quinta-feira, 30 de maio de 2019

A Ascensão do Senhor


    São Lucas assim registrou:

    "Em minha primeira narração, ó Teófilo, contei toda sequência de ações e ensinamentos de Jesus, desde o princípio até o dia em que, depois de ter dado pelo Espírito Santo Suas instruções aos Apóstolos que escolhera, foi arrebatado ao Céu.
    E a eles manifestou-Se vivo depois de Sua Paixão, com muitas provas, aparecendo-Lhes durante quarenta dias e falando das coisas do Reino de Deus.
    E comendo com eles, ordenou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem o cumprimento da promessa de Seu Pai, 'que ouvistes', disse Ele, 'da Minha boca. Porque João batizou na água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo daqui a poucos dias.'
    Assim reunidos, eles interrogaram-nO:
    - Senhor, é porventura agora que ides instaurar o Reino de Israel?
    Respondeu-lhes Ele:
    - Não vos pertence saber os tempos nem os momentos que o Pai fixou por Seu poder, mas descerá sobre vós o Espírito Santo e dar-vos-á força. E sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda Judeia e Samaria e até os confins do mundo.
    Dizendo isso, elevou-Se da terra à vista deles e uma nuvem ocultou-O aos seus olhos... 
    Enquanto O acompanhavam com seus olhares, vendo-O afastar-Se para o Céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: 'Homens da Galileia, por que ficais aí a olhar para o céu? Esse Jesus que acaba de ser arrebatado para o Céu voltará do mesmo modo que O vistes subir.'" At 1,1-11

    São Lucas também anotou, agora em seu Evangelho, três interessantes detalhes sobre esta cena. Primeiro, que Jesus subiu abençoando os Apóstolos; segundo, que eles O adoraram, atitude que só se deve prestar a Deus; e terceiro, a alegria que deles tomou conta: "Enquanto os abençoava, separou-Se deles e foi arrebatado ao Céu. Depois de terem-nO adorado, voltaram para Jerusalém com grande júbilo." Lc 24,51-52
    Era a mesma alegria da primeira Aparição de Jesus ao Colégio dos Apóstolos, quando comeu com eles: "Mas, ainda vacilando eles e estando transportados de alegria, Ele perguntou: 'Tendes aqui alguma coisa para comer?' Então Lhe ofereceram um pedaço de peixe assado. Ele tomou e comeu à vista deles." Lc 24,41-43
    Jesus havia predito essa indizível, tocante, incontida, mas serena felicidade. Foi logo após anunciar que haveria de ser crucificado, quando prometeu ressuscitar: "... sem dúvida, agora estais tristes, mas hei de ver-vos outra vez, e vosso coração alegrar-se-á e ninguém vos tirará vossa alegria." Jo 11,22
    Já segundo São Mateus, momentos antes da Ascensão Ele assegurou-lhes de Sua plena autoridade também nos Céus, pediu-lhes que ministrassem os Sacramentos, que o Evangelho fosse ensinado em sua absoluta integridade, sem que nenhuma palavra fosse sonegada, e garantiu-lhes que estaria com a Igreja até o fim dos tempos: "Mas Jesus, aproximando-Se, disse-lhes: 'Toda autoridade foi-Me dada no Céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas nações. Batizai-as em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que convosco estou todos dias, até o fim do mundo.'" Mt 28,18-20
    Outro registro de suma importância deixado por São Lucas é o amor e o compromisso que os Apóstolos tinham com Casa de Deus, o Templo de Jerusalém, porque a Igreja ainda não tinha sido instituída pelo Espírito Santo, o que só aconteceria no Pentecostes. É um perfeito exemplo de veneração aos sagrados lugares: "E permaneciam no Templo, louvando e bendizendo a Deus." Lc 24,53
    Por fim, indicou o exato lugar onde se deu a Ascensão: "Depois, levou-os para Betânia e, levantando as mãos, abençoou-os." Lc 24,50
    Sabemos, ademais, que Jesus não havia predito apenas Sua Ressurreição, mas também Sua Ascensão aos Céus. Ele disse aos Apóstolos: "Filhinhos Meus, por um pouco apenas ainda estou convosco. Vós haveis de procurar-Me, mas como disse aos judeus, também vos digo agora: para onde Eu vou, vós não podeis ir." Jo 13,33
    De fato, Ele abertamente pregou no Templo de Jerusalém durante a Festa das Tendas: "Ainda por um pouco de tempo estou convosco, e então vou para Aquele que Me enviou. Buscar-Me-eis sem Me achar, nem podereis ir para onde estou." Jo 7,33b-32
    E como São Pedro insistia, Ele prometeu-lhe: "Para onde vou, não podes seguir-Me agora. Mas seguir-Me-ás mais tarde." Jo 13,36
    Ele já tinha avisado todos Seus seguidores quando prometeu Sua Carne como o alimento da Vida Eterna: "Sabendo que Seus discípulos estavam murmurando por causa disso mesmo, Jesus perguntou: "Isto vos escandaliza? E quando virdes o Filho do Homem subindo para onde estava antes?" Jo 6,61-62
    E voltou ao assunto quando falou da Vinda do Espírito Santo, como prova da Verdade sobre Sua Divindade: "E quando Ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do Juízo. Ele convencê-lo-á a respeito da justiça, porque Eu Me vou para junto de Meu Pai e vós já não Me vereis." Jo 16,8.10
    Ele sintetizou: "Saí do Pai e vim ao mundo. Agora deixo o mundo e volto para junto do Pai." Jo 16,28
    E foi exatamente esse recado que mandou aos Apóstolos por Santa Maria Madalena, avisando-lhes de Sua próxima etapa logo após a Ressurreição, embora ainda não fosse Sua Definitiva Ascensão: "Não Me retenhas, porque ainda não subi a Meu Pai. Mas vai a Meus irmãos e dize-lhes: 'Subo para Meu Pai e Vosso Pai, Meu Deus e Vosso Deus." Jo 20,17


    Sua chegada ao Céus, no entanto, como foi revelado a São João Evangelista, não foi nada tranquila. Ao contrário, pela instauração do Reino de Deus aqui na terra, ainda que de modo não ostensivo, lá se travou uma grande batalha: "Ela deu à luz um Filho, um Menino, Aquele que deve reger todas nações pagãs com cetro de ferro. Mas Seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do Seu trono. Houve uma batalha no Céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram. E já não houve lugar para eles no Céu. Então foi precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele seus anjos. Eu ouvi no Céu uma forte voz que dizia: 'Agora chegou a Salvação, o poder e a realeza de Nosso Deus, assim como a autoridade de Seu Cristo, porque foi precipitado o acusador de nossos irmãos, que dia e noite os acusava diante do Nosso Deus.' Por isso, alegrai-vos, ó Céus, e todos que aí habitais. Mas, ó terra e mar, cuidado! Porque o Demônio desceu para vós, cheio de grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta." Ap 12,5.7-10.12

A ETERNA MORADA

    A Ascensão de Jesus é celebrada numa quinta-feira, 44 dias depois do Domingo de Páscoa. Mas, pela importância do dia, é comum que se celebre no primeiro e seguinte Domingo, conforme uma antiga tradição.
    Esta Verdade de  nós professamos no Credo: "... subiu aos Céus, está sentado à direita de Deus Pai, Todo-poderoso..."
    Na narração de São Lucas da manhã em que foi julgado pelo Sinédrio, Nosso Senhor avisou que a partir de então todo falecido O veria por ocasião do Juízo Particular: "Perguntaram-Lhe: 'Dize-nos se és o Cristo!' Respondeu-lhes Ele: 'Se Eu vo-lo disser, não Me acreditareis, e se vos fizer qualquer pergunta, não Me respondereis. Mas, doravante, o Filho do Homem estará sentado à direita do poder de Deus.'" Lc 22,67-69
    Disse o mesmo segundo São Mateus, mas acrescentou Sua Definitiva Volta no Juízo Final: "Jesus respondeu: 'Sim. Além disso, Eu declaro-vos que doravante vereis o Filho do Homem sentado à direita do Todo-poderoso, e voltar sobre as nuvens do Céu.'" Mt 26,64
    Foi o que aconteceu com Santo Estevão, embora um pouco antes de seu martírio, e Jesus apresentou-Se de pé: "Mas, cheio do Espírito Santo, Estêvão fitou o céu e viu a Glória de Deus, e Jesus de pé à direita de Deus: 'Eis que vejo', disse ele, 'os Céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus.'" At 7,55-56
    E das celestiais visões que teve, São João Evangelista sentenciou sobre o Último Dia: "Ei-Lo que vem com as nuvens. Todos olhos vê-Lo-ão, mesmo aqueles que O traspassaram. Por Sua causa, hão de lamentar-se todas raças da terra. Sim. Amém." Ap 1,7
    O registro que São Marcos da Ascensão foi sucinto: "Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao Céu e está sentado à direita de Deus." Mc 16,19
    Este evangelista acrescentou, porém, a prontidão e a inspiração que invadiram os Apóstolos, movidos por tão belas visões e pelo poder de Deus: "Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles, e confirmava Sua Palavra com os milagres que a acompanhavam." Mc 16,20
    E São Paulo garante essa indizível Graça aos coríntios: "Assim, enquanto aguardais a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum. Ele há de confirmar-vos até o fim, para que sejais irrepreensíveis no Dia de Nosso Senhor Jesus Cristo." 1 Cor 1,7-8
    Ele cita um Salmo para descrever os dons espirituais: "Mas a cada um de nós foi dada a Graça, segundo a medida do dom de Cristo, pelo que diz: 'Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).' Ora, que quer dizer Ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra? Aquele que desceu também é Aquele que subiu acima de todos Céus, para encher todas coisas." Ef 4,7-10
    E Jesus explicou: "Pois desci do Céu não para fazer Minha vontade, mas a vontade d'Aquele que Me enviou. Ora, esta é a vontade d'Aquele que Me enviou: que Eu não deixe perecer nenhum daqueles que Me deu, mas que os ressuscite no Último Dia." Jo 6,38-39
    São Paulo, pois, ensina que a Igreja é Seu Corpo, o receptáculo de Seu poder: "E a Seus pés Deus sujeitou todas coisas, e constituiu-O Supremo Chefe da Igreja, que é Seu Corpo, o receptáculo d'Aquele que enche todas coisas, sob todos aspectos." Ef 1,22-23
    Para sanar qualquer dúvida sobre a Divindade de Jesus, ele tratou de afirmar Seu poder sobre toda hierarquia dos anjos: "Deus manifestou Seu poder na Pessoa de Cristo, ressuscitando-O dos mortos e fazendo-O sentar à Sua direita no Céu, acima de todo principado, potestade, virtude, dominação e de todo nome que possa haver tanto neste mundo como no futuro." Ef 1,20-21
    São Pedro também diz com todas letras: "Esse Jesus Cristo, tendo subido ao Céu, está assentado à direita de Deus, depois de ter recebido a submissão dos anjos, dos principados e das potestades." 1 Pd 3,22
    Frequente questão naqueles anos, os seguidores da tradição de São Paulo afirmariam o mesmo: "Esplendor da Glória de Deus e imagem do Seu Ser, Ele sustenta o universo com o poder de Sua Palavra. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, está sentado à direita da Majestade no mais alto dos Céus, tão superior aos anjos quanto excede o deles o Nome que Ele herdou." Hb 1,3-4
    E atestam que assim será até Sua Definitiva Volta: "Cristo ofereceu pelos pecados um único sacrifício, e logo em seguida para sempre tomou lugar à direita de Deus, onde de ora em diante espera que Seus inimigos sejam postos como banquinho para Seus pés (Sl 109,1)." Hb 10,12-13
    Falando da verdadeira Vida, São Paulo recomenda que busquemos os dons espirituais e promete a Ressurreição da carne: "Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus. Afeiçoai-vos às coisas lá de cima, e não às da terra. Porque estais mortos e vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, Vossa Vida, aparecer, então vós também aparecereis com Ele na Glória." Cl 3,1-4
    Afirmativamente, a chegada de Jesus aos Céus inaugurou um novo tempo, como Ele mesmo disse: "Em verdade, em verdade, digo-vos: aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e ainda fará maiores que estas, porque vou para junto do Pai. Naquele dia pedireis em Meu Nome, e já não digo que rogarei ao Pai por vós. Pois o Pai mesmo ama-vos, porque vós Me amastes e crestes que saí de Deus." Jo 14,12;16,26-27
    E São Paulo faz recordar que sempre devemos ter em foco o projeto da Salvação: "Assim, uma vez que aspirais aos dons espirituais, procurai tê-los em abundância para edificação da Igreja." 1 Cor 14,12
    Dele cuidava o Salmista, quando profetizou o dia da Ascensão: "Por entre aclamações subiu Deus, o Senhor, ao som das trombetas. Cantai à Glória de Deus, cantai. Cantai à Glória de Nosso Rei, cantai. Porque Deus é o Rei do Universo. Entoai-Lhe, pois, um hino! Deus reina sobre as nações, Deus está em Seu sagrado trono." Sl 46,6-9

    "Vosso Filho permaneça entre nós!"