quinta-feira, 14 de junho de 2018

Os Anjos (I)


    Os anjos são seres espirituais a serviço da Salvação das almas, como os seguidores da tradição de São Paulo explicam: "Não são todos anjos espíritos a serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a Salvação?" Hb 1,14
    Pois como já contemplam a Glória de Deus, a Vinda de Cristo não se endereçava a eles: "Veio em socorro, não dos anjos, mas sim da raça de Abraão..." Hb 2,16
    São seres imortais, como Jesus argumentou sobre a Ressurreição da carne: "Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos..." Lc 20,36
    Têm própria língua, segundo São Paulo: "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos..." 1 Cor 13,1
    Aliás, como o próprio Santo Paráclito: "Porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com inexprimíveis gemidos." Rm 8,26b
    E São Rafael revelou este singular detalhe a Tobias e Tobit: "Parecia-vos que eu comia e bebia convosco, mas meu alimento é um invisível manjar, e minha bebida não pode ser vista pelos homens." Tb 12,19
    O mesmo havia dito o anjo que anunciou o nascimento de Sansão a seus pais, quando rejeitou uma refeição: "Ainda que tu me retivesses,' respondeu o anjo do Senhor, 'eu não comeria de tua mesa. Mas se queres fazer um holocausto, oferece-o ao Senhor.' Manué ignorava que era o anjo do Senhor." Jz 13,16
    São invisíveis, criados por Cristo e para Cristo, ainda segundo São Paulo: "N'Ele foram criadas todas coisas nos Céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele." Cl 1,16
    E criados por um simples gesto de Deus: "Pela Palavra do Senhor foram feitos os céus, e pelo sopro de Sua boca, todo Seu Exército." Sl 32,6
    Mas podem assumir várias formas de corpo glorioso, como se dará com as pessoas que alcançarem a Ressurreição da carne para a Vida Eterna. Assim foi a visão de Santa Maria Madalena e a mãe de São Tiago Menor no Domingo da Ressurreição: "... o anjo do Senhor desceu do Céu... Sua aparência era como a de um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve." Mt 28,2b.3
    Podem apresentar-se apenas a animais, como aconteceu à montaria de Balaão: "A jumenta, vendo o anjo do Senhor postado no caminho com uma espada desembainhada na mão, desviou-se e seguiu pelo campo. O adivinho fustigava-a para fazê-la voltar ao caminho." Nm 22,22-23
    Ou apresentarem-se exatamente como são: "Gedeão reconheceu que era o anjo do Senhor e exclamou: 'Ai de mim, Senhor Javé, que vi o anjo do Senhor face a face.'" Jz 6,22
    No Antigo Testamento, por vezes o anjo do Senhor confunde-se com o próprio Deus: "O anjo do Senhor, encontrando-a no deserto junto de uma fonte que está no caminho de Sur, disse-lhe: 'Agar, escrava de Sarai, donde vens? E para onde vais?' 'Eu fujo de Sarai, minha senhora', respondeu ela. 'Volta para tua senhora', tornou o anjo do Senhor, 'e humilha-te diante dela.' Agar deu ao Senhor, que lhe tinha falado, o nome: 'Vós sois El-Roí, porque', dizia ela, 'não vi eu, aqui mesmo, o Deus que me via?'" Gn 16,7-9.13
    Aconteceu com Abraão, quando esteve por sacrificar Isaac: "Pela segunda vez chamou o anjo do Senhor a Abraão, do Céu, e disse-lhe: 'Juro por Mim mesmo,' diz o Senhor, 'pois que fizeste isto e não Me recusaste teu filho, teu filho único, Eu abençoar-te-ei.'" Gn 22,15-16


    E com o ungido como primogênito de Isaac, que viria a ser o pai das doze tribos: "Jacó ficou só, e alguém lutava com ele até o romper da aurora. Vendo que não podia vencê-lo, aquele homem tocou-lhe na articulação da coxa e esta deslocou-se enquanto Jacó lutava com ele. E disse-lhe: 'Deixa-me partir, porque a aurora se levanta.' 'Não te deixarei partir,' respondeu Jacó, 'antes que me tenhas abençoado.' Ele perguntou-lhe: 'Qual é teu nome?' 'Jacó.' 'Teu nome não será mais Jacó,' tornou ele, 'mas Israel, porque lutaste com Deus e com os homens, e venceste.'" Gn 32,24-28a
    Ou são considerados com o próprio Deus, como aconteceu com os pais de Sansão: "E o anjo do Senhor desapareceu diante dos olhos de Manué e sua mulher. Manué logo compreendeu que era o anjo do Senhor, e disse à sua mulher: 'Seguramente vamos morrer, porque vimos Deus!" Jz 13,21-22
    Ou inspiram tanto temor quanto o próprio Senhor, como aconteceu com Gideão: "E o anjo do Senhor desapareceu de seus olhos. O Senhor disse-lhe: 'Tranquiliza-te! Não temas, não morrerás.'" Jz 6,21b.23
    Além de visíveis e invisíveis, reluzir também seria uma de suas qualidades: "... fazeis dos ventos vossos mensageiros, e dos flamejantes relâmpagos vossos ministros (Sl 103,4)." Hb 1,7
    Movem-se com espantosa rapidez, como o Profeta Ezequiel viu os querubins: "Os seres iam e vinham à semelhança de um relâmpago." Ez 1,14
    São seres pessoais, como o salmista canta: "Que é o homem...? ... Vós fizeste-o quase igual aos anjos..." Sl 8,5-6
    Não sabem tudo sobre os planos de Deus, pois Jesus, através do próprio São João Evangelista, mandou mensagens aos anjos das dioceses: "Ao anjo da igreja de Éfeso, escreve..." Ap 2,1a
    No livro de Jó, enquanto Elifaz falava de Deus, vemos que eles não são infalíveis: "... até mesmo em Seus anjos Ele encontra defeitos." Jó 4,18b
    E também são julgados: "Nesse Dia, Javé julgará no Céu o Exército do Céu..." Is 24,21a
    Inclusive pelos Santos, como São Paulo afirma: "Não sabeis que julgaremos os anjos? Quanto mais as pequenas questões desta vida!" 1 Cor 6,3
    Um dos anjos das sete taças da ira de Deus, de fato, assim se identificou perante São João Evangelista: "Sou um servo como tu e teus irmãos, os Profetas, e aqueles que guardam as palavras deste livro." Ap 22,9b
    São apresentados como filhos de Deus, em reuniões que com Ele mantêm: "Um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor, também veio Satanás entre eles." Jó 1,6
    Como santos: "Chama para ver se te respondem! A qual dos santos te dirigirás?" Jó 5,1
    Ou mais frequentemente como o Exército de Deus, como em Isaías, acima, e no livro de Reis, entre outros: "Miqueias replicou: 'Ouve o Oráculo do Senhor: Eu vi o Senhor sentado em Seu trono, e todo Exército dos Céus ao redor d'Ele, à direita e à esquerda." 1 Rs 22,19
    Aliás, tais armadas dariam um dos mais comuns do títulos de Deus: "Davi de novo reuniu todo escol de Israel, ou seja trinta mil homens, e pôs-se a caminho com toda sua gente, indo a Baalé de Judá, para dali trazer a Arca de Deus, sobre a qual é invocado o Nome, o Nome do Senhor dos Exércitos, que Se assenta sobre os querubins." 2 Sm 6,1-2
    Eles também podem assumir a forma humana, como o Profeta Daniel registrou: "De repente, um ser de forma humana tocou-me nos lábios." Dn 10,16
    Geralmente têm a jovial aparência, como vemos no livro de Tobias: "Apenas saíra, Tobias encontrou um jovem de belo aspecto, equipado como para uma viagem. Sem saber que se tratava de um anjo de Deus, ele saudou-o e disse-lhe: 'De onde és tu, ó bom jovem?'" Tb 5,5-6
    Também tinha essa aparência o anjo visto por Santa Maria Madalena e as mulheres, segundo São Marcos: "Entrando no sepulcro, viram um jovem sentado do lado direito, vestido de roupas brancas, e assustaram-se." Mc 16,5
    Santo Estevão, um jovem, ao ser julgado pelo Sinédrio tinha a semelhança de um anjo: "Nele fixando os olhos, todos membros do Grande Conselho viram seu rosto semelhante ao de um anjo." At 6,15
    Em comparação ao ser humano, segundo São Pedro, eles são "... superiores em força e poder..." 2 Pd 2,11
    Mas só durante a vida terrena, segundo os seguidores de São Paulo que citam um Salmo: "Por pouco tempo, colocaste-O inferior aos anjos... (Sl 8,6)." Hb 2,7a
    Porque na Vida Eterna os vencedores até sentarão no trono de Deus: "Não foi tampouco aos anjos que Deus submeteu o vindouro mundo, de que falamos." Hb 2,5
    São, pois, fiéis e poderosos cumpridores dos mandados de Deus: "... Seus anjos, poderosos executores de Suas ordens, sempre dóceis à Sua Palavra." Sl 102,20
    São João Evangelista, de fato, vai falar de anjos de expressiva potência: "Então vi um vigoroso anjo, que clamava em alta voz..." Ap 5,2a
    Com específicas funções: "Depois disso, vi quatro anjos que se conservavam em pé nos quatro cantos da terra, detendo os quatro ventos da terra..." Ap 7,1a
    Com sinais do Onipotente: "Ainda vi outro anjo subir do Oriente. Trazia o selo de Deus vivo, e pôs-se a clamar com retumbante voz aos quatro anjos, aos quais fora dado danificar a terra e o mar..." Ap 7,2
    De esplendorosa aparência: "Vi, então, outro poderoso anjo descer do Céu, revestido de uma nuvem e com o arco-íris em torno da cabeça. Seu rosto era como sol, e suas pernas como colunas de fogo. Pôs o pé direito sobre o mar, o esquerdo sobre a terra e começou a clamar em alta voz, como um leão que ruge. Quando clamou, os sete trovões ressoaram." Ap 10,1.2b-3
    Com específicos poderes: "E outro anjo, aquele que tem poder sobre o fogo, saiu do Altar..." Ap 14,18a
    Sobre específicas matérias: "Ouvi, então, o anjo das águas dizer..." Ap 16,5a
    Que bem reflete a Glória de Deus: "Depois disso, do Céu vi descer outro anjo que tinha grande poder, e a terra foi iluminada por sua glória." Ap 18,1
    E dotado grande força: "Então um poderoso anjo tomou uma pedra do tamanho de uma grande mó de moinho e lançou-a no mar, dizendo: 'Com tal ímpeto será precipitada Babilônia, a grande cidade, e jamais será encontrada.' Ap 18,21
    Também podem, excepcionalmente, ministrar Sacramento por Deus: "Porém, um dos serafins voou em minha direção. Trazia na mão uma viva brasa, que tinha tomado do Altar com uma tenaz. Aplicou-a em minha boca e disse: 'Tendo esta brasa tocado teus lábios, teu pecado foi tirado, e tua falta, apagada.'" Is 6,6-7
    Sempre estão presentes na Santa Missa, como nas antigos assembleias dos judeus: "Na presença dos anjos, eu cantá-Vos-ei. Ante Vosso Santo Templo prostrar-me-ei, e louvarei Vosso Nome..." Sl 137,1b-2a
    E são vigilantes da correção de posturas durante ela, como São Paulo argumentou: "Por isso, a mulher deve trazer o sinal da submissão sobre sua cabeça, por causa dos anjos." 1 Cor 11,10
    São mensageiros, pela própria acepção do termo 'anjo', e cumprem o papel de intérprete dos planos de Deus. Daniel escreve: "Ora, enquanto eu contemplava essa visão e procurava o significado, vi, de pé diante de mim, um ser em forma humana, e ouvi uma voz humana vinda do meio do Ulai: 'Gabriel,' gritava, 'explica-lhe a visão.' 'Filho do homem,' disse-me ele, 'compreende bem que essa visão simboliza o tempo final. Eis', disse, 'que vou revelar-te o que acontecerá nos últimos tempos da cólera...'" Dn 8,15-16.17b.19a
    E inspiradamente o povo trata suas palavras como a própria Palavra de Deus. Foi assim quando eles apareceram aos pastores de Belém, anunciando o Natal de Jesus: "Depois que os anjos os deixaram, e voltaram para o Céu, falaram os pastores uns com os outros: 'Vamos até Belém e vejamos o que se realizou, e o que o Senhor nos manifestou.'" Lc 2,15
    Nossa Senhora assim reagiu perante o Arcanjo Gabriel, no dia da Anunciação: "Então disse Maria: 'Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo tua palavra.'" Lc 1,38a
    Com efeito, eles têm ministérios e foi através de um destes que os hebreus receberam o Antigo Testamento, segundo Santo Estevão: "Vós que recebestes a Lei pelo ministério dos anjos e não a guardastes..." At 7,53
    Os da tradição de São Paulo vão no mesmo sentido: "A Palavra anunciada por intermédio dos anjos era a tal ponto válida, que toda transgressão ou desobediência recebeu o justo castigo." Hb 2,2
    Moisés, por exemplo, foi um de seus mediadores, segundo o próprio São Paulo: "Então que é a Lei? É um complemento ajuntado em vista das transgressões, até que viesse a descendência a quem fora feita a promessa; foi promulgada por anjos, passando por um intermediário." Gl 3,19
    Em inverso sentido, também são eles, e especificamente nossos Anjos da Guarda, que levam nossas orações a Deus, como o Arcanjo São Rafael disse a Tobit, o pai de Tobias: "Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava tuas orações ao Senhor." Tb 12,11-12
    E é junto aos incensos oferecidos pelas mãos de um anjo que as orações dos Santos, mesmo já estando nos Céus, chegam ao Pai: "Adiantou-se outro anjo e pôs-se junto ao Altar, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os Santos no Altar de ouro, que está adiante do trono. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos Santos, diante de Deus." Ap 8,3-4


9 CLASSES, 3 HIERARQUIAS

    Eles estão divididos em noves ordens, ou classes, e estas em três graus de hierarquia. São Judas Tadeu fala em classes, ao apontar os que decaíram: "Os anjos que não tinham guardado a dignidade de sua classe, mas abandonado seus tronos, com eternas correntes Ele guardou-os nas trevas para o Julgamento do Grande Dia." Jd 6
    São Paulo, aliás, chegou a nomear algumas: "Depois virá o fim, quando Ele entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação." 1 Cor 15,24
    O Profeta Isaías menciona a primeiríssima ordem, os serafins, que estão diante do trono de Deus e são os anjos do amor: "No ano da morte do rei Ozias, eu vi o Senhor sentado num trono muito elevado. As franjas de Seu manto enchiam o Templo. Os serafins mantinham-se junto a Ele. Cada um deles tinha seis asas: com um par de asas velavam a face, com outro cobriam os pés, e, com o terceiro, voavam. Suas vozes revezavam-se e diziam: 'Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus do universo! A terra inteira proclama Sua Glória!' A este brado, as portas estremeceram em seus gonzos e a casa encheu-se de fumo." Is 6,1-4
    E junto aos serafins, completam a primeira hierarquia as classes dos querubins e dos tronos. Os querubins servem de 'trono' a Deus, como vemos na oração de Ezequiel, e são os anjos do Verbo: "Senhor, Deus de Israel, que estais sentado sobre querubins, só Vós sois o Deus de todos reinos da terra." 2 Rs 19,15a
    Este Profeta deu deles, bem como da Glória de Deus, a seguinte descrição: "Distinguia-se no centro a imagem de quatro seres que aparentavam possuir forma humana. Cada um tinha quatro faces e quatro asas. Suas pernas eram retas e as plantas de seus pés assemelhavam-se às do touro, e cintilavam como bronze polido. De seus quatro lados, mãos humanas saíam debaixo de suas asas. Todos quatro possuíam rostos e asas. Suas asas tocavam uma na outra. Quanto ao aspecto de seus rostos, todos tinham figura humana, todos quatro uma face de leão pela direita, todos quatro uma face de touro pela esquerda e todos quatro uma face de águia. Suas asas estendiam-se para o alto: cada qual tinha duas asas que tocavam as dos outros e duas que lhe cobriam o corpo. Pairando acima desses seres havia algo que se assemelhava a uma abóbada, límpida como cristal, estendida sobre suas cabeças. Acima dessa abóbada havia uma espécie de trono, semelhante a uma pedra de safira, e bem no alto dessa espécie de trono uma Silhueta Humana. Era esta visão a imagem da Glória do Senhor." Ez 1,5-9a.10.11b.22.26.28b
    É forte o barulho de suas asas: "Cada qual caminhava para a frente, iam para o lado aonde impelia-os o Espírito. Não se voltavam quando iam andando. Eu escutava, quando eles caminhavam, o ruído de suas asas, semelhante ao barulho das grandes águas, à voz do Onipotente, um vozerio igual ao de um campo de batalha." Ez 1,24
    Eles são os guardiões da Arca da Aliança, conforme as imagens que Deus mandou fazer: "Porás na Arca o testemunho que Eu te der. Também farás uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro, e fazê-los-ás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e com elas protegerão a tampa, sobre a qual terão a face inclinada." Ex 25,16-20
    Também são os símbolos dos quatro Evangelhos: "Cada um dos querubins tinha quatro faces: a primeira, a de um querubim; a segunda, um aspecto humano; a terceira, a de um touro, e a quarta a de uma águia." Ez 10,14


    E são eles que guardam a entrada do paraíso, de onde Adão e Eva foram expulsos por quererem, a despeito da Palavra de Deus, saber o que era o bem e o mal: "E o Senhor Deus disse: 'Eis que o homem se tornou como um de Nós, conhecedor do bem e do mal. Agora, pois, cuidemos que ele não estenda sua mão e também tome do fruto da árvore da Vida e coma-o, e viva eternamente.' O Senhor Deus expulsou-o do jardim do Éden, para que ele cultivasse a terra donde tinha sido tirado. E expulsou-o, colocando ao oriente do jardim do Éden querubins armados de uma flamejante espada, para guardar o caminho da árvore da Vida." Gn 3,22-24
    São Paulo, como vimos, aleatoriamente citou algumas destas classes, e entre elas também vemos a terceira da primeira hierarquia, a dos tronos, os anjos da Vida: "N'Ele foram criadas todas as coisas nos Céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por Ele e para Ele." Cl 1,16
    Na segunda hierarquia sequentemente estão as classes dominações, virtudes e potestades. São Pedro, igualmente sem distinguir hierarquias, falou em três delas: "Esse Jesus Cristo, tendo subido ao Céu, está assentado à direita de Deus, depois de ter recebido a submissão dos anjos, dos principados e das potestades." 1 Pd 3,22
    E é São Paulo, da mesma forma, quem menciona virtudes: "É o mesmo poder extraordinário que Ele manifestou na Pessoa de Cristo, ressuscitando-O dos mortos e fazendo-O sentar à Sua direita no Céu, acima de todo principado, potestade, virtude, dominação e de todo nome que possa haver neste mundo como no futuro." Ef 1,19b-21
    Já na terceira hierarquia, mais próximos de nós e do mundo material, estão as ordens de principados, arcanjos e anjos. O Profeta Daniel registrou uma conversa que teve com um 'homem vestido de linho', na qual vemos que cada nação tem um principado como protetor: "O príncipe do reino da Pérsia resistiu-Me durante vinte e um dias. Miguel, porém, um dos primeiros chefes, veio em meu auxílio. Deixei-o afrontando os reis da Pérsia e vim aqui para fazer-te compreender o que deve acontecer ao teu povo nos últimos dias, pois essa visão diz respeito a longínquos tempos.'" Dn 10,13-14
    Ele também lhe fala do príncipe da Grécia (Jônia): "'Sabes bem', prosseguiu ele, 'porque vim a ti? Vou voltar agora para lutar contra o príncipe da Pérsia, e no momento em que eu partir virá o príncipe de Javã." Dn 10,20
    É, então, que este 'homem' aponta São Miguel Arcanjo como príncipe de Israel, dizendo que só ele o auxilia na luta contra os príncipes da Pérsia e da Grécia: "Contra esses adversários não há ninguém que me defenda a não ser Miguel, vosso chefe." Dn 10,22
    Ele foi, mesmo que então ainda inominado, de suma importância durante a saída do Egito: "O anjo de Deus, que marchava à frente do exército dos israelitas, mudou de lugar e passou para trás. A coluna de nuvens que os precedia pôs-se detrás deles, entre o acampamento dos egípcios e o de Israel." Ex 14,19-20a
    Noutros exemplos, temos que São Paulo, em missão com São Timóteo e São Lucas, viu o anjo da Macedônia, que se apresentou em típicos trajes, e que o anjo de Portugal anunciou as Aparições de Fátima aos pastorinhos: "De noite, Paulo teve uma visão: um macedônio, em pé, diante dele, rogava-lhe: 'Passa à Macedônia, e vem em nosso auxílio!' Assim que teve essa visão, procuramos partir para a Macedônia, certos de que Deus nos chamava a pregar-lhes o Evangelho." At 16,9-10
    Diante o Arcanjo São Gabriel, para que tenhamos um ideia de seu poder, o Profeta Daniel é tomado de pavor, e desfaleceu ao ouvir sua voz: "Dirigiu-se, então, em direção ao lugar onde eu me achava. À sua aproximação, fiquei apavorado e caí com a face contra a terra. Enquanto falava comigo, desmaiei, com o rosto em terra. Mas ele tocou-me e fez-me ficar de pé." Dn 8,17-18b
    O mesmo aconteceu diante do 'homem vestido de linho', perante o qual, ademais, ficou mudo e paralisado: "Enquanto assim me falava, eu mantinha meus olhos fixos no chão e permanecia mudo. De repente, um ser de forma humana tocou-me nos lábios. Abri a boca e falei, disse àquele que estava perto de mim: 'Meu Senhor, essa visão transtornou-me, e estou sem forças.' Então o ser em forma humana novamente tocou-me e reanimou-me." Dn 10,15-17.18
    E após encerrada a visão, tornou a desmaiar e longamente viu-se enfermo: "'A visão que te foi apresentada sobre as noites e as manhãs é perfeitamente verídica. Mas tu, guarda esta visão em segredo, pois ela refere-se a longínquos dias.' Então, eu, Daniel, desfaleci. Estive doente durante muitos dias." Dn 8,26-27
    São Judas Tadeu menciona a classe dos arcanjos, mais precisamente citando São Miguel, ocasião em que demonstra como reagir diante do Mal, dada a perfeita consciência que todas classes têm do certo e do errado, pois só agem sob específicas ordens de Deus: "Ora, quando o Arcanjo Miguel discutia com o demônio, e com ele disputava o corpo de Moisés, contra ele não ousou fulminar uma sentença de execração, mas somente disse: 'Que o próprio Senhor te repreenda!'" Jd 9
    No livro de Tobias, sem mencionar sua classe, São Rafael diz deles a Tobit: "Agora o Senhor enviou-me para curar-te e do demônio livrar Sara, mulher de teu filho. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor." Tb 12,14-15
    São João Evangelista viu sete deles, antes do início dos sete castigos previstos no livro do Apocalipse: "Quando, enfim, abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no Céu por cerca de meia hora. Eu vi os sete anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas." Ap 8,1-2
    Eles foram-lhe apresentados como os sete espíritos de Deus: "E Quem estava sentado assemelhava-Se pelo aspecto a uma pedra de jaspe e de sardônica. Um halo, semelhante à esmeralda, nimbava o trono. Diante do trono ardiam sete tochas de fogo, que são os sete espíritos de Deus." Ap 4,3.5b
    E estão a serviço de Cristo: "Ao anjo da igreja de Sardes, escreve: 'Eis o que diz Aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas.'" Ap 3,1a
    Segundo o Profeta Zacarias, eles vigiam o mundo: "Estes sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a terra." Zc 4,10b
    Na visão que teve São João Evangelista, eles são parte integrante do próprio Cordeiro de Deus: "Eu vi no meio do trono, dos quatro Seres e no meio dos Anciãos (serafins?), um Cordeiro de pé, como que imolado. Tinha Ele sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus, enviados por toda terra." Ap 5,6
    Vestem-se de linho, como o Profeta Daniel viu, e também São João Evangelista: "No Céu ainda vi outro grande e maravilhoso sinal: sete anjos que tinham os sete últimos flagelos, porque por eles é que se deve consumar a ira de Deus. Os sete anjos que tinham os sete flagelos saíram do Templo, vestidos de puro e resplandecente linho, cingidos ao peito com cintos de ouro." Ap 15,1.6
    Aliás, de linho é a veste de todos eles, ao menos na primeira das duas Grandes Batalhas: "Ainda vi o Céu aberto: eis que aparece um cavalo branco. Seu Cavaleiro chama-se Fiel e Verdadeiro, e é com justiça que Ele julga e guerreia. Está vestido com um manto tinto de Sangue, e Seu Nome é Verbo de Deus. Seguiam-nO em cavalos brancos os Celestes Exércitos, vestidos de fino linho, de uma imaculada brancura." Ap 19,11.13-14
    São Lucas mencionou outro arcanjo que nos é muito familiar, ao qual coube anunciar o nascimento de São João Batista a seu pai, Zacarias: 'Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para falar-te e trazer-te esta feliz nova.'" Lc 1,19
    É um dessa classe, aliás, que está encarregado de anunciar a Gloriosa Volta de Jesus. Diz São Paulo: "Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do Céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro." 1 Ts 4,16
    E, por fim, Deus referiu-Se a um simples anjo, ainda que também poderoso, entre eles nossos Anjos da Guarda, ao falar a Moisés sobre seu protetor e mensageiro: "Vou enviar um anjo adiante de ti, para proteger-te no caminho e para conduzir-te ao lugar que te preparei. Está de sobreaviso em sua presença, e ouve o que ele te diz. Não lhe resistas, pois ele não perdoaria tua falta, porque Meu Nome está nele." Ex 23,20-21
    São Paulo, da mesma forma, referiu-se a esta classe como mensageiros: "De fato, justo é que em paga Deus dê aflição àqueles que vos afligem. E a vós, que sois afligidos, o alívio, juntamente conosco, no Dia da manifestação do Senhor Jesus. Ele descerá do Céu com os mensageiros de Seu poder..." 2 Ts 1,6-7
    Como os anjos das famílias e das instituições verdadeiramente católicas, eles podem ser incumbidos de especiais missões. Foi o caso do anjo do servo de Abraão, a quem ele disse sobre Isaac: ".... Este mesmo Senhor mandará Seu anjo diante de ti, para que lá tomes uma mulher para meu filho." Gn 24,7b


    Foi o Anjo da Guarda do Profeta Elias que o socorreu, enquanto ele fugia da ameaça de morte que lhe fez Jezabel, esposa de Acab, rei de Israel: "Elias teve medo, e partiu para salvar sua vida. Chegando a Bersabeia, em Judá, deixou seu servo e andou pelo deserto um dia de caminho. Sentou-se debaixo de um junípero e desejou a morte: 'Basta, Senhor', disse ele, 'tirai-me a vida porque não sou melhor que meus pais.' Deitou-se por terra e adormeceu debaixo do junípero. Mas eis que um anjo tocou-o, e disse: 'Levanta-te e come.' Elias olhou e viu junto à sua cabeça um pão cozido debaixo da cinza, e um vaso de água. Comeu, bebeu e tornou a dormir. Uma segunda vez veio o anjo do Senhor, tocou-o e disse: 'Levanta-te e come, porque tens um longo caminho a percorrer.' Elias levantou-se, comeu e bebeu, e com o vigor daquela comida andou quarenta dias e quarenta noites, até o Horeb, o monte de Deus." 1 Rs 19,3-8
    Mas o amor aos anjos, quaisquer de suas classes, não pode tornar-se adoração, gesto que só cabe a Deus. Está no Deuteronômio: "Quando levantares os olhos para o céu, e vires o sol, a lua, as estrelas, e todo Exército dos Céus, guarda-te de prostrar-te diante deles e de render um culto a esses astros, que o Senhor, Teu Deus, deu como partilha a todos povos que vivem debaixo do céu." Dt 4,19
    Foi o que o anjo de Jesus disse a São João Evangelista, quando foi anunciada as Núpcias do Cordeiro: "Prostrei-me a seus pés para adorá-lo, mas ele disse-me: 'Não faças isso! Eu sou um servo, como tu e teus irmãos, possuidores do testemunho de Jesus. Adora a Deus. Porque o profético espírito não é outro senão o testemunho de Jesus.'" Ap 19,10
    E nem todos são de Deus, como revelou o próprio Jesus ao falar sobre o Juízo Final: "Voltar-Se-á em seguida para os de Sua esquerda e dir-lhes-á: 'Retirai-vos de Mim, malditos! Ide para o eterno fogo destinado ao demônio e aos seus anjos.'" Mt 25,41
    São Paulo, ao falar de suas cruzes, diz: "... foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás..." 2 Cor 12,7
    Por traírem a Deus, desmerecendo o indizível privilégio que tiveram, São Pedro afirma que eles já foram condenados: "Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas precipitou-os nos tenebrosos abismos do inferno..." 2 Pd 2,4
    Contudo, eles dominam o mundo pela concupiscência do ser humano, como São João Evangelista afirmou: "Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno." 1 Jo 5,19
    Jesus mesmo havia advertido, instantes antes de Sua Paixão: "Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo. Mas ele não tem nada em Mim." Jo 14,30
    Isso se deu com Sua Ascensão ao Céu: "Então foi precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado à terra, e com ele seus anjos." Ap 12,9
    Mas, como São Paulo ensina, em Cristo temos uma chance: "E vós outros estáveis mortos por vossas faltas, pelos pecados que outrora cometestes seguindo o modo de viver deste mundo, do príncipe das potestades do ar, do espírito que agora atua nos rebeldes." Ef 2,1-2
    Entretanto, ele alerta: "Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste tenebroso mundo, contra as forças espirituais do mal espalhadas nos ares." Ef 6,12
    São João Evangelista viu-os como gafanhotos que picavam como escorpião, preparados para a guerra. E deu o nome do líder: "Naqueles dias, os homens buscarão a morte e não a conseguirão, desejarão morrer e a morte fugirá deles. Têm eles por rei o anjo do abismo. Chama-se em hebraico Abadon, e em grego Apolion." Ap 9,6.11
    Havia outros dotados de terrível poder, mas foram descritos como meros anjos: "Então ouvi uma voz que vinha dos quatro cantos do Altar de ouro, que está diante de Deus, e que dizia ao sexto anjo que tinha a trombeta: 'Solta os quatro anjos que estão acorrentados à beira do grande rio Eufrates.' Assim foram soltos os quatro anjos que se conservavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano da matança da terça parte dos homens..." Ap 9,13b-15
    Os anjos de Deus, entretanto, são numerosíssimos: "Em minha visão também ouvi, ao redor do trono, dos Seres e dos Anciãos, a voz de muitos anjos, em número de miríades de miríades e de milhares de milhares..." Ap 5,11
    Também testemunhou o Profeta Daniel: "Continuei a olhar, até o momento em que foram colocados os tronos e um Ancião chegou e sentou-Se. Brancas como a neve eram Suas vestes, e tal como a pura lã era Sua cabeleira. Seu trono era feito de chamas, com rodas de ardente fogo. Saído de diante d'Ele, corria um rio de fogo. Milhares de milhares serviam-nO, milhões de milhões assistiam-nO!" Dn 7,9-10a

    "O Espírito nos uma num só Corpo!"