terça-feira, 29 de janeiro de 2019

O Inferno


    Não há mais triste assunto dentre os do Magistério da Igreja, mas, assim como fez Jesus, é seu dever alertar para o gravíssimo risco da eterna condenação. Falar das almas que se perdem e de seus sofrimentos, contudo, sempre será sumamente lastimável. Tão incômodo que o próprio Cristo, usando de brevidade, referia-Se ao fogo, termo que com mais frequência usou, ou ao Juízo, para lembrar que o maior castigo não é motivado por um divino capricho, mas por decisões pessoais.
    São Paulo disse a São Tito daqueles que rejeitam a Revelação e divulgam heresias: "O homem que assim fomenta divisões, depois de advertido a primeira e a segunda vez, evita-o, visto que esse tal é um perverso que, perseverando em seu pecado, condena-se a si próprio." Tt 3,10-11
    E São Tiago Menor ensina a resistir às más inclinações: "Feliz o homem que suporta a tentação. Porque, depois de sofrer a provação, receberá a coroa da vida que Deus prometeu àqueles que O amam. Ninguém, quando for tentado, diga: 'É Deus quem me tenta.' Deus é inacessível ao Mal e não tenta a ninguém. Cada um é tentado por sua própria concupiscência, que o atrai e alicia. A concupiscência, depois de conceber, dá à luz o pecado. E o pecado, uma vez consumado, gera a morte." Tg 1,12-15
    Seja com o nome de hades, xeol, geena, fornalha, fogo eterno, lago de fogo ou inferno, pois, Jesus claramente apontou as consequências do pecado, do qual tem por Missão nos livrar, como afirmou: "Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo que lhe deu Seu único Filho, para que todo aquele que n'Ele crer não pereça, mas tenha a Vida Eterna." Jo 3,16
    Falando sobre pecados, e dos mais brandos, Jesus mencionou simples xingamentos, ou ofensas em forma de palavras, que dependendo da frequência e sem o devido arrependimento podem tornar-se graves faltas ou até mortais: "Mas Eu digo-vos: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: 'Idiota', será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: 'Louco', será condenado ao fogo da geena." Mt 5,22
    E esta não foi uma fortuita menção. Mais tarde Ele tornaria ao tema, ao denunciar pretensos religiosos que se arrogam a mal dizer coisas que simplesmente desconhecem: "Raça de víboras, maus como sois, como podeis dizer coisas boas? Porque a boca fala do que lhe transborda do coração. O bom homem tira boas coisas de seu bom tesouro. O mau, porém, tira más coisas de seu mau tesouro. Eu digo-vos: no Dia do Juízo os homens prestarão contas de cada vã palavra que tiverem proferido. É por tuas palavras que serás justificado ou condenado." Mt 12,34-37
    Sim, porque, sem o arrependimento e as correspondentes penitências, por pequenos que sejam os pecados se acumulam. São Paulo explicou: "Mas por tua obstinação e impenitente coração, contra ti vais acumulando ira, para o Dia da Cólera e da revelação do justo Juízo de Deus..." Rm 2,5
    Quanto ao comportamento, em geral, Jesus indica que muito poucos irão direto ao Céu, isto é, sem passar por alguma punição: "Entrai pela estreita porta, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram. Estreita, porém, é a porta e apertado o Caminho da Vida, e poucos são os que o encontram." Mt 7,13-14
    Referindo-Se propriamente ao inferno, embora propondo simbólicas mutilações como forma de evitá-lo, Ele falou da gravidade de cultuados e imorredouros 'maus costumes', bem como de um fogo que não se apaga: "Se tua mão for para ti ocasião de queda, corta-a! Melhor é entrares na Vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para a geena, para o inextinguível fogo, onde seu verme não morre e o fogo não se apaga. Se teu pé for para ti ocasião de queda, corta-o fora! Melhor é entrares coxo na Vida Eterna que, tendo dois pés, seres lançado à geena do inextinguível fogo, onde seu verme não morre e o fogo não se apaga. Se teu olho for para ti ocasião de queda, arranca-o! Melhor é entrares com um olho de menos no Reino de Deus que, tendo dois olhos, seres lançado à geena do fogo, onde seu verme não morre e o fogo não se apaga." Mc 9,43-48
    E deixou uma ideia do quão escuro, apesar do fogo, pode ser o inferno: "Se teu olho estiver em mau estado, todo teu corpo estará nas trevas. E se a luz que está em ti são trevas, quão espessas deverão ser as trevas!" Mt 6,23
    Mas se essa imagem não parece severa o bastante, observe-se o que Ele disse da cidade que escolheu para morar durante Sua vida pública. Não foi privilegiada por presenciar Seus milagres? Pois bem, há séculos que ela simplesmente desapareceu do mapa! "E tu, Cafarnaum, serás elevada ao Céu? Não! Serás atirada no inferno! Porque se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro de teus muros, subsistiria até este dia. Por isso, digo-te: no Dia do Juízo haverá menor rigor para Sodoma que para ti!" Mt 11,23-24
    Àqueles preocupados com a mera sobrevivência terrena, Ele deixa bem claro a Quem realmente se deve temer, e indica que a Ressurreição da carne também se dará para aqueles que irão para o inferno: "Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes temei Aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena." Mt 10,28
    De fato, Jesus pregou a pureza de coração, tão rara nos dias de hoje até mesmo entre crianças, como profetizou Nossa Senhora do Bom Sucesso na Aparição de Quito. Ele determinou: "Em verdade, declaro-vos: se não vos transformardes e não vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos Céus. Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino dos Céus. E aquele que em Meu Nome recebe um menino como este, é a Mim que recebe." Mt 18,3-5
    E citando como exemplo uma das mais brutais punições de então, severamente ameaçou quem corrompe crianças e adolescentes: "Mas se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que creem em Mim, melhor fora que ao pescoço lhe atassem uma pedra de moinho e lançassem-no no fundo do mar. Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!" Mt 18,6-7
    Por isso, no Dia do Juízo o destino daqueles que provocam escândalos não será exatamente uma novidade: "O Filho do Homem enviará Seus anjos, que retirarão de Seu Reino todos escândalos e todos que fazem o mal, e lançá-los-ão na ardente fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes." Mt 13,41-42
    Entretanto, assim como o pecado já existia antes mesmo da Criação, os seres humanos não são os primeiros condenados ao fogo eterno. Segundo São Pedro, pela inimaginável Graça que tiveram de conviver pessoalmente com Deus, os anjos que contra Ele se rebelaram foram os precursores em sentenças de pena capital: "Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas precipitou-os nos tenebrosos abismos do inferno onde os reserva para o Julgamento; se não poupou o mundo antigo, e só preservou oito pessoas, dentre as quais Noé, esse pregador da justiça, quando desencadeou o dilúvio sobre um mundo de ímpios; se condenou à destruição e reduziu à cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra para servir de exemplo para os ímpios do porvir... é porque o Senhor sabe livrar das provações os piedosos homens e reservar os ímpios para serem castigados no Dia do Juízo, principalmente aqueles que correm com impuros desejos atrás dos prazeres da carne e desprezam a autoridade." 2 Pd 2,4-6.9-10
    E como atesta São Judas Tadeu, além de lugar de castigos o fogo do inferno é eterno: "Os anjos que não tinham guardado a dignidade de sua classe, mas abandonado seus tronos, Ele guardou-os com eternas correntes nas trevas para o julgamento do Grande Dia. Da mesma forma Sodoma, Gomorra e as circunvizinhas cidades, que praticaram as mesmas impurezas e entregaram-se a vícios contra a natureza, lá jazem como exemplo, sofrendo a pena do eterno fogo." Jd 1,7


DESCEU À MANSÃO DOS MORTOS

    E o Julgamento já se deu, com a Vinda de Jesus. Pouco antes de Sua crucificação, Ele sentenciou: "Agora é o Juízo deste mundo! Agora será lançado fora o príncipe deste mundo." Jo 12,31
    O Juízo é Sua poderosa Palavra, Seu veredicto, que já foi proferido: "Se alguém ouve Minhas Palavras e não as guarda, Eu não o condenarei, porque não vim para condenar o mundo, mas para salvá-lo. Quem Me despreza e não recebe Minhas Palavras, tem quem o julgue: a Palavra que anunciei julgá-lo-á no Último Dia." Jo 12,47-48
    Ele até deu esta explicação sobre o Antigo Testamento aos judeus: "Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai. Há quem vos acusa: Moisés, em quem colocais vossa esperança." Jo 5,45
    Através de Moisés, de fato, Deus Pai havia firmado sobre a Encarnação do Cristo: "Porei Minhas Palavras em Sua boca, e Ele comunicá-lhes-á tudo que Eu Lhe ordenar. Eu mesmo pedirei contas a quem não escutar as Palavras que em Meu Nome Ele pronunciar." Dt 18,18-19
    E Jesus confirmou Sua posse sobre o veredicto: "Com efeito, como o Pai ressuscita os mortos e dá-lhes Vida, o Filho também dá Vida a quem Ele quer. Porque o Pai não julga ninguém, mas entregou todo Julgamento ao Filho." Jo 5,21-22
    Ele atestou: "Julgo como ouço. E Meu Julgamento é justo, porque não busco Minha vontade, mas a vontade d'Aquele que Me enviou." Jo 5,30b
    Ora, Sua Palavra é eterna, o que faz com que Seu Juízo seja perene: "Passarão o céu e a terra, mas Minhas Palavras não passarão." Mc 13,31
    Ele garante: "Em verdade, em verdade, digo-vos: quem ouve Minha Palavra e crê n'Aquele que Me enviou, tem a Vida Eterna e não incorre na condenação, mas passou da morte para a Vida." Jo 5,24
    Assim, desde então o mundo está dividido, pois diante de Cristo os corações se revelam, como disse o religioso Simeão a Nossa Senhora: "Eis que este Menino está destinado a ser causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações." Lc 2,34b-35a
    São Pedro, da mesma forma, testemunha a manifestação do Redentor e Justo Juiz: "Ele mandou-nos pregar ao povo e testemunhar que é Ele Quem por Deus foi constituído Juiz dos vivos e dos mortos. D'Ele todos Profetas dão testemunho, anunciando que todos aqueles que n'Ele creem recebem o perdão dos pecados por meio de Seu Nome." At 10,38-39.42-43
    O mais tem sido feito pelo Espírito Santo, convencendo-nos do Juízo que já está em curso e da automática condenação que é viver renegando o projeto de Deus. Disse Jesus: "Entretanto, digo-vos a Verdade: convém a vós que Eu vá! Porque, se Eu não for, o Paráclito não virá a vós. Mas se Eu for, vo-Lo enviarei. Ele convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim. Ele convencê-lo-á a respeito do Juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado." Jo 16,7.9.11
    Isso não anula, porém, as terríveis condenações a serem anunciadas no Juízo Final, como explicou São Paulo: "Os pecados dos homens às vezes são conhecidos já antes de levados a Juízo. Outras vezes, sê-lo-ão depois." 1 Tm 5,24
    Pois só no Dia do Senhor saberemos toda Verdade: "Isso claramente aparecerá no dia em que, segundo meu Evangelho, Deus julgar as secretas ações dos homens, por Jesus Cristo." Rm 2,16
    Não por acaso, Jesus desceu à mansão dos mortos para que Sua Palavra também fosse conhecida por aqueles que viveram antes de Sua Vinda. São Pedro registrou: "Pois, para isso, o Evangelho também foi pregado aos mortos, para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito." 1 Pd 4,6
    Jesus mesmo assegurou: "Em verdade, em verdade, digo-vos: vem a hora, e já está aí, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. E os que a ouvirem viverão." Jo 5,25
    Pois enquanto ser humano Ele também morreu, embora tenha ressuscitado antes da corrupção. O salmista cantou essa profecia: "Por isso, Meu coração alegra-se e Minha alma exulta. Até Meu Corpo descansará seguro porque vós não abandonareis Minha alma na mansão dos mortos, nem permitireis que Vosso Santo conheça a corrupção." Sl 16,9-10
    São Pedro falou dessa condição espiritual daqueles que não alcançam a Primeira Ressurreição: "Pois também Cristo morreu uma vez pelos nossos pecados, o Justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Padeceu a morte em Sua Carne, mas foi vivificado quanto ao Espírito. É neste mesmo Espírito que Ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes, quando com paciência Deus aguardava enquanto se edificava a arca, na qual poucas pessoas, isto é, apenas oito se salvaram através da água." 1 Pd 3,18-20
    Assim, por Seu Sacrifício estabeleceu-se a Nova Aliança, pela qual Sua Palavra é infundida na alma humana pelo Divino Espírito. Os seguidores da tradição de São Paulo invocam essa profecia de Isaías: "Mas esta é a Aliança que estabelecerei com a Casa de Israel depois daqueles dias: 'Imprimirei Minhas leis em seu espírito e gravá-las-ei em seu coração. Eu serei Seu Deus, e eles serão Meu povo. Ninguém mais terá que ensinar a seu concidadão, ninguém a seu irmão, dizendo: 'Conhece o Senhor', porque todos Me conhecerão, desde o menor até o maior." Hb 8,10-11
    E para finalizar o projeto da Salvação, Ele deixou-nos Sua Igreja, que tem Sua inviolável proteção contra as forças do Mal: "E Eu declaro-te: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei Minha Igreja. As portas do inferno não prevalecerão contra ela." Mt 16,18
    Disse de Suas ovelhas: "... ninguém as roubará de Minha mão. ... ninguém pode arrebatá-las da mão de Meu Pai." Jo 10,27a.28b.29b
    E a Seus Sacerdotes deu-lhes poder de ministrar o perdão, pelo Sacramento da Confissão: "Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados. Àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." Jo 20,23
    O arrependimento, pois, também chamado de Sacramento da Reconciliação ou da Penitência, deve ser o caminho de todos que querem aproximar-se de Deus. E assim se deve proceder a despeito da mais cruel realidade que se tenha notícia, pois do contrário ninguém será poupado: "Neste mesmo tempo contavam alguns o que tinha acontecido a certos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com seus sacrifícios. Jesus toma a Palavra e pergunta-lhes: 'Pensais vós que estes galileus foram maiores pecadores que todos outros galileus, por terem sido tratados desse modo? Não, digo-vos. Mas se não vos arrependerdes, perecereis todos do mesmo modo. Ou cuidais que aqueles dezoito homens, sobre os quais caiu a torre de Siloé e matou-os, foram mais culpados que todos demais habitantes de Jerusalém? Não, digo-vos. Mas se não vos arrependerdes, perecereis todos do mesmo modo.'" Lc 13,1-5
    Por isso, Ele condenou desde logo a hipocrisia dos falsos religiosos, os maiores opositores da Verdade: "Serpentes! Raça de víboras! Como escapareis ao castigo do inferno? Vede, Eu envio-vos Profetas , sábios, doutores. Matareis e crucificareis uns, e açoitareis outros em vossas sinagogas. Persegui-los-eis de cidade em cidade, para que sobre todos vós caia o sangue inocente derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o Templo e o Altar. Em verdade, digo-vos: todos esses crimes pesam sobre esta raça." Mt 23,33-36
    Ora, esse seria o destino de um de Seus Apóstolos, Judas Iscariotes: "O Filho do Homem vai, como d'Ele está escrito. Mas ai daquele homem por Quem o Filho do Homem é traído! Melhor seria para esse homem que jamais tivesse nascido!" Mt 26,24
    E como registrou São Mateus, complementado por São Lucas, realmente foi muito triste: "Ele então jogou no Templo as moedas de prata, saiu e foi enforcar-se. Depois, tombando para a frente, arrebentou-se pelo meio e todas suas entranhas derramaram-se." Mt 27,5; At 1,18b
    Considerados, então, os luminosos privilégios que tiveram os anjos que vieram a cair, Judas Iscariotes e a cidade de Cafarnaum, suas condenações já não parecem nenhum exagero. E segundo Jesus, não terão outro destino os que relutantemente menosprezam a Salvação: "Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos, e arrojá-los-ão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes." Mt 13,49-50
    Anátema, aliás, que será pronunciado por Ele mesmo: "Em seguida, voltá-Se-á para os de Sua esquerda e di-lhes-á: 'Retirai-vos de Mim, malditos! Ide para o eterno fogo, destinado ao demônio e seus anjos.'" Mt 25,41
    O Profeta Malaquias já advertia: "E de novo vereis que há uma diferença entre justo e ímpio, entre quem serve a Deus e quem não o serve. Porque eis que vem o Dia, ardente como uma fornalha, e todos soberbos, todos que cometem o mal serão como a palha. Este Dia, que vai vir, queimá-los-á, diz o Senhor dos Exércitos, e nada ficará: nem raiz, nem ramos." Ml 3,19-20
    O salmista também previu essa completa e definitiva extinção dos maus: "O Senhor volta Sua irritada face contra os que fazem o mal, para apagar da terra a lembrança deles." Sl 33,17
    O atual inferno, porém, onde se encontram as almas já condenadas, que no versículo seguinte é chamado de morada subterrânea, na verdade ainda não é o definitivo. Este será o lago ou tanque de fogo, como apontou São João Evangelista no Livro do Apocalipse: "O Demônio, sedutor das nações, foi lançado num lago de fogo e de enxofre, onde já estavam a Fera e o falso profeta, e onde dia e noite serão atormentados pelos séculos dos séculos. A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo." Ap 20,10.14
    O atual inferno, abaixo chamado de prisão, também foi previsto pelo Profeta Isaías, pois a Palavra de Jesus, como visto, já é o Juízo: "Nesse Dia, Javé julgará no Céu o Exército do Céu, e na terra, os reis da terra. Todos serão reunidos e presos na cadeia, ficarão fechados na prisão, e só depois de muito tempo é que serão sentenciados." Is 24,21-22
    Tal condenação havia sido dada, momentos antes nas visões do Apocalipse, aos maiores servos do Demônio na terra: "Mas a Fera foi presa, e com ela o falso profeta, que realizara prodígios sob seu controle, com os quais seduzira aqueles que tinham recebido o sinal da Fera e tinham-se prostrado diante de sua imagem. Ambos foram lançados vivos no lago do sulfuroso fogo." Ap 19,20
    Com efeito, todos ressuscitarão, ou seja, terão seus corpos carnais plenamente restituídos. E é nessa condição que os condenados irão para o definitivo inferno, como Jesus ensinou: "Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos que se acham nos sepulcros sairão deles ao som de Sua voz: os que praticaram o bem, irão para a Ressurreição da Vida, e aqueles, que praticaram o mal, ressuscitarão para serem condenados." Jo 5,28-29
    Esse ensinamento já estava na pregação do Profeta Daniel: "Muitos daqueles que dormem no pó da terra despertarão: uns para uma Vida Eterna, outros para a ignomínia, a eterna infâmia. Aqueles que tiverem sido inteligentes, fulgirão como o brilho do firmamento, e aqueles que a muitos tiverem introduzido nos caminhos da justiça, luzirão como as estrelas, com um perpétuo resplendor." Dn 12,2-3
    E o livro da Sabedoria sentencia aos maus: "Depois disso serão cadáveres sem honra, desterrados entre os mortos, numa eterna ignomínia, porque Ele (Deus) os ferirá e sem voz precipitá-los-á, em suas bases abatê-los-á e na última desolação mergulhá-los-á. Eles serão entregues à dor, e a memória deles desaparecerá. Aterrorizados comparecerão com a lembrança de seus pecados, e suas iniquidades levantar-se-ão contra eles para confundi-los." Sb 4,19-20
    O definitivo inferno, portanto, é o que São João Evangelista chama de segunda morte: "Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos mentirosos terão como quinhão o ardente tanque de fogo e enxofre, a segunda morte." Ap 21,8
    Ele assim o descreveu: "... um mar de vidro, irisado com fogo... " Ap 15,2
    Para lá também irá todo mundo físico, isto é, todo universo como hoje o conhecemos. É o que disse Jesus, ao afirmar que Sua Palavra não passará, e a seguir repete São Pedro, pois Deus fará novas todas coisas: "Mas os céus e a terra que agora existem são guardados pela mesma Divina Palavra, e reservados para o fogo no Dia do Juízo e da perdição dos ímpios." 2 Pd 3,7
    Entretanto, as almas daqueles que nem sobem de imediato aos Céus, pois não alcançaram a santidade, nem são condenados ao atual inferno, pois não pecaram em gravidade para tanto, isto é, a grande maioria das almas, passam por uma purificação antes de aproximarem-se de Deus. Tal 'lugar', ou melhor, estado de purificação é chamado de Purgatório: "Os outros mortos não tornaram à Vida, até que se completassem os mil anos." Ap 20,5a
    Pois diferente do Juízo Final, pelo qual todas almas devem aguardar, o Juízo Particular é imediato: "Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o Juízo..." Hb 9,27
    Os Santos, porém, têm suas almas prontamente levadas ao Céu, como São João Evangelista anotou: "Quando abriu o quinto selo, debaixo do altar vi as almas dos homens imolados por causa da Palavra de Deus e do testemunho de que eram depositários. E clamavam em alta voz, dizendo: 'Até quando Tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar nosso sangue contra os habitantes da terra?' Então a cada um deles foi dada uma branca veste, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que com eles estavam para ser mortos." Ap 6,9-11
    Eles já estão reinando junto a Cristo: "Feliz e Santo é aquele que toma parte na Primeira Ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão Sacerdotes de Deus e de Cristo: com Ele reinarão durante os mil anos." Ap 20,4a.6
    Assim, como quase sempre não se sabe a hora de prestar contas, é essencial que estejamos sempre unidos a Jesus, em íntima Comunhão com Ele. Pois sem Ele não se produz fruto algum, e, qual ramo seco, o destino é ser queimado: "Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: tampouco podeis dar fruto se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanecer em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto. Porque sem Mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em Mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á." Jo 15,4-6

    "Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!"