domingo, 10 de junho de 2018

O Corpo de Cristo


DEUS ENCARNADO

    A Encarnação do Cristo foi descrita por São João Evangelista nestes termos: "No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós, e vimos Sua Glória, a Glória que o Filho único recebe de Seu Pai, cheio de Graça e de Verdade." Jo 1,1.14
    Era a Vinda do Salvador, do Messias, que apesar de todas profecias a muitos surpreendeu por Sua humanidade. Não se sabia, havia séculos, que somos Sua imagem e semelhançaSão Paulo registrou-a assim: "Porque aprouve a Deus fazer n'Ele habitar toda plenitude..." Cl 1,19
    Mesmo em toda Sua humanidade, porém, Ele é a própria Pessoa de Deus: "Ele é a imagem de Deus invisível, o Primogênito de toda Criação. Pois n'Ele corporalmente habita toda plenitude da divindade." Cl 1,15; 2,9
    Jesus mesmo disse abertamente a São Filipe Apóstolo: "Há tanto tempo que estou convosco e não Me conheceste, Filipe? Aquele que Me viu, viu também o Pai. Como dizes, pois: 'Mostra-nos o Pai?'" Jo 14,9
    E havia deixado tudo muito explícito enquanto pregava no Templo de Jerusalém: "Vós sois cá de baixo, Eu sou lá de cima. Vós sois deste mundo, Eu não sou deste mundo." Jo 8,23
    Entretanto, Sua expressiva humanidade realmente confundia, como ao próprio São João Batista: "E João chamou dois de seus discípulos e enviou-os a Jesus, perguntando: 'És Tu Aquele que há de vir ou devemos esperar por Outro?' Ora, naquele momento Jesus havia curado muitas pessoas de enfermidades, de doenças e de malignos espíritos, e dado a vista a muitos cegos. Respondeu-lhes Ele: 'Ide anunciar a João o que tendes visto e ouvido: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos ficam limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, aos pobres é anunciado o Evangelho; e bem-aventurado é aquele para quem Eu não for ocasião de queda!'" Lc 7,19.21-23
    É largamente conhecido, contudo, o destino que Lhe demos. Quando foi ungido por uma mulher em Betânia, Ele sentenciou: "Derramando esse perfume em Meu corpo, ela fê-lo em vista de Meu sepultamento." Mt 26,12
    Mas apontava nosso bem maior, a ser preservado a todo custo: "Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes temei Aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena." Mt 10,28
    E falando expressamente sobre nossa condição carnal, afirmou: "O Espírito é que vivifica, a carne de nada serve." Jo 6,63a
    Referindo-Se a Seu Corpo como a própria Casa de Deus, porém, Ele prometeu ressurgir dos mortos: "Perguntaram-Lhe os judeus: 'Que sinal nos apresentas Tu, para procederes deste modo?' Respondeu-lhes Jesus: 'Destruí vós este Templo, e Eu o reerguerei em três dias.' Os judeus replicaram: 'Em quarenta e seis anos foi edificado este Templo, e Tu hás de levantá-lo em três dias?!' Mas Ele falava do Templo de Seu Corpo. Depois que ressurgiu dos mortos, Seus discípulos lembraram-se destas palavras e creram na Escritura e na Palavra de Jesus." Jo 2,18-22
    Apesar da pressa, pois para os judeus o sábado começa ao pôr do sol, pode-se dizer que Jesus foi sepultado conforme os rituais da Lei: "À tardinha, um homem rico de Arimateia, chamado José, que era também discípulo de Jesus, foi procurar Pilatos e pediu-lhe o Corpo de Jesus. Pilatos cedeu-O. José tomou o Corpo, envolveu-O num lençol branco e depositou-O num novo sepulcro, que na rocha tinha mandado talhar para si. Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora. Maria Madalena e a outra Maria ficaram lá, sentadas defronte ao túmulo." Mt 27,57-61
    Mas Ele simplesmente não permaneceu na sepultura: "As mulheres, que tinham vindo com Jesus da Galileia, acompanharam José. Elas viram o túmulo e o modo como o Corpo de Jesus ali fora depositado. Elas voltaram e prepararam aromas e bálsamos. No dia de sábado, observaram o preceito do repouso. No primeiro dia da semana, muito cedo, dirigiram-se ao sepulcro com os aromas que haviam preparado. Acharam a pedra removida longe da abertura do sepulcro. Entraram, mas não encontraram o Corpo do Senhor Jesus." Lc 23,55-56;24,1-3
    E quando apresentou-Se a Santa Maria Madalena, Jesus já o fez em Corpo Glorioso: "Não Me retenhas, porque ainda não subi a Meu Pai..." Jo 20,17
    É por Seu Santíssimo Sacrifício, pois, o Qual revivemos e atualizamos na Santa Missa, que Ele nos resgata do pecado. São Paulo argumenta: "Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a Lei, pelo Sacrifício do Corpo de Cristo, para pertencerdes a Outrem, Àquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos frutos para Deus." Rm 7,4
    Por ele, todos somos reconciliados com o Pai: "Há bem pouco tempo, sendo vós alheios a Deus e inimigos pelos vossos pensamentos e más obras, eis que agora Ele vos reconciliou pela morte de Seu Corpo humano, para que vos possais apresentar Santos, imaculados, irrepreensíveis aos olhos do Pai." Cl 1,21-22
    E como afirmam os seguidores da tradição de São Paulo, assim Ele nos abriu o caminho à santidade, sem a qual não se chega aos Céus: "Foi em virtude desta vontade de Deus que temos sido santificados uma vez para sempre, pela Oblação do Corpo de Jesus Cristo." Hb 10,10


A HÓSTIA CONSAGRADA

    Ainda na sinagoga de Cafarnaum, cidade cujo fim profetizou, Nosso Senhor já ensinava uma 'estranha' e sobrenatural lição, que viria a ser o principal Sacramento, o símbolo maior de Sua Igreja, de nossa Comunhão com Deus: "Então, Jesus disse-lhes: 'Em verdade, em verdade, digo-vos: se não comerdes a Carne do Filho do Homem, e não beberdes Seu Sangue, não tereis a Vida em vós mesmos.'" Jo 6,53
    Disse textualmente: "Eu sou o Pão da Vida: aquele que vem a Mim não terá fome, e aquele que crê em Mim jamais terá sede." Jo 6,35
    E foi ainda mais explícito: "Quem come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a Vida Eterna; e Eu o ressuscitarei no Último Dia. Pois Minha Carne é verdadeiramente uma comida e Meu Sangue, verdadeiramente uma bebida." Jo 6,54-55
    Aos que haviam comido dos pães e peixes multiplicados, fazendo com que refletissem sobre a experiência vivida, Ele deu uma importante advertência: "Respondeu-lhes Jesus: 'Em verdade, em verdade, digo-vos: buscais-Me, não porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos. Trabalhai não pela comida que perece, mas pela que dura até a Vida Eterna, que o Filho do Homem vos dará. Pois n'Ele Deus Pai imprimiu Seu sinal.'" Jo 6,26-27
    Por fim, na última noite entre os Apóstolos, Ele instituiu esse Sacramento, lembrando que Sua Paixão e a missão da Igreja têm por objetivo reconciliar o povo com Deus: "Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-O, partiu-O e deu-O aos discípulos, dizendo: 'Tomai e comei, isto é Meu Corpo.' Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lhO, dizendo: 'Bebei dele todos, porque isto é Meu Sangue, o Sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.'" Mt 26,26-28
    E expressamente pediu a celebração deste Sacramento, que é realizado na Santa Missa: "... fazei isto em memória de Mim." Lc 22,19b
    Não por acaso, a Eucaristia também foi o primeiro grande sinal que Jesus realizou após Sua Ressurreição, diante dos discípulos que iam a Emaús: "Aconteceu que, estando sentado conjuntamente à mesa, Ele tomou o pão, abençoou-O, partiu-O e serviu-lhO. Então se lhes abriram os olhos e reconheceram-nO... mas Ele desapareceu." Lc 24,30-31
    Com total fidelidade, esse Sacramento foi piedosamente cultuado pelos Apóstolos desde os primeiríssimos dias da Igreja: "Perseveravam eles na Doutrina dos Apóstolos, na reunião em comum, na fração do Pão e nas orações." At 2,42
    E assim a Comunhão tem realizado a Salvação: "Unidos de coração frequentavam todos os dias o Templo. Partiam o Pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E a cada dia o Senhor ajuntava-lhes outros que estavam a Caminho da Salvação." At 2,46-47
    Quase três décadas mais tarde, porém, diante de alguma postura de acomodação e descaso, São Paulo via exigir dos coríntios o respeito e a seriedade devidos a esse rito: "O cálice de bênção, que benzemos, não é a Comunhão do Sangue de Cristo? E o Pão, que partimos, não é a Comunhão do Corpo de Cristo?" 1 Cor 10,16
    E aponta a Unidade como uma característica inalienável para ser Igreja: "Uma vez que há um único Pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só Corpo, porque todos nós comungamos do mesmo Pão." 1 Cor 10,17
    Note-se que desde então a Santa Missa acontecia nos domingos, como vemos São Paulo celebrar ainda nos primeiros anos da Igreja: "No primeiro dia da semana, estando nós reunidos para partir o Pão, Paulo, que havia de viajar no dia seguinte, conversava com os discípulos e prolongou a palestra até a meia-noite." At 20,7
    Mas, para dele participar, também exigia a condição de purificação, ou seja, de arrependimento e penitência pelos pecados, em absoluto respeito ao Santíssimo Sacramento, que a nada pode ser comparado: "Não podeis beber ao mesmo tempo o Cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios." 1 Cor 10,21
    E advertiu: "Portanto, todo aquele que indignamente comer o Pão ou beber o cálice do Senhor será culpável do Corpo e do Sangue do Senhor. Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse Pão e beba desse cálice. Aquele que o come e o bebe sem distinguir o Corpo do Senhor, come e bebe sua própria condenação. Esta é a razão porque entre vós há muitos adoentados e fracos, e muitos mortos." 1 Cor 11,27-30
    Porque é através do culto a este Sacramento que Jesus nos santifica: "Quanto pior castigo julgais que merece quem calcar aos pés o Filho de Deus, profanar o Sangue da Aliança, no Qual foi santificado..." Hb 10,29a
    Por ele temos a verdadeira Vida, que começa neste mundo: "Assim como vive o Pai que me enviou, e Eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a Minha Carne viverá por Mim." Jo 6,57
     

O CORPO GLORIOSO

    Apesar de apresentar-se tanto em forma material como imaterial, a carne do Cristo Ressuscitado era verdadeiramente carne. Ou seja, ainda que seja frágil a carne como a conhecemos, a Criação não é um inócuo projeto. Ao contrário, como disse Tertuliano, é através dela que se dá a Salvação. E ela será eternizada, exatamente como Jesus Se apresentou aos Apóstolos no Domingo da Ressurreição: "Vede Minhas mãos e Meus pés, sou Eu mesmo; apalpai e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. Mas, vacilando eles ainda e estando transportados de alegria, perguntou: 'Tendes aqui alguma coisa para comer?' Então ofereceram-lhe um pedaço de peixe assado. Ele tomou e comeu à vista deles." Lc 24,39-43
    Falando de Sua Morte e Ressurreição aos Apóstolos, realmente Se referia a outra Vida: "Ainda um pouco de tempo e o mundo já não Me verá. Vós, porém, Me tornareis a ver, porque Eu vivo e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que Eu estou em Meu Pai, e vós em Mim e Eu em vós." Jo 14,19-20
    Ele ensina: "Em verdade, em verdade, digo-vos: vem a hora, e já está aí, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. E os que a ouvirem viverão. Pois como o Pai tem a Vida em Si mesmo, assim também deu ao Filho ter a Vida em Si mesmo..." Jo 5,25-26
    E todos, bons e maus, ressuscitarão, como afirmou Jesus: "Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que se acham nos sepulcros sairão deles ao som de Sua voz: os que praticaram o bem, irão para a ressurreição da Vida, e aqueles que praticaram o mal, ressuscitarão para serem condenados." Jo 5,28-29
    Contudo, trata-se de uma nova carne. Diz São Paulo: "Nós, porém, somos cidadãos dos Céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nosso mísero corpo, tornando-o semelhante ao Seu Corpo Glorioso, em virtude do poder que tem de a Si sujeitar toda criatura." Fl 3,20-21
    Disse mais: "Pois, enquanto permanecemos nesta 'tenda', gememos oprimidos: desejamos ser não despojados, mas revestidos com uma veste nova por cima da outra, de modo que o que há de mortal em nós seja absorvido pela Vida." 2 Cor 5,4
    E explicou assim: "Nem todas as carnes são iguais: uma é a dos homens e outra a dos animais; a das aves difere da dos peixes. Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeado na corrupção, o corpo ressuscita incorruptível; semeado no desprezo, ressuscita glorioso; semeado na fraqueza, ressuscita vigoroso; semeado corpo animal, ressuscita corpo espiritual. Se há um corpo animal, também há um espiritual." 1 Cor 15,39.42-44
    Enfim, será o início da Vida Eterna: "É necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que este corpo mortal se revista da imortalidade. Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, e quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura: 'A morte foi tragada pela vitória' (Is 25,8). 'Onde está, ó morte, tua vitória? Onde está, ó morte, teu aguilhão (Os 13,14)?'" 1 Cor 15,53-55


A IGREJA

    A Igreja, pois, obra de Jesus e pela qual tem continuidade Sua Missão Salvífica, é o Corpo Místico de Cristo. São Paulo testemunhou: "... Cristo amou a Igreja e entregou-Se por ela, para santificá-la, purificando-a pela Água do Batismo com a Palavra, para a Si mesmo apresentá-la toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro semelhante defeito, mas santa e irrepreensível. Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja." Ef 5,25b-27.32
    No entanto, o Corpo Místico só se constitui através da autêntica Comunhão, isto é, em perfeita fidelidade à Eucaristia, conforme a vontade do Pai: "Fiel é Deus, por Quem fostes chamados à Comunhão de Seu Filho Jesus Cristo, Nosso Senhor." 1 Cor 1,9
    Pois sem participar de Seu Sacrifício não há Redenção, logo não se pode ser Igreja. Como vimos, Jesus disse: "... porque isto é Meu Sangue, o Sangue da Nova Aliança, derramado em favor de muitos homens para a remissão dos pecados." Mt 26,28
    O Corpo Místico de Cristo, portanto, é formado por Seus verazes seguidores, que, apesar de ligeiras divergências, sequelas de nossos pecados, conseguem viver tal Unidade pela Graça do Espírito Santo. E não há como ser de outra forma, pois sem Comunhão a Igreja é impossível. Prega São Paulo: "Pois, como em um só corpo temos muitos membros e cada um dos nossos membros tem diferente função, assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só Corpo em Cristo, e cada um de nós é membro um do outro." Rm 12,4-5
    Afirmativamente, Jesus não falha em edificar Sua Igreja, pois Ele assim prometeu: "E Eu declaro-te: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei Minha Igreja..." Mt 16,18a
    E por isso ela tem resistido através dos tempos desde que Ele a fundou. Ele garantiu: "As portas do inferno não prevalecerão contra ela." Mt 16,18b
    Dadas nossas imperfeições, então, é elementar que devemos superar todo e qualquer obstáculo em nome da Unidade da Igreja. São Paulo deu exemplo: "Mas por causa dos falsos irmãos, intrusos - que furtivamente se introduziram entre nós para espionar a liberdade de que gozávamos em Cristo Jesus, a fim de escravizar-nos -, fomos por esta vez condescendentes, para que o Evangelho permanecesse em sua integridade." Gl 2,4-5
    Ele diz com toda clareza: "Porque, como o corpo é um todo tendo muitos membros, e todos membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo." 1 Cor 12,12
    Porque, para além de entendimento doutrinário, Jesus pediu amor entre Seus seguidores: "Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." Jo 13,35
    E garantiu aos que fielmente guardam Sua Palavra: "Se alguém Me ama, guardará Minha Palavra e Meu Pai o amará. E Nós viremos a ele, e nele faremos Nossa morada." Jo 14,23
    Por isso, insistia na unidade mística com Ele: "Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira. Assim também vós: tampouco podeis dar fruto, se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto; porque sem Mim nada podeis fazer." Jo 15,4-6
    Pois só trazendo em nós o Espírito de Cristo podemos promover devidamente a reconciliação de todos os povos com Deus. Diz o Apóstolo dos Gentios: "Em um só Espírito todos nós fomos batizados, para formar um só Corpo, judeus ou gregos, escravos ou livres; e todos fomos impregnados do mesmo Espírito." 1 Cor 12,13
    Ele diz: "... quem se une ao Senhor, torna-se com Ele um só Espírito." 1 Cor 6,17
    E, de fato, a partir de Jesus e depois do Pentecostes, a Salvação deve ser anunciada a todas nações: "A saber: que os gentios são co-herdeiros conosco (que somos judeus), são membros do mesmo Corpo e participantes da promessa em Jesus Cristo pelo Evangelho." Ef 3,6
    Assim, e por muito bem conhecer a devoção que sustentava a comunidade de Corintos, ele afirma: "Ora, vós sois o Corpo de Cristo e cada um, de sua parte, é um dos seus membros." 1 Cor 12,27
    Com efeito, essa é a obra de Deus, que fez de Seu Filho Nosso Modelo. E Ele, por Sua vez, concedeu à Igreja o Precioso Depósito, o conjunto de tudo que é sagrado e que deve ser cultuado: "E sujeitou a Seus pés todas as coisas, constituindo-O Supremo Chefe da Igreja, que é Seu Corpo, o receptáculo d'Aquele que sob todos os aspectos enche todas as coisas." Ef 1,22-23
    Por isso, defendendo a integridade da Igreja, São Paulo insistentemente exorta à Unidade: "Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança." Ef 4,4
    Tal e qual Apóstolos e Profetas, cabe a nós fazer o Cristo conhecido pelo mundo, edificando com Ele a Igreja, pois esse é o caminho para a Vida Eterna: "A uns Ele constituiu Apóstolos; a outros, Profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do Corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à Unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo." Ef 4,11-13
    De fato, a Igreja continua sob Sua liderança. Diz São Paulo: "... Cristo é o chefe da Igreja, Seu Corpo, da qual Ele é o Salvador." Ef 5,23
    Diz mais: "Ele é a Cabeça do Corpo, da Igreja." Cl 1,18a
    E resume tudo isso assim: "Estou pregado à Cruz de Cristo. Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim." Gl 2,19b-20a
    É por nosso sacrifício, portanto, como nos oferecemos na Santa Missa, que cooperamos com a Missão de Jesus: "O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por Seu Corpo que é a Igreja." Cl 1,24
    E só unidos pela Comunhão Eucarística, ou seja, pelo Santíssimo Sacramento ministrado pela Igreja, é-nos possível obter Sua Paz: "Triunfe em vossos corações a Paz de Cristo, para a qual fostes chamados a fim de formar um único Corpo. E sede agradecidos." Cl 3,15
    Os vaidosos, portanto, a modo dos falsos mestres, verdadeiros cultores de heresias, estão automaticamente desligados de Cristo: "Desencaminham-se estas pessoas em suas próprias visões e, cheias do vão orgulho de seu espírito materialista, não se mantêm unidas à Cabeça, da qual todo o Corpo, pela união das junturas e articulações, alimenta-se e cresce conforme um crescimento disposto por Deus." Cl 2,18b-19
    Contudo, é preciso perceber que a Igreja só tem razão de ser se estiver a serviço da Divina Misericórdia, vale dizer, em verdadeira Comunhão com os pobres, com os que sofrem. Por eles, pediam os seguidores do último Apóstolo: "Lembrai-vos dos encarcerados, como se vós mesmos estivésseis presos com eles. E dos maltratados, como se habitásseis no mesmo corpo com eles." Hb 13,3

    "Vosso Espírito nos una num só Corpo!"