sábado, 4 de maio de 2019

A Santidade


    A santidade é o maior anseio da alma. Quem não deseja, ou, se agora desiludido, não desejou ser bom, viver a plena bondade? É patente: a mais pura natureza humana convida ao amor. Este, sim, é o maior prazer e o mais belo 'instinto', pois está em total conformidade com a razão.
    Inerente à Lei, a santificação já era uma determinação de Deus desde os primeiros tempos da Revelação: "Vós santificar-vos-eis e sereis Santos, porque Eu sou Santo." Lv 11,44
    Ele havia dito a Abraão, quando mudou seu nome e lhe propôs a Aliança: "O Senhor apareceu-lhe e disse-lhe: 'Eu sou o Deus Todo-poderoso. Anda em Minha presença e sê perfeito.'" Gn 17,17b
    E é Ele mesmo Quem realiza esse desígnio, especificamente após a instituição da Igreja por Jesus: "E as nações saberão que sou Eu, o Senhor, Quem santifica Israel, quando Meu Santuário se achar constituído para sempre em meio a Meu povo." Ex 37,28
    Pois essa é a essência de Seus planos, como os seguidores de São Paulo explicam: "E o Deus da Paz... queira dispor-vos ao bem e conceder-vos que cumprais Sua vontade, em vós realizando Ele próprio o que é agradável a Seus olhos, por Jesus Cristo..." Hb 13,20a.21a
    Ele "... o faz para nosso bem..." Hb 12,10
    Ele educa-nos "... para conosco partilhar Sua santidade." Idem
    E quer que comunguemos com Ele, ou seja, que participemos de Sua divindade, como São Pedro ensinou: "O divino poder deu-nos tudo que contribui para a Vida e a piedade, fazendo-nos conhecer Aquele que nos chamou por Sua Glória e Sua virtude. Por elas, temos entrado na posse das maiores e mais preciosas promessas, a fim de por este meio tornar-vos participantes da natureza divina, subtraindo-vos à corrupção que a concupiscência gerou no mundo." 2 Pd 1,3-4
    Ele assegura: "O Deus de toda Graça, que em Cristo vos chamou à Sua Eterna Glória, depois que tiverdes padecido um pouco, aperfeiçoar-vos-á, tornar-vos-á inabaláveis, fortificar-vos-á." 1 Pd 5,10
    Essa nova condição foi prevista pelo sacerdote Zacarias, pai de São João Batista, pois o Reino já está estabelecido e só em santidade podemos estar permanentemente diante de Deus, para assim entrar na eternidade: "... de conceder-nos que, sem temor, libertados de mãos inimigas, possamos servi-Lo em santidade e justiça, em Sua presença, todos dias de nossa vida." Lc 1,74-75
    Ora, para que a Igreja vivesse a perfeita Unidade, isto é, a Comunhão dos Santos, e a Encarnação de Cristo se tornasse evidente, Ele derramou Sua inconfundível Glória sobre os Apóstolos, como disse em oração ao Pai: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim. Para que sejam perfeitos na unidade e o mundo reconheça que Me enviaste e os amaste, como amaste a Mim." Jo 17,22-23
    E expressamente determinou no Sermão da Montanha: "Portanto, sede perfeitos, assim como Vosso Pai Celeste é perfeito." Mt 5,48
    Mas como o próprio São Paulo diz, isso não é possível sem os permanentes auxílios do "... Espírito de Santidade... " Rm 1,4
    Ele afirma: "Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza..." Rm 8,26a
    Aliás, como disseram seus seguidores, atesta que Deus mesmo é Quem nos conduz em santidade: "Porque é Deus, segundo Seu beneplácito, Quem em vós realiza o querer e o executar." Fl 2,13
    Contudo, primeiro devemos obediência aos Divinos Mandamentos, para só então suplicarmos essa indizível dádiva do Pai. Perante os judeus, São Pedro falou dessa específica condição para recebê-Lo: "... o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que Lhe obedecem." At 5,32b
    Jesus havia mencionado essa restrição: "Se vós Me amais, guardareis Meus Mandamentos. E Eu rogarei ao Pai e Ele dar-vos-á outro Paráclito, para que eternamente fique convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber porque não O vê nem O conhece. Mas vós conhecê-Lo-eis, porque convosco permanecerá e em vós estará." Jo 14,15-17
     De toda forma, garantiu: "Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais Vosso Pai Celestial dará o Espírito Santo aos que LhO pedirem." Lc 11,13
    A Comunhão com Deus, portanto, é a verdadeira marca do cristãoSão João Evangelista anotou: "Quem observa Seus Mandamentos permanece em Deus e Deus nele. É nisto que reconhecemos que Ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu." 1 Jo 3,24
    São Paulo diz que Ele é a garantia da Redenção, que Deus antecipadamente nos dá: "N'Ele (Cristo) também vós, depois de terdes ouvido a Palavra da Verdade, o Evangelho de vossa Salvação no qual tendes crido, fostes selados com o Espírito Santo que fora prometido, que é o penhor de nossa herança, enquanto esperamos a completa Redenção daqueles que Deus adquiriu para o louvor da Sua Glória." Ef 1,13-14
    Era uma antiga promessa do Pai, de fato, que estritamente se cumpriria através de Sua Igreja, como Jesus assegurou e aconteceu no Pentecostes: "No último dia, que é o principal da Festa, estava Jesus de pé e clamava: 'Se alguém tiver sede, venha a Mim e beba. Quem crê em Mim, como a Escritura diz: Do seu interior manarão rios de Água Viva (Zc 14,8; Is 58,11).' Dizia isso referindo-Se ao Espírito que haviam de receber os que n'Ele cressem, pois ainda não fora dado o Espírito, visto que Jesus ainda não tinha sido glorificado." Jo 7,37-39
    Sem dúvida, cabe à Igreja anunciar a Palavra em sua inteireza, porque Ele determinou aos Apóstolos a respeito das nações: "Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que convosco estou todos dias, até o fim do mundo." Mt 28,20
    Pois na Palavra, integralmente anunciada e por quem para tal foi ordenado, está o poder da purificação. Jesus garantiu aos Doze: "Vós já estais puros pela Palavra que vos tenho anunciado." Jo 15,3
    E na oração pela Unidade da Igreja, rezou ao Pai pelos Apóstolos: "Santifica-os pela Verdade. Tua Palavra é a Verdade." Jo 17,17
    Com esse objetivo Nosso Salvador oferece os Sacramentos, como o da Confissão, que também se realiza pelo Espírito de Deus. Ele derramou-O sobre o Colégio dos Apóstolos já em Sua primeira Aparição após a Ressurreição: "Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: 'Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados. Àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.'" Jo 20,22-23
    E a razão de ser da santificação apenas fecha o ciclo da perfeita Comunhão, remetendo-nos a mais obediência como São Pedro explicou: "... santificados pelo Espírito para obedecer a Jesus Cristo..." 1 Pd 1,2
    São Paulo atesta aos tessalonicenses: "... desde o princípio, Deus escolheu-vos para dar a Salvação pela santificação do Espírito e pela na Verdade. E pelo anúncio de nosso Evangelho, chamou-vos para tomardes parte na Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo." 2 Ts 2,13-14
    Seus seguidores também registraram essa finalidade: "Aquele para Quem e por Quem todas coisas existem, desejando conduzir à Glória numerosos filhos... "Hb 2,10a
    Não é preciso muito esforço, entretanto, para perceber que o mundo vive de cobiça, e usa de toda malícia para alcançar suas ambições. Por isso, a Igreja não deixa de praticar e ensinar o Caminho apontado por Jesus. São Paulo, por exemplo, visando nosso pleno desenvolvimento espiritual, exorta-nos a viver o amor a Deus: "Vou servir-me de corrente linguagem entre os homens, por causa da fraqueza da vossa carne: como pusestes, pois, vossos membros a serviço da impureza e do mal para cometer a iniquidade, ponde agora vossos membros a serviço da justiça para chegar à santidade." Rm 6,19
    Isso faz lembrar a citação feita por Jesus sobre as formas de amar a Deus. Nesse caso, sob a forma de penitências, com 'todas tuas forças': "... amarás ao Senhor Teu Deus com todo teu coração, com toda tua alma, com todo teu entendimento e com todas tuas forças... Amarás teu próximo como a ti mesmo." Mc 12,30-31
    Porém, como visto, só Deus pode conceder-nos esse dom: "O Deus da Paz conceda-vos perfeita santidade. Que todo vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a Vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo!" 1 Ts 5,23
    E Jesus diz que o Pai intensamente trabalha Sua lavoura: "Eu sou a videira verdadeira, e Meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em Mim, Ele cortá-lo-á. E podará todo aquele que der fruto, para que produza mais fruto." Jo 15,1-2
    Diz de Sua divindade, essencial à Salvação do ser humano: "Quem permanecer em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto. Porque sem Mim nada podeis fazer." Jo 15,5b
    São João Batista, de fato, advertia da iminência do Juízo na Pessoa do Cristo: "O machado já está posto à raiz das árvores: toda árvore que não produzir bons frutos, será cortada e lançada ao fogo." Mt 3,10
    E Ele não Se mostrou menos exigente na mensagem que mandou à igreja de Laodiceia: "Eu repreendo e castigo aqueles que amo. Reanima teu zelo, pois, e arrepende-te." Ap 3,19
    Pois cumprindo a vontade do Pai pelo Sacrifício da Cruz, Sua difícil Missão é resgatar as ovelhas perdidas e levá-las ao Céu. São Paulo ensina a São Timóteo: "Deus salvou-nos e chamou-nos para a santidade, não em atenção às nossas obras, mas em virtude de Seu desígnio, da Graça que desde a eternidade nos destinou em Cristo Jesus... que destruiu a morte e suscitou a Vida e a imortalidade pelo Evangelho..." 2 Tm 1,9.10b
    De fato, como Nosso Eterno Sacerdote, segundo a ordem de Melquisedec, Ele ofereceu-Se como Definitivo Sacrifício: "Tal é, com efeito, o Pontífice que nos convinha: Santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e elevado além dos Céus, que não tem necessidade, como os outros sumos sacerdotes, de todos dias oferecer sacrifícios, primeiro pelos próprios pecados, depois pelos do povo. Pois isto fez de uma só vez para sempre, oferecendo-Se a Si mesmo. Por uma só oblação, Ele realizou a definitiva perfeição daqueles que recebem a santificação." Hb 7,26-27;10,14
    Portanto, é por Seu preciosíssimo Sangue, oferecido na Santa Missa, que somos santificados. E tão sério é esse compromisso que os seguidores de São Paulo erroneamente não viam perdão para quem o renega: "Depois de termos recebido e conhecido a Verdade, se voluntariamente a abandonarmos, já não haverá sacrifício para expiar este pecado. Só teremos que esperar um tremendo Juízo e o ardente fogo que há de devorar os rebeldes. Quanto pior castigo julgais que merece quem calcar aos pés o Filho de Deus, profanar o Sangue da Aliança, no Qual foi santificado, e ultrajar o Espírito Santo, Autor da Graça!" Hb 10,26-27.29
    Na Carta a São Tito, ademais, São Paulo abertamente expõe a religiosidade pregada por Jesus: "Veio para ensinar-nos a renunciar à impiedade e às mundanas paixões, e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade..." Tt 2,12
    Diz o que representou o Advento: "Mas um dia apareceu a bondade de Deus, Nosso Salvador, e Seu amor para com os homens. E não por causa de obras de justiça que tivéssemos praticado, mas unicamente em virtude de Sua Misericórdia, Ele salvou-nos mediante o Batismo da regeneração e renovação, pelo Espírito Santo, que em profusão nos foi concedido por meio de Cristo, Nosso Salvador, para que a justificação obtida por Sua Graça nos torne, em esperança, herdeiros da Vida Eterna. Certa é esta Doutrina, e quero que com constância e firmeza a ensines, para que os que abraçaram a fé em Deus se esforcem por aperfeiçoar-se na prática do bem. Isto é bom e útil aos homens." Tt 3,4-8
    Aos efésios, diz da missão da Igreja, que é o Corpo Místico de Cristo: "... para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. Para que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus enganadores artifícios. Mas pela sincera prática da caridade, cresçamos em todos sentidos n'Aquele que é a Cabeça, Cristo." Ef 4,12-15
    E reza pelos gálatas: "Filhinhos meus, por quem de novo sinto dores de parto, até que Cristo seja formado em vós..." Gl 4,19


"TRANSFORMAI-VOS..."

    São Pedro também lembra esse compromisso fixados por Deus lá nos Levíticos: "A exemplo da santidade d'Aquele que vos chamou, sede também vós santos em todas vossas ações, pois está escrito: 'Sede Santos, porque Eu sou Santo (Lv 11,44).'" 1 Pd 1,15
    E com perfeita inspiração, o Eclesiástico já atinava para a essência de nossa espiritualidade e exortava: "A saúde da alma na santidade e na justiça vale mais que o ouro e a prata. Tem compaixão de tua alma, torna-te agradável a Deus e sê firme. Concentra teu coração na santidade..." Eclo 30,15a;24a
    Por isso, São João Evangelista afirma o salvífico amor como condição de santidade: "Nisto é perfeito em nós o amor: que tenhamos confiança no Dia do Julgamento, pois, como Ele é, assim também nós o somos neste mundo." 1 Jo 4,17
    Amor que vem do próprio Deus: "Mas amamos porque primeiro Deus nos amou." 1 Jo 4,19
    Condenando as pecaminosas tendências da carne, São Paulo insiste com os tessalonicenses: "Esta é a vontade de Deus: vossa santificação. Que eviteis a impureza. Que cada um de vós saiba possuir santa e honestamente seu corpo, sem se deixar levar por desregradas paixões como os pagãos que não conhecem a Deus..." 1 Ts 4,3-5
    Dizendo o mesmo que havia dito a São Timóteo, ele arremata: "Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade." 1 Ts 4,7
    E logo aponta a maior virtude: "A respeito da fraterna caridade, não temos necessidade de vos escrever, porquanto vós mesmos aprendestes de Deus a vos amar uns aos outros. Mas ainda vos rogamos, irmãos, que vos aperfeiçoeis mais e mais." 1 Ts 4,9-10b
    Diz o mesmo aos colossenses: "Mas, acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição." Cl 3,14
    Pedia empenho e vigilância dentro da Igreja: "Pedimo-vos, porém, irmãos, corrigi os desordeiros, encorajai os tímidos, amparai os fracos e tende paciência para com todos. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo: abraçai o que é bom. Guardai-vos de toda espécie de mal." 1 Ts 5,14.19-22
    Admoesta aos efésios que tenham o mesmo pulso, denunciando o pecado: "Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas infrutíferas obras das trevas. Pelo contrário, abertamente condenai-as. Porque as coisas que tais homens ocultamente fazem é vergonhoso até falar delas." Ef 5,11-12
    Ele alertava aos coríntios: "Não quero que sejamos vencidos por Satanás, pois não ignoramos suas maquinações." 2 Cor 2,11
    E pregou aos romanos: "Eu exorto-vos, pois, irmãos, pelas Misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em vivo, santo e agradável sacrifício a Deus: é este vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vosso espírito para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe agrada e o que é perfeito." Rm 12,1-2
    Quanto à benção de sacramentais e objetos, ele diz da importância dos Sacerdotes da Igreja a São Timóteo: "Pois tudo que Deus criou é bom, e nada há de reprovável quando se usa com Ação de Graças. Porque se torna santificado pela Palavra de Deus e pela oração. Recomenda esta Doutrina aos irmãos e serás um bom ministro de Jesus Cristo, alimentado com as palavras da fé e da Sã Doutrina que até agora seguiste." 1 Tm 4,4-6
    E assim pede que nos mantenhamos afastado de toda heresia: "Portanto, quem se conservar puro e isento dessas doutrinas será um nobre, santificado e útil vaso ao Seu Possuidor, preparado para todo benéfico uso." 2 Tm 2,21
    A palavra 'Santo' significa 'diferenciado', aquele que se porta com visível distinção, que demonstra verdadeira inspiração, inconfundível com a mundana prática. E assim é a Igreja porque assim Jesus a quer: "... Cristo amou a Igreja e Se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela Água do Batismo com a Palavra, para a Si mesmo apresentá-la toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito, mas santa e irrepreensível." Ef 5,25b-27
    São Paulo assegura: "Mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados, em Nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de Nosso Deus." 1 Cor 6,11b
    Ele exalta esse novo ser, autêntica imagem e semelhança de Deus: "... revesti-vos do novo homem, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade." Ef 4,24
    Essa exortação remete, mais uma vez, à Missão de Jesus, como descrita por São João Evangelista: "Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam. Porém, a todos aqueles que O receberam, aos que creem no Seu Nome, deu-lhes o poder de tornarem-se filhos de Deus..." Jo 1,11-12
    E São Paulo complementa: "De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer. Mas se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, pois todos aqueles que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus." Rm 8,13-14
    Os fariseus acreditavam-se santos, entretanto apenas se afastavam do convívio da gente comum. O povo judeu, com Sabedoria, chamava-os de 'fariseus' justamente porque essa palavra significa separados, isolados, mas não necessariamente santos. Pois a santidade irradia em volta, como São Paulo escreveu: "Porque o marido que não tem a fé é santificado por sua mulher, assim como a mulher que não tem a fé é santificada pelo marido que recebeu a fé." 1 Cor 7,14a
    Nesse sentido, Jesus ensinou-nos a retransmitir Sua Luz: "Vós sois a Luz do mundo. Assim, brilhe vossa Luz diante dos homens, para que vejam vossas boas obras e glorifiquem Vosso Pai que está nos Céus." Mt 5,14a.16
    Para tanto, São Paulo recomenda sincera contrição: "Depositários de tais promessas, caríssimos, purifiquemo-nos de toda imundície da carne e do espírito, plenamente realizando nossa santificação no temor a Deus." 2 Cor 7,1
    Na Carta aos Hebreus, duas condições são reveladas para a perfeita Comunhão com Deus. A primeira fala da fé: "Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, pois para achegar-se a Ele é necessário que primeiro se creia que Ele existe, e que recompensa os que O procuram." Hb 11,6
    E sabemos que é através da reflexão sobre a Palavra de Deus que se alcança o dom da fé, segundo as palavras de São Paulo aos romanos: "Mas nem todos prestaram ouvido à Boa Nova. É o que Isaías exclama: 'Senhor, quem acreditou em nossa pregação (Is 53,1)?' Logo, a fé provém da pregação, e a pregação exerce-se em razão da Palavra de Cristo." Rm 5,16-17
    Já a segunda condição aponta exatamente para a santidade: "Procurai a Paz com todos, e ao mesmo tempo a santidade, sem a qual ninguém pode ver o Senhor." Hb 12,14
    Só ela pode livrar-nos do Purgatório, levando-nos direto ao Céu, como o livro do Apocalipse diz: "Feliz e Santo é aquele que toma parte na primeira Ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão Sacerdotes de Deus e de Cristo: com Ele reinarão durante os mil anos." Ap 20,6
    O poeta francês Léon Bloy, um fervoroso devoto de Nossa Senhora, em grande inspiração afirmou: "Não há senão uma única tristeza: a de não ser Santo!"
    E nesses tempos de tanta incredulidade, reverberam as pertinazes palavras de Bento XVI: "É preciso tornar o termo 'santidade' uma palavra comum, não excepcional, que não designa, especialmente, heroicidades de vida cristã, mas que indica, na realidade, todos dias uma decidida resposta e disponibilidade à ação do Espírito Santo."

    "Santificai-nos pelo dom de Vosso Espírito!"