segunda-feira, 2 de abril de 2018

Metas Espirituais Propostas por Jesus


    Não há dúvidas de que Jesus elevou à excelência o nível de espiritualidade dos que dizem professar  em Deus. Ele simplesmente determinou a mais completa interiorização da obediência e da devoção: "Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e Verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja." Jo 4,23
    Mostrou um caminho muito mais estreito a ser seguido, e que é preterido por muitos: "Entrai pela porta estreita, porque é larga a porta e espaçoso o caminho que leva à perdição, e são muitos os que por ela entram!" Mt 7,13
    Quem realmente ouve Jesus, portanto, de pronto é forçado a libertar-se da auto-ilusão. Ele denunciava os fariseus: "Vós procurais parecer justos aos olhos dos homens, mas Deus conhece vossos corações..." Lc 16,15
    Questionou os religiosos judeus no Templo de Jerusalém: "Como podeis crer, vós que recebeis a glória uns dos outros e não buscais a Glória que é só de Deus?" Jo 5,44
    E dava exemplo: "Não espero Minha Glória dos homens..." Jo 5,41
    Questionou inclusive a indisposição em acolher Suas pregações, necessariamente cheia de parábolas, metáforas e alegoria: "Por que não compreendeis Minha linguagem?" Jo 8,43a
    Por isso, havia interrogado Nicodemos quando lhe falava sobre o renascer espiritual: "Disse Jesus: 'És doutor em Israel e ignoras estas coisas!... Se vos tenho falado das coisas terrenas e não Me credes, como crereis se vos falar das celestiais?'" Jo 3,10.12
    Os próprios Apóstolos, que com Ele estiveram por cerca de três anos, não foram capazes de absorver todos Seus ensinamentos. Mas, para tanto, contariam com os luminosos auxílios do Espírito Santo, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, como Jesus prometeu: "Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não podeis suportá-las agora. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda Verdade, porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão." Jo 16,12-13
    Seus Sacerdotes devem de abraçar o celibato: "Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor ao Reino dos Céus." Mt 19,12a
    Viver a evangélica pobreza: "Assim, pois, qualquer um de vós que não renuncia a tudo o que possui não pode ser Meu discípulo." Lc 14,33
    Tomar as mais difíceis tarefas: "Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus." Lc 9,60b
    E ser perseverantes: "Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus." Lc 9,62b
    Ele apontava falsos religiosos como exemplos a serem ultrapassados: "Digo-vos, pois, se vossa justiça não for maior que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos Céus." Mt 5,20
    Separou em definitivo as coisas sagradas das mundanas: "Em primeiro lugar, buscai o Reino de Deus e sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo." Mt 6,33
    Pois quem quer servir a Deus, deve assumir uma postura de verdadeira confiança na Divina Providência: "Portanto, eis que vos digo: não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, Vosso Pai Celeste sabe que necessitais de tudo isso." Mt 6,25.31-32
    Para nossa mais profunda reflexão sobre Suas Palavras, Ele revelou-Se Deus, essencial a nossas vidas, e exortou que mantivéssemos incondicional Comunhão com Ele: "Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto se não permanecerdes em Mim." Jo 15,4
    Afirmou ainda que a Missão do Espírito Santo é revelar o pecado, e assim contundentemente questionava nossa fé: "Ele convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim." Jo 16,9
    De fato, após multiplicar os pães e os peixes, Ele sentenciou: "Perguntaram-Lhe: 'Que faremos para praticar as obras de Deus?' Respondeu-lhes Jesus: 'A obra de Deus é esta: que creiais n'Aquele que Ele enviou.'" Jo 6,28-29
    E ao distinguir-Se da mera condição humana, falou abertamente: "Vós sois cá de baixo, Eu sou lá de cima. Vós sois deste mundo, Eu não sou deste mundo. ... se não crerdes o que EU SOU, morrereis no vosso pecado." Jo 8,23.24b
    Pois quem realmente O conhece, deve saber o que significa 'amar a Deus sobre todas as coisas'. Ele exigia: "Quem ama a seu pai ou à sua mãe mais que a Mim, não é digno de Mim. Quem ama a seu filho mais que a Mim, não é digno de Mim." Mt 10,37
    Acenava, desta forma, para uma vida terrena cheia de adversidades: "Se alguém quiser vir Comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua Cruz e siga-Me." Mt 16,24
    E Sua meta é elevada, aliás, máxima: "Portanto, sede perfeitos, assim como Vosso Pai celeste é perfeito." Mt 5,48
    Quer santidade, como ordenou à mulher flagrada em adultério, que esteve para ser apedrejada: "Então ele Se ergueu e vendo ali apenas a mulher, perguntou-lhe: 'Mulher, onde estão os que te acusavam? Ninguém te condenou?' Respondeu ela: 'Ninguém, Senhor.' Disse-lhe então Jesus: 'Nem Eu te condeno. Vai e não tornes a pecar.'" Jo 8,10-11
    Ensinava aparentes absurdos: "... amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, abençoai os que vos maldizem e orai pelos que vos injuriam." Lc 6,27-28
    Que haveriam de ser o mínimo dentro da Igreja: "Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." Jo 13,35
    Entretanto, mais uma vez dizia Quem era o exemplo a ser seguido: "Deste modo sereis os filhos de Vosso Pai do Céu, pois Ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos." Mt 5,45
    Era assim que Ele agia: "Jesus tomou a palavra e disse-lhes: 'Em verdade, em verdade, digo-vos: de Si mesmo o Filho não pode fazer coisa alguma. Ele só faz o que vê fazer o Pai. E tudo o que faz o Pai, semelhantemente faz o Filho." Jo 5,19
    Por isso questionava: "Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos? Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos?" Mt 5,46-47
    E lembrou a Divina Misericórdia, pregando comedimento no proceder para com o próximo: "Sede misericordiosos, como também Vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á." Lc 6,36-38
    Ora, tudo que Ele ensinou nada mais é que o aperfeiçoamento do que havia no Antigo Testamento: "Não julgueis que vim abolir a Lei ou os Profetas. Não vim para aboli-los, mas sim para levá-los à perfeição." Mt 5,17
    E denunciou não só o assassinato como também sua motivação, que é deixar-se levar pela ira contra o próximo: "Ouvistes o que foi dito aos antigos: 'Não matarás, mas quem matar será castigado pelo Juízo do Tribunal.' Mas Eu digo-vos: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes." Mt 5, 21-22a
    Ele proibia cabalmente o uso de qualquer palavra de ofensa: "Aquele que disser a seu irmão: 'Raca', será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: 'Louco', será condenado ao fogo da geena." Mt 5,22b
    Advertia de cada palavra ociosa: "Eu digo-vos: no Dia do Juízo os homens prestarão contas de toda vã palavra que tiverem proferido. É por tuas palavras que serás justificado ou condenado." Mt 12,36-37
    Exortava à constante busca da Paz como iniciativa, mesmo quando se está isento de culpa: "Se estás, portanto, para fazer tua oferta diante do altar e lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer tua oferta." Mt 5,23-24
    Indicava o coração como fonte de todos os pecados: "Ouvistes que foi dito aos antigos: 'Não cometerás adultério.' Eu, porém, digo-vos: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração." Mt 5,28
    E quando recomendava a temperança, ou autocontrole, suas propostas até pareceriam por demais radicais se não fossem contrastadas com o castigo eterno: "Por isso, se tua mão ou teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor para ti entrares na Vida coxo ou manco que, tendo dois pés e duas mãos, seres lançado no fogo eterno. Se teu olho te leva ao pecado, arranca-o e lança-o longe de ti: é melhor para ti entrares na Vida cego de um olho que seres jogado com teus dois olhos no fogo da geena." Mt 18,8-9
    Mesmo supostas leis mosaicas, Ele também aperfeiçoou: "Foi também dito: 'Todo aquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.' Eu, porém, digo-vos: todo aquele que rejeita sua mulher, fá-la tornar-se adúltera, a não ser que se trate de matrimônio falso; e todo aquele que desposa uma mulher rejeitada, comete um adultério." Mt 5,31-32
    O mesmo dizia sobre a mulher: "E se a mulher repudia o marido e se casa com outro, também comete adultério." Mc 10,12
    E questionado sobre esse tema, mais uma vez Ele apontou a razão do engano: "Disseram-lhe eles: 'Por que, então, Moisés ordenou dar um documento de divórcio à mulher, ao rejeitá-la?' Jesus respondeu-lhes: 'É por causa da dureza de vosso coração que Moisés havia tolerado o repúdio das mulheres; mas no começo não foi assim.'" Mt 19,7-8
    Desconcertante para com os seguidores de mundanas tradições, Ele evocava exclusivamente o projeto de Deus como proposto na Criação: "Não lestes que o Criador, no começo, fez o homem e a mulher e disse: 'Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e os dois formarão uma só carne?' Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu." Mt 19,4-6


PEDIR A DEUS

    E aos que se arrogam o poder de condenar, Ele disse uma frase que acabou por inviabilizar a lei do apedrejamento: "Quem de vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra." Jo 8,7
    Se proibia a palavra ofensiva, Ele também não tolerava excessos em nome da fé, tais como 'atestados de santidade' em própria defesa: "Ouvistes ainda o que foi dito aos antigos: 'Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor teus juramentos.' Eu, porém, digo-vos: não jureis de modo algum! Nem pelo Céu, porque é o trono de Deus, nem pela terra, porque é o banquinho de Seus pés, nem por Jerusalém, porque é a cidade do Grande Rei. Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes fazer um cabelo tornar-se branco ou negro." Mt 5,33-36
    Pedia, nessas situações, apenas comedimento e simplicidade, avisando dos laços do inimigo: "Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno." Mt 5,37
    Em oposição à vingança, à violência e ao mal, Ele pregava absoluta passividade e resignação, além de liberalidade para com bens materiais: "Tendes ouvido o que foi dito: 'Olho por olho, dente por dente.' Eu, porém, digo-vos: não resistais ao homem mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra. Se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, cede-lhe também a capa. Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil. Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado." Mt 5,38-42
    Sintetizou assim os Mandamentos, na chamada Regra de Ouro: "Tudo que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles." Mt 7,12
    E alertava da vida de cobiça que se leva aqui na terra, feita de constantes injustiças, para que nos voltássemos para os bens celestiais e para a Vida Eterna: "Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no Céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam. Porque onde está teu tesouro, lá também está teu coração." Mt 6,19-21
    Advertia, porém, e com contundência, aqueles que teimam em se iludir: "Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza." Mt 6,24
    Falando apenas dos méritos pessoais, sem levar em conta o que compete à Graça da Divina Misericórdia, Ele vai dizer: "Em verdade, declaro-vos: é difícil para um rico entrar no Reino dos Céus! Eu repito: é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus." Mt 19,23-24
    E pregou a autêntica caridade: "Guardai-vos de fazer vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles. Do contrário, não tereis recompensa junto de Vosso Pai que está no Céu. Quando, pois, dás esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Em verdade, Eu digo-vos: já receberam sua recompensa. Quando deres esmola, que tua mão esquerda não saiba o que fez a direita. Assim, tua esmola se fará em segredo, e Teu Pai, que vê o escondido, recompensar-te-á." Mt 6,1-4
    Que representará a própria Salvação do cristão: "Perguntar-Lhe-ão os justos: 'Senhor, quando foi que Te vimos com fome e demos-Te de comer, com sede e demos-Te de beber? Quando foi que Te vimos peregrino e acolhemos-Te, nu e vestimos-Te? Quando foi que Te vimos enfermo ou na prisão e fomos visitar-Te?' Responderá o Rei: 'Em verdade, Eu declaro-vos: todas as vezes que fizestes isto a um destes Meus pequeninos irmãos, foi a Mim mesmo que o fizestes." Mt 25,37-40
    Propôs banquetes que mais pareceriam loucuras: "Quando deres alguma ceia, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem os parentes, nem os vizinhos ricos. Porque, por sua vez, eles te convidarão e assim te retribuirão. Mas, quando deres uma ceia, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos. Serás feliz porque eles não têm com que te retribuir, mas ser-te-á retribuído na Ressurreição dos justos." Lc 14,12-14
    Sobre as orações pessoais, que jamais podem substituir as Santas Missas, Ele pede autêntica contrição: "Quando orares, entra em teu quarto, fecha a porta e ora a Teu Pai em segredo; e Teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á. Em vossas orações, não multipliqueis as palavras como fazem os pagãos, que julgam que serão ouvidos à força de palavras. Não os imiteis, porque Vosso Pai sabe o que vos é necessário antes que vós Lho peçais." Mt 6,6-8
    Em caso de controvérsias, enfaticamente defendia a autoridade da Igreja, dando-lhe o poder de excomungar: "... se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano." Mt 18,17
    Por isso, garantiu a Seus ministros: "Quem vos ouve, a Mim ouve; e quem vos rejeita, a Mim rejeita; e quem Me rejeita, rejeita aquele que Me enviou." Lc 10,16
    Disse de onde haveria de vir o sucesso dos trabalhos: "Não fostes vós que Me escolhestes, mas Eu escolhi-vos e constituí-vos para que vades e produzais fruto, e vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em Meu Nome, Ele conceda-vos. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros." Jo 15,16-17
    Mas também os advertia: "... todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, seja vosso servo; e todo aquele que entre vós quiser ser o primeiro, seja escravo de todos." Mc 10,43b-44
    E seguiu apontando Quem era exemplo: "Logo, se Eu, vosso Senhor e Mestre, lavei-vos os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros." Jo 13,14
    Ensinou sobre as verdadeiras penitências: "Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que exibem um abatido semblante para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade, Eu digo-vos: já receberam sua recompensa. Quando jejuares, perfuma tua cabeça e lava teu rosto. Assim, não parecerá aos homens que jejuas, mas somente a Teu Pai que está presente ao oculto; e Teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á." Mt 6,16-18
    E estabeleceu a pureza e a inocência com modelo dos que ressuscitarão para a Vida Eterna: "Em verdade, declaro-vos: se não vos transformardes e não vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos Céus. Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino dos Céus. E o que recebe em Meu Nome a um menino como este, é a Mim que recebe." Mt 18,3-6
    Deixou, contudo, um grave aviso aos que pervertem inocentes e entregam-se à devassidão: "Mas, se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que creem em Mim, melhor fora que lhe atassem ao pescoço a pedra de um moinho e lançassem-no no fundo do mar. Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!" Mt 18,6-7
    Pois o zelo pelas virtudes e as constantes orações eram Suas frequentes recomendações para fazer frente às tentações e tribulações: "Vigiai, pois, em todo tempo e orai, a fim de que vos torneis dignos de escapar de todos estes males que hão de acontecer, e de apresentardes de pé diante do Filho do Homem." Lc 21,36
    Suscitando prudência, Ele avisava das fragilidades da carne: "Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca." Mt 26,41
    E mostrou o único modo de se alcançar a verdadeira maturidade espiritual, numa vida de constante vigília, para que se possa usufruir do concurso da Divina Graça: "Eu digo-vos: pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo aquele que pede, recebe; aquele que procura, acha; e ao que bater, se lhe abrirá. ... Vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que LhO pedirem." Lc 11,9-10.13

    "Santificai-nos pelo dom do Vosso Espírito!"