segunda-feira, 18 de junho de 2018

A Missão de Jesus


    Muitos descreem da divindade de Jesus, assim como do Reino de Deus que Ele instaurou, por questionarem se Ele seria realmente o Salvador, e, mais pontualmente, de que nos teria salvado. Essas pessoas, porém, têm em geral uma visão muito materialista da vida. Soubessem a importância do perdão dos pecados, ou conhecessem a Paz espiritual que ele proporciona, não duvidariam da manifestação do Cristo, pois, como disse São João Batista, Sua Missão é exatamente essa: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." Jo 1,29
    Também foi o que disse a São José seu Anjo da Guarda, ao explicar a gravidez de Nossa Senhora: "Ela dará à luz um Filho, a Quem porás o Nome de Jesus, porque Ele salvará Seu povo de seus pecados." Mt 1,21
    Disse o mesmo o sacerdote Zacarias, pai de São João Batista, ao chamar seu filho de Profeta do Altíssimo, logo após seu nascimento: "E tu, menino, serás chamado Profeta do Altíssimo. Porque precederás o Senhor e Lhe prepararás o Caminho, para dar ao Seu povo conhecer a Salvação, pelo perdão dos pecados." Lc 1,76-17
    Igualmente São Pedro, após a Ascensão de Jesus, quando pregava aos judeus no Templo de Jerusalém: "Foi em primeiro lugar para vós que Deus suscitou Seu Servo, para abençoar-vos, a fim de que cada um se aparte de sua iniquidade." At 3,26
    E ainda São João Evangelista, numas das definições que deu do amor de Deus: "Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos Ele amado, e enviado Seu Filho para expiar nossos pecados." 1 Jo 4,10
    O religioso Simeão, homem ungido pelo Espírito Santo e que estava no Templo quando o Menino Jesus foi apresentado, não via na Vinda do Salvador o fim do mundo, como ainda acreditam os judeus, mas a Verdadeira Luz a iluminar as trevas espirituais e confirmar as revelações do Antigo Testamento: "Agora, Senhor, deixai ir em Paz Vosso servo, segundo Vossa Palavra. Porque meus olhos viram Vossa Salvação que preparastes diante de todos os povos, como Luz para iluminar as nações, e para a Glória de Vosso povo de Israel." Lc 2,30-32
    De fato, Jesus vai confirmar essa profecia ao iniciar Sua vida pública: "Eu sou a Luz do mundo; aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a Luz da Vida." Jo 8,12
    São João Evangelista, no mesmo sentido, vai testemunhá-Lo: "O Verbo era a Verdadeira Luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem." Jo 1,9
    Mas atestando o antigo dilema entre o poder e o amor, a matéria e o espírito, a manifestação do Cristo haveria mesmo de denunciar a cobiça e o hedonismo, e assim dividir o mundo. E isso, da mesma forma, havia sido previsto com absoluta precisão por Simeão, ainda na Apresentação do Menino Jesus, quando disse a Maria: "Eis que este Menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações." Lc 2,34-35
    E para a surpresa de Nossa Senhora e São José, a Missão de Jesus começou muito cedo. Aos doze anos, ao ser encontrado no Tempo de Jerusalém interrogando os doutores da Lei, Ele vai dizer à Sua Mãe, que com São José O procurou por três dias após a Páscoa: "Não sabíeis que devo estar na Casa de Meu Pai?" Lc 2,49
    No entanto, enquanto Deus que Se fez homem, Ele precisava amadurecer. E na condição humana passou por quase tudo que passamos: "E Jesus crescia em estatura, em Sabedoria e Graça, diante de Deus e dos homens." Lc 2,52
    Exceto o pecado, como afirmam os seguidores da tradição de São Paulo: "... passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado." Hb 4,15
    Assim teve que enfrentar todas experiências e contrariedades desse mundo, e Seus sofrimentos, especialmente durante a Paixão, não foram amenizados pelo Pai: "Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve." Hb 5,8
    São Paulo diz: "Sendo Ele de condição divina, não Se prevaleceu de Sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a Si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-Se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-Se ainda mais, tornando-Se obediente até a morte, e morte de Cruz." Fl 2,6-8
    Pois para redimir-nos dos pecados, que é precisamente Sua Missão, também teve que cumprir fielmente os preceitos da Lei judaica: "Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos Sua adoção." Gl 4,4-5
    Foi o que Jesus mesmo disse a São João Batista, ao insistir que ele O batizasse: "Deixa estar por enquanto, pois convém cumpramos toda justiça." Mt 3,15
    E como anunciava e garantia o Caminho da Redenção, desde Suas primeiras pregações Ele avisava da perenidade dos planos de Deus: "Não julgueis que vim abolir a Lei ou os Profetas. Não vim para aboli-los, mas sim para levá-los à perfeição." Mt 5,17
    Noticiava, nestes termos, a chegada do Reino dos Céus, que começa já nesse mundo e perpetua-se na Vida Eterna: "Eu vim para que as ovelhas tenham Vida, e Vida plena." Jo 10,10
    Mais de uma vez, então, Ele falou da Redenção das almas: "O Filho do Homem não veio para condenar as almas, mas para salvá-las." Lc 9,56
    Como explicou aos Apóstolos na primeira Aparição, no Domingo da Ressurreição, vemos que Sua Vinda é um claro convite à conversão, através do arrependimento e das penitências: "Assim é que está escrito, e assim era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia. E que em Seu Nome se pregasse a penitência e a remissão dos pecados a todas nações, começando por Jerusalém. Vós sois as testemunhas de tudo isso." Lc 24,46-48
    É exatamente o que Ele anunciava desde as primeiras pregações: "Desde então, Jesus começou a pregar: 'Fazei penitência, pois o Reino dos Céus está próximo.'" Mt 4,17
    Por isso, quando enviou os Apóstolos, deu-lhes a mesma missão: "Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois... Eles partiram e pregaram a penitência." Mc 6,7.12
    Não há exagero, portanto, quando Ele descreve Sua Missão como o grande resgate dos que vivem nas trevas: "Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido." Lc 19,10
    Disse-o mais de uma vez: "Ouvindo isto, Jesus respondeu-lhes: "Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide e aprendei o que significam estas palavras: 'Eu quero a misericórdia e não o sacrifício (Os 6,6).' Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores." Mt 9,12-13
    São Paulo vai dizer o mesmo a São Timóteo: "Eis uma verdade absolutamente certa e merecedora de : Jesus Cristo veio a este mundo para salvar os pecadores..." 1 Tm 1,15a
    Para que ficasse claro a importância de Seu perdão, Ele demonstrou-o na passagem em que primeiro absolve os pecados de um paralítico, para só depois curá-lo: "Eis que Lhe apresentaram um paralítico estendido numa padiola. Jesus, vendo a fé daquela gente, disse ao paralítico: 'Meu filho, coragem! Teus pecados são-te perdoados.'" Mt 9,2
    E para quem duvida de Sua Palavra, Ele propôs essa experiência: "Se alguém quiser cumprir a vontade de Deus, distinguirá se Minha Doutrina é de Deus ou se falo de Mim mesmo." Jo 7,17
    Não deixava, contudo, de oferecê-La: "Tomai Meu jugo sobre vós e recebei Minha Doutrina, porque Eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para vossas almas." Mt 11,29
    Seu empenho em divulgar o Evangelho, aliás, bem revela a vital importância de Seus ensinamentos: "Ao amanhecer, Ele saiu e retirou-Se para um lugar afastado. As multidões procuravam-nO, foram até onde Ele estava e queriam detê-Lo, para que não as deixasse. Mas Ele disse-lhes: 'É necessário que Eu anuncie a Boa Nova do Reino de Deus também às outras cidades, pois é para isso que fui enviado." Lc 4,42-43
    Ele veio, portanto, para tirar-nos das trevas da dúvida e da ignorância, mostrando-nos o Caminho para o Pai, como afirmou diante de Pilatos: "É para dar testemunho da Verdade que nasci e vim ao mundo. Todo aquele que é da Verdade ouve Minha voz." Jo 18,37
    Pois Ele é a própria Verdade, exclusivo Caminho para o Céu: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim." Jo 14,6b
    E Ele confiou Seus ensinamentos à Igreja, à qual garantiu Sua constante presença e proteção: "Ide, pois, e ensinai a todas nações. Batizai-as em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo." Mt 28,19-20a


DEUS FEZ-SE HOMEM

    Mas tamanha era a humanidade de Jesus, e nós sempre esquecemos que somos imagem e semelhança de Deus, que muitos ficavam em dúvida quanto à Sua Divina Encarnação, como aconteceu com o próprio São João Batista: "Tendo João, em sua prisão, ouvido falar das obras de Cristo, mandou-Lhe dizer por seus discípulos: 'Sois vós Aquele que deve vir, ou devemos esperar por outro?'" Mt 11,2-3
    E Ele, para ser mais contundente, vai responder citando a profecia de Isaías que O anunciava: "Respondeu-lhes Jesus: 'Ide e contai a João o que ouvistes e o que vistes: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, o Evangelho é anunciado aos pobres... Bem-aventurado aquele para quem Eu não for ocasião de queda!'" Mt 11,4-6
    Noutra ocasião, contudo, Ele vai declarar abertamente Sua Missão de Redentor de toda humanidade: "Pois desci do Céu não para fazer Minha vontade, mas a vontade d'Aquele que Me enviou. Ora, Sua vontade é esta: que Eu não deixe perecer nenhum daqueles que Me deu, mas que os ressuscite no Último Dia. Esta é a vontade de Meu Pai: que todo aquele que vê o Filho e n'Ele crê, tenha a Vida Eterna. E Eu o ressuscitarei no Último Dia." Jo 6,38-40
    E vai condicionar a crença em Sua divindade ao perdão de nossas faltas, e a incredulidade, à morte: "... se não crerdes que EU SOU, morrereis em vosso pecado." Jo 8,24
    Ademais, conforme 'o sinal de contradição' predito por Simeão, quanto à falsa estabilidade que se busca nessa vida e à difícil aceitação que Ele teria no mundo, vai dizer: "Não julgueis que vim trazer a Paz à terra. Vim trazer não a Paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de Sua própria casa." Mt 10,34-36
    Com efeito, sobre Sua Paixão, que atrairia para Si todos que sofrem injustiças, o sumo sacerdote Caifás falará pelo Espírito Santo: "E ele não disse isso por si mesmo, mas, como era o sumo sacerdote daquele ano, profetizava que Jesus havia de morrer pela nação, e não somente pela nação, mas também para que fossem reconduzidos à unidade os dispersos filhos de Deus." Jo 11,51-52
    Ele mesmo diria: "E quando Eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a Mim." Jo 12,32
    Esse, no entanto, seria mais um capítulo de difícil compreensão para muitos, incluindo os próprios Apóstolos. É o paradoxo do Deus que morre, como Ele mesmo anunciava: "E começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do Homem muito padecesse, fosse rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e pelos escribas, e fosse morto, mas ressuscitasse depois de três dias." Mc 8,31
    Mas essa profecia, antes que um fatídico acidente, era a própria vontade do Pai, que vai ser deliberadamente realizada pelo Filho: "Ninguém tira Minha vida; Eu dou-a livremente. Tenho poder para dar a vida e tenho poder para retomá-la. Esse é o Mandamento que recebi de Meu Pai." Jo 10,18
    E Ele foi ainda mais específico ao estabelecer o nexo entre Sua Paixão e a Salvação da humanidade: "Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar Sua vida em Redenção por muitos." Mc 10,45
    Serviu-nos, pois, Sua própria Carne e Seu Sangue como alimento da Vida Eterna: "Então lhes disse Jesus: 'Em verdade, em verdade, digo-vos: se não comerdes a Carne do Filho do Homem, e não beberdes Seu Sangue, não tereis a Vida em vós mesmos. Quem come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a Vida Eterna, e Eu o ressuscitarei no Último Dia. Pois Minha Carne é verdadeiramente uma comida e Meu Sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come Minha Carne e bebe Meu Sangue permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai que Me enviou vive, e Eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer Minha Carne viverá por Mim.'" Jo 6,53-57
    Quem, porém, vê algum desconforto em enfrentar a vida entre arrependimento e penitências, erra em imaginar que Jesus veio convidar-nos para uma vida só de alegrias aqui na terra. Pelo contrário, Ele mesmo avisou: "No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo." Jo 6,33
    São Paulo explica assim o sentido de Sua Paixão: "... segundo meu Evangelho, na pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério, guardado em segredo durante séculos, mas agora manifestado por ordem do Eterno Deus e, por meio das Escrituras Proféticas, dado a conhecer a todas nações, a fim de levá-las à obediência da fé..." Rm 16,25-26
    Assim, bem ao modo das tradições judaicas, Seu Sacrifício serviu para a expiação definitiva de nossas faltas: "Pois se sangue de carneiros e de touros e a cinza de uma vaca, com que se aspergem os impuros, santificam e purificam pelo menos os corpos, quanto mais o Sangue de Cristo, que pelo Eterno Espírito Se ofereceu como vítima sem mácula a Deus, purificará nossa consciência das obras mortas para o serviço do Deus vivo?" Hb 9,13-14
    A purificação, portanto, está aí ao nosso alcance, pela Confissão. Pois, como se pode concluir, a Missão de Jesus foi cumprida com pleno êxito: "Depois de ter realizado a purificação dos pecados, está sentado à direita da Majestade no mais alto dos Céus..." Hb 1,3b
    Mas, tal e qual falou a mulher adúltera, Ele diz a todos nós: "Vai, e não tornes a pecar." Jo 8,11a
    Argumentando sob a mesma ótica do binômio pecado e perdão, São João Evangelista vai justificar a intenção de sua carta. No entanto, prevendo possíveis faltas, também veio ao nosso conforto: "Filhinhos meus, isto vos escrevo para que não pequeis. Mas, se alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo." 1 Jo 2,1
    Já os seguidores da tradição de São Paulo trataram de assegurar-nos a eficácia do ministério de Jesus: "Eis porque Cristo entrou, não em santuário feito por mãos de homens, que fosse apenas figura do santuário verdadeiro, mas no próprio Céu, para agora Se apresentar nosso intercessor ante a face de Deus." Hb 9,24

CONFORME AS PROFECIAS

    Como visto, Nosso Salvador foi previsto como a Luz, o Libertador da escravidão do pecado, como foi dito através do Profeta Isaías: "Eu, o Senhor, realmente chamei-Te, Eu segurei-Te pela mão, Eu formei-Te e designei para ser a Aliança com os povos, a Luz das nações. Para abrir os olhos aos cegos, para tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão aqueles que vivem nas trevas." Is 42,6-7
    Era assim que São Pedro divulgava o Cristo, falando mesmo em exorcismo: "Ele andou fazendo o bem e curando a todos que estavam dominados pelo demônio, porque Deus estava com Ele." At 10,38b
    São João Evangelista é ainda mais direto: "Eis porque o Filho de Deus Se manifestou: para destruir as obras do demônio." 1 Jo 3,8b
    E São Paulo diz algo parecido: "... Senhor Jesus Cristo, que Se entregou por nossos pecados, para libertar-nos da perversidade do presente mundo..." Gl 1,4a
    Desta forma, ainda segundo a Palavra de Deus registradas por Isaías, Ele veio salvar aqueles que O abraçam e divulgar a Salvação aos que ainda resistem a Seu projeto: "Não basta que sejas Meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os fugitivos de Israel. Vou fazer de Ti a Luz das nações, para propagar Minha Salvação até os confins do mundo." Is 49,6
    Mas como disse Simeão, Ele não seria uma unanimidade nem mesmo entre Seu povo, ou sequer na cidade mais desenvolvida de Sua nação, onde muitos conheciam as Escrituras. Isaías previu: "Ele será a pedra de escândalo e a pedra de tropeço para as duas casas de Israel, o laço e a cilada para os habitantes de Jerusalém." Is 8,14
    Mesmo assim, como uma pequena semente lançada em Israel, Ele tornou-Se o maior líder de todos os tempos. Porque, segundo as palavras ditas através do Profeta Miqueias, é Ele que apascenta e protege o rebanho de Deus: "'Mas tu, Belém-Efrata, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para Mim Aquele que é chamado a governar Israel. Suas origens remontam aos tempos antigos, aos dias do longínquo passado.' Por isso, Deus os deixará, até o tempo em que der à luz Aquela que há de dar à luz. Então o resto de Seus irmãos voltará para junto dos filhos de Israel. Ele levantar-Se-á para apascentá-los com o poder do Senhor, com a majestade do Nome do Senhor, Seu Deus. Os Seus viverão em segurança, porque Ele será exaltado até os confins da terra." Mq 5,1-3
    Pois ao divulgar o Nome do Pai, Jesus promove a Unidade da Igreja pelo exemplo dos Apóstolos, que são seus fundamentos: "Pai Santo, guarda-os em Teu Nome, que Me encarregaste de fazer conhecido, a fim de que sejam um como Nós." Jo 17,11b
    E assim, pela unidade em torno do Papa, a própria Glória de Deus passou a ser o sinal da Igreja: "Dei-lhes a Glória que Me deste, para que sejam um, como Nós somos um: Eu neles e Tu em Mim, para que sejam perfeitos na unidade e o mundo reconheça que Me enviaste e amaste-os, como amaste a Mim." Jo 17,22-23


REDENÇÃO PELO ESPÍRITO DE DEUS, ATRAVÉS DA IGREJA

    Por fim, para o pleno sucesso de Sua Missão, Jesus enviou o Espírito de Deus para confirmar todos Seus ensinamentos: "Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, Ele dará testemunho de Mim." Jo 15,26
    E também como estava previsto através de Isaías, é Ele que nos mantém longe do pecado: "Mas virá como Redentor a Sião, e aos filhos arrependidos de Jacó - Oráculo do Senhor. 'Eis Minha Aliança com eles', diz o Senhor: 'Meu Espírito que sobre ti repousa, e Minhas palavras que coloquei em tua boca não deixarão teus lábios nem os de teus filhos, nem os de seus descendentes', diz o Senhor, 'desde agora e para sempre.'" Is 59,20-21
    Pois sobre os Sacerdotes da Igreja Jesus derramou Seu Espírito para conceder o perdão dos pecados: "Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: 'Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." Jo 20,22-23
    Sem dúvida, é o Divino Paráclito que nos convence de nossas ofensas, como disse Jesus: "Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em Mim." Jo 16,9
    É, portanto, por Sua unção que recebemos a libertação do pecado: "Porquanto não recebestes um espírito de escravidão, para viverdes ainda no temor, mas recebestes o Espírito de adoção pelo qual clamamos: Aba! Pai!" Rm 8,15
    Eis porque São Tiago Menor estimula bem mais que a mera Confissão ao Sacerdote: "Confessai os vossos pecados uns aos outros..." Tg 5,16
    São João Evangelista corrobora: "Se confessarmos nossos pecados, Deus está aí, fiel e justo para perdoar-nos os pecados e para purificar-nos de toda iniquidade." 1 Jo 1,9
    Quanto a quem pode ministrar os Sacramentos, São Tiago Menor foi absolutamente restritivo: "Chame os Sacerdotes da Igreja..." Tg 5,14
    Porque foi para a instituição da Igreja, e consequentemente para a concessão do perdão, que Jesus derramou Seu preciosíssimo Sangue, como diz São João Evangelista: "Àquele que nos ama, que nos lavou de nossos pecados no Seu Sangue e que fez de nós um Reino de Sacerdotes para Deus e Seu Pai, Glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém." Ap 1,5b-6
    E denunciando o Sinédrio e atestando a redentora Missão do Cristo, São Pedro confirma a presença do Divino Paráclito na Igreja pela obediência que devotamos ao Pai: "O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, que vós matastes, suspendendo-O num madeiro. Deus elevou-O pela mão direita como Príncipe e Salvador, a fim de dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. Deste fato nós somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que Lhe obedecem.'" At 5,30-32
    Assim o Espírito de Deus passou a ser a marca dos cristãos, segundo São João Evangelista ao falar sobre os ensinamentos de Jesus: "Quem observa Seus Mandamentos permanece em Deus e Deus nele. É nisto que reconhecemos que Ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu." 1 Jo 3,24
    Por isso, logo após a manifestação do Santo Paráclito no Pentecostes, São Pedro exortou todos ali presentes à Confissão: "Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vós, para vossos filhos e para todos que de longe ouvirem o apelo do Senhor, Nosso Deus." At 2,38-39
    E assim reagiam diante São Paulo todos que se deixavam tocar pela Palavra: "Muitos dos que haviam acreditado vinham confessar e declarar suas obras." At 19,18
    Ele ensinava: "Mortificai, pois, vossos membros no que têm de terreno: a devassidão, a impureza, as paixões, os maus desejos, a cobiça, que é uma idolatria." Cl 3,5
    Não por acaso, o Apóstolo dos Gentios vê no Espírito de Cristo a garantia da Glória de Deus: "Ele marcou-nos com Seu selo, e aos nossos corações deu o penhor do Espírito." 2 Cor 1,22
    Ele pedia: "Não contristeis o Espírito Santo de Deus, com o Qual estais selados para o Dia da Redenção." Ef 4,30
    E instava: "Não extingais o Espírito." 1 Ts 5,19
    São João Evangelista, com muita propriedade, faz essa síntese da Missão do Cristo: "Veio para o que era Seu, mas os Seus não O receberam. Mas a todos aqueles que O receberam, aos que creem no Seu Nome, deu-lhes o poder de tornarem-se filhos de Deus..." Jo 1,11-12
    Ele testemunha: "Aquele que era desde o princípio, Aquele que temos ouvido, Aquele que temos visto com os nossos olhos, Aquele que temos contemplado e as nossas mãos têm apalpado no tocante ao Verbo da Vida - porque a Vida se manifestou, e nós a temos visto; damos testemunho e anunciamo-voss a Vida Eterna, que estava no Pai e que se nos manifestou -, Aquele que vimos e ouvimos nós vos anunciamos, para que também vós tenhais Comunhão conosco." 1 Jo 1,1-3
    Pois como disse São João Batista, o que realmente sabemos sobre Deus, "O Filho único, que está no seio do Pai, foi Quem O revelou." Jo 1,18
    O Amado Discípulo completa: "Sabemos que o Filho de Deus veio e deu-nos entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no Verdadeiro, nós que estamos em Seu Filho Jesus Cristo. Este é o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna." 1 Jo 5,20
    E explicitando o poder de Sua Palavra, Jesus diz: "Desse modo, todos honrarão o Filho, bem como honram o Pai. Aquele que não honra o Filho, não honra o Pai, que O enviou." Jo 5,23
    Ficamos, pois, com uma frase de São Paulo na carta a São Tito, que bem detalha tanto a Missão de Jesus como Sua identidade: "Veio para ensinar-nos a renunciar à impiedade e às mundanas paixões e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade, na expectativa da nossa feliz esperança, a Gloriosa Aparição de Nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo, que Se entregou por nós, a fim de resgatar-nos de toda iniquidade, purificar-nos e constituir-nos Seu povo de predileção, zeloso na prática do bem." Tt 2,12-14

    "Jesus Cristo deu-nos vida por Sua morte!"