bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que Ele adquiriu com o Seu próprio Sangue." At 20,28
    É Ele Quem nos leva a amar a Deus e ao próximo: "E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado." Rm 5,5
    É Ele Quem nos dá a esperança que conduz à Vida Eterna: "O Deus da esperança encha-vos de toda a alegria e de toda a Paz na vossa fé, para que pela virtude do Espírito Santo transbordeis de esperança!" Rm 15,13
    Pois desde o Batismo ministrado pela Igreja de Jesus, o Espírito de Deus vem habitar em nós. São Paulo argumenta: "Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?" 1 Cor 6,19
    É Ele Quem intercede constantemente pelos Santos, expoentes máximos da Igreja: "E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o Qual intercede pelos Santos, segundo Deus." Rm 8,27
    E também por nós: "Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com inexprimíveis gemidos." Rm 8,26
    Assim, não há como fazer parte da Igreja, que é o Corpo Místico de Cristo, a habitação de Deus, sem Ele, que nos faz participar da Comunhão dos Santos: "Consequentemente, já não sois hóspedes nem peregrinos, mas sois concidadãos dos Santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos Apóstolos e Profetas, tendo por pedra angular o próprio Cristo Jesus. É n'Ele que todo edifício, harmonicamente disposto, levanta-se até formar um Templo Santo no Senhor. É n'Ele que também vós outros entrais conjuntamente, pelo Espírito, na estrutura do edifício que se torna a habitação de Deus." Ef 2,19-22
    Com efeito, é Ele Quem distribui os divinos dons, mas sempre visando o bem da comunidade: "A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum. Mas é um e o mesmo Espírito que distribui todos estes dons, repartindo a cada um como Lhe apraz." 1 Cor 12,7.11
    Pois a exclusiva razão de ser desses dons é servir à Igreja, e por consequência ao Reino de Deus: "Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja." 1 Cor 14,12
    Enfim, só com Sua ajuda somos capazes de compreender a Missão de Jesus e reconhecê-Lo como Nosso Salvador: "... ninguém pode dizer: 'Jesus é o Senhor', senão sob a ação do Espírito Santo." 1 Cor 12,3


ESPÍRITO DE COMUNHÃO

    Devemos ajudar uns aos outros, portanto, unidos pelo Espírito em oração, como diz São Judas Tadeu: "Mas vós, caríssimos, edificai-vos mutuamente sobre o fundamento da vossa santíssima fé. Orai no Espírito Santo." Jd 1,20
    De fato, segundo São Paulo não temos como fugir desses compromissos: "Pois os dons e o chamado de Deus são irrevogáveis." Rm 11,29
    E como afirma São João Evangelista, desde os Apóstolos a Igreja conta com o testemunho humano instituído por Jesus: "Aceitamos o testemunho dos homens." 1 Jo 5,9a
    Tais dons, no entanto, têm por inexorável fim conduzir-nos à Unidade da fé, pois para isso somos inspirados pelo mesmo Espírito, como prega São Paulo: "Há diversidade de dons, mas um só Espírito. Em um só Espírito fomos batizados todos nós, para formar um só Corpo, judeus ou gregos, escravos ou livres; e todos fomos impregnados do mesmo Espírito." 1 Cor 12,4.13
    Unidade que ele explicita assim: "Aquele que desceu é também Aquele que subiu acima de todos os Céus, para levar a plenitude todas as coisas. A uns Ele constituiu Apóstolos; a outros, Profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. Para que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus enganadores artifícios. Mas pela sincera prática da caridade cresçamos em todos os sentidos, n'Aquele que é a Cabeça, Cristo. É por Ele que todo o Corpo - coordenado e unido por conexões que estão ao Seu dispor, trabalhando cada um conforme a atividade que lhe é própria - efetua esse crescimento, visando a sua plena edificação na caridade." Ef 4,10-16
    Porque a missão da Igreja é a iluminação e elevação dos filhos de Deus, como atestaram os seguidores da tradição de São Paulo: "Porque aqueles que uma vez foram iluminados saborearam o dom celestial, participaram dos dons do Espírito Santo..." Hb 6,4
    São Paulo mesmo atesta o diferencial que se estabeleceu no Pentecostes: "A Lei do Espírito de Vida libertou-me, em Jesus Cristo, da lei do pecado e da morte. ... pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus." Rm 8,2.14
    É Ele, pois, Quem promove a Unidade da Igreja através da Eucaristia: "A Graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a Comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós!" 2 Cor 13,13
    Pois a Igreja vive porque se alimenta do Pão da Vida Eterna, como prometeu Jesus: "Assim como vive o Pai que Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a Minha Carne viverá por Mim." Jo 6,57
    Foi também nestes termos que Ele explicou Sua morte na Cruz: "Ainda um pouco de tempo e o mundo já não Me verá. Vós, porém, tornareis a ver-Me, porque Eu vivo e vós vivereis." Jo 14,19
    Assim como Sua Ressurreição: "Naquele dia conhecereis que estou em Meu Pai, e vós em Mim e Eu em vós." Jo 14,20
    É o diz São Paulo: "Eu vivo, mas já não sou eu, é Cristo que vive em mim." Gl 2,20a
    E exorta-nos: "Porque estais mortos, e vossa vida está escondida com Cristo em Deus." Cl 3,3
    Ele aponta Jesus como o Novo Adão, de absolutamente nova condição: "Como está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito ser vivente (Gn 2,7); o Segundo Adão é Espírito Vivificante." 1 Cor 15,22.45
    Por isso ele assegura: "Se o Espírito d'Aquele que ressuscitou Jesus dos mortos habita em vós, Ele, que ressuscitou Jesus Cristo dos mortos, também dará a Vida aos vossos corpos mortais pelo Seu Espírito que habita em vós. De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis..." Rm 8,11.13
    Sem dúvida, é a Ele que ofendemos com nossos pecados, pois Ele é o Selo que nos garante a Salvação: "Não contristeis o Espírito Santo de Deus, com o Qual estais selados para o Dia da Redenção." Ef 4,30
    Assim como é por Seu poder que os sacerdotes da Igreja têm o poder de perdoar os pecados, pois afirmou Nosso Salvador: "Depois dessas palavras, Jesus soprou sobre eles dizendo-lhes: 'Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.'" Jo 20,22-23
    O próprio Evangelho, enfim, só pode ser anunciado através de Seu poder, conforme as palavras de São Paulo: "O nosso Evangelho foi-vos pregado não somente por palavra, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção. Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa Salvação." 1 Ts 1,5
    Pois as palavras da Bíblia, segundo São Pedro, são "... revelações que agora vos têm sido anunciadas por aqueles que vos pregaram o Evangelho da parte do Espírito Santo, enviado do Céu." 1 Pd 1,12
    E essas revelações atingem em cheio nossa alma: "Porque a Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração." Hb 4,12
    Por isso São Pedro lembra que a Palavra de Deus não pode ser interpretada de modo particular, ou seja, pessoalmente, mas tão somente conforme a inspiração do Espírito de Deus: "Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus." 2 Pd 1,20-21
    A Igreja, portanto, guarda a Sã Doutrina por Sua virtude, que reside em Seus sacerdotes e fiéis. Referindo-se à Revelação, São Paulo recomenda a São Timóteo: "Guarda o Precioso Depósito, pela virtude do Espírito Santo que habita em nós." 2 Tm 1,14
    Diz também aos coríntios: "Não há dúvida de que vós sois uma carta de Cristo, redigida por nosso ministério e escrita, não com tinta, mas com o Espírito de Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, em vossos corações." 2 Cor 3,3
    Os seguidores deste grande Apóstolo deixaram fortes argumentos sobre a importância da Palavra que é guardada e divulgada pela Igreja: "Por isso é necessário prestarmos a maior atenção à mensagem que temos recebido, para não acontecer que nos desviemos do reto Caminho. A Palavra anunciada por intermédio dos anjos era a tal ponto válida, que toda transgressão ou desobediência recebeu o justo castigo. Como, então, escaparemos nós se agora desprezarmos a mensagem da Salvação, tão sublime, anunciada primeiramente pelo Senhor e depois confirmada pelos que a ouviram, comprovando-a o próprio Deus por sinais, prodígios, milagres e pelos dons do Espírito Santo, repartidos segundo a Sua vontade?" Hb 2,1-4
    Segundo afirmou a São Timóteo o Apóstolo dos Gentios, a Igreja, instantemente inspirada pelo Espírito de Cristo, é viva, é a guardiã da Verdade: "Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na Casa de Deus, que é a Igreja de Deus Vivo, coluna e sustentáculo da Verdade." 1 Tm 3,15
    Por tudo isso, imaginar a Igreja 'fazendo o que quer', 'parada no tempo' ou 'afastada da Palavra' é um grande engano. Pois, como visto, Ela é plenamente animada pelo "... Espírito Santo, autor da Graça!" Hb 10,29
    Assim, movida pelo próprio Deus, em assuntos de fé a Igreja é infalível. Ela jamais vai sucumbir às seduções do inimigo, como o próprio Jesus garantiu: "... as portas do inferno não prevalecerão contra ela." Mt 16,18b
    E não podia ser de outra forma, pois ela é de Jesus e é edificada pessoalmente por Ele: "E Eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja..." Mt 16,18a
    É Ele Quem escolhe Seus sacerdotes, que ministram Sacramentos que são eternos: "Não fostes vós que Me escolhestes, mas Eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça." Jo 15,16a

    "Lembrai-Vos, ó Pai, da Vossa Igreja!"