sexta-feira, 12 de maio de 2017

Maria


    Ninguém neste mundo conheceu ou teve a Graça de estar por mais tempo com Jesus que Nossa Senhora: foram mais 30 anos ao Seu lado. Por si só, e para além da indizível Graça de ter sido Sua Mãe, essa dádiva já justificaria plenamente o título de Santíssima. E depois dela, só São José, seu castíssimo esposo, teve privilégio parecido, talvez por uns 15 anos.
    Ela é Nossa Senhora da Imaculada Conceição porque Deus a tornou pura ainda no ventre da Senhora Santa Ana, avó de Jesus, desde que ela foi concebida. No exato instante em que ela engravidou de São Joaquim, Deus tocou em Maria, para que ela viesse ao mundo sem a mácula do pecado original, que é a soberba. De fato, Jó lamenta-se da pecaminosidade da condição humana e, indiretamente profetizando sobre a pureza que haveria de ter Nossa Senhora ao gerar Jesus, vai perguntar: "O homem nascido da mulher vive pouco tempo e é cheio de muitas misérias; é como uma flor que germina e logo fenece, uma sombra que foge sem parar. E é sobre ele que Tu abres os olhos, e o chamas a juízo Contigo. Quem fará sair o puro do impuro?" Jó 14,1-4
    Ela é Nossa Senhora da Natividade porque sua vinda ao mundo foi o início da realização do maior projeto de Deus: a Salvação. No dia 8 de setembro, comemoramos seu nascimento, que se deu em Jerusalém.
    Ela é Nossa Senhora de Nazaré porque escolheu viver humildemente com São José nessa pequena vila: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o Nome da virgem era Maria." Lc 1,26-27
    Ela é Nossa Senhora da Anunciação porque Deus, mesmo lhe concedendo essa grande Graça de conceber o Salvador, dirigiu-Se previamente a ela através do Arcanjo Gabriel para anunciar Seus planos: "O anjo disse-lhe: 'Não temas, Maria, pois encontraste Graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um Filho, e Lhe porás o Nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus Lhe dará o trono de Seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o Seu Reino não terá fim.'" Lc 1,30-33
    Ela é Nossa Senhora dos Prazeres porque foi digna da incomensurável honra de ser a Mãe de Deus feito homem.
    Ela é Nossa Senhora da Visitação pela Graça da visita que concedeu a Santa Isabel, quando ungiu a ela e a São João Batista com o Espírito Santo: "Naqueles dias, Maria levantou-se e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel." Lc 1,39-40
    Ela é Nossa Senhora Auxiliadora porque, mesmo grávida, foi ajudar sua parenta Santa Isabel durante a gestação de São João Batista: "Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois voltou para casa." Lc 1,56
    Ela é Nossa Senhora do Bom Parto porque foi vontade de Deus preservar sua virgindade, na concepção e na hora do parto, fazendo-o de forma miraculosa. Ela mesma cuidou do Menino Jesus recém-nascido: "Estando eles ali, completaram-se os dias dela. E deu à luz Seu filho primogênito, e, envolvendo-O em faixas, reclinou-O num presépio..." Lc 2,6-7
    Ela é Nossa Senhora da Encarnação porque é mãe da Encarnação de Deus, na Pessoa de Jesus. São Paulo refere-se a Ele assim: "... na expectativa da nossa esperança feliz, a aparição gloriosa de Nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo..." Tt 2,13
    Ela é Nossa Senhora Madre de Deus porque Jesus é Deus, e desde o começo Santa Isabel assim a reconheceu: "Donde me vem esta honra de vir a mim a Mãe de Meu Senhor?" Lc 1,43
    Ela é Nossa Senhora da Purificação, da Luz ou das Candeias, porque como obediente judia cumpriu a purificação pós-maternidade: "Concluídos os dias da sua purificação, segundo a Lei de Moisés..." Lc 2,22
    Ela é Nossa Senhora da Apresentação porque, mesmo com a perseguição de Herodes, levou Jesus ao Templo de Jerusalém para os rituais da dedicação do primogênito: "... levaram-nO a Jerusalém para apresentá-Lo ao Senhor..." Idem
    Ela é Nossa Senhora do Desterro porque a Sagrada Família teve que fugir para o Egito: "José levantou-se durante a noite, tomou o Menino e Sua mãe e partiu para o Egito. Ali permaneceu até a morte de Herodes..." Mt 2,14-15
    Ela é Nossa Senhora da Guia porque criou Jesus conforme os costumes da Lei, e tudo faz para conduzir-nos ao Seu Filho: "Em seguida, desceu com eles a Nazaré e era-lhes submisso." Lc 2,51a
    Ela é Nossa Senhora do Sagrado Coração porque da carne de Maria foi formado o Coração de Jesus, e desde a infância ela guardava em seu coração as palavras do Menino Jesus: "Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração." Lc 2,51b
    Ela é Nossa Senhora da Família porque viveu intensamente essa divina instituição, pela Graça da Sagrada Família, como demostrou ao reencontrar o Menino Jesus em Jerusalém: "Meu filho, que nos fizeste?! Eis que Teu pai e eu andávamos à Tua procura, cheios de aflição." Lc 2,48
    Ela é Nossa Senhora do Bom Conselho porque aconselhou o próprio Deus, na Pessoa de Jesus, durante as bodas de Caná: "Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-Lhe: 'Eles já não têm vinho.'" Jo 2,3
    Ela é Nossa Senhora das Graças porque, por sua intercessão, grandes Graças são alcançadas: "Este foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galileia." Jo 2,11
    Ela é Nossa Senhora da Dores, ou da Piedade, porque, totalmente envolvida no projeto da Salvação, padeceu grandes sofrimentos para criar, acompanhar e sofrer com a morte e a ausência de Seu Filho. É o que vai dizer a ela o religioso Simeão, durante a Apresentação do Menino Jesus no Templo de Jerusalém: "E uma espada transpassará a tua alma." Lc 2,35
    Ela é Nossa Senhora da Ajuda porque, aos pés da Santa Cruz, rezou para que Deus tivesse compaixão de toda a humanidade, tão errante: "Junto à Cruz de Jesus estavam de pé Sua mãe..." Jo 19,25
    Ela é Nossa Senhora da Saudade porque sentiu profundamente a ausência de Seu Filho até o Domingo da Ressurreição, pois sempre O acompanhava.
    Ela é Nossa Senhora de Pentecostes porque estava com os Apóstolos aguardando a portentosa vinda do Espírito Santo: "Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus..." At 1,14
    Ela é Nossa Senhora da Assunção porque foi elevada aos Céus por Deus, e é Nossa Senhora Rainha do Céu porque no lá ela foi coroada: "Apareceu em seguida um grande sinal no Céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas." Ap 1,12
    Ela é Nossa Senhora da Glória porque, como parte da nascente Igreja, recebeu de Jesus a Glória de Deus: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um... " Jo 17,22
    Ela é Nossa Senhora do Perpétuo Socorro porque, assim como foi solícita para com Jesus, lá no Céu intercede incessantemente por nós.
    Ela é Nossa Senhora da Paz porque é Mãe d'Aquele que nos trouxe Sua paz: "Deixo-vos a Paz, dou-vos a Minha Paz." Jo 14,27
    Ela é Nossa Senhora da Misericórdia porque se compadece por todos os seus filhos: "Cheio de raiva por causa da Mulher, o Dragão começou então a atacar o resto dos seus filhos, os que obedecem aos Mandamentos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus." Ap 12,17
    Ela é Nossa Senhora dos Milagres porque por seus socorros acontecem maravilhas.
    Ela é Nossa Senhora do Carmo porque sua devoção inspirou os primeiros eremitas cristãos no mesmo monte em que o Profeta Elias serviu a Deus.
    Ela é Nossa Senhora do Rosário porque nos ensinou a rezar com orações simples, equivalente do Ofício da Horas.
    Ela é Nossa Senhora de Lourdes porque se apresentou nessa cidade e por essa invocação opera grandes milagres, trazendo e mantendo muitos de seus filhos na fé católica.
    Ela é Nossa Senhora de Fátima porque aí mostrou claramente que Deus tem o comando do mundo.

    Esses são apenas alguns dos títulos de Nossa Senhora, pelos quais nos colocamos ao seu lado em momentos tão especiais de sua vida terrena, e pelos quais pedimos sua sensibilidade e intercessão em situações parecidas que vivemos. A devoção popular, com toda justiça, deu-lhe muitos outros. Como perfeita filha de Deus, ela estava inspirada quando profetizou: "Por isto, desde agora, todas as gerações me proclamarão bem-aventurada..." Lc 1,48

    "Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!"