segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Deus confunde


    Pode parecer contraproducente, ou demasiado simplório, mas Deus confunde o 'mundo'. É uma de Suas estratégias de correção, ou mesmo de castigo. De fato, em paralelo às mais animalescas concupiscências, a racionalidade tem tornado o ser humano soberbamente presunçoso. O primeiro pecado, aliás, foi exatamente esse. A serpente enganou Eva prometendo, no fruto que Deus havia proibido, a sabedoria dos 'deuses': "... no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão, e sereis como deuses, conhecedores do bem e do mal." Gn 3,5
    Falando muitas vezes por parábolas, em várias situações Jesus preferia não ser entendido de imediato, nem por todos: "Quando se acharam a sós, os que o cercavam e os Doze indagaram dele o sentido da parábola. Ele disse-lhes: 'A vós é revelado o mistério do Reino de Deus, mas aos que são de fora tudo se lhes propõe em parábolas.'" Mc 4,10-11
    Isso veio a ser questionado pelos Apóstolos, e Ele invocou as Escrituras para explicar que o processo de conversão exige uma preparação. Não é reconhecendo o pecado que nos voltamos para Deus? "Os discípulos aproximaram-se d'Ele, então, para dizer-Lhe: 'Por que lhes falas em parábolas?' Respondeu Jesus: 'Porque a vós é dado compreender os mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não. Ao que tem, mais se dará e terá em abundância, mas ao que não tem será tirado até mesmo o que tem. Eis por que lhes falo em parábolas: para que, vendo, não vejam e, ouvindo, não ouçam nem compreendam. Assim se cumpre para eles o que foi dito pelo profeta Isaías: 'Ouvireis com vossos ouvidos e não entendereis, olhareis com vossos olhos e não vereis, porque o coração deste povo se endureceu: taparam os seus ouvidos e fecharam os seus olhos, para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, nem seu coração compreenda; para que não se convertam e Eu os sare (Is 6,9s).'" Mt 13,10-15
    Segundo Jesus, essa é a função do Espírito Santo: "E, quando Ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do Juízo. Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim. Ele o convencerá a respeito da justiça, porque Eu Me vou para junto do Meu Pai e vós já não Me vereis; Ele o convencerá a respeito do Juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado." Jo 16,8-11
    Ora, o próprio São Pedro teria que ser chamado a seguir Jesus mais uma vez, após Sua Ressurreição: "Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como o trigo; mas Eu roguei por ti, para que a tua confiança não desfaleça; Quando, porém, te converteres, confirma os teus irmãos." Lc 22,31-32
    Por isso, ao usar das parábolas, Jesus estimulava a uma reflexão mais profunda: "E dizia: 'Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!'" Mc 4,9
    Contudo, também as usou exatamente para fazer-Se melhor compreendido: "Era por meio de numerosas parábolas desse gênero que Ele lhes anunciava a Palavra, conforme eram capazes de compreender." Mc 4,33
    Antes de Sua Paixão, porém, e perante aqueles que perseveraram a Seu lado, Ele passou a usar de mais clareza: "Disse-vos essas coisas em termos figurados e obscuros. Vem a hora em que já não vos falarei por meio de comparações e parábolas, mas vos falarei abertamente a respeito do Pai." Jo 16,25
    De fato, muitos não viviam a verdadeira fé; fossem pessoas que apenas se maravilhavam com Seus prodígios, as quais Ele alertou para o poder do Pão da Vida Eterna: "Respondeu-lhes Jesus: 'Em verdade, em verdade vos digo: buscais-Me, não porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que dura até a Vida Eterna, que o Filho do Homem vos dará. Pois nele Deus Pai imprimiu o Seu sinal.'" Jo 6,26-27
    Fossem pessoas que se atinham a Ele sem saber exatamente porquê: "Ao amanhecer, Ele saiu e retirou-Se para um lugar afastado. As multidões procuravam-nO e foram até onde Ele estava e queriam detê-Lo, para que não as deixasse. Mas Ele disse-lhes: 'É necessário que Eu anuncie a Boa Nova do Reino de Deus também às outras cidades, pois essa é a Minha Missão.'" Lc 4,42-43
    Fossem pessoas que queriam conhecê-Lo e alcançar a Graça de uma cura: "Entretanto, espalhava-se mais e mais a Sua fama e concorriam grandes multidões para ouvi-Lo e ser curadas das suas enfermidades. Mas Ele costumava retirar-Se a lugares solitários para orar." Lc 5,15-16
    Ou ainda pessoas só interessadas em ver um 'sinal': "Vieram os fariseus, puseram-se a disputar com Ele e pediram-Lhe um sinal do Céu, para pô-Lo à prova." Mc 8,11
    Realmente confusos, muitos religiosos de Seu tempo viam-se provocados: "Os judeus rodearam-nO e perguntaram-Lhe: 'Até quando nos deixarás na incerteza? Se Tu és o Cristo, dize-nos claramente.'" Jo 10,24
    Mas o próprio Jesus já havia levantado esse problema: "Por que não compreendeis a Minha linguagem?" Jo 8,43a
    E Ele mesmo respondeu, colocando Sua vida em julgamento: "Quem de vós Me acusará de pecado? E se vos falo a Verdade, por que Me não credes? Quem é de Deus ouve as palavras de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus." Jo 8,47
    Entretanto, até seguidores mais próximos tiveram que d'Ele ouvir mais explicações após Sua Ressurreição: "Disse-lhes Jesus: ''Ó gente sem inteligência! Como sois tardos de coração para crerdes em tudo o que anunciaram os profetas! Porventura não era necessário que Cristo sofresse essas coisas e assim entrasse na Sua Glória?'" Lc 24,25-26
    Os seguidores de São Paulo também reclamariam destes eternos vacilantes: "A julgar pelo tempo, já devíeis ser mestres! Contudo, ainda necessitais que vos ensinem os primeiros rudimentos da Palavra de Deus; e vos tornastes tais, que precisais de leite em vez de alimento sólido! Ora, quem se alimenta de leite não é capaz de compreender uma profunda doutrina, porque é ainda criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que a experiência já exercitou na distinção do bem e do mal." Hb 5,12-14
    Gente de bom coração, entretanto, mostrava-se realmente burilada quando Jesus pregava no dias de festa em Jerusalém: "Muitos do povo, porém, creram n'Ele e perguntavam: 'Quando vier o Cristo, fará mais milagres do que Este faz?'" Jo 7,31
    Mas desde o início Ele sempre guardou prudente distância do testemunho humano: "Enquanto Jesus celebrava em Jerusalém a festa da Páscoa, muitos creram no Seu Nome, à vista dos milagres que fazia. Mas Jesus mesmo não Se fiava neles, porque os conhecia a todos. Ele não necessitava que alguém desse testemunho de nenhum homem, pois Ele bem sabia o que havia no homem." Jo 2,23-25
    E seria mesmo rejeitado pelos principais dos judeus, como profetizou o salmista: "A pedra rejeitada pelos arquitetos tornou-se a pedra angular. Isto foi obra do Senhor, é um prodígio aos nossos olhos." Sl 117,22-23
    Ou como previu o profeta Isaías, em menção feita por São Paulo: "E Israel tropeçou na pedra do escândalo, como está escrito: 'Eis que ponho em Sião uma pedra de escândalo, um rochedo que faz cair; quem n'Ele crer não será confundido' (Is 8,14;28,16)." Rm 9,32b-33
    De fato, durante Sua Apresentação no Templo de Jerusalém Jesus foi apontado pelo religioso Simeão como um sinal de contradição, um divisor de águas: "Simeão abençoou-os e disse a Maria, Sua mãe: 'Eis que este Menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações." Lc 2,34-35a
    Aliás, Ele mesmo alegrou-Se com a Divina Providência, quando atestou que o Pai não revela indiscriminadamente Seu poder: "Pai, Senhor do Céu e da terra, Eu Te dou graças porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos." Lc 10,21b
    E Ele mesmo vai dizer de Sua Missão: "Jesus então disse: 'Vim a este mundo para fazer uma discriminação: os que não vêem vejam, e os que vêem se tornem cegos.'" Jo 9,39
    Nossa Senhora também observou que Deus, além conceder o êxtase espiritual aos pobres, não deixa que os 'sábios' cheguem a consenso entre si, levando-os a viver em constantes desentendimentos: "A minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito se alegra em Deus, Meu Salvador... Ele... dispersa os soberbos de coração... e eleva os humildes..." Lc 1,47.51-52
    E São Paulo anotou: "Mas Deus escolheu o que é loucura no mundo, para confundir os sábios; e escolheu o que é fraqueza no mundo, para confundir o que é forte." 1 Cor 1,27
    Ora, era exatamente isso o que acontecia com aqueles que resistiam ao Mistério do Cristo, que ele começou a anunciar logo depois de sua conversão: "Saulo, porém, sentia crescer o seu poder e confundia os judeus de Damasco, demonstrando que Jesus é o Cristo." At 9,22
    Ele vai citar Isaías aos coríntios: "Pois está escrito: 'Anularei a sabedoria dos sábios e confundirei os inteligentes (Is 29,14).' Onde está o sábio? Onde o erudito? Onde o argumentador deste mundo? Acaso não declarou Deus por loucura a sabedoria deste mundo?" 1 Cor 1,19-20
    E foi nesse estado que ficou Herodes ao saber dos milagres de Jesus: "O rei Herodes ouviu falar de Jesus, Cujo Nome Se tornara célebre. Dizia-se: 'João Batista ressurgiu dos mortos e por isso o poder de fazer milagres opera nele.' Uns afirmavam: 'É Elias!' Diziam outros: 'É um profeta como qualquer outro.' Ouvindo isto, Herodes repetia: 'Ele é João Batista. Eu mandei cortar a cabeça dele, mas ele ressuscitou!'" Mc 6,14a-16
    Sem dúvida, a Santíssima Trindade já usava desse artifício desde o conhecido episódio da Torre de Babel: "Vamos descer e confundir a língua deles, para que um não entenda a língua do outro." Gn 11,7
    Nos Salmos de Davi, que devem ser entendidos como o próprio Jesus rezando ao Pai, vemos um constante pedido para que Deus atordoe os sentidos Seus inimigos: "Que todos os Meus inimigos sejam envergonhados e aterrados; recuem imediatamente, cobertos de confusão!" Sl 6,11
    De novo: "Que voltem para trás e sejam confundidos os que planejam o mal contra Mim!" Sl 35,4
    Ou ainda mais claramente nessa passagem: "Fiquem confusos e cobertos de ignomínia os que se alegram com Meus males, sejam envoltos em confusão e opróbrio os que se erguem contra Mim com soberba." Sl 35,26
    E essa profecia aconteceu quando Jesus entrou em Jerusalém, no Domingo de Ramos: "Da boca das crianças e dos pequeninos sai um louvor que confunde Vossos adversários, e reduz ao silêncio Vossos inimigos." Sl 8,3
    Com efeito, os judeus reagiram assim: "Os cegos e os coxos vieram a Ele no Templo e Ele os curou, com grande indignação dos príncipes dos sacerdotes e dos escribas que assistiam a Seus milagres e ouviam os meninos gritar no templo: 'Hosana ao filho de Davi!' Disseram-Lhe eles: 'Ouves o que dizem eles?' 'Perfeitamente', respondeu-lhes Jesus. 'Nunca lestes estas palavras: Da boca dos meninos e das crianças de peito tirastes o Vosso louvor (Sl 8,3)?'" Mt 21,14-16
    E foi com base nessas palavras, fazendo menção à Sua Santíssima Mãe, que se deu a Ressurreição de Cristo: "Olhai-Me e tende piedade de Mim, dai ao Vosso Servo a Vossa força, salvai o Filho de Vossa Serva. Dai-Me uma prova de Vosso favor, a fim de que verifiquem Meus inimigos, para sua confusão, que sois Vós, Senhor, Meu sustento e Meu consolo." Sl 85,16-17
    Por sua vez, em seus Salmos Asaf pedia a Deus que não o deixasse no vazio da desilusão: "Sustentai-me pela Vossa promessa, para que eu viva; não queirais confundir minha esperança." Sl 118,11
    Aspirando ao caminho da Verdade, este salmista agarrava-se aos Mandamentos: "Afastai-me do caminho da mentira, e fazei-me fiel à Vossa Lei. Escolhi o caminho da Verdade, impus-me os Vossos decretos. Apego-me a Vossas ordens, Senhor. Não permitais que eu seja confundido." Sl 118,29-31
    E pedia a Deus a purificação de seu coração: "Seja perfeito meu coração na observância de Vossas leis, a fim de que eu não seja confundido." Sl 118,80
    O povo judeu, enfim, já sabia muito bem de onde vinha seu socorro e o que acontecia com seus inimigos: ".... mas fostes Vós que nos livrastes de nossos inimigos e confundistes os que nos odiavam." Sl 43,8
    Tal certeza foi enfatizada ao contrapor carentes e insensatos: "O Senhor protege os peregrinos, ampara o órfão e a viúva; mas entrava os desígnios dos pecadores." Sl 145,9
    E assim eles pediam a Salvação da alma: "Defendei minha alma e livrai-me; não seja confundido eu que em Vós me acolhi." Sl 24,20
    Acertadamente, refugiavam-se em Deus, para livrarem-se da eterna condenação: "Junto de Vós, Senhor, me refugio. Não seja eu confundido para sempre; por Vossa justiça, livrai-me!" Sl 30,2
    Não por acaso, o livro da Sabedoria prediz como se dará o Julgamento dos iníquos: "Comparecerão aterrorizados com a lembrança de seus pecados, e suas iniquidades se levantarão contra eles para os confundir." Sb 4,20
    E diz o que acontece com os que afrontam o poder de Deus: "Mostrais Vossa força aos que não creem no Vosso poder, e confundis os que a não conhecem e ousam afrontá-la." Sb 12,17


JESUS: LUZ NUM MUNDO DE AFLIÇÕES

    Diante de Jesus, pois, os espíritos imundos temiam ser entregues aos transtornos sem fim, ou seja, ao lago de fogo: "Que tens Tu conosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos confundir?" Mc 1,24
    Noutra passagem, um anjo de Satanás reclama da Luz, da realidade revelada por Jesus: "Que queres de mim, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Conjuro-Te por Deus, que não me atormentes." Mc 5,7
    Citando mais uma vez Isaías, São Paulo explica assim a insensibilidade de Israel em não perceber o Cristo: "Deus deu-lhes um espírito de torpor, olhos que não vejam e ouvidos que não ouçam, até ao dia de hoje." Rm 11,8
    Isso já havia acontecido com o rei Saul, por recusar-se a cumprir as ordens de Deus. Foi logo após a unção de Davi: "O Espírito do Senhor retirou-Se de Saul, e um espírito mau veio sobre ele, enviado pelo Senhor." 1 Sm 16,14
    Igualmente com o rei Acab, que morreria na batalha de Ramot por seguir enganosos conselhos, apesar dos avisos do profeta Miqueias: "O Senhor pôs um espírito de mentira na boca de todos os profetas aqui presentes, mas é a tua perda que o Senhor decretou." 1 Rs 22,23
    Jó, aliás, vai reclamar dos sobrenaturais procedimentos do próprio Deus: "Orgulhoso como um leão, Tu me caças, multiplicas proezas contra mim, redobras contra mim Teus assaltos, Teu furor cresce contra mim e vigorosas tropas vêm-me cercar. Por que me tiraste do ventre?" Jó 10,16-18a
    O Apóstolo de Tarso, ademais, fala da ação do 'deus desse mundo' para afastar as pessoas do Evangelho: "Se o nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a Luz do Evangelho, onde resplandece a Glória de Cristo, que é a imagem de Deus." 2 Cor 4,3-4
    Na Segunda Carta aos Tessalonicenses, diz como ele age: "Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à Verdade que os teria podido salvar." 2 Ts 2,10
    Afirma que esse pernicioso poder vem do próprio Pai: "... Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro." 2 Ts 2,11
    E cita especificamente o mistério do Mal, que no mundo atua sob a permissão de Deus: "Porque o mistério da iniquidade já está em ação, apenas esperando o desaparecimento daquele que o detém." 2 Ts 2,7
    Fala inclusive em milagres realizados por falsos profetas: "A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores." 2 Ts 2,9
    Tudo isso havia sido previsto pelo próprio Jesus: "Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos." Mt 24,24
    De fato, Ele cita a presença de figuras assim no Dia do Julgamento: "Muitos Me dirão naquele Dia: 'Senhor, Senhor, não pregamos nós em Vosso Nome, e não foi em Vosso Nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?' E, no entanto, Eu lhes direi: 'Nunca vos conheci. Retirai-vos de Mim, operários maus!'" Mt 7,22-23
    Por isso São Pedro, entre vários outros autores sagrados, pertinentemente descreve o inferno como lugar de tormentos: "Essa gente são fontes sem água, nuvens impelidas pelo furacão. Espera-os a escuridão das trevas." 2 Pd 2,17
    São Judas Tadeu dá idêntico parecer ao mencionar o livro de Henoc, um apócrifo, ou seja, livro não plenamente inspirado, no qual a condenação do Juízo Final é descrita assim: "Eis que veio o Senhor entre milhares de Seus Santos para julgar a todos e confundir os ímpios por causa das obras que praticaram..." Jd 14b-15a
    E assim o Príncipe dos Apóstolos estimula a permanecermos na Paz de Cristo, mesmo diante daqueles que levantam falso testemunho, explicando o porquê desse comportamento: para confundi-los: "Tende uma consciência reta a fim de que, mesmo naquilo em que dizem mal de vós, sejam confundidos os que desacreditam o vosso santo procedimento em Cristo." 1 Pd 3,16
    Com efeito, como replicou São Paulo na Carta aos Romanos, os Provérbios já ensinavam assim: "Tem o teu inimigo fome? Dá-lhe de comer. Tem sede? Dá-lhe de beber: assim amontoarás brasas ardentes sobre sua cabeça e o Senhor te recompensará." Pr 25,21-22
    Ora, o próprio Jesus havia ensinado: "Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.' Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos maltratam e' perseguem." Mt 5,43-44
    Por isso também São João Evangelista pede que não nos afastemos d'Ele, para evitarmos o pior na 'hora da nossa morte', como diz a Ave Maria, ou, se vivo estivermos, no Último Dia: "E agora, filhinhos, permanecei n'Ele, para que, quando aparecer, tenhamos confiança e não sejamos confundidos por Ele, na Sua Vinda." 1 Jo 2, 28
    Porque os que estão em Comunhão com Jesus não serão atormentados, mas têm Sua Luz que conduz à eternidade: "Falou-lhes outra vez Jesus: 'Eu sou a Luz do mundo; aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a Luz da Vida.'" Jo 8,12
    São estes que recebem o Espírito Santo, como Jesus prometeu, e por Ele são guiados à Verdade: "E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece, mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,16-17
    Por isso São Paulo garante: "Aquele que nos formou para este destino é Deus mesmo, que nos deu por penhor o Seu Espírito. Andamos na fé e não na visão." 2 Cor 5,5.7
    E como preciosíssimo e divino bem, a Igreja de Jesus traz na alma Sua Paz: "Deixo-vos a Paz, dou-vos a Minha Paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!" Jo 14,27
    Isaías foi mensageiro também dessa profecia a respeito de Jesus: "Por isso o Senhor Deus lhes diz: 'Eu porei em Sião uma pedra, um bloco escolhido, uma pedra angular e preciosa, uma pedra de alicerce e bem firmada: quem nela confiar não será abalado.'" Is 28,16
    Quantos aos anos que antecederam à Vinda do Cristo, a traição e malícia do povo de Israel não ficaria impune. Ao contrário, foi efetivamente corrigida: "Pasmai-vos e maravilhai-vos, obstinai-vos, feridos de cegueira, embriagai-vos, mas não de vinho, cambaleai, mas não por causa da bebida. Porque o Senhor espalhou sobre vós um espírito de torpor, fechou vossos olhos e cobriu vossas cabeças. O Senhor disse: 'Esse povo vem a Mim apenas com palavras e Me honra só com os lábios, enquanto seu coração está longe de Mim e o temor que ele Me testemunha é convencional e rotineiro, por isso continuarei a tratar esse povo de modo tão estranho que a sabedoria dos espertalhões se perderá e a inteligência dos astutos desaparecerá.'" Is 29,9-10.13-14
    A passagem de Jesus entre nós, contudo, seria a marca de um novo tempo: "Por isso eis o que disse o Senhor, o Deus da casa de Jacó, que resgatou Abraão: 'Daqui em diante Jacó não será mais confundido, e seu rosto não mais empalidecerá, porque, quando virem n'Ele Minha obra, bendirão o Meu Nome. Glorificarão o Santo de Jacó e temerão o Deus de Israel. Os espíritos desencaminhados aprenderão Sabedoria, e os que murmuravam receberão instrução." Is 29,22-24
    Não obstante, lembrando a definitiva volta de Cristo, oportunamente São Pedro menciona as características tribulações da vida de um cristão: "É isto o que constitui a vossa alegria, apesar das aflições passageiras a vos serem causadas ainda por diversas provações, para que a prova a que é submetida a vossa fé (mais preciosa que o ouro perecível, o qual, entretanto, não deixamos de provar ao fogo) redunde para vosso louvor, para vossa honra e para vossa glória, quando Jesus Cristo Se manifestar." 1 Pd 1,6-7
    Sem dúvida, foram palavras de Jesus: "Referi-vos essas coisas para que tenhais a Paz em Mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo." Jo 16,33
    Disse mais: "Em seguida, convocando a multidão juntamente com os Seus discípulos, disse-lhes: 'Se alguém Me quer seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua Cruz e siga-Me.'" Mc 8,34
    Assim o Príncipe dos Apóstolos pede o moderado mas firme testemunho de nossa fé: "E até sereis felizes, se padecerdes alguma coisa por causa da justiça! Portanto, não temais as ameaças nem fiqueis conturbados. Antes santificai em vossos corações Cristo, o Senhor. Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito." 1 Pd 3,14-15
    Não é errado, portanto, dizer que o mundo está dividido entre os que creem e os que estão confusos...

    "O Vosso Filho permaneça entre nós!"