quarta-feira, 6 de junho de 2018

Testemunhar Jesus


    Todos que cremos em Jesus temos uma premente missão: ser Suas testemunhas. Está claro, Deus quer-nos ativos participantes na construção de Seu Reino, o que devemos fazer dando exemplo por atitudes e explicando a razão de nossa . Sacerdotes e fiéis estamos incumbidos desse serviço em defesa da Verdade, mas também de caridade para com nossos irmãos. E tudo começou com os Apóstolos, pois exatamente para isso foram chamados. Antes de subir aos Céus, Jesus disse-lhes: "... mas descerá sobre vós o Espírito Santo e dar-vos-á força. E sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins do mundo." At 1,8
    Por isso, diante da primeira leva de pagãos a serem convertidos ao Cristianismo, São Pedro declarava abertamente qual a missão dos Doze: "E nós somos testemunhas de tudo o que Ele fez na terra dos judeus e em Jerusalém." At 10,39
    Mas os Apóstolos não estavam sós. Logo após iniciarem suas pregações, São Pedro disse ao Sinédrio: "O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, que vós matastes, suspendendo-O num madeiro. Deus elevou-O pela mão direita como Príncipe e Salvador, a fim de dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. Deste fato nós somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que Lhe obedecem." At 5,30-32
    E como não poderia deixar de ser, os Evangelhos foram escritos baseado em suas palavras, como diz São Lucas: "... como no-los transmitiram aqueles que desde o princípio foram testemunhas oculares, e que se tornaram ministros da Palavra." Lc 1,2
    Jesus havia-lhes garantido: "Se guardaram Minha Palavra, hão de guardar também a vossa." Jo 15,20b
    São Lucas também narra a cena em que Jesus, logo em Sua primeira Aparição aos Apóstolos no Domingo da Ressurreição, explica-lhes as profecias que se cumpriram por Sua Paixão e Ressurreição e diz-lhes: "Vós sois as testemunhas de tudo isso." Lc 24,48
    Sem dúvida, nos primeiros anos da anunciação do Evangelho, a prova da Vinda do Salvador era precisamente o testemunho ocular de Sua Ressurreição. Tanto que, ao escolher o substituto para o lugar de Judas Iscariotes, um dos indicados foi São Matias porque já estava com os Apóstolos e Jesus desde o início de Sua pregação até a Ressurreição. E foi São Pedro, inspirado pelo Espírito Santo, que tomou essa decisão: "Convém que destes homens que têm estado em nossa companhia todo tempo em que o Senhor Jesus viveu entre nós, a começar do Batismo de João até o dia em que do nosso meio foi arrebatado, um deles torne-se conosco testemunha de Sua Ressurreição." At 1,21-22
    Assim, representados pela figura de São Pedro, os Apóstolos vão cumprir rigorosamente essa missão, como ele afirma perante o povo no Templo de Jerusalém após haver curado um aleijado: "Mas Deus ressuscitou-O dentre os mortos: disso nós somos testemunhas." At 3,15b
    E com todo empenho: "Com grande coragem os Apóstolos davam testemunho da Ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles, era grande a Graça." At 4,33
    Essas testemunhas, porém, entre as quais São Matias, foram agraciadas por Deus para cumprir muito especial missão: iriam fazer parte da nascente Igreja. É o que São Pedro vai dizer na casa de Cornélio, centurião da corte Itálica: "Mas Deus ressuscitou-O no terceiro dia, concedendo-Lhe manifestar-Se não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia escolhido, a nós que comemos e bebemos com Ele, depois que ressuscitou." At 10,40-41
    Jesus, de fato, havia dito aos Doze: "Não fostes vós que Me escolhestes, mas Eu escolhi-vos e constituí para que vades e produzais fruto, e vosso fruto permaneça" Jo 15,16a
    Por isso, os Apóstolos são chamados de fundamentos da Igreja. Diz São Paulo: "Consequentemente, já não sois hóspedes nem peregrinos, mas sois concidadãos dos Santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos Apóstolos e Profetas, tendo por pedra angular o próprio Cristo Jesus." Ef 2,19-20
    Quanto a essa indizível Graça, que certamente inclui muitas responsabilidades, Jesus comentou: "Ditosos os olhos que vêem o que vós vedes, pois digo-vos que muitos Profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram." Lc 10,23-24
    São Paulo também fazia específica menção à Ressurreição, exaltando o feito que foi, e que se comprovou por Suas aparições: "Durante muitos dias apareceu àqueles que com Ele subiram da Galileia a Jerusalém, os quais até agora são testemunhas d'Ele junto ao povo." At 13,31
    Pois ele também foi testemunha da Ressurreição por meio da Aparição que provocou sua conversão, quando Jesus lhe falou: "Mas levanta-te e põe-te em pé, pois Eu apareci-te para fazer-te ministro e testemunha das coisas que viste, e de outras para as quais hei de manifestar-Me a ti." At 26,16
    Aos poucos, contudo, além da Ressurreição, as demais revelações passaram a ser divulgadas, como vai pregar São Pedro: "... testemunhar que Deus O constituiu Juiz dos vivos e dos mortos." At 10,42b
    Até chegar à completa compilação dos Evangelhos, que incluem Sua vida, Seus atos e Suas pregações, como afirma São Lucas: "Em minha primeira narração, ó Teófilo, contei toda sequência de ações e de ensinamentos de Jesus..." At 1,1
    Pouco antes de Sua morte, pois, Jesus avisava aos Apóstolos do compromisso que eles haviam assumido: "Cuidai de vós mesmos. Sereis arrastados diante dos tribunais e açoitados nas sinagogas, e comparecereis diante dos governadores e reis por Minha causa, para diante deles dar testemunho de Mim." Mc 13,9
    Não o dizia, porém, só a eles, mas a todos que se esforçam por obedecê-Lo e dar testemunho aos irmãos, ou seja, todos nós fazemos parte de Seu Corpo Místico, que é Sua Igreja: "Portanto, quem der testemunho de Mim diante dos homens, também Eu darei testemunho dele diante de Meu Pai que está nos Céus." Mt 10,32
    Como também não dizia que tal testemunho seria fácil: "Se alguém quiser vir Comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-Me. Porque aquele que quiser salvar sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado sua vida por Minha causa, recobrá-la-á." Mt 16,24b-25
    Contudo, garantia preciosos auxílios: "Quando, porém, levarem-vos às sinagogas, perante os magistrados e as autoridades, não vos preocupeis com o que haveis de falar em vossa defesa, porque naquela hora o Espírito Santo inspirar-vos-á o que deveis dizer." Lc 12,11-12
    Ora, o próprio fim do mundo só se dará quando o Evangelho tiver sido anunciado por toda parte, segundo Suas próprias Palavras: "Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas nações, e então chegará o fim." Mt 24,14
    Na verdade, mesmo antes da convocação dos Apóstolos, testemunhos a favor de Jesus já vinham sendo espontaneamente dados pelo próprio povo de Nazaré, desde o início de Sua vida pública: "Todos Lhe davam testemunho e admiravam-se das Palavras de Graça, que procediam de Sua boca, e diziam: 'Não é este o filho de José?'" Lc 4,22
    O próprio São João Batista era testemunha de Jesus. E exemplar, segundo os desígnios de Deus: seu martírio mostra que assumiu as consequências da missão. Sobre ele, disse São João Evangelista: "Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da Luz, a fim de que por meio dele todos cressem." Jo 1,6-7


TESTEMUNHO: RAZÕES E CONSEQUÊNCIAS

    Aliás, São João Evangelista é pródigo em falar em testemunho. Também cioso de sua missão, ele usa o termo com extrema frequência. É assim, por exemplo, que ele registra quando Jesus reclama a Nicodemos que está sendo rejeitado, junto a Seus Apóstolos, pelos religiosos de Jerusalém desde o início de Suas pregações: "Em verdade, em verdade, digo-te: dizemos o que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas não recebeis Nosso Testemunho." Jo 3,11
    Jesus, porém, contava com mais uma especialíssima testemunha. E por isso até Se isentava da obrigação de dar provas de Si mesmo: "Há Outro que dá testemunho de Mim, e Eu sei que o testemunho que dá de Mim é digno de fé. ... o Pai que Me enviou, Ele mesmo deu testemunho de Mim." Jo 5,32.37
    Explicitando Sua Comunhão com o Pai, Ele referia-Se às Suas obras, contundentes provas de Quem Ele era. Sem dúvida, elas são bem maior testemunho que o do Batista: "... tenho maior testemunho que o de João, porque as obras que Meu Pai Me deu para executar - essas mesmas obras que faço - testemunham a Meu respeito que o Pai Me enviou." Jo 5,36
    São João Evangelista vai apontá-las, entre elas a Ressurreição, como o maior dos testemunhos em favor do Nazareno: "Ora, maior é o testemunho de Deus ... aquele que Ele deu de Seu próprio Filho." 1 Jo 5,9
    E como parte inicial da Revelação, o Antigo Testamento, que profetiza Sua Vinda e Suas obras, também é Sua testemunha. Ao argumentar com os principais dos judeus sobre Sua autoridade, Jesus vai invocá-lo: "Vós perscrutais as Escrituras, julgando encontrar nelas a Vida Eterna. Pois bem! São elas mesmas que dão testemunho de Mim." Jo 5,39
    Não bastante, como vimos dizer São Pedro, o Espírito Santo também O confirmaria como o Cristo. Jesus avisou aos Apóstolos: "Quando vier o Paráclito, que enviar-vos-ei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, Ele dará testemunho de Mim." Jo 15,26
    E deu este três detalhes, inerentemente ligados à Sua Missão: "E quando Ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do Juízo. Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim. Ele convencê-lo-á a respeito da justiça, porque Eu Me vou para junto de Meu Pai e vós já não Me vereis. Ele convencê-lo-á a respeito do Juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado." Jo 16,8-11
    Esse é um argumento que São João Evangelista vai repetir em sua Primeira Carta: "E o Espírito é Quem dá testemunho d'Ele, porque o Espírito é a Verdade." 1 Jo 5,6b
    Ele ainda evoca a Água e o Sangue que na Cruz jorraram de Seu lado, que seriam visíveis sinais dos Sacramentos do Batismo e da Eucaristia: "Ei-Lo, Jesus Cristo, Aquele que veio pela Água e pelo Sangue... São, assim, três os que dão testemunho: o Espírito, a Água e o Sangue; estes três dão o mesmo testemunho." 1 Jo 5,6a.7-8
    Por fim, temos que Jesus já havia encarregado os Apóstolos antes mesmo de Sua Paixão, logo após o Lava-Pés, e tão-somente por haverem presenciado toda Sua vida pública: "Também vós dareis testemunho, porque estais Comigo desde o princípio." Jo 15,27
    Diante de Pilatos, em Suas últimas horas, Ele vai explicar a essência da Missão que recebeu do Pai, provocando todos nós porque também Ele deu um testemunho, mesmo tendo-Lhe custado a vida: "É para dar testemunho da Verdade que nasci e vim ao mundo. Todo aquele que é da Verdade ouve Minha voz." Jo 18,37
    E Seu testemunho, como disse a Seus incrédulos parentes antes da festa dos Tabernáculos, era muito claro: "O mundo não vos pode odiar, mas odeia-Me porque contra ele Eu testemunho: suas obras são más." Jo 7,7
    De fato, Ele havia dito a Nicodemos: "Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo por Ele seja salvo. Ora, este é o Julgamento: a Luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a Luz, pois suas obras eram más." Jo 3,19
    Ciente do compromisso que assumiu, e mantendo sua verve, São João termina seu Evangelho identificando-se e de peculiar modo atestando: "Este é o discípulo que dá testemunho de todas essas coisas..." Jo 21,24
    E em sua Primeira Carta vai explicitar: "E o testemunho é este: Deus deu-nos a Vida Eterna, e esta Vida está em Seu Filho. Quem possui o Filho possui a Vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a Vida." 1 Jo 5,11-12
    Assim como fez São Paulo, evocando os antigos Profetas como testemunhas da Revelação que culminaria em Jesus, e por isso fundamentos da Igreja junto aos Apóstolos, São Pedro recorda a importância destes arautos da Redenção que só se tem pelo Cristo: "D'Ele todos os Profetas dão testemunho, anunciando que todos aqueles que n'Ele creem recebem o perdão dos pecados por meio de Seu Nome." At 10,43
    E com total destemor, o último Apóstolo atestava que Jesus é o Messias previsto no Antigo Testamento: "Sua presença em Corinto foi, pela Graça de Deus, de muito proveito para os que haviam crido, pois com grande veemência refutava publicamente os judeus, provando, pelas Escrituras, que Jesus era o Messias." At 18,27a-28
    É o que ele vai dizer durante seu julgamento perante o rei Agripa: "Mas, assistido do socorro de Deus, permaneço vivo até o dia de hoje. Dou testemunho a pequenos e a grandes, nada dizendo senão o que os Profetas e Moisés disseram que havia de acontecer..." At 26,22
    Tinha, porém, a guia do Divino Mestre, como aconteceu em Jerusalém logo após sua conversão: "Voltei para Jerusalém e, orando no Templo, fui arrebatado em êxtase. E vi Jesus que me dizia: 'Apressa-te e sai logo de Jerusalém, porque não receberão teu testemunho a Meu respeito.'" At 22,17-18
    E também aconteceu em Corinto: "Numa noite, o Senhor disse a Paulo em visão: 'Não temas! Fala e não te cales. Porque Eu estou contigo. Ninguém se aproximará de ti para fazer-te mal, pois tenho um numeroso povo nesta cidade.' Paulo deteve-se ali um ano e seis meses, ensinando a eles a Palavra de Deus." At 18,9-11
    Para ele, portanto, testemunhar Jesus é testemunhar a Graça: "... o Ministério da Palavra que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho ao Evangelho da Graça de Deus." At 20,24
    Um dos últimos registros de sua vida, por sinal, é uma prova do absoluto compromisso que tinha com a missão que lhe confiou o Salvador. Aconteceu em Roma: "Marcaram um dia e muitos foram procurá-lo no albergue onde se achava hospedado. A entrevista durou desde a manhã até a tarde. Paulo expôs-lhes o Reino de Deus e apresentou, sempre de novo, testemunhos destinados a convencê-los a respeito de Jesus, baseando-se na Lei de Moisés e nos Profetas." At 28,23
    Ele deixou um sério recado para São Timóteo, mas vale para todos nós: "Não te envergonhes, portanto, do testemunho de Nosso Senhor, nem de mim, Seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus." 2 Tm 1,8
    Pois para quem obteve a Graça de alguma revelação, como ele, testemunhar é uma obrigação: "Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!" 1 Cor 9,16
    Dizia: "A ira de Deus manifesta-se do alto do Céu contra toda a impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a Verdade." Rm 1,18
    O salmista, aliás, sempre muito inspirado, mesmo antes da Vinda de Cristo já fazia questão de registrar seu compromisso com a Verdade sobre as coisas de Deus: "Anunciei a justiça na grande assembléia. Não cerrei meus lábios, Senhor, bem o sabeis. Não escondi vossa justiça no coração, mas alto proclamei vossa fidelidade e vossa Salvação. À grande assembléia, não ocultei vossa bondade nem vossa fidelidade." Sl 39,10-11
    E Jesus cobrou dos religiosos de Seu tempo, sob ameaça, a perfeita retransmissão da Revelação, sem ocultismo nem manipulação: "Ai de vós, doutores da Lei, que tomastes a chave da ciência, e vós mesmos não entrastes e impedistes aos que vinham para entrar." Lc 11,52
    Ele advertia Seus seguidores: "Guardai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a ser conhecido. Pois o que dissestes às escuras será dito à luz, e o que falastes ao ouvido, nos quartos, será publicado de cima dos telhados." Lc 12,1b-3
    Sua Doutrina, portanto, a Igreja testemunha abertamente, nada havendo a ocultar: "O que vos digo na escuridão, dizei-o às claras. O que vos é dito ao ouvido, publicai-o de cima dos telhados." Mt 10,27
    E repetiu no dia de Sua Ascensão: "Ide, pois, e ensinai a todas nações. Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi." Mt 28,19a.20a
    Foi assim que reagiram São Pedro e São João Evangelista diante do Sinédrio, quando pela primeira vez foram proibidos de anunciar o Nome de Jesus: "Não podemos deixar de falar das coisas que temos visto e ouvido." At 4,20
    Comprometido em levar a Comunhão ao mundo, o 'amado discípulo', que tanto fala em testemunho, asseverou: "... damos testemunho e anunciamo-vos a Vida Eterna, que estava no Pai e que Se nos manifestou -, o que vimos e ouvimos nós anunciamo-vos, para que também vós tenhais Comunhão conosco. Ora, nossa Comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo." 1 Jo 1,2-3
    E assim ele explicou o motivo de sua prisão, já durante a velhice: "Eu, João, vosso irmão e companheiro nas tribulações, na realeza e na paciência em união com Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus." Ap 1,9
    Neste livro, o Apocalipse, sempre no mesmo sentido ele narra a visão que teve dos mártires, que ao fim de sua vida já eram muitos, incluindo todos os demais Apóstolos, e aponta a razão de seus sacrifícios: "Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do Altar as almas dos homens imolados por causa da Palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários." Ap 6,9
    E exaltando-lhes o despojamento, registrou a vitória deles sobre o inimigo: "Mas estes venceram-no por causa do Sangue do Cordeiro e de Seu eloquente testemunho. Desprezaram a vida até aceitar a morte." Ap 12,11
    Também viu a guerra do inimigo contra os filhos de Nossa Senhora, e sempre expressando a razão: "Cheio de raiva por causa da Mulher, o Dragão começou então a atacar o resto de seus filhos, aqueles que obedecem aos Mandamentos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus." Ap 12,17
    Por inspiração, ele atribui ao Tabernáculo, que guardava a Arca da Aliança, um nome que já acusamos ser bem característico de seu vocabulário. Mas não é nenhum exagero: as palavras 'Aliança', 'Testamento', 'Testemunho' e 'Martírio' têm o mesmo significado. Diz: "Depois disso, eu vi abrir-se no Céu o Templo que encerra o Tabernáculo do Testemunho." Ap 15,5
    E disse o que significa ser Profeta: "Porque o espírito profético não é outro que o testemunho de Jesus." Ap 19,10
    Por fim, ele vê os Santos nos Céus, e em especiais lugares por terem cumprido a missão que é de todos os cristãos: "Também vi tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da Palavra de Deus... Feliz e Santo é aquele que toma parte na primeira ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão Sacerdotes de Deus e de Cristo: com Ele reinarão durante os mil anos." Ap 20,4a.6

    "Anunciamos, Senhor, Vossa Morte e proclamamos Vossa Ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!"