quarta-feira, 28 de março de 2018

Corpo Santo

    Além de registros históricos, a Ressurreição de Jesus já havia sido profetizada desde os Salmos. Falando a Deus, o salmista, que deve ser entendido como o próprio Cristo, diz: "... Vós não abandonareis Minha alma na habitação dos mortos, nem permitireis que Vosso Santo conheça a corrupção." Sl 15,10
    E as provas que Jesus deu da Ressurreição da carne foram mais que concretas. Trata-se literalmente de carne e ossos redivivos, ainda que sob condição ligeiramente distinta, pois podem materializar-se ou não. De fato, uma foi a condição em que Ele Se apresentou a Santa Maria Madalena. Em primeiro momento, a ela pareceu ser outra pessoa. Em seguida, Ele apresentou-Se de modo a ser reconhecido, mas ainda não podia ser intocado. São João Evangelista relata assim:

    "Ditas estas palavras, voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não O reconheceu.
    Perguntou-lhe então Jesus:
    - Mulher, por que choras? Quem procuras?
    Supondo ela que fosse o jardineiro, respondeu:
    - Senhor, se tu O tiraste, dize-me onde O puseste e eu O irei buscar.
    Disse-lhe Jesus:
    - Maria!
    Voltando-se ela, exclamou em hebraico:
    - Rabôni! (Mestre!)
    Disse-lhe Jesus:
    - Não Me retenhas, porque ainda não subi a Meu Pai, mas vai a Meus irmãos e dize-lhes: 'Subo para Meu Pai e Vosso Pai, Meu Deus e Vosso Deus.'" Jo 20,14-17

    Outra foi a condição em que Ele apareceu pela primeira vez ao colégio dos Apóstolos, segundo São Lucas, absolutamente reconhecível e palpável:

    "Enquanto ainda falavam dessas coisas, Jesus apresentou-Se no meio deles e disse-lhes:
    - A Paz esteja convosco!
    Perturbados e espantados, pensaram estar vendo um espírito. Mas Ele disse-lhes:
    - Por que estais perturbados, e por que essas dúvidas em vossos corações? Vede Minhas mãos e Meus pés, sou Eu mesmo; apalpai e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que tenho.
    E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. Mas, vacilando eles ainda e estando transportados de alegria, perguntou-lhes:
    - Tendes aqui alguma coisa para comer?
    Então ofereceram-Lhe um pedaço de peixe assado. Ele tomou e comeu à vista deles." Lc 24,36-43

    A Ressurreição, porém, não se aplica só a Jesus, mas a todo ser humano, seja para a Vida Eterna ou para a eterna condenação. São palavras d'Ele: "... os que praticaram o bem irão para a Ressurreição da Vida, e aqueles que praticaram o mal ressuscitarão para serem condenados." Jo 5,29
    Essa promessa já estava no livro do Profeta Daniel: "Muitos daqueles que dormem no pó da terra despertarão; uns para uma Vida Eterna, outros para a ignomínia, a eterna infâmia. Os que tiverem sido inteligentes fulgirão como o brilho do firmamento, e os que tiverem introduzido muitos nos Caminhos da justiça luzirão como as estrelas, com um perpétuo resplendor." Dn 12,2-3
    E, com efeito, no Domingo da Ressurreição muitos ressuscitaram, como atestam as Escrituras. São Mateus registrou: "Os sepulcros abriram-se e os corpos de muitos justos ressuscitaram. Saindo de suas sepulturas, entraram na Cidade Santa depois da Ressurreição de Jesus e apareceram a muitas pessoas." Mt 27,52-53
    Além destes sinais, entre outros realizados pelo próprio Jesus, como a ressurreição de Lázaro, do filho da viúva de Naum e da filha de Jairo, ou ainda as que se deram através de São Pedro e São Paulo, Deus deu-nos muitos outros que apontam para a incorruptibilidade da carne, e assim para a Ressurreição e para a Vida Eterna: são os corpos de muitos Santos que demoraram a decompor-se, como provas para o povo de seu lugar e seu tempo, ou, como provas para toda a humanidade, aqueles que simplesmente ainda não sofreram os efeitos da decomposição, os chamados corpos santos ou corpos incorruptos.
    Os Santos, aliás, são assim identificados por São João Evangelista justamente por terem alcançado o que ele chama de 'primeira ressurreição', ou seja, por terem chegado ao Céu, enquanto almas, e já estarem reinando com Cristo: "Eles viveram uma Nova Vida e reinaram com Cristo por mil anos. (Os outros mortos não tornaram à vida até que se completassem os mil anos.) Esta é a primeira ressurreição. Feliz e Santo é aquele que toma parte na primeira ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo: reinarão com Ele durante mil anos." Ap 20,5-6
    Pelos corpos santos, pois, é-nos dado uma veemente mostra do que São Paulo disse sobre o grande evento que acontecerá no Último Dia: "É necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade..." 1 Cor 15,53
    Ora, ele exulta nessa esperança: "Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, ou seja, quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a Palavra da Escritura: 'A morte foi tragada pela Vitória' (Is 25,8). 'Onde está, ó morte, tua vitória? Onde está, ó morte, teu aguilhão' (Os 13,14)?" 1 Cor 15,54-55
    E já são muitos os grandiosos sinais de Deus dados através de corpos santos, que, vale notar, só acontecem com os membros de Sua Igreja, membros do Corpo Místico de Cristo:
    São Pio de Pietrelcina, o renomado Padre Pio, que carregou por décadas os estigmas de Cristo. Falecido em 1968.


    - São Dom Bosco, fundador da Pia Sociedade de São Francisco de Sales, conhecida como Salesianos. Falecido em 1888.


    Santa Bernardete Soubirous, vidente de Nossa Senhora em Lourdes. Falecida em 1879.


    - Santa Catarina Labouré, vidente de Nossa Senhora das Graças. Falecida em 1876.


    - São João Maria de Vianney, Padroeiro dos Padres. Falecido em 1859.


    Beato Estevão Bellesini, defensor da juventude, primeiro pároco a ser beatificado. Falecido em 1840.


    - Beata Anna Maria Taigi, que doava tudo aos pobrescom frequência visitava enfermos e tinha visões do futuro. Falecida em 1837.


    - São Vicente de Paulo, o Pai dos pobres, fundou a Congregação da Missão, conhecida como Padres Lazaristas. Falecido 1660.


    "Esperamos, ó Cristo, Vossa Vinda Gloriosa!"