sábado, 5 de maio de 2018

A Santidade


    A santidade é o maior anseio da alma. Quem não deseja, ou, se agora desiludido, não desejou ser bom, viver a plena bondade? É patente: a mais pura natureza humana convida ao amor. Este, sim, é o maior prazer e mais belo 'instinto', pois está em total conformidade com a razão.
    Como parte inerente da Lei, a santificação já era uma determinação de Deus desde os primeiros tempos da Revelação: "Vós vos santificareis e sereis Santos, porque Eu sou Santo." Lv 11,44
    E é Ele mesmo Quem realiza esse desígnio, especificamente após a instituição da Igreja por Jesus: "E as nações saberão que sou Eu, o Senhor, Quem santifica Israel, quando Meu Santuário se achar constituído para sempre no meio do Meu povo." Ex 37,28
    Pois essa é a essência de Seus planos, como explicam os seguidores de São Paulo: "E o Deus da Paz... queira dispor-vos ao bem e conceder-vos que cumprais Sua vontade, realizando Ele próprio em vós o que é agradável a Seus olhos, por Jesus Cristo..." Hb 13,20a.21a
    Ele "... o faz para nosso bem..." Hb 12,10
    Ele educa-nos "... para conosco partilhar Sua santidade." Idem
    E quer que comunguemos com Ele, ou seja, que participemos de Sua divindade, como ensinou São Pedro: "O divino poder deu-nos tudo que contribui para a Vida e a piedade, fazendo-nos conhecer Aquele que nos chamou por Sua Glória e Sua virtude. Por elas, temos entrado na posse das maiores e mais preciosas promessas, a fim de por este meio tornar-vos participantes da natureza divina, subtraindo-vos à corrupção que a concupiscência gerou no mundo." 2 Pd 1,3-4
    Ora, para que a Igreja vivesse a perfeita Unidade, isto é, a Comunhão dos Santos, Jesus derramou Sua inconfundível Glória sobre os Apóstolos: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim, para que sejam perfeitos na unidade e o mundo reconheça que Me enviaste e os amaste, como amaste a Mim." Jo 17,22-23
    E, não por acaso, Ele vai determinar expressamente no Sermão da Montanha: "Portanto, sede perfeitos, assim como Vosso Pai Celeste é perfeito." Mt 5,48
    Mas como ensina o próprio São Paulo, isso não é possível sem os permanentes auxílios do "... Espírito de Santidade... " Rm 1,4
    Contudo, primeiro devemos obediência aos divinos Mandamentos, para só então suplicarmos essa indizível dádiva do Pai. Jesus ensinou: "Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais Vosso Pai Celestial dará o Espírito Santo aos que LhO pedirem." Lc 11,13
    De fato, São Pedro falou dessa específica condição para recebê-Lo: "... o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que Lhe obedecem." At 5,32b
    Jesus havia mencionado essa restrição: "Se vós Me amais, guardareis Meus mandamentos. E Eu rogarei ao Pai, e Ele dar-vos-á outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber porque não O vê nem O conhece. Mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,15-17
    Essa, portanto, é a verdadeira marca do cristão, como disse São João Evangelista: "Quem observa Seus Mandamentos permanece em Deus e Deus nele. É nisto que reconhecemos que Ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu." 1 Jo 3,24
    São Paulo diz que Ele é a garantia da Redenção, que Deus antecipadamente nos dá: "N'Ele (Cristo) também vós, depois de terdes ouvido a Palavra da Verdade, o Evangelho de vossa Salvação no qual tendes crido, fostes selados com o Espírito Santo que fora prometido, que é o penhor da nossa herança, enquanto esperamos a completa Redenção daqueles que Deus adquiriu para o louvor da Sua Glória." Ef 1,13-14
    Essa era uma antiga promessa de Deus, que se cumpriria estritamente através de Sua Igreja, como assegurou Jesus e aconteceu no Pentecostes: "No último dia, que é o principal da Festa, estava Jesus de pé e clamava: 'Se alguém tiver sede, venha a Mim e beba. Quem crê em Mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de Água Viva' (Zc 14,8; Is 58,11). Dizia isso, referindo-Se ao Espírito que haviam de receber os que n'Ele cressem, pois ainda não fora dado o Espírito, visto que Jesus ainda não tinha sido glorificado." Jo 7,37-39
    Sem dúvida, cabe à Igreja anunciar a Palavra em sua inteireza, como Ele determinou aos Apóstolos a respeito das nações: "Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." Mt 28,20
    Pois na Palavra, integralmente anunciada e por quem para tal foi ordenado, está o poder da purificação. Jesus garantiu aos Doze: "Vós já estais puros pela Palavra que vos tenho anunciado." Jo 15,3
    E na oração pela Unidade da Igreja, vai rezar ao Pai pelos Apóstolos: "Santifica-os pela Verdade. Tua Palavra é a Verdade." Jo 17,17
    Com esse objetivo Nosso Salvador oferece os Sacramentos, como o da Confissão, que também se realiza pelo Espírito de Deus. Foi para esse fim que Ele O derramou sobre o colégio dos Apóstolos, já em Sua primeira Aparição após a Ressurreição: "Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: 'Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.'" Jo 20,22-23
    E a razão de ser da santificação apenas fecha o ciclo da perfeita Comunhão, remetendo-nos a mais obediência como explica São Pedro: "... santificados pelo Espírito para obedecer a Jesus Cristo..." 1 Pd 1,2
    São Paulo atestou aos tessalonicenses: "... desde o princípio, Deus escolheu-vos para dar a Salvação, pela santificação do Espírito e pela na Verdade. E pelo anúncio do nosso Evangelho, chamou-vos para tomardes parte na Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo." 2 Ts 2,13-14
    Não é preciso muito esforço para perceber que o mundo vive da cobiça, e usa de toda malícia para alcançar suas ambições. Por isso, a Igreja não deixa de praticar e ensinar o Caminho apontado por Jesus. São Paulo, por exemplo, visando nosso pleno desenvolvimento espiritual, exorta-nos a viver o amor a Deus: "Vou servir-me da linguagem corrente entre os homens, por causa da fraqueza da vossa carne: como pusestes, pois, vossos membros a serviço da impureza e do mal para cometer a iniquidade, ponde agora vossos membros a serviço da justiça para chegar à santidade." Rm 6,19
    Isso faz lembrar a citação feita por Jesus sobre as formas de amar a Deus. Nesse caso, com 'todas tuas forças': "... amarás ao Senhor Teu Deus com todo teu coração, com toda tua alma, com todo teu entendimento e com todas tuas forças... Amarás teu próximo como a ti mesmo." Mc 12,30-31
    Porém, como visto, só Deus pode conceder-nos esse dom: "O Deus da Paz conceda-vos perfeita santidade. Que todo vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a Vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo!" 1 Ts 5,23
    E Jesus diz que o Pai trabalha intensamente Sua lavoura: "Eu sou a videira verdadeira, e Meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em Mim, Ele o cortará. E podará todo aquele que der fruto, para que produza mais fruto." Jo 15,1-2
    Ele mesmo não se mostrou menos exigente, como na mensagem que mandou à igreja de Laodiceia: "Eu repreendo e castigo aqueles que amo. Reanima teu zelo, pois, e arrepende-te." Ap 3,19
    Pois cumprindo a vontade de Pai pelo Sacrifício da Cruz, Sua difícil Missão é resgatar as ovelhas perdidas e levá-las ao Céu. São Paulo ensina a São Timóteo: "Deus salvou-nos e chamou-nos para a santidade, não em atenção às nossas obras, mas em virtude de Seu desígnio, da Graça que desde a eternidade nos destinou em Cristo Jesus... que destruiu a morte e suscitou a Vida e a imortalidade pelo Evangelho..." 2 Tm 1,9.10b
    Na Carta a São Tito, ele diz da profunda religiosidade pregada por Jesus: "Veio para ensinar-nos a renunciar à impiedade e às mundanas paixões, e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade..." Tt 2,12
    São Pedro também nos lembra esse compromisso fixados por Deus lá nos Levíticos: "A exemplo da santidade d'Aquele que vos chamou, sede também vós santos em todas vossas ações, pois está escrito: 'Sede Santos, porque Eu sou Santo. (Lv 11,44)'" 1 Pd 1,15
    Por isso, São João Evangelista afirma a força do amor como essência da condição de santidade: "Nisto é perfeito em nós o amor: que tenhamos confiança no Dia do Julgamento, pois, como Ele é, assim também nós o somos neste mundo." 1 Jo 4,17
    Amor que vem do próprio Deus: "Mas amamos porque Deus nos amou primeiro." 1 Jo 4,19
    Condenando as pecaminosas tendências da carne, São Paulo insiste com os tessalonicenses: "Esta é a vontade de Deus: vossa santificação. Que eviteis a impureza. Que cada um de vós saiba possuir santa e honestamente seu corpo, sem se deixar levar por desregradas paixões, como os pagãos que não conhecem a Deus..." 1 Ts 4,3-5
    Dizendo o mesmo que havia dito a São Timóteo, ele arremata: "Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade." 1 Ts 4,7
    Pedia empenho e vigilância dentro da Igreja: "Pedimo-vos, porém, irmãos, corrigi os desordeiros, encorajai os tímidos, amparai os fracos e tende paciência para com todos. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo: abraçai o que é bom. Guardai-vos de toda espécie de mal." 1 Ts 5,14.19-22
    Admoesta aos efésios que tenham o mesmo pulso, denunciando o pecado: "Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas infrutíferas obras das trevas. Pelo contrário, condenai-as abertamente. Porque as coisas que tais homens fazem ocultamente é vergonhoso até falar delas." Ef 5,11-12
    Ele alertava aos coríntios: "Não quero que sejamos vencidos por Satanás, pois não ignoramos suas maquinações." 2 Cor 2,11
    E pregou aos romanos: "Eu exorto-vos, pois, irmãos, pelas Misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em vivo, santo e agradável sacrifício a Deus: é este vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe agrada e o que é perfeito." Rm 12,1-2
    Quanto à benção de sacramentais e objetos, ele diz da importância dos Sacerdotes da Igreja a São Timóteo: "Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada há de reprovável quando se usa com Ação de Graças. Porque se torna santificado pela Palavra de Deus e pela oração. Recomenda esta doutrina aos irmãos e serás um bom ministro de Jesus Cristo, alimentado com as palavras da e da Sã Doutrina que até agora seguiste." 1 Tm 4,4-6
    Por isso, pede que ele se mantenha afastado de toda heresia: "Quem, portanto, conservar-se puro e isento dessas doutrinas, será um nobre, santificado e útil vaso ao Seu Possuidor, preparado para todo benéfico uso." 2 Tm 2,21
    A palavra 'santo' significa diferenciado, aquele que se porta com visível distinção, que demonstra verdadeira inspiração, inconfundível com a prática mundana. E assim é a Igreja porque assim Jesus a quer: "... Cristo amou a Igreja e entregou-Se por ela, para santificá-la, purificando-a pela Água do Batismo com a Palavra, para a Si mesmo apresentá-la toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro semelhante defeito, mas santa e irrepreensível." Ef 5,25b-27
    São Paulo assegura: "Mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados, em Nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de Nosso Deus." 1 Cor 6,11b
    Ele exalta esse novo ser, autêntica imagem e semelhança de Deus: "... revesti-vos do novo homem, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade." Ef 4,24
    Essa exortação remete, mais uma vez, à Missão de Jesus, como descrita por São João Evangelista: "Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam. Porém, a todos aqueles que O receberam, aos que creem no Seu Nome, deu-lhes o poder de tornarem-se filhos de Deus..." Jo 1,11-12
    E São Paulo complementa: "De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer. Mas se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, pois todos aqueles que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus." Rm 8,13-14
    Os fariseus acreditavam-se santos, entretanto apenas se afastavam do convívio da gente comum. O povo judeu, com Sabedoria, chamava-os de 'fariseus' justamente porque essa palavra significa separados, isolados, mas não necessariamente santos. Pois a santidade irradia à nossa volta, como disse São Paulo: "Porque o marido que não tem a fé é santificado por sua mulher; assim como a mulher que não tem a fé é santificada pelo marido que recebeu a fé." 1 Cor 7,14a
    Nesse sentido, Jesus ensinou-nos a retransmitir Sua Luz: "Vós sois a Luz do mundo. Assim, brilhe vossa Luz diante dos homens, para que vejam vossas boas obras e glorifiquem Vosso Pai que está nos Céus." Mt 5,14a.16
    Para tanto, São Paulo recomenda sincera contrição: "Depositários de tais promessas, caríssimos, purifiquemo-nos de toda imundície da carne e do espírito, realizando plenamente nossa santificação no temor de Deus." 2 Cor 7,1
    Na Carta aos Hebreus, duas condições são reveladas para a perfeita Comunhão com Deus. A primeira fala da fé: "Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, pois para achegar-se a Ele é necessário que primeiro se creia que Ele existe, e que recompensa os que O procuram." Hb 11,6
    E sabemos que é através da reflexão sobre a Palavra de Deus que se alcança o dom da fé, como São Paulo diz aos romanos: "Mas nem todos prestaram ouvido à Boa Nova. É o que exclama Isaías: 'Senhor, quem acreditou na nossa pregação? (Is 53,1)' Logo, a fé provém da pregação, e a pregação exerce-se em razão da Palavra de Cristo." Rm 5,16-17
    Já a segunda condição aponta exatamente para a santidade: "Procurai a Paz com todos, e ao mesmo tempo a santidade, sem a qual ninguém pode ver o Senhor." Hb 12,14
    Só ela pode livrar-nos do Purgatório, levando-nos direto ao Céu: "Feliz e Santo é aquele que toma parte na primeira Ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão Sacerdotes de Deus e de Cristo: com Ele reinarão durante os mil anos." Ap 20,6
    O poeta francês Léon Bloy, um fervoroso devoto de Nossa Senhora, em grande inspiração afirmou: "Não há senão uma única tristeza: a de não ser Santo!"
    Nesses tempos de tanta incredulidade, reverberam as pertinazes palavras de Bento XVI: "É preciso tornar o termo 'santidade' uma palavra comum, não excepcional, que não designa, especialmente, heroicidades de vida cristã, mas que indica, na realidade, todos os dias uma decidida resposta e disponibilidade à ação do Espírito Santo."

    "Santificai-nos pelo dom do Vosso Espírito!"