sexta-feira, 15 de junho de 2018

Os Anjos (II)

    O Arcanjo São Gabriel inicia as angelicais aparições da Nova Aliança, anunciando no Templo de Jerusalém o nascimento de São João Batista a seu pai, o sacerdote Zacarias: 'Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para falar-te e trazer-te esta feliz nova.'" Lc 1,19
    E foi igualmente ele que comunicou o Advento a Nossa Senhora, explicitando que ela já era previamente agraciada: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria. Entrando, o anjo disse-lhe: 'Ave, cheia de Graça, o Senhor é contigo.'" Lc 1,26-28
    Por tão grandioso projeto, porém, o Anjo da Guarda de São José teve que explicar-lhe a Divina Gestação de Maria: "... eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e disse-lhe: 'José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois Aquele que nela foi concebido vem do Espírito Santo.'" Mt 1,20
    Outro anjo foi o interlocutor dos pastores de Belém, para anunciar o Nascimento de Jesus: "Havia nos arredores uns pastores, que vigiavam e guardavam seu rebanho nos campos durante as vigílias da noite. Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a Glória do Senhor refulgiu ao redor deles, e tiveram grande temor. O anjo disse-lhes: 'Não temais, eis que vos anuncio uma Boa Nova, que será alegria para todo o povo: hoje vos nasceu na Cidade de Davi o Salvador, que é o Cristo Senhor.'" Lc 2,8-11
    Mas ele não estava só: "E subitamente ao anjo juntou-se uma multidão do Celeste Exército, que louvava a Deus e dizia: 'Glória a Deus no mais alto dos Céus e na terra Paz aos homens por Ele amados.'" Lc 2,13.14
    Essa, aliás, era uma antiga ordem dada por Deus, como apontaram nos Salmos os seguidores da tradição de São Paulo: "E novamente, ao introduzir Seu Primogênito na terra, diz: 'Todos os anjos de Deus O adorem (Sl 96,7)!'" Hb 1,6


    Presentes durante toda a vida de Jesus, o Anjo da Guarda de São José salvou-O, quando Menino, da ira de Herodes, por ocasião do Massacre dos Santos Inocentes, levando a Sagrada Família ao Egito: "Depois de sua partida, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse: 'Levanta-te, toma o Menino e Sua Mãe e foge para o Egito. Fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o Menino para matá-Lo.'" Mt 2,13
    E ele mesmo trouxe-a de volta à Terra Santa: "Com a morte de Herodes, o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egito, e disse: 'Levanta-te, toma o Menino e Sua Mãe e retorna à terra de Israel, porque morreram os que atentavam contra a vida do Menino.'" Mt 2,19-20
    Até São João Batista foi citado por Deus, através do Profeta Malaquias, como um anjo: "Eis que vou mandar Meu mensageiro, para que prepare Meu caminho diante de Mim." Ml 3,1
    Não por acaso, ao tentar Jesus, o Satanás maliciosamente sugeriu-Lhe que invocasse a proteção dos anjos: "Se és Filho de Deus, lança-Te abaixo, pois está escrito: 'Ele deu a Seus anjos ordens a Teu respeito. Proteger-Te-ão com as mãos, com cuidado, para não machucares teu pé em pedra alguma (Sl 90,11s)." Mt 4,6
    Após essas tentações, no entanto, os anjos realmente vieram em Seu auxílio ainda no deserto: "Em seguida, o demônio deixou-O, e os anjos aproximaram-se d'Ele para servi-Lo." Mt 4,11
    E quando São Bartolomeu admirou-se da onisciência de Jesus, Ele prometeu muito mais aos Apóstolos: a conexão entre o Céu e a terra: "... vereis o Céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem." Jo 1,51
    Esta havia sido a visão que teve Jacó, no sonho em que Deus lhe entregou a Terra Santa: "E teve um sonho: via uma escada, que, apoiando-se na terra, tocava com o cimo o Céu. E anjos de Deus subiam e desciam pela escada. No alto estava o Senhor, que lhe dizia: 'Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão, teu pai, e o Deus de Isaac; darei a ti e à tua descendência a terra em que estás deitado.' Jacó, despertando de seu sono, exclamou: 'Em verdade, o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia!' E, cheio de pavor, ajuntou: 'Quão terrível é este lugar! É nada menos que a Casa de Deus. É aqui, a Porta do Céu.'" Gn 28,12-13.16-17
    Jesus, que vai revelar-Se a própria Porta do Céu (Jo 10,9), defendia as crianças dos escândalos dos adultos, advertindo-os da poderosa classe que as guardava: "Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque Eu vos digo que seus anjos, no Céu, contemplam sem cessar a face de Meu Pai que está nos Céus." Mt 18,10
    Também falou de sua alegria pela Salvação dos pecadores: "Digo-vos que assim haverá maior júbilo no Céu por um só pecador, que fizer penitência, que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento." Lc 15,7
    Do momento da gestação até a morte, portanto, os Anjos da Guarda sempre velam por nós, como Nosso Salvador revelou na parábola de Lázaro e o rico: "Ora, aconteceu morrer o mendigo, e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão." Lc 16,22a
    Eles participam ativamente na realização de milagres: "Pois de tempos em tempos um anjo do Senhor descia ao tanque, e a água punha-se em movimento. E o primeiro que entrasse no tanque, depois da agitação da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse." Jo 5,4
    Quem não dá testemunho de Jesus, pois, não tem seus auxílios: "Digo-vos: todo aquele que Me reconhecer diante dos homens, também o Filho do Homem o reconhecerá diante dos anjos de Deus. Mas quem Me negar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus." Lc 12,8-9
    Uma vez no Céu, enfim, os seres humanos, assim como os anjos, não terão a vida carnal como a conhecemos aqui na terra. Jesus afirmou: "Na Ressurreição, os homens não terão mulheres nem as mulheres, maridos. Mas serão como os anjos de Deus no Céu." Mt 22,30
    E Sua Gloriosa Volta será marcada pela absoluta presença de todos eles: "Quando o Filho do Homem voltar em Sua Glória, e todos os anjos com Ele, sentar-Se-á no Seu glorioso trono." Mt 25,31
    São eles, aliás, que vão reunir os escolhidos de Deus para levá-los aos Céus, segundo o próprio Jesus: "Ele enviará os anjos, e reunirá Seus escolhidos dos quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu." Mc 13,27
    Foi exatamente isso que Ele explicou na parábola do semeador: "A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos." Mt 13,39
    São eles, portanto, que recolherão os maus logo após o Juízo: "Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos..." Mt 13,49
    Esse trabalho será uma espécie de depuração para o novo mundo: "O Filho do Homem enviará Seus anjos, que retirarão de Seu Reino todos os escândalos e todos aqueles que fazem o mal..." Mt 13,41
    Mas, entre os desígnios de Deus que os anjos desconhecem está o fim do mundo. Jesus disse: "Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do Céu, mas somente o Pai." Mt 24,36
    Muitas revelações, de fato, são-lhes ocultas, como explicou São Pedro: "Foi-lhes revelado que propunham não para si mesmos, senão para vós, estas revelações que agora vos têm sido anunciadas por aqueles que vos pregaram o Evangelho da parte do Espírito Santo, enviado do Céu. Revelações estas, que os próprios anjos desejam contemplar." 1 Pd 1,12
    Várias delas só lhes vêm ao entendimento através da instituição da Igreja. São Paulo afirma: "Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, pela Igreja, a infinita diversidade da Sabedoria divina..." Ef 3,10
    Contudo, quando Jesus Se angustiou no Horto das Oliveiras, pedindo que o Pai Lhe afastasse o Cálice de Sua Paixão, a resposta de Deus foi enviar-Lhe um anjo: "Apareceu-Lhe, então, um anjo do Céu para confortá-Lo." Lc 22,43
    Porque se fosse a vontade de Deus, eles até poderiam salvá-Lo da crucificação, como Jesus mesmo disse a São Pedro, quando o mandou guardar a espada: "Não crês tu que posso invocar Meu Pai, e Ele imediatamente Me enviaria mais de doze legiões de anjos?" Mt 26,53


    Foi um anjo, ademais, que abriu Sua sepultura para Santa Maria Madalena e Maria, mãe de São Tiago Menor: "E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do Céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela." Mt 28,2
    E embora Santa Maria Madalena não os reconhecesse como anjos, eles consolaram-na: "Viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde estivera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. Eles perguntaram-lhe: 'Mulher, por que choras?'" Jo 20,12-13
    Por fim, quanto à despedida de Jesus e ao anúncio de Sua volta, também foram os anjos que desfizeram a perplexidade dos Apóstolos durante Sua Ascensão, anunciando-lhes a última etapa dos planos de Deus: "Enquanto O acompanhavam com seus olhares, vendo-O afastar-Se para o Céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: 'Homens da Galileia, por que ficais aí a olhar para o Céu? Esse Jesus que acaba de vos ser arrebatado ao Céu voltará do mesmo modo que O vistes subir.'" At 1,10-11
    Desde então, notadamente após o Pentecostes, os anjos têm trabalhado em franca colaboração com a Igreja. Na passagem a seguir, um deles livra São Pedro e São João Evangelista da prisão e ordena-lhes o mesmo que lhes havia dito Jesus: "Mas um anjo do Senhor abriu de noite as portas do cárcere e, conduzindo-os para fora, disse-lhes: 'Ide e apresentai-vos no Templo. E pregai ao povo as Palavras desta Vida.'" At 5,19-20
    Como réplica do que acontece no Céu, sabemos que a Santa Missa conta com intensa presença e participação deles: "Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua. Conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão, e bradavam em alta voz: 'A Salvação é obra de Nosso Deus, que está assentado no trono, e do Cordeiro.' E todos os anjos estavam ao redor do trono, dos Anciãos e dos quatro Seres. Prostravam-se de face em terra diante do trono e adoravam a Deus, dizendo: 'Amém, louvor, Glória, Sabedoria, ação de graças, honra, poder e força ao Nosso Deus pelos séculos dos séculos! Amém.'" Ap 7,9-12
    E durante as missões dos membros da Igreja, os anjos são seus guias, como acontecia com São Filipe: "Um anjo do Senhor dirigiu-se a Filipe e disse: 'Levanta-te e vai para o sul, em direção do caminho que desce de Jerusalém a Gaza, a Deserta.'" At 8,26
    Um deles inspirou o primeiro pai de família não judeu a ser evangelizado, pois ajudam a levar o Evangelho ao mundo todo, trazendo almas à Igreja: "Este homem teve uma clara visão, pela hora nona do dia, na qual dele aproximou-se um anjo de Deus e chamou-o: 'Cornélio!' Cornélio fixou nele os olhos e, possuído de temor, perguntou: 'Que há, Senhor?' O anjo replicou: 'Tuas orações e tuas esmolas subiram à presença de Deus como uma oferta de lembrança. Agora envia homens a Jope e faze vir aqui um certo Simão, que tem por sobrenome Pedro.'" At 10,3-5


    Foi o Anjo da Guarda de São Pedro que o livrou de outra prisão, agora ordenada por Herodes: "De repente, apresentou-se um anjo do Senhor, e uma luz brilhou no recinto. Tocando no lado de Pedro, o anjo despertou-o: 'Levanta-te depressa', disse ele. Caíram-lhe as cadeias das mãos." At 12,7
    As pessoas que por ele rezavam, na casa de São Marcos, acharam que a criada ouvia vozes enquanto ele batia à porta após a fuga, e depois que era o anjo de São Pedro: "Disseram-lhe: 'Estás louca!' Mas ela persistia em afirmar que era verdade. Diziam eles: 'Então é seu anjo.'" At 12,15
    E foi o Anjo da Guarda de São Paulo que avisou que ele deveria ir a César, e assim a Roma, onde sofreria martírio após o de São Pedro. Aconteceu durante a tormenta que os arrastou à ilha de Malta: "Esta noite apareceu-me um anjo de Deus, a Quem pertenço e a Quem sirvo, o qual me disse: 'Não temas, Paulo. É necessário que compareças diante de César.'" At 27,23-24
    Assim como em vários capítulos da Revelação, os santos livros tiveram a ajuda dos anjos para serem escritos. Isso está claro no livro de Apocalipse, como registrou São João Evangelista: "Revelação de Jesus Cristo, que Lhe foi confiada por Deus para manifestar a Seus servos o que deve acontecer em breve. Ele, por Sua vez, por intermédio de Seu anjo, comunicou a Seu servo João..." Ap 1,1
    Por tal garantia, o Evangelho é um só e inviolável, o que se afere pela coerência e harmonia dos ensinamentos nele contidos. São Paulo vai exortar contra os inventores de heresias: "Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do Céu - anunciasse-vos um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema." Gl 1,8
    Pois sabemos que a Revelação já foi concluída, como diz São Judas Tadeu: "Caríssimos, estando eu muito preocupado em vos escrever a respeito de nossa comum Salvação, senti a necessidade de dirigir-vos esta carta para exortar-vos a pelejar pela , de uma vez para sempre confiada aos Santos." Jd 3
    Por isso, como guardião da Palavra, o último Apóstolo já reclamava da pouca importância dada pelos fiéis ao ministério dos Apóstolos, ainda nas primeiríssimas décadas da Igreja: "Porque, ao que parece, Deus tem posto a nós, Apóstolos, na última classe dos homens, por assim dizer sentenciados à morte, visto que fomos entregues em espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens." 1 Cor 4,9
    E com toda razão, pois, alegando visões e cultos aos anjos, muitos semearam divisões e afastaram-se de Cristo, que é a Cabeça da Igreja: "Ninguém vos roube, a seu bel-prazer, a palma da corrida, sob pretexto de humildade e culto dos anjos. Desencaminham-se estas pessoas em suas próprias visões e, cheias do vão orgulho de seu espírito materialista, não se mantêm unidas à Cabeça..." Cl 2,18-19
    Sem dúvida, lembrando a astúcia do inimigo, ele bem que advertiu dos falsos mestres: "Esses tais são falsos apóstolos, desonestos operários que se disfarçam em Apóstolos de Cristo. O que não é de espantar, pois se o próprio Satanás transfigura-se em anjo de luz, parece bem normal que seus ministros se disfarcem em ministros de justiça, cujo fim, no entanto, será segundo suas obras." 2 Cor 11,13-15
    E falando sobre os maus anjos, em contraposição à santidade dos fiéis que realmente obedecem a Cristo, ele também atesta a falibilidade dos anjos: "Não sabeis que julgaremos os anjos? Quanto mais as pequenas questões desta vida!" 1 Cor 6,3
    Com efeito, como não têm ordem de Deus para tal, os próprios anjos escusam-se de julgar almas, ainda que notoriamente pecaminosas. São Pedro denuncia "... aqueles que com desejos impuros correm atrás dos prazeres da carne e desprezam a autoridade. Audaciosos, arrogantes, não temem falar injuriosamente das Glórias, embora os anjos, superiores em força e poder, não pronunciem contra eles, aos olhos do Senhor, o injurioso julgamento." 2 Pd 2,10-11
    As pessoas que obedecem a Deus, no entanto, têm a proteção dos anjos por toda a vida, até a Salvação. O salmista ensina: "O anjo do Senhor acampa em redor daqueles que O temem, e salva-os." Sl 33,8
    Daniel deu este testemunho a Dario, rei da Babilônia: "Meu Deus enviou Seu anjo e fechou a boca dos leões. Eles não me fizeram mal algum porque a Seus olhos eu era inocente, e porque também contra ti, ó rei, não cometi falta alguma." Dn 6,23
    Porque eles intercedem por nós e são prontamente ouvidos por Deus, como argumentou um amigo de Jó: "Se perto dele encontrar-se um anjo, um intercessor entre mil, para ensinar-lhe o que deve fazer, ter piedade dele e dizer: 'Poupai-o de descer à sepultura, pois encontrei resgate para sua vida', sua carne retomará o vigor da mocidade, retornará aos dias de sua adolescência.'" Jó 33,22-25
    Para tanto eles têm língua própria, como revelou São Paulo: "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos..." 1 Cor 13,1
    Aliás, também assim o faz o Espírito Santo: "Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com inexprimíveis gemidos." Rm 8,26
    E cada igreja local tem seu anjo, como disse Jesus a São João Evangelista: "... as sete estrelas são os anjos das sete igrejas..." Ap 1,20
    Mas eles também recebem violentas missões. Os filhos de Israel foram poupados de um verdadeiro massacre durante a escravidão no Egito, como afirmam os seguidores de São Paulo: "Foi pela que mandou celebrar a Páscoa e aspergir os portais com sangue, para que o anjo exterminador dos primogênitos poupasse os dos filhos de Israel." Hb 11,28
    Pois a teimosia do faraó provocou a ira de Deus, que, conforme o salmista, fez descer "... um esquadrão de anjos da desgraça." Sl 77,49
    Segundo o Profeta Isaías, os soldados do Império Assírio tiveram fulminante morte por suas mãos, ao posicionarem-se contra Jerusalém: "O anjo do Senhor apareceu no campo dos assírios e feriu cento e oitenta e cinco mil homens. No dia seguinte, de manhã, ao despertar, lá só havia cadáveres." Is 37,36
    Até mesmo Jerusalém sofreu por um pecado de Davi, durante os preparativos para a construção do Templo: "Deus enviou a Jerusalém um anjo para destruí-la. Enquanto ele a assolava, o Senhor, que olhava, compadeceu-Se desse mal e disse ao anjo destruidor: 'Basta! Retira agora tua mão!' Ora, o anjo do Senhor achava-se perto da eira de Ornã, o jebuseu. Davi, tendo levantado os olhos, viu o anjo do Senhor que estava entre o céu e a terra, com uma espada desembainhada em sua mão, dirigida contra Jerusalém. Então Davi e os Anciãos, cobertos de sacos, prostraram-se com o rosto por terra." 1 Cr 21,15-16
    Herodes, que mandara degolar São João Batista, foi igualmente ferido de morte ao arrogar-se Deus: "No mesmo instante, o anjo do Senhor o feriu, por ele não haver dado honra a Deus. E, roído de vermes, expirou." At 12,23
    E o Arcanjo Miguel é um anjo guerreiro, chefe de legiões de anjos. Ele mostrou-se particularmente atuante com a chegada de Jesus ao Céu, quando de lá o Diabo foi definitivamente expulso, pois com frequência ia acusar o ser humano. De fato, Jesus demonstrara que a carne, animada por Seu Espírito, pode vencer o pecado: "Houve uma batalha no Céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram. E já não houve lugar no Céu para eles." At 12,7-8


    Antes da definitiva derrota do Diabo, porém, um anjo há de prendê-lo por um específico período, como narrou São João: "Vi, então, descer do céu um anjo que tinha na mão a chave do abismo e uma grande algema. Ele apanhou o Dragão, a primitiva Serpente, que é o Demônio e Satanás, e acorrentou-o por mil anos. Atirou-o no abismo, que fechou e selou por cima, para que já não seduzisse as nações, até que se completassem mil anos. Depois disso, ele deve ser solto por um pouco de tempo." Ap 20,1-3
    Talvez esse anjo seja o Arcanjo São Rafael, que já o prendeu uma vez, conforme o livro de Tobias: "... o Anjo Rafael tomou o demônio e prendeu-o no deserto do Alto Egito." Tb 8,13
    E é, enfim, pela trombeta de um Arcanjo que será anunciado o Juízo Final, segundo São Paulo: "Quando for dado o sinal, à voz do Arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do Céu..." 1 Ts 4,16
    E quem não se arrepender de seus graves pecados, sofrerá cruel castigo ante a presença deles e de Jesus: "... há de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice de Sua ira. Será atormentado pelo fogo e pelo enxofre diante dos Seus santos anjos e do Cordeiro." Ap 14,10
    Mas como ainda havia dúvidas entre os judeus sobre a divindade de Jesus, os seguidores de São Paulo tiveram que explicá-la numa comparação com os anjos: "... tão superior aos anjos quanto excede o deles o Nome que herdou. ... a respeito dos anjos, diz: 'Ele faz de Seus anjos sopros de vento e de Seus ministros chamas de fogo (Sl 103,4)', ao passo que do Filho diz: 'Por isso, ó Deus, Teu Deus ungiu-Te com óleo de alegria, mais que a Teus companheiros (Sl 44,7s)'." Hb 1,4.7-9
    Com efeito, indicando algumas classes dos anjos que se uniram a Satanás contra Deus, São Paulo diz que o Novo Céu e a Nova Terra será instalado quando tudo estiver submisso a Jesus, isto é, quando Ele tiver vencido todos Seus inimigos, inclusive a morte: "Depois, virá o fim, quando Jesus entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação. Porque é necessário que Ele reine, até que ponha todos inimigos debaixo de Seus pés. O último inimigo a derrotar será a morte, porque Deus tudo sujeitou debaixo de Seus pés." 1 Cor 15,24-25
    Por fim, os da tradição de São Paulo deixam uma instrutiva recomendação em favor da prática da caridade: "Não vos esqueçais da hospitalidade, pela qual alguns, sem o saberem, hospedaram anjos." Hb 13,2


    Vidente das maquinações do Diabo contra a Igreja, o venerável Papa Leão XIII escreveu em 1884 essa Oração a São Miguel, a ser rezada ao término de toda Santa Missa e por todos aqueles que precisarem de sua proteção:
"São Miguel Arcanjo,
protegei-nos no combate,
sede nosso auxílio contra a malícia e as ciladas do demônio!
Ordene-lhe, Deus!
Instantemente Vos pedimos!
E vós, Príncipe da Milícia Celeste,
pelo poder divino,
precipitai no inferno Satanás e demais espíritos malignos,
que vagueiam pelo mundo para perdição das almas.
Amém."

    "Caminhamos na estrada de Jesus!"