segunda-feira, 21 de maio de 2018

O Ateísmo


    Os principais argumentos dos ateus para afirmar a 'inexistência' de Deus são Sua 'ausência' e Sua 'inoperância'. Como acreditar, dizem, se não se constata 'nenhuma evidência de Sua presença ou de Sua atividade'? Mas será que eles examinam, com honestidade, os sinais de Deus? Usam de alguma prudência ao analisá-los? Haveria sensatez em desprezar os testemunhos de milhões e milhões de pessoas por todo o mundo? Só eles seriam inteligentes o bastante para aferir a verdade?
    Para os ateus o sofrimento está aí, as doenças continuam afetando muita gente a despeito de suas crenças, ou da falta de uma, os pobres e inocentes são sempre os mais explorados e maltratados, a maioria segue indiferente aos sentimentos alheios, o mundo não tem melhorado... Milhões de miseráveis, fome, guerras, enfermidades, catástrofes naturais... Enfim, onde estaria 'esse' Deus? Cadê Seu poder? Trata-se apenas de numa promessa de Vida Eterna? E 'essa vida eterna'? Algum sinal de que realmente exista?
    A ciência explicaria tudo: o Universo, a origem do ser vivo, a 'humanização' e as civilizações através dos tempos. E, aos poucos, todos fenômenos da natureza seriam compreendidos. Ou seja, não 'precisaríamos' de Deus.
    Mas Jesus foi direto ao ponto. Demonstrando a grandeza e o amor à Verdade de São João Batista diante de religiosos de Jerusalém, Ele levantou a decisiva questão e denunciou as presunções dos que renegam : "Como podeis crer, vós que recebeis a glória uns dos outros, e não buscais a Glória que é só de Deus?" Jo 5,44
    A Nicodemos, um notável entre os fariseus que não percebia a ação do Espírito Santo em Seus ungidos, Ele vai perguntar: "És mestre em Israel e ignoras estas coisas?!... Se vos tenho falado das coisas terrenas e não Me credes, como crereis se vos falar das celestiais?" Jo 3,10.12
    Em debate com os judeus sobre Deus Pai, Ele apontou outra elementar questão, que remete à má vontade de alguns bem como à limitação das palavras para exprimir o inefável: "Por que não compreendeis Minha linguagem?" Jo 8,43a
    E vai explicar a Nicodemos, ainda em Sua primeira Páscoa em vida pública: "Não te maravilhes que Eu te tenha dito: Necessário é-vos nascer de novo. O vento sopra onde quer; ouves-lhe o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece com aquele que nasceu do Espírito." Jo 3,7-8
    Citando a Revelação, Ele evoca a essência da fé, perante os judeus, para atestar Sua Encarnação: "Vós perscrutais as Escrituras, julgando nelas encontrar a Vida Eterna. Pois bem! São elas mesmas que dão testemunho de Mim." Jo 5,39
    Evoca o próprio Moisés: "Pois se crêsseis em Moisés, certamente creríeis em Mim, porque ele escreveu a Meu respeito. Mas, se não acreditais em seus escritos, como acreditareis em Minhas Palavras?" Jo 5,46-47
    Quando Se declarou a Luz do mundo no Templo de Jerusalém, Ele foi categórico para com os fariseus, desmontando meras teorias e especulações, e apresentando-Se como a maior manifestação de Deus: "Não conheceis nem a Mim nem a Meu Pai. Se Me conhecêsseis, certamente conheceríeis também a Meu Pai." Jo 8,19b
    Mostrou-Se realmente irredutível quanto à importância de Sua Missão: "Aquele que não honra o Filho, não honra o Pai, que O enviou." Jo 5,23b
    Afirmando Sua própria divindade, Ele chegou a desafiá-los: "Quem de vós Me acusa de pecado?" Jo 8,46a
    E como eles restavam inertes, exigiu o respeito que cabe ao Seu testemunho: "E se vos falo a Verdade, por que Me não credes?" Jo 8,46b
    Avisava, usando o título com que Deus Se apresentou a Moisés, do que representava não crer n'Ele: "... porque se não crerdes que EU SOU, morrereis no vosso pecado." Jo 8,24b
    No Templo de Jerusalém, o povo quis saber como fazer a vontade de Deus, e Ele foi sucinto: "Perguntaram-Lhe: 'Que faremos para praticar as obras de Deus?' Respondeu-lhes Jesus: 'A obra de Deus é esta: que creiais n'Aquele que Ele enviou.'" Jo 8,28-29
    Por isso, os Apóstolos pediam-Lhe: "Aumentai-nos a fé!" Lc 17,5b
    Sem dúvida, os seguidores da tradição de São Paulo iriam apontá-Lo como o "... Autor e Consumador de nossa fé, Jesus." Hb 12,1c
    Seu proceder impunha autoridade: "Enquanto Jesus celebrava em Jerusalém a festa da Páscoa, muitos creram no Seu Nome, à vista dos milagres que fazia. Mas Jesus mesmo não Se fiava neles, porque conhecia a todos. Ele não necessitava que alguém desse testemunho de nenhum homem, pois bem sabia o que havia no homem." Jo 2,23-25
    A própria guarda do sumo sacerdote, enviada para prendê-Lo na festa das Tendas, voltou sem Ele, afirmando: "Ninguém jamais falou como Este Homem!..." Jo 7,46
    E São João Batista mesmo atestou sobre Sua Palavra, apontando-a como caminho para verificar quão veraz é o próprio Deus: "Aquele que vem de cima é superior a todos. Aquele que vem da terra é terreno e fala de coisas terrenas. Aquele que vem do Céu é superior a todos. Ele testemunha as coisas que viu e ouviu, mas ninguém recebe Seu testemunho. Aquele que recebe Seu testemunho confirma que Deus é verdadeiro." Jo 3,31-33
    Apontou também a questão da linguagem, testemunhando a unção do Espírito de Deus sobre Jesus e abrindo caminho para a compreensão da Santíssima Trindade: "Com efeito, Aquele que Deus enviou fala a linguagem de Deus, porque Ele concede o Espírito sem medidas. O Pai ama o Filho e confiou-Lhe todas as coisas." Jo 3,34-35
    E revelando a luminosa coerência das Escrituras, Jesus vai ensinar: "Deus é Espírito..." Jo 4,24
    São João Evangelista, por sua vez, vai ater-se à expressa manifestação do Espírito Santo: "Nisto se reconhece o Espírito de Deus: todo espírito que proclama que o Cristo encarnou em Jesus é de Deus; todo espírito que não proclama Jesus esse não é de Deus, mas é o espírito do Anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e agora já está no mundo." 1 Jo 4,2-3
    Falando sobre o Pai, ele diz que Jesus é Seu principal testemunho: "Aquele que não crê em Deus, faz d'Ele mentiroso, porque não crê no testemunho que Ele deu em favor de Seu Filho." 1 Jo 5,10b
    Abrangendo a ampla dimensão da questão e tentando simplificar, cunhou essa bela frase: "... Deus é amor." 1 Jo 4,8
    E completou: "Aquele que não ama não conhece a Deus..." Idem
    De fato, como poderíamos quantificar o amor que está em ação, nesse momento, pelo mundo afora? Ora, os que mais amam são exatamente aqueles que mais sofrem, toleram e calam-se diante de injustiças e desgraças. Haveria maior mensagem que eles nos pudessem dar? E, dadas as condições da vida humana, não é a Divina Consolação a dádiva mais frequente que Deus nos concede? Através do Profeta Isaías, Ele afirmou: "Eu, Eu mesmo sou Vosso Consolador!" Is 51,12
    Jesus revelou esse detalhe sobre Si mesmo quando falou do envio do Espírito Santo. Se o Espírito de Deus é 'outro' consolador, é porque essa é uma das mais claras atribuições de Deus, seja Pai, Filho ou Espírito: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele dar-vos-á outro Consolador, para que fique eternamente convosco." Jo 14,16
    Ele oferece, portanto, Aquele que nos conduz à verdadeira percepção da realidade: "É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber porque não O vê nem O conhece. Mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,17
    Pois revela a Verdade: "E, quando Ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do Juízo." Jo 16,8
    Jesus também foi bem claro quando falou sobre Seus socorros, que dizem respeito às nossas almas: "Tomai Meu jugo sobre vós e recebei Minha Doutrina, porque Eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para vossas almas." Mt 11,29
    E dizem igualmente respeito à Ressurreição da carne e ao Eterno Banquete, mas apenas àqueles amados pelo Pai, o Qual antes os leva ao Cristo: "Ninguém pode vir a Mim se o Pai, que Me enviou, não o atrair. E Eu hei de ressuscitá-lo no Último Dia." Jo 6,44
    Contudo, Ele já antevia: "Se não ouvirem a Moisés e aos Profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que algum dos mortos ressuscite." Lc 16,31
    Por isso, avisava a Igreja das tribulações que se enfrenta nesse mundo, como Ele mesmo enfrentou: "Referi-vos essas coisas para que em Mim tenhais a Paz. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo." Jo 16,33
    E enquanto Consolador, contra todas aflições e todo mal, Ele promete Sua indizível Paz, que só o próprio Deus pode oferecer: "Deixo-vos a Paz, dou-vos Minha Paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe vosso coração, nem se atemorize!" Jo 14,27
    São Paulo explicou a dádiva que é a unção do Santo Paráclito, para a compreensão da realidade à nossa volta: "Ora, nós não recebemos o espírito do mundo, mas sim o Espírito que vem de Deus, que nos dá a conhecer as Graças que Deus nos prodigalizou e que pregamos numa linguagem que nos foi ensinada não pela sabedoria humana, mas pelo Espírito, que exprime as coisas espirituais em termos espirituais. Mas o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, pois para ele são loucuras. Nem as pode compreender, porque é pelo Espírito que se devem ponderar." 1 Cor 2,12-14
    Ele garante, citando o Profeta Isaías, que Deus excede em muito todas nossas expectativas: "É como está escrito: 'Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou' (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que O amam." 1 Cor 2,9


A MAIOR MANIFESTAÇÃO DE DEUS

    Ademais, é de notar-se que a 'ausência' ou a 'inoperância' de Deus é 'denunciada', em geral, por aqueles que acham que tudo depende apenas de nós mesmos. São visivelmente movidos por ativismo, racionalismo e materialismo. Para eles, de fato, Deus não está aí para ser percebido, pois nenhuma dessas posturas, principalmente quando levadas ao extremo, permite observar com pertinência as coisas ao redor. Falando dos pagãos, São Paulo diz que toda humanidade é originalmente dotada dessa capacidade: "Desde a criação do mundo, as invisíveis perfeições de Deus, Seu sempiterno poder e divindade, tornam-se visíveis à inteligência por Suas obras; de modo que não se podem escusar." Rm 1,20
    O sentido da vida era-lhe bem claro: "Deus fez a partir de um só homem, todo o gênero humano, para habitar em toda a face da Terra. E fixou a sequência dos tempos e os limites para sua habitação, a fim de que os homens procurem a Deus e esforcem-se por encontrá-Lo, mesmo tateando, embora não Se encontre longe de cada um de nós. Porque é n'Ele que temos a vida, o movimento e o ser..." At 17,26-28a
    E que a relutância em negar esta capacidade é atrair graves castigos: "A ira de Deus manifesta-se do alto do Céu contra toda impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a Verdade." Rm 1,18
    Ele diz aos coríntios: "Se nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a Luz do Evangelho, onde resplandece a Glória de Cristo, que é a imagem de Deus. De fato, não nos pregamos, a nós mesmos, mas a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós, consideramo-nos vossos servos por amor de Jesus. Porque Deus que disse: 'Das trevas brilhe a Luz', é também Aquele que fez brilhar Sua Luz em nossos corações, para que irradiássemos o conhecimento do esplendor de Deus, que se reflete na face de Cristo. Porém, temos este tesouro em vasos de barro, para que claramente transpareça que este extraordinário poder provém de Deus e não de nós." 2 Cor 4,3-7
    Para os mais humildes, porém, que são a imensa maioria, Deus está agindo e todos os dias. Eles percebem muito bem Seus cuidados e em hipótese alguma abrirão mão da . O salmista já havia observado: "Entretanto, Vós vedes tudo: observais os que penam e sofrem, a fim de tomar a causa deles em Vossas mãos. É a Vós que se abandona o infortunado, sois Vós o amparo do órfão." Sl 9,35
    Não por acaso, Jesus afirmou em oração: "Eu bendigo-Te, Pai, Senhor do Céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e revelaste-as aos pequenos." Jo 11,25
    Quanto aos desmandos da própria humanidade, é bom que não se esqueça, Jesus também foi vítima: "Meu Reino não é deste mundo. Se Meu Reino fosse deste mundo, Meus súditos certamente teriam combatido para que Eu não fosse entregue aos judeus." Jo 18,36
    Ele deu este detalhe a São Pedro: "Não crês tu que posso invocar Meu Pai e ele imediatamente enviar-Me-ia mais de doze legiões de anjos?" Mt 26,53
    E quando falava do Reino deste 'mundo', Ele não Se referia ao planeta Terra, obra de Sua criação. Estava referindo-se às organizações instituídas por pessoas que renegam a Deus, onde não se solicita nem sequer se permite Sua participação. Porque, quanto à propriedade e ao controle de tudo, seja do Céu ou da Terra, o salmista já dizia que "... Deus é o Rei do universo..." Sl 46,8
    Ou porque, segundo o próprio Jesus, "... a Deus tudo é possível." Mc 10,27
    E quanto ao sofrimento existente no mundo, Ele não enganou ninguém. Ao contrário, deixou claro que se colocar em oposição à lógica mundana era atrair para si mais dificuldades: "Se alguém quer vir após Mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia sua Cruz e siga-Me." Lc 9,23
    Isto se dá tão somente por amor à Verdade, como Ele vai dizer a Seus parentes: "O mundo não vos pode odiar, mas odeia-Me, porque contra ele Eu testemunho que suas obras são más." Jo 7,7
    Por isso alertou os Apóstolos, garantindo-lhes também a força do testemunho da Verdade: "Se o mundo vos odeia, sabei que Me odiou antes que a vós. Se fôsseis do mundo, o mundo amar-vos-ia como sendo seus. Como, porém, não sois do mundo, mas do mundo escolhi-vos, por isso o mundo odeia-vos. Lembrai-vos da Palavra que vos disse: 'O servo não é maior que Seu Senhor.' Se perseguiram-Me, também hão de perseguir-vos. Se guardaram Minha Palavra, também hão de guardar a vossa." Jo 15,18-20
    A despeito dos inegáveis valores da ciência, pois a Sabedoria é apenas mais um dom de Deus, a tentativa de tudo explicar exclusivamente por seus métodos já se revelou infrutífera em uma infinidade de casos. Como explicar, por exemplo, Seus milagres? As dezenas de milagres Eucarísticos? A Santa Casa do Loreto? Os corpos santos? Os tantos sinais de Deus? A Aparição de Fátima, que predisse tudo que de mais importante aconteceria no século XX? Houve maior matança na face da terra que na instauração do comunismo pelo mundo afora? São mais de 110 milhões de mortos! E justamente por 'governos' que, querendo instituir o 'Céu' na terra, negam a existência de Deus!
    São Tiago Menor acusa: "De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm justamente das paixões que estão em conflito dentro de vós? Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido em vossos prazeres." Tg 4,1-3
    Por fim, os ateus também apontam as catástrofes naturais como prova da 'inexistência' ou mesmo da 'impotência' de Deus. Esquecem, elementarmente, que a alma é eterna, e que, sofrimento por sofrimento, o próprio Jesus morreu na Cruz. E não obstante a trágica maneira, Ele também alertava do perigo de uma repentina partida desse mundo sem o devido Sacramento da Reconciliação: "Ou cuidais que aqueles dezoito homens, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, foram mais culpados que todos demais habitantes de Jerusalém? Não, digo-vos. Mas se não vos arrependerdes, perecereis todos do mesmo modo." Lc 13,4-5
    E mesmo as catástrofes naturais, não são muitas delas apenas o resultado da ambição e do consumismo materialista? Do selvagem capitalismo que 'venceu' o comunismo? E quem mais sofre com elas não são justamente os mais pobres? Acaso não é a pobreza a falta da partilha do pão? Então o 'milagre' da ciência só serve aos ricos? E não fomenta ainda mais ambição? Aonde vamos? À destruição do planeta? Essa é a 'inteligência' do ser humano? Não falta a ele a divina inspiração para ir realmente mais longe?
    São Paulo lamenta a desonestidade intelectual e a preguiçosa consciência dos que caem na eterna perdição: "... por não terem cultivado o amor à Verdade que os teria podido salvar." 2 Ts 2,10
    Pois Jesus prometeu cobrar por Sua Vinda e por Sua Palavra. Definitivamente, Sua manifestação não foi em vão! Não acolhê-la, segundo Ele mesmo, é um pecado: "Se Eu não viesse e não lhes tivesse falado, não teriam pecado. Mas agora não há desculpa para seu pecado." Jo 15,22
    Seus milagres também não foram em vão: "Se Eu não tivesse feito entre eles obras, como nenhum outro fez, não teriam pecado. Mas agora viram-nas e odiaram a Mim e a Meu Pai." Jo 15,24
    E prometeu que a Vinda do Espírito Santo também não passaria despercebida. Ao contrário, se temos alguma chance é porque Ele nos convence do erro que é não acolher Jesus: "Entretanto, digo-vos a Verdade: convém a vós que Eu vá! Porque, se Eu não for, o Paráclito não virá a vós. Mas se Eu for, vo-Lo enviarei. Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim." Jo 16,7.9
    Entre os ateus, portanto, se é que realmente não creem, deve-se saber que não é muito sensato alimentar ódio a Deus. Jesus contou a parábola do Homem que partiu para ser investido da realeza, e que, ao voltar, declarou: "Quanto aos que Me odeiam, e que não Me quiseram por Rei, trazei-os e massacrai-os em Minha presença." Lc 19,27


NA PRÁTICA, VERDADEIROS ATEUS

    Há, no entanto, casos ainda mais graves que o mero ateísmo: apesar de jurarem acreditar em Deus, especialmente em Deus manifesto na Pessoa de Jesus, muitos rejeitam categoricamente Seus ensinamentos e, na prática, vivem na mais completa devassidão. O destino destes não parece ser nenhuma surpresa, pois Jesus adverte: "Mas aquele que ouve Minhas Palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi sua ruína." Lc 7,26-27
    Aliás, muitos deles até se apresentam como líderes religiosos: "Nem todo aquele que Me diz: 'Senhor, Senhor', entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus. Muitos Me dirão naquele dia: 'Senhor, Senhor, não pregamos nós em Vosso Nome, e não foi em Vosso Nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?' E, no entanto, Eu lhes direi: 'Nunca vos conheci. Retirai-vos de Mim, maus operários!'" Mt 7,21-23
    Os que distorcem Sua Palavra, portanto, deveriam estar bem mais atentos: "Mas todo aquele que fizer cair no pecado a um destes pequeninos que creem em Mim, melhor seria que uma pedra de moinho lhe fosse posta ao pescoço e lançassem-no ao mar!" Mc 9,42
    São Pedro denuncia-os como os grandes maculadores do Evangelho: "Assim como houve entre o povo falsos profetas, também haverá entre vós falsos doutores que disfarçadamente introduzirão perniciosas seitas. Renegando, assim, o Senhor que os resgatou, eles atrairão sobre si uma repentina ruína. Muitos os seguirão em suas desordens e serão deste modo a causa de o Caminho da Verdade ser caluniado." 2 Pd 2,1-2
    A Igreja, no entanto, ainda que reduzida a um pequeno número, passará santamente por tudo isso, pois Jesus assim o quer, como afirma São Paulo,: "... Cristo amou a Igreja e entregou-Se por ela, para santificá-la, purificando-a pela Água do Batismo com a Palavra, para a Si mesmo apresentá-la toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível." Ef 5,25b-27
    Ora, Jesus declarou que ela seria invencível quando elegeu São Pedro como pedra fundamental, pois é Ele mesmo que a edifica: "E Eu declaro-te: tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja. As portas do inferno não prevalecerão contra ela." Mt 16,18
    O fim de Judas, por sinal um dos escolhidos por Jesus, mas que tanto amava o dinheiro, foi muito triste. A vida, esse dom de Deus, para ele foi uma pedra de tropeço. Jesus sentenciou: "O Filho do Homem vai, como d'Ele está escrito. Mas ai daquele homem por quem o Filho do Homem é traído! Seria melhor para esse homem que jamais tivesse nascido!" Mt 26,24
    Aqueles que cometem escândalos, segundo Sua Palavra, também não estão em boa situação: "Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa! Por isso, se tua mão ou teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor entrares na vida coxo ou manco que, tendo dois pés e duas mãos, seres lançado no fogo eterno. Se teu olho te leva ao pecado, arranca-o e lança-o longe de ti: é melhor entrares na vida cego de um olho que seres jogado com teus dois olhos no fogo da geena." Mt 18,7-9
    Ele também advertiu os que se orientam por valores meramente mundanos: "Vós procurais parecer justos aos olhos dos homens, mas Deus conhece-vos os corações; pois o que é elevado aos olhos dos homens é abominável aos olhos de Deus." Lc 16,15
    Numa visão que teve São João Evangelista, registrado no livro do Apocalipse, Ele foi ainda mais contundente: "Pois dizes: 'Sou rico, faço bons negócios, de nada necessito' - e não sabes que és infeliz, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que compres de Mim ouro provado ao fogo, para ficares rico; alvas roupas para vestir-te, a fim de que a vergonha de tua nudez não apareça; e um colírio para ungir os olhos, de modo que possas ver claro." Ap 3,17-18
    E referindo-Se a Ele mesmo como a pedra angular da obra de Deus, disse que Sua manifestação era um marco histórico para a humanidade, um divisor de águas, e que ninguém dela poderia valer-se por escusos motivos: "Aquele que tropeçar nesta pedra, far-se-á em pedaços; e aquele sobre quem ela cair, será esmagado." Mt 21,44
    Disse-o, aliás, aos próprios Apóstolos, referindo-Se ao 'escândalo da Cruz': "Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: 'Ferirei o Pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).' Mas, depois da Minha Ressurreição, Eu preceder-vos-ei na Galileia." Mt 26,31-32
    Sua Palavra, portanto, deve ser vivida intensamente em nossas almas: "Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e Verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e Seus adoradores devem adorá-Lo em espírito e Verdade." Jo 4 23,24
    Com efeito, falando através de Isaías, Deus já havia denunciado a hipocrisia entre religiosos. Jesus vai invocá-lo: "Hipócritas! É bem de vós que fala o Profeta Isaías: 'Este povo só me honra com os lábios. Seu coração, porém, está longe de Mim.'" Mt 15,7-8
    Por isso, São Tiago Menor prescreve: "Mas aquele que procura meditar com atenção a lei perfeita da liberdade e nela persevera - não como ouvinte que facilmente se esquece, mas como cumpridor fiel do preceito -, este será feliz em seu proceder." Tg 1,25
    Pois Ela é nossa fonte de fé, como diz São Paulo: "Logo, a fé provém da pregação e a pregação exerce-se em razão da Palavra de Cristo." Rm 10,17
    A quem a vivencia, Jesus garantiu: "Aquele, pois, que ouve estas Minhas Palavras e põe-nas em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha." Mt 7,24-25
    Assim, lembrando a importância da Santa Missa e dos Sacramentos, enchem-se de peso as palavras do cego de nascença curado por Jesus: "Sabemos, porém, que Deus não ouve a pecadores, mas atende a quem Lhe presta culto e faz Sua vontade." Jo 9,31

    "Lembrai-Vos, ó Pai, de Vossos filhos!"