segunda-feira, 25 de junho de 2018

A Aversão ao Mundo


    Como um dos resultados da e da santidade, São Paulo falou sobre essa aversão: "Estamos, repito, cheios de confiança, preferindo ausentar-nos deste corpo para ir habitar junto ao Senhor." 2 Cor 5,8
    Dizia, realmente, de uma angustiante espera: "Pois, enquanto permanecemos nesta tenda, gememos oprimidos: desejamos ser não despojados, mas revestidos com uma nova veste por cima da outra, de modo que o que há de mortal em nós seja absorvido pela Vida. Sabemos que todo tempo que passamos no corpo é um exílio longe do Senhor." 2 Cor 5,4.6b
    Perante os filipenses, pondera: "Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo, o que seria imensamente melhor, mas, de outra parte, continuar a viver é mais necessário, por causa de vós..." Fl 1,23-24
    E não o dizia da boca para fora, pois, pouco antes de ser preso, sinceramente diz aos Anciãos de Éfeso: "Só sei que, de cidade em cidade, o Espírito Santo assegura que em Jerusalém me esperam cadeias e perseguições. Mas nada disso temo, nem faço caso de minha vida, contanto que termine minha carreira e o ministério da Palavra que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho ao Evangelho da Graça de Deus." At 20,23-24
    Jesus, de fato, disse da prioridade que deve ser dada à vida espiritual: "Porque aquele que quiser salvar sua vida, perdê-la-á. Mas aquele que perder sua vida por amor a Mim e ao Evangelho, salvá-la-á." Mc 8,35
    Foi mais específico: "Quem ama sua vida, perdê-la-á. Mas quem odeia sua vida neste mundo, conservá-la-á para a Vida Eterna." Jo 12,25
    Falando como Deus, pois exigia ser amado sobre todas as coisas, foi ainda mais contundente: "Não julgueis que vim trazer a Paz à terra. Não vim trazer a Paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa. Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a Mim, não é digno de Mim. Quem ama seu filho mais que a Mim, não é digno de Mim." Mt 10,34-37
    Quando a Igreja contesta o 'mundo', entretanto, não se refere à Criação, mas ao pecaminoso comportamento humano, e especificamente em relação aos mais graves assuntos. O mundo em si, assim como todo o Universo, é perfeito, espelha a Glória de Deus; quem o desarmoniza e destrói é o próprio ser humano, em sua cobiça ou indiferença. Segundo São Paulo, os gregos não tinham como renegar a perfeição da Criação: "Desde a Criação do mundo, as invisíveis perfeições de Deus, Seu sempiterno poder e divindade tornam-se visíveis à inteligência por Suas obras, de modo que não se podem escusar." Rm 1,20
    E Jesus atestou: "Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu Seu único Filho, para que todo aquele que n'Ele crer não pereça, mas tenha a Vida Eterna." Jo 3,16
    Tal esforço do Pai deu-se porque no mundo prevalecem as más atitudes humanas e o germe da ambição, como disse São João Evangelista: "Não ameis o mundo nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, nele não está o amor do Pai. Porque tudo que há no mundo - a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida - não procede do Pai, mas do mundo." 1 Jo 2,15-16
    De fato, Jesus distinguia-Se assim de Seus próprios parentes: "O mundo não vos pode odiar, mas odeia-Me, porque contra ele Eu testemunho: suas obras são más." Jo 7,7
    E como bem conhecia a humanidade, e sabia como terminaria Sua Missão, Ele já avisava os Apóstolos do grande feito que seria Sua Ressurreição: "Em verdade, em verdade, digo-vos: haveis de lamentar e chorar, mas o mundo há de alegrar-se. E haveis de estar tristes, mas vossa tristeza há de transformar-se em alegria." Jo 16,20
    Por isso, explicou com estas palavras a perseguição aos que falam a Verdade: "Se fôsseis do mundo, o mundo vos amaria como sendo seus. Como, porém, não sois do mundo, mas do mundo escolhi-vos, por isso o mundo odeia-vos." Jo 15,19
    E tratou de consolar-nos: "Se o mundo vos odeia, sabei que odiou a Mim antes que a vós." Jo 15,18
    Ele deixou exclusivamente para Sua Igreja mais que especial "presente", que nada nem ninguém jamais poderá oferecer: "Deixo-vos a Paz, dou-vos Minha Paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe vosso coração, nem se atemorize!" Jo 14,27
    Com efeito, viver a , crescer espiritualmente e ainda ajudar os outros não é fácil. E se alguns não entendem o sofrimento do Cristo, é porque não olham o mundo com os olhos da Verdade. Ele ainda hoje padece em solidariedade aos escravizados ou abandonados pela ação do próprio ser humano. Sua Paz, contudo, é consoladora e indizível, e apesar da dor de defender a Verdade, com Ele a Vitória é certa: "Referi-vos essas coisas para que em Mim tenhais a Paz. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo." Jo 16,33


A ALMA EM OPOSIÇÃO AO MUNDO

    São Judas Tadeu, em clamor pela definitiva vitória contra o Mal, fez uma pergunta que muitos de nós fazemos: "Senhor, por que razão hás de manifestar-Te a nós e não ao mundo?" Jo 14,22
    O motivo desse proceder, entretanto, é muito simples: muitas pessoas não percebem Jesus por apego às ilusões do pecado, e assim demoram em reconhecer a Verdade. Por isso, visando salvar a todos, paciente e pessoalmente Ele vai manifestando-Se àqueles que O procuram. Foi o que Ele disse a Pilatos, ao ser julgado: "É para dar testemunho da Verdade que nasci e vim ao mundo. Todo aquele que é da Verdade ouve Minha voz." Jo 18,37
    Também deixou claro que Seu preciosíssimo Sangue não é indistintamente derramado por todos, mas por muitos: "Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: 'Bebei dele todos, porque isto é Meu Sangue, o Sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.'" Mt 26,27-28
    Ora, referindo-Se a Si mesmo, Ele já havia sentenciado: "... a Luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas que a Luz, pois suas obras eram más." Jo 3,19
    Muitos, no entanto, já O reconheceram. São João Batista, que veio abrir-Lhe o caminho, serviu como um grande sinal para todos. Ele anunciou expressamente Sua Missão e Seu campo de atuação: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." Jo 1,29
    Até mesmo os samaritanos, religiosos que viviam uma secular intriga com os judeus, viram n'Ele o Messias: "E diziam à mulher: 'Já não é por causa de tua declaração que cremos, mas nós mesmos ouvimos e sabemos ser Este verdadeiramente o Salvador do mundo.'" Jo 4,42
    E Jesus, que só podia dizer a Verdade, declarou-Se algumas vezes. Ele é o Pão da Vida Eterna: "Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Quem comer deste Pão viverá eternamente. E o Pão, que Eu hei de dar, é Minha Carne para a Salvação do mundo." Jo 6,51
    Aliás, Ele foi bem claro: "Ele disse-lhes: 'Vós sois cá de baixo, Eu sou lá de cima. Vós sois deste mundo, Eu não sou deste mundo. Por isso, Eu disse-vos: morrereis em vosso pecado. Porque, se não crerdes o que EU SOU, morrereis em vosso pecado.'" Jo 8,23-24
    E vai dizer a Pilatos: "Meu Reino não é deste mundo. Se Meu Reino fosse deste mundo, Meus súditos certamente teriam combatido para que Eu não fosse entregue aos judeus." Jo 18,36a
    Mas mesmo com toda rejeição que sofreu, Ele não condenou ninguém: "... não vim para condenar o mundo, mas para salvá-lo." Jo 12,47
    Colocou nestes termos o poder da Palavra de Deus: "Não julgueis que hei de acusar-vos diante do Pai. Há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais vossa esperança. Pois se crêsseis em Moisés, certamente creríeis em Mim, porque ele escreveu a Meu respeito. Mas, se não acreditais em seus escritos, como acreditareis em Minhas Palavras?" Jo 5,45-47
    E assim explicou a Missão do Espírito Santo, pois o Juízo Particular é perene, já está em curso, e toda mundana orientação foi condenada: "Ele convencerá o mundo a respeito do Juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado." Jo 16,9-11
    No entanto, viveu Seu amor até as últimas consequências: "Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara Sua hora de passar deste mundo ao Pai, como amasse os Seus que estavam no mundo, até o extremo amou-os." Jo 13,1
    Ele até reconheceu alguma sagacidade na malícia mundana, em comparação à inocência dos justos: "... porque os filhos deste mundo são mais prudentes que os filhos da Luz no trato com seus semelhantes." Lc 16,8b
    Preparou-nos, porém, para receber o Espírito Santo, para que também possamos juntar nossos irmãos espalhados pelo mundo: "... mas descerá sobre vós o Espírito Santo e dar-vos-á força. E sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria e até os confins do mundo." At 1,8
    O Sacramento da Crisma, entretanto, não pode ser recebido por todos. Muitos que vivem no 'mundo' precisam preparar-se, arrepender-se do pecado. Ele asseverou: "É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber porque não O vê nem O conhece. Mas vós O conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós." Jo 14,17
    O Divino Paráclito, pois, desde o Nascimento da Igreja, tem o poder de revelar a Verdade a quem quiser vê-la. Disse Jesus: "E, quando Ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do Juízo. Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim. E convencê-lo-á a respeito da justiça, porque Eu Me vou para junto de Meu Pai e vós já não Me vereis" Jo 16,8-10


A COMUNHÃO DA SALVAÇÃO

    Com esse mesmo intuito, portanto, quando sentiu chegada Sua hora, Jesus rezou ao Pai por nós, para que permaneçamos em Comunhão com a Santíssima Trindade, isto é, na Unidade da Igreja, que é Seu Corpo Místico: "Já não estou no mundo, mas eles estão ainda no mundo. Eu, porém, vou para junto de Ti. Pai Santo, guarda-os em Teu Nome, que Me encarregaste de fazer conhecer, a fim de que sejam um como Nós." Jo 17,11
    Também pediu-Lhe que pudéssemos participar de Sua alegria: "Mas, agora, vou para junto de Ti. Dirijo-Te esta oração enquanto estou no mundo para que eles tenham a plenitude de Minha alegria." Jo 17,13
    Ele atestou que, exceto Judas, os Apóstolos, fundamentos da Igreja, não viviam paixões mundanas, mas as do Reino dos Céus: "Manifestei Teu Nome aos homens que do mundo Me deste. Eram Teus e deste-Mos e guardaram Tua Palavra. Dei-lhes Tua Palavra, mas o mundo os odeia, porque eles não são do mundo, como também Eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do Mal. " Jo 17,6.14-15
    Pediu-Lhe um lugar nos Céus para nós: "Pai, quero que, onde Eu estou, comigo estejam aqueles que Me deste..." Jo 17,24
    Tudo isso sem descuidar, porém, de nossa difícil missão na terra: "Como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo." Jo 17,18
    E para que a Igreja reflita Sua Luz e Seu amor através de uma perfeita união, Ele deu-nos Sua própria Glória: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim. Para que sejam perfeitos na unidade e o mundo reconheça que Me enviaste e amaste-os, como amaste a Mim." Jo 17,22-23
    Pois a Igreja é a marca da renovação do mundo: "Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." Jo 13,35
    Prometeu, enfim, sempre estar conosco, embora deixando claro que este mundo terá fim: "Ide, pois, e ensinai a todas nações. Batizai-as em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." Mt 28,20
    Ele já o havia dito, ao afirmar a inviolabilidade de Sua Palavra: "O céu e a terra passarão, mas Minhas palavras não passarão." Mt 24,35
    E Sua pregação tinha tom de advertência: os erros humanos não são automaticamente perdoados por Deus. Caso não haja arrependimento, a punição será certa: "Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!" Mt 18,27
    Ainda pediu que não nos deixássemos levar por vãs preocupações, menosprezando a Divina Providência: "Não vos inquieteis com o que haveis de comer ou beber, e não andeis com vãs preocupações. Porque os homens do mundo é que se preocupam com todas estas coisas. Pois Vosso Pai bem sabe que precisais de tudo isso." Lc 12,29-30
    E lamentou profundamente a semente perdida por fúteis motivos: "O terreno que recebeu a semente entre os espinhos representa aquele que bem ouviu a Palavra, mas nele os cuidados do mundo e a sedução das riquezas sufocam-na e tornam-na infrutuosa." Mt 13,22

AS TENTAÇÕES DO MAL

    Quanto às tentações às quais estamos propensos, Jesus também as sofreu: "O demônio transportou-O uma vez mais, a um monte muito alto, e mostrou-Lhe todos reinos do mundo e sua glória, e disse-Lhe: 'Dar-Te-ei tudo isto se Tu, prostrando-Te diante de mim, adorar-me.'" Mt 4,8-9
    Mas o inimigo nada tem a oferecer senão ilusões. Quando oferece reinos e glória ele está mentindo, pois na verdade nada possui. Jesus advertiu que ele "... é mentiroso e pai da mentira." Jo 8,44
    Ele prometeu que toda maldade será completamente banida da face da terra "... no Dia da renovação do mundo, quando o Filho do Homem estiver sentado no trono da Glória..." Mt 19,28
    E que todos serão julgados. Uns, como mais severidade: "E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos Profetas derramado desde a Criação do mundo, desde o sangue de Abel..." Lc 11,50-51
    São Paulo questiona se há dúvida sobre o alcance da Palavra de Deus, e ele mesmo responde citando um Salmo: "Pergunto, agora: Acaso não ouviram? Claro que sim! 'Por toda terra correu Sua voz, e até os confins do mundo foram Suas Palavras' (Sl 18,5)." Rm 10,18
    E recomenda que São Timóteo se aparte de toda futilidade e crendices, pois dissimuladamente atentam contra a Doutrina e a religiosidade cristã: "Empenha-te em apresentar-te diante de Deus como homem digno de aprovação, operário que não tem de que se envergonhar, íntegro distribuidor da Palavra da Verdade. Procura esquivar-te das conversas frívolas dos mundanos, que só contribuem para a impiedade. As palavras dessa gente destroem como a gangrena. Quem, portanto, conservar-se puro e isento dessas doutrinas, será um nobre, santificado e frutuoso utensílio ao Seu Possuidor, preparado para todo benéfico uso." 2 Tm 2,15-17a.21
    Pede-lhe, realmente, total afastamento de mundanos assuntos: "Nenhum soldado pode implicar-se em negócios da vida civil, se quer agradar Àquele que o alistou." 2 Tm 2,4
    Ele convida a todos a atualizar o Sacrifício Pascal, que cultuamos na Santa Missa, e assim resistamos ao pecado: "Eu exorto-vos, pois, irmãos, pelas Misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em vivo, santo e agradável sacrifício a Deus: é este vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que Lhe agrada e o que é perfeito." Rm 12,1-2
    Reconhece, desta forma, que subsistem a dificuldade e o sofrimento dos que testemunham Jesus: "Chegamos a ser como que o lixo do mundo, a escória de todos até agora..." 1 Cor 4,13
    Mas a vitória não será tirada aos que persistem. O Espírito de Deus e Sua Graça não nos abandonam: "A razão de nossa glória é esta: o testemunho de nossa consciência de que, no mundo e particularmente entre vós, temos agido com santidade e sinceridade diante de Deus, não conforme o espírito de sabedoria do mundo, mas com o socorro da Graça de Deus." 2 Cor 1,12
    Melhor sofrermos por combater o Mal, portanto, que por cair na sedução de seus enganos: "De fato, a tristeza segundo Deus produz um salutar arrependimento do qual ninguém se arrepende, enquanto a tristeza do mundo produz a morte." 2 Cor 7,10
    E ainda que nos odeiem e persigam-nos os enganados, temos o Salvador, "... que Se entregou por nossos pecados, para libertar-nos da perversidade do presente mundo, segundo a vontade de Deus, Nosso Pai..." Gl 1,4
    Na verdade, devemos mesmo ter compaixão dos que continuam na ilusão, pois "Assim também nós, quando menores, estávamos escravizados pelos rudimentos do mundo." Gl 4,3
    Bem como estar prontos para resistir: "Estai de sobreaviso, para que ninguém vos engane com filosofias e vãos sofismas baseados nas tradições humanas, nos rudimentos do mundo, em vez de apoiar-se em Cristo." Cl 2,8
    Para tanto ele recomenda que sempre estejamos na Igreja, como disse a São Timóteo: "Foge das paixões da mocidade, busca com empenho a justiça, a fé, a caridade e a Paz junto àqueles que invocam o Senhor com pureza de coração. Rejeita as tolas e absurdas discussões, visto que geram contendas. Não convém a um servo do Senhor altercar. Bem ao contrário, seja ele condescendente com todos, capaz de ensinar, paciente em suportar os males. É com brandura que deve corrigir os adversários, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento e o conhecimento da Verdade, e voltem a si, uma vez livres dos laços do demônio, que os mantém cativos e submetidos a seus caprichos." 2 Tm 2,22-26
    Ele alerta os coríntios: "Não vos deixeis enganar: más companhias corrompem bons costumes. Despertai, como convém, e não pequeis! Porque alguns vivem na total ignorância de Deus - para vergonha vossa digo-o." 1 Cor 15,33-34
    E fala especificamente da péssima condição espiritual de alguns: "Porém, não me referia de um modo absoluto a todos os impudicos deste mundo, os avarentos, os ladrões ou os idólatras, pois neste caso vós deveríeis sair deste mundo. Mas simplesmente quis dizer-vos que não tenhais comunicação com aquele que, chamando-se irmão, é impuro, avarento, idólatra, difamador, beberrão, ladrão. Com tais indivíduos nem sequer deveis comer." 1 Cor 5,10-11
    São Tiago Menor também avisa do perigo de certas 'amizades': "Adúlteros, não sabeis que o amor do mundo é abominado por Deus? Todo aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus." Tg 4,4
    Como vimos, São João Evangelista ressaltou o que de fato predomina nas relações sociais: "Porque tudo que há no mundo - a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida - não procede do Pai, mas do mundo." 1 Jo 2,16
    Falando sobre o entendimento que permite conhecer Jesus, ele diz expressamente: "Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno." 1 Jo 5,19
    Por isso, defendendo bravamente a Revelação, ele afirma: "Não vos escrevi como se ignorásseis a Verdade, mas porque a conheceis, e porque nenhuma mentira vem da Verdade. Quem é mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse é o Anticristo, que nega o Pai e o Filho." 1 Jo 2,21-22
    E se os enviados de Deus nem sempre são ouvidos, há um culpado: "... o espírito do Anticristo, de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo. Vós, filhinhos, sois de Deus, e venceste-lo, porque O que está em vós é maior que aquele que está no mundo. Eles são do mundo. É por isto que falam segundo o mundo, e o mundo ouve-os." 1 Jo 4,3-5
    São Paulo diz pontualmente: "Se nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a Luz do Evangelho, onde resplandece a Glória de Cristo, que é a imagem de Deus." 2 Cor 4,3-4
    O livro do Apocalipse, mencionando a influência do inimigo, diz o mesmo: "Foi, então, precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele seus anjos." Ap 12,9
    E como ele não conseguiu vencer Nossa Senhora, está pelo mundo atacando Seus filhos, ou seja, a Igreja: "Cheio de raiva por causa da Mulher, o Dragão começou então a atacar o resto de seus filhos, os que obedecem aos Mandamentos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus." Ap 12,17
    Jesus, porém, dirigindo-se ao colégio dos Apóstolos, através da Igreja assegurou-nos o acesso à Sua Palavra: "Quem vos ouve, a Mim ouve; e quem vos rejeita, a Mim rejeita; e quem Me rejeita, rejeita Aquele que Me enviou." Lc 10,16
    No entanto, advertia sobre os vastíssimos efeitos da grande apostasia dos últimos tempos: "Mas, quando o Filho do Homem voltar, acaso achará fé sobre a terra?" Lc 18,8

O CATECISMO DA IGREJA ENSINA

    "A penitência interior é uma radical reorientação de toda vida, um retorno, uma conversão para Deus de todo nosso coração, uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às más obras que cometemos. Ao mesmo tempo, é o desejo e a resolução de mudar de vida com a esperança da Divina Misericórdia e a confiança na ajuda de Sua Graça. Esta conversão do coração vem acompanhada de uma dor e uma tristeza salutares, chamadas pelos Padres de "animi cruciatus (aflição do espírito)", "compunctio cordis (arrependimento do coração)".
    O coração do ser humano apresenta-se pesado e endurecido. É necessário que Deus lhe dê um novo coração. A conversão é antes de tudo uma obra da Graça de Deus, que reconduz nossos corações a Ele: "Converte-nos a Ti, Senhor, e nos converteremos" (Lm 5,21). Deus dá-nos a força de começar de novo. É descobrindo a grandeza do amor de Deus que nosso coração experimenta o horror e o peso do pecado, e começa a ter medo de ofender a Deus pelo mesmo pecado e de d'Ele ser separado. O coração humano converte-se olhando para Aquele que foi traspassado por nossos pecados. Fixemos nossos olhos no Sangue de Cristo para compreender como é precioso a Seu Pai, porque, derramado para nossa Salvação, dispensou ao mundo inteiro a Graça do Arrependimento." CIC 1431-1432

    "Ajudai-nos a criar um novo mundo!"