segunda-feira, 17 de setembro de 2018

A Palavra de Deus


    Pai de nossas almas tudo criou tão somente pelo poder de Sua Palavra: "Deus disse: 'Faça-se a Luz!' E a Luz foi feita." Gn 1,3
    Inspiradamente, o salmista atestou: "... porque a Palavra do Senhor é reta, em todas Suas obras resplandece a fidelidade. Porque Ele disse e tudo foi feito, Ele ordenou e tudo existiu." Sl 32,4.9
    E Jesus é a própria Palavra de Deus, o Verbo, como disse São João Evangelista: "E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós..." Jo 1,14
    Através d'Ele, Deus fala diretamente a Seu povo, e Sua Palavra sustenta todas as coisas. Os seguidores da tradição de São Paulo registram: "Muitas vezes e de diversos modos, outrora falou Deus aos nossos pais pelos Profetas. Ultimamente, falou-nos por Seu Filho, que constituiu herdeiro universal, pelo Qual criou todas as coisas. Esplendor da Glória de Deus e imagem de Seu Ser, Ele sustenta o universo com o poder de Sua Palavra." Hb 1,1-3a
    E também por Sua Palavra se dará a Ressurreição da Carne, como Ele mesmo assegurou: "Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos que se acham nos sepulcros sairão deles ao som de Sua voz: os que praticaram o bem, irão para a Ressurreição da Vida, e aqueles que praticaram o mal, ressuscitarão para serem condenados." Jo 5,28-29
    Pois assim como na Criação, com uma Palavra Sua tudo será desfeito para dar lugar ao Novo Céu e Nova Terra. Diz São Pedro: "Mas os céus e a terra, que agora existem, são guardados pela mesma Divina Palavra, e reservados para o fogo no Dia do Juízo e da perdição dos ímpios." 2 Pd 3,7
    Por isso, ainda hoje a Igreja pede atenção a ela: "Guardai-vos, pois, de recusar ouvir Aquele que fala. Porque se não escaparam do castigo aqueles que dele se desviaram quando lhes falava na terra, muito menos escaparemos nós se O repelirmos quando nos fala desde o Céu." Hb 12,25
    Sem dúvida, ao ditar cartas aos anjos das dioceses de então, pois é assim que Ele nos fala publicamente, Jesus dava essa repetida recomendação: "Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." Ap 2,29
    Nossa Senhora, exemplo de absoluta obediência, ao receber a Anunciação pelo Arcanjo São Gabriel e sabendo que ele falava por Deus, respondeu-lhe: "Faça-se em mim segundo tua palavra." Lc 1,38
    Assim, em estrito cumprimento das profecias, o início da vida pública de Jesus foi precedido pela pregação de São João Batista, que também era fiel portador da Palavra de Deus: "... veio a Palavra do Senhor no deserto a João, filho de Zacarias." Lc 3,2
    Mas o Batista seria o último, e com ele terminaria o Antigo Testamento, como afirmou Jesus: "... os Profetas e a Lei tiveram a Palavra até João." Mt 11,13
    De sua candente inspiração, São Paulo afirma: "Porque a finalidade da Lei é Cristo..." Rm 10,4a
    E assertivamente concluiu: "Assim a Lei tornou-se-nos pedagogo, encarregado de levar-nos a Cristo..." Gl 3,24a
    Enquanto Verbo Encarnado, e assim falando das verdadeiras necessidades humanas, em Seus ensinamentos Jesus evocou uma passagem do Deuteronômio: "Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus (Dt 8,3)." Mt 4,4
    Pois Ele veio elevar as Escrituras à excelência: "Não julgueis que vim abolir a Lei ou os Profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição." Mt 5,17
    Garantiu, assim, seu pleno cumprimento: "Pois em verdade digo-vos: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da Lei." Mt 5,18
    E advertiu de qualquer pequena infidelidade: "Aquele que violar um destes Mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será declarado o menor no Reino dos Céus." Mt 5,19
    A infidelidade à Palavra, aliás, era um dos grandes erros que Ele denunciava nos religiosos de então: "Ai de vós, hipócritas escribas e fariseus! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os mais importantes preceitos da Lei: a justiça, a Misericórdia, a fidelidade." Mt 23,23a
    Para comunicar o esplendor da Revelação, portanto, Ele viveu entre nós: "Ao amanhecer, Ele saiu e retirou-Se para um lugar afastado. As multidões procuravam-nO, e foram até onde Ele estava e queriam detê-Lo, para que não as deixasse. Mas Ele disse-lhes: 'É necessário que Eu anuncie a Boa Nova do Reino de Deus também às outras cidades, pois é para que isso fui enviado.'" Lc 4,42-43
    E as multidões bem sabiam Quem estavam ouvindo: "Estando Jesus um dia à margem do lago de Genesaré, o povo comprimia-se em redor d'Ele para ouvir a Palavra de Deus." Lc 5,1
    Isso já havia se dado em Cafarnaum, em suas primeiras pregações: "Maravilhavam-se de Sua Doutrina, porque ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas." Mc 1,22
    Também na cidade de Naim: "E aproximando-Se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: 'Moço, Eu ordeno-te: Levanta-te.' Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus dizendo: 'Um grande Profeta surgiu entre nós e Deus visitou Seu povo." Lc 7,14-16
    São Mateus, ainda na primeira passagem de Jesus pela casa de São Pedro, deixou manifestamente registrado Seu indefectível poder, característico do próprio Pai: "Com uma Palavra, Ele expulsou os espíritos imundos e curou todos enfermos." Mt 8,16b
    São Pedro, não por acaso, foi o primeiro a submeter-se totalmente à Sua Palavra, quando aconteceu a pesca miraculosa: "Mestre, trabalhamos a noite inteira e nada apanhamos! Mas por causa de Tua Palavra, lançarei a rede." Lc 5,5
    Mas nem sempre Jesus era aceito por todos, principalmente entre os religiosos, e começou a questionar Seus opositores por duvidarem do poder de Sua Palavra: "Jesus, penetrando-lhes os pensamentos, perguntou-lhes: 'Por que pensais mal em vossos corações? Que é mais fácil dizer: Teus pecados são-te perdoados!, ou: Levanta-te e anda? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar os pecados: Levanta-te' - disse Ele ao paralítico -, 'toma tua maca e volta para tua casa.'" Levantou-se aquele homem e foi para sua casa. Vendo isto, a multidão encheu-se de medo e glorificou a Deus por ter dado tal poder aos homens." Mt 9,4-8
    Noutra ocasião, contudo, Ele revelou a razão pela qual muitos se recusavam a ouvi-Lo: "Se Deus fosse vosso pai, vós Me amaríeis, porque Eu saí de Deus. É d'Ele que Eu provenho, porque não vim de Mim mesmo, mas foi Ele Quem Me enviou. Por que não compreendeis Minha linguagem? É porque não podeis ouvir Minha Palavra. Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na Verdade, porque a Verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. Mas Eu, porque vos digo a Verdade, não Me credes. Quem de vós Me acusará de pecado? E se vos falo a Verdade, por que Me não credes?" Jo 8,42-46
    Ele já havia observado: "... Minha Palavra não penetra em vós." Jo 8,37b
    E arrematou: "Quem é de Deus ouve a Palavra de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus." Jo 8,47
    Ora, Jesus é a própria Verdade, e sem Ele sequer podemos chegar a Deus. Pouco antes de Sua prisão no Horto das Oliveiras, Ele afirmou aos Apóstolos: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim." Jo 14,6b
    Enquanto mero ser humano, entretanto, Ele apresentava-Se como fiel portador da Palavra de Deus, como disse aos judeus logo após Sua entrada messiânica em Jerusalém: "Em verdade, não falei por Mim mesmo, mas o Pai, que Me enviou, prescreveu-Me o que devo dizer e o que devo ensinar." Jo 12,49
    Também disse aos Apóstolos, que vacilavam na noite anterior à Sua Paixão, para demonstrar Sua plena Comunhão com o Pai: "Crede-Me: estou no Pai, e o Pai em Mim. Crede-o ao menos por causa destas obras. A Palavra que tendes ouvido não é Minha, mas sim do Pai que Me enviou. Ouvistes o que Eu vos disse: Vou e volto a vós!" Jo 14,11.24b.28a
    Ele explicava os milagres que fazia por Sua plena obediência à Palavra do Pai: "As Palavras que vos digo não as digo de Mim mesmo. Mas o Pai, que permanece em Mim, é que realiza Suas próprias obras." Jo 14,10b
    E também assim explicava Sua Glória, como disse aos judeus de Jerusalém durante a Festa das Tendas: "Se Me glorifico a Mim mesmo, a Minha Glória não é nada. Meu Pai é Quem Me glorifica, Aquele que vós dizeis ser Vosso Deus e, contudo, não O conheceis. Eu, porém, conheço-O. E se dissesse que não O conheço, seria mentiroso como vós. Mas conheço-O e guardo Sua Palavra." Jo 8,54-55
    Advertia, pois, do peso que têm nossas palavras: "Eu digo-vos: no Dia do Juízo os homens prestarão contas de toda vã palavra que tiverem proferido." Mt 12,36
    Alertava da influência do inimigo, recomendando sinceridade e comedimento: "Dizei somente sim, se é sim, e não, se é não. Tudo que passa além disto vem do Maligno." Mt 5,37
    E disse aonde levam os xingamentos, caso não haja arrependimento: "Mas Eu digo-vos: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Idiota, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena." Mt 5,22
    Ele assim resumia Sua Missão: "O Semeador semeia a Palavra." Mc 4,14
    Deu detalhes do que se passa com os relapsos: "... quando um homem ouve a Palavra do Reino e não a entende, o Maligno vem e arranca o que foi semeado em seu coração." Mt 13,19
    Falou dos que cultivam mesquinhos apegos: "... mas não têm raiz em si, são inconstantes, e assim que se levanta uma tribulação ou uma perseguição por causa da Palavra, eles tropeçam." Mc 4,17
    Alguns, no entanto, são realmente levados por más inclinações: "Outros ainda recebem a semente entre os espinhos. Ouvem a Palavra, mas as preocupações mundanas, a ilusão das riquezas, as múltiplas cobiças sufocam-na e tornam-na infrutífera." Mc 4,18-19
    Contudo, elogiou os prudentes: "A boa terra semeada é aquele que ouve a Palavra e compreende-a, e produz fruto: cem por um, sessenta por um, trinta por um." Mt 13,23
    Ele fez um clara distinção: "Aquele, pois, que ouve estas Minhas Palavras e põe-nas em prática, é semelhante a um prudente homem que edificou sua casa sobre a rocha. Mas aquele que ouve Minhas Palavras e não as põe em prática, é semelhante a um insensato que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa: ela caiu, e grande foi sua ruína." Mt 7,24.26-27
    E foi bem direto: "Por que Me chamais: Senhor, Senhor... e não fazeis o que digo?" Lc 6,46
    Criticava as tradições, culturas e costumes meramente mundanos, que cega e teimosamente se afastam dos projetos de Deus: "Assim, por causa de vossa tradição, anulais a Palavra de Deus. Hipócritas! É bem de vós que fala o Profeta Isaías: 'Este povo somente Me honra com os lábios. Seu coração, porém, está longe de Mim. Vão é o culto que Me prestam, porque ensinam preceitos que só vêm dos homens (Is 29,13).'" Mt 15,6-9
    E sabia o exato destino que lhes tocava: "Então aproximaram-se d'Ele Seus discípulos e disseram-Lhe: 'Sabes que os fariseus escandalizaram-se com as palavras que ouviram?' Jesus respondeu: 'Toda planta que Meu Pai Celeste não plantou será arrancada pela raiz. Deixai-os. São cegos e guias de cegos. Ora, se um cego conduz a outro, tombarão ambos na mesma vala.'" Mt 15,12-14
    Pois por imprudência e arrogância, alguns se aventuram a anunciar Sua Palavra mesmo sem a devida obediência ou o dom da Sabedoria, como quando Ele falou sobre o celibato de Seus Sacerdotes: "Nem todos são capazes de compreender o sentido desta Palavra, mas somente aqueles a quem foi dado. Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor ao Reino dos Céus. Quem puder compreender, compreenda." Mt 19,11-12
    E sentenciou: "Nem todo aquele que Me diz: 'Senhor, Senhor', entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus. Muitos Me dirão Naquele Dia: 'Senhor, Senhor, não pregamos nós em Vosso Nome, e não foi em Vosso Nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?' E, no entanto, Eu dir-lhes-ei: 'Nunca vos conheci. Retirai-vos de Mim, maus operários!'" Mt 7,21-23
    De toda forma, Jesus cumpria Seu papel da melhor maneira: "Era por meio de numerosas parábolas desse gênero que Ele lhes anunciava a Palavra, conforme eram capazes de compreender." Mc 4,33
    E alegrava-se com as palavras de que ouvia do povo, como disse à mulher estrangeira: "Por causa desta palavra, vai-te, que saiu o demônio de tua filha." Mc 7,29
    De fato, mesmo não-judeus reconheciam Sua autoridade, como o centurião romano: "... mas dize somente uma Palavra, e meu servo será curado." Lc 7,7
    Por isso, redefiniu o conceito de família em função da Palavra de Deus: "Minha mãe e Meus irmãos são estes, que ouvem a Palavra de Deus e observam-na." Lc 8,21
    Mas também nessa perspectiva a Mãe de Deus e Nossa Mãe é exemplo, como aconteceu quando o Menino Jesus ficou em Jerusalém, aos 12 anos, e explicou-lhes que deveria estar na Casa de Seu Pai: "Sua mãe guardava todas estas coisas em seu coração." Lc 2,51
    Ela assim agia desde Seu Nascimento, quando os pastores de Belém testemunharam terem sido enviados até eles por anjos: "Maria conservava todas estas palavras, meditando-as em seu coração." Lc 2,19
    Aliás, a título de registro nas Escrituras, vemos esse seu agir já durante a Anunciação, quando se nota que ela não estranhava as manifestações de criaturas angelicais: "Entrando, o anjo disse-lhe: 'Ave, cheia de Graça, o Senhor é contigo.' Perturbou-se ela com estas palavras, e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação." Lc 1,28-29
    Ora, usando outra vez a Palavra como paradigma, nestes termos Jesus definiu o conceito de bem-aventurança: "Antes bem-aventurados aqueles que ouvem e guardam a Palavra de Deus!" Lc 11,28


IGREJA: SUSTENTÁCULO DA VERDADE

    Assim, por força do próprio poder de Deus, os Apóstolos tornaram-se fieis transmissores de Seus ensinamentos, como se viu logo após Sua Ascensão aos Céus: "Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava Sua Palavra com os milagres que a acompanhavam." Mc 16,20
    Com efeito, Jesus havia garantido: "... porque Eu vos darei uma Palavra cheia de Sabedoria, à qual não poderão resistir nem contradizer vossos adversários." Lc 21,15
    E particularmente a São Pedro: "E Eu declaro-te: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei Minha Igreja. As portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus: tudo que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo que desligares na terra será desligado nos Céus." Mt 16,18-19
    E com os judeus que n'Ele haviam crido, estabeleceu uma estrita condição: "Se permanecerdes na Minha Palavra, sereis Meus verdadeiros discípulos..." Jo 8,31
    Foi pelo testemunho dos Apóstolos, portanto, que os Evangelhos foram escritos. São Lucas diz dos fatos neles contidos: "... como no-los transmitiram Aqueles que desde o princípio foram testemunhas oculares, e que se tornaram ministros da Palavra." Lc 1,2
    E para que todos nós acolhêssemos o anúncio dos Apóstolos, Jesus rezou ao Pai a Oração da Unidade: "Não rogo somente por eles, mas também por aqueles que por sua palavra hão de crer em Mim." Jo 17,20
    Pois pelos Apóstolos, Ele já havia rezado: "Manifestei Teu Nome aos homens que do mundo Me deste. Dei-lhes Tua Palavra, mas o mundo odeia-os porque eles não são do mundo, como também Eu não sou do mundo. Santifica-os pela Verdade. Tua Palavra é a Verdade." Jo 17,6a.14.17
    E garantiu aos Onze, na noite da Santa Ceia: "Se guardaram Minha Palavra, hão de guardar também a vossa." Jo 15,20b
    São Pedro, perfeitamente ciente de Quem lhe falava, não quis afastar-se do Mestre. Sabia que só Sua Palavra nos leva ao Céu: "Senhor, a quem iríamos? Tu tens a Palavra da Vida Eterna." Jo 6,68
    E ao falar em sua epístola sobre nossa reconciliação com Deus, ele vai sustentar: "Pois fostes regenerados não de uma corruptível semente, mas pela Palavra de Deus, incorruptível, viva e eterna semente. Porque toda carne é como a erva, e toda sua glória como a flor da erva. Seca-se a erva e cai a flor, mas a Palavra do Senhor eternamente permanece (Is 40,6s). Ora, esta Palavra é a que vos foi anunciada pelo Evangelho." 1 Pd 1,23-24
    Sem dúvida, Jesus havia dito: "Em verdade, em verdade, digo-vos: quem ouve Minha Palavra e crê n'Aquele que Me enviou, tem a Vida Eterna e não incorre na condenação, mas passou da morte para a Vida." Jo 5,24
    Guardar Sua Palavra, pois, é fazer da própria alma um sacrário, a morada de Deus: "Se alguém Me ama, guardará Minha Palavra e Meu Pai amá-lo-á. E Nós viremos a ele, e nele faremos Nossa morada" Jo 14,23
    Essa é a verdadeira forma de amar a Deus na Pessoa de Jesus: "Se Me amais, guardareis Meus Mandamentos." Jo 14,15
    O contrário significa não acolhê-Lo, não ter o amor de Deus, como Ele disse aos religiosos judeus: "... não tendes Sua Palavra permanente em vós, pois não credes n'Aquele que Ele enviou. Não espero Minha Glória dos homens, mas sei que não tendes em vós o amor de Deus." Jo 5,38.41-42
    E os Mandamentos de Deus não são nenhum absurdo, como Ele mesmo falou ao povo através de Moisés: "O Mandamento que hoje te dou não está acima de tuas forças, nem fora de teu alcance. Essa Palavra está perto de ti, em tua boca e em teu coração. E tu podes cumpri-la!" Dt 30,11.14
    Deus Pai disse do próprio Jesus: "'Porei Minhas Palavras em Sua boca e Ele comunicar-lhes-á tudo que Eu Lhe ordenar. Eu mesmo pedirei contas a quem não escutar as Palavras que Ele pronunciar em Meu Nome.'" Dt 18,18-19
    Mas, em vão, os inimigos de Jesus buscavam qualquer deslize contra as Escrituras, para incriminá-Lo: "Enviaram-Lhe alguns fariseus e herodianos, para que O apanhassem em alguma palavra." Mc 12,13
    No entanto, mesmo sob expressas ordens, os guardas do sumo sacerdote não conseguiam prendê-Lo. Ficavam 'encantados' simplesmente ao ouvi-Lo: "Ninguém jamais falou como Esse homem!" Jo 7,46
    Por fim, Jesus garantiu Sua unção aos Apóstolos, para que produzissem bons frutos: "Vocês estão puros pela Palavra que lhes tenho dito." Jo 15,3
    Deixou claro que no nada universo era tão confiável quanto Sua Palavra: "Céus e terra passarão, mas Minhas Palavras não passarão." Mt 24,35
    Também avisou que Sua Palavra já era o próprio Juízo: "Se alguém ouve Minhas Palavras e não as guarda, Eu não o condenarei, porque não vim para condenar o mundo, mas para salvá-lo. Quem Me despreza e não recebe Minhas Palavras, tem quem o julgue: a Palavra que anunciei julgá-lo-á no Último Dia." Jo 12,47-48
    São João Batista, de fato, já avisava que daqueles tempos em diante o Juízo seria perene: "O machado já está posto à raiz das árvores. E toda árvore que não der fruto bom será cortada e lançada ao fogo." Lc 3,9
    E ao aproximar-se a hora de Sua Paixão, Jesus sentenciou: "Agora é o Juízo deste mundo! Agora será lançado fora o príncipe deste mundo. E quando Eu for levantado da terra, a Mim atrairei todos homens." Jo 12,31-32
    Mas já havia prometido: "Em verdade, em verdade, digo-vos: se alguém guardar Minha Palavra, não verá jamais a morte." Jo 8,51
    É de vital importância, portanto, o anúncio da Palavra, como Ele determinou aos Apóstolos pouco antes de Sua Ascensão: "Ide, pois, e ensinai a todas nações. Batizai-as em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo que vos prescrevi. Eis que convosco estou todos dias, até o fim do mundo." Mt 28,19-20
    Por isso, quando o anjo do Senhor libertou os Apóstolos da prisão, pois efetivamente contrariavam as ordens do sumo sacerdote, instou-os que continuassem pregando: "Ide e apresentai-vos no Templo e pregai ao povo as Palavras desta Vida." At 5,20
    E Santo Estevão disse sobre Moisés: "Este é aquele que esteve entre o povo congregado no deserto, com o anjo que lhe falara no monte Sinai e com nossos pais. Aquele que recebeu Palavras de Vida para transmitir-nos." At 7,38
    De fato, o Profeta Jeremias experimentou o que acontece com os enviados que tentam calar-se: "Cada vez que falo é para proclamar a aproximação da violência e devastação. E dia a dia a Palavra do Senhor converte-se para mim em insultos e escárnios. E a mim mesmo eu disse: 'Não mais o mencionarei e nem falarei em Seu Nome.' Mas em meu seio havia um fogo devorador que se me encerrara nos ossos. Esgotei-me em refreá-lo, e não o consegui." Jr 20,7-8
    São Paulo vai dizer algo parecido: "Anunciar o Evangelho não é glória para mim. É uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!" 1 Cor 9,16
    Pois quando esteve em Corinto, a despeito de qualquer risco, Jesus incumbiu-lhe exatamente daquele que era seu principal ministério: a pregação: "Numa noite, o Senhor disse a Paulo em visão: 'Não temas! Fala e não te cales. Porque Eu estou contigo. Ninguém se aproximará de ti para fazer-te mal, pois tenho um numeroso povo nesta cidade.' Paulo deteve-se ali um ano e seis meses, ensinando a eles a Palavra de Deus." At 18,9-11
    Mandou-o também a Roma, onde seria decapitado, quando foi preso em Jerusalém: "Na noite seguinte, apareceu-lhe o Senhor e disse-lhe: 'Coragem! Deste testemunho de Mim em Jerusalém, assim também importa que o dês em Roma.'" At 23,11
    Ele até vai justificar-se quanto a outros ofícios, dos quais realmente não estava obrigado: "Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o Evangelho. E isso sem recorrer à habilidade da arte oratória, para que não se desvirtue a Cruz de Cristo. A linguagem da Cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma divina força." 1 Cor 1,17-18
    Porque essa era uma das principais funções dos Apóstolos, como disseram os Doze quando foram instituídos os primeiros diáconos: "Nós atenderemos sem cessar à oração e ao Ministério da Palavra." At 6,4
    E referindo-se a essa 'dívida' que teria com todos povos, o Último Apóstolo escreve aos romanos: "Sou devedor a gregos e a bárbaros, a sábios e a simples. Daí o ardente desejo que eu sinto de anunciar-vos o Evangelho também a vós, que habitais em Roma." Rm 1,15
    Afirma, entretanto, que nenhum de nós detém total posse da Palavra, senão o que já foi sedimentado pela Doutrina, e que ela é oferecida aos membros da Igreja para o perfeito abalizamento de todos, sempre em coletivo: "Que a Palavra de Cristo permaneça entre vós em toda sua riqueza, de sorte que com toda Sabedoria possais mutuamente instruir-vos e exortar-vos." Cl 3,16a
    A São Timóteo, ele garantiu: "E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de proporcionar-te a Sabedoria que conduz à Salvação, pela fé em Jesus Cristo. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus torna-se perfeito, capacitado para toda boa obra." 2 Tm 3,15
    Conhecia seu poder de santificação, pelo qual defendeu toda Criação: "Pois tudo que Deus criou é bom, e nada há de reprovável quando se usa com Ação de Graças, porque se torna santificado pela Palavra de Deus e pela oração." 1 Tm 4,4-5
    Por isso, recomendava-lhe: "Quanto às profanas fábulas, esses extravagantes contos de comadres, rejeita-as. Enquanto eu não chegar, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino." 1 Tm 4,7.13
    E prevendo difíceis tempos, São Paulo obrigou-o: "Eu conjuro-te em presença de Deus e de Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, por Sua aparição e por Seu Reino: prega a Palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir. Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a Sã Doutrina da Salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, para si ajustarão mestres. Apartarão os ouvidos da Verdade e atirar-se-ão às fábulas. Tu, porém, em tudo sê prudente, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te a teu ministério." 2 Tm 4,1-5
    São Pedro, nesse sentido, tratou de vedar as interpretações pessoais que tresloucadamente fazem das Escrituras, contrariando o próprio Espírito Santo: "Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus." 2 Pd 1,20-21
    E São Paulo diz de onde vem a verdadeira interpretação da Revelação: "Não que por nós mesmos sejamos capazes de ter algum pensamento, como de nós mesmos. Nossa capacidade vem de Deus. Ele é que nos fez aptos para ser ministros da Nova Aliança, não a da letra, e sim a do Espírito. Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica." 2 Cor 3,5-6
    Ele celebra a Nova Aliança: "A Lei do Espírito de Vida libertou-me, em Jesus Cristo, da Lei do pecado e da morte." Rm 8,2
    E contrastando com o Antigo Testamento, diz do Ministério do Santo Paráclito: "Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, revestiu-se de tal glória que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos no rosto de Moisés, por causa do resplendor de sua face (embora transitório), quanto mais glorioso não será o Ministério do Espírito!" 2 Cor 3,7-8
    Mas adverte: "Se alguém não possui o Espírito de Cristo, este não é d'Ele." Rm 8,9b
    Também diz aos efésios Quem é o único intérprete das Escrituras: "Lendo-me, podereis entender a compreensão que me foi concedida do Mistério de Cristo, que em outras gerações não foi manifestado aos homens da maneira como agora tem sido revelado pelo Espírito aos Seus santos Apóstolos e Profetas." Ef 3,4-5
    São Lucas também o afirmou: "Em minha primeira narração, ó Teófilo, contei toda sequência das ações e dos ensinamentos de Jesus, depois de ter dado pelo Espírito Santo Suas instruções aos Apóstolos que escolhera, desde o início até o dia que foi arrebatado aos Céus." At 1,1-2
    Porque em Jesus cumpriu-se a promessa de Deus feita através do Profeta Jeremias: "Dias hão de vir - Oráculo do Senhor - em que firmarei Nova Aliança com as casas de Israel e de Judá. Será diferente da que concluí com seus pais no dia em que pela mão os tomei para tirá-los do Egito, Aliança que violaram embora Eu fosse o Esposo deles. Eis a Aliança que então farei com a Casa de Israel - Oráculo do Senhor: Incutir-lhe-ei Minha Lei! Gravá-la-ei em seu coração! Serei Seu Deus e Israel será Meu povo. Então ninguém terá encargo de instruir seu próximo ou seu irmão, dizendo: 'Aprende a conhecer o Senhor', porque todos Me conhecerão, grandes e pequenos - Oráculo do Senhor -, pois a todos perdoarei as faltas, sem guardar nenhuma lembrança de seus pecados." Jr 31,31-34
    Quanto à Igreja, enquanto guardiã da Palavra, é o próprio sustentáculo da Verdade: "E aqueles que bem desempenharem este ministério, alcançarão honrosa posição e grande confiança na fé, em Jesus Cristo. Estas coisas escrevo-te, mas muito em breve espero ir visitar-te. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na Casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da Verdade." 1 Tm 3,13-15
    E mesmo que nossos Santos enfrentem o martírio, a Palavra, levada pelo Espírito de Deus, jamais será refreada: "Lembra-te de Jesus Cristo, saído da estirpe de Davi e ressuscitado dos mortos, segundo meu Evangelho, pelo qual estou sofrendo até as cadeias como um malfeitor. Mas a Palavra de Deus não se deixa acorrentar." 2 Tm 2,8-9
    Cabe aos cristãos, então, corajosamente vivê-la e divulgá-la: "Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas, a fim de serdes irrepreensíveis e inocentes, íntegros filhos de Deus no meio de uma depravada e maliciosa sociedade, onde brilhais como luzeiros no mundo, a ostentar a Palavra da Vida." Fl 2,14-16a
    Pois assim o Apóstolo dos Gentios explicou aos romanos a fonte da fé: "Porém, como invocarão Aquele em Quem não têm fé? E como crerão n'Aquele de Quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados, como está escrito: 'Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas (Is 52,7)'? Mas não são todos que prestaram ouvido à Boa Nova. É o que exclama Isaías: 'Senhor, quem acreditou em nossa pregação (Is 53,1)?' Logo, a fé provém da pregação e a pregação exerce-se em razão da Palavra de Cristo." Rm 10,14-17
    Contudo, as consequências da anunciação da Boa Nova podem ser realmente graves, como aconteceu com São João Evangelista, que embora já idoso foi levado como escravo para trabalhos forçados: "Eu, João, vosso irmão e companheiro nas tribulações, na realeza e na paciência em união com Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus." Ap 1,9
    Deus Pai, porém, havia prometido pelo Profeta Isaías: "Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá não volvem sem ter regado a terra, sem a ter fecundado e feito germinar as plantas, sem dar o grão a semear e o pão a comer, assim acontece à Palavra que Minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado Minha vontade e cumprido Sua Missão." Is 55,10-11
    E também prometeu que, pela Vinda do Espírito Santo anunciado por Jesus, a pregação do Evangelho, após iniciada, permaneceria para sempre entre nós. É a Nova Aliança: "'Eis Minha Aliança com eles!', diz o Senhor, 'Meu Espírito que sobre ti repousa, e Minhas Palavras que coloquei em tua boca não deixarão teus lábios nem os de teus filhos, nem os de seus descendentes', diz o Senhor, 'desde agora e para sempre.'" Is 59,21
    Contemplando os corintos, São Paulo confirmou-o: "Não há dúvida de que vós sois uma carta de Cristo, redigida por nosso ministério e escrita, não com tinta, mas com o Espírito de Deus Vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, em vossos corações." 2 Cor 3,3
    Mas não foi sempre assim. Por causa de seus pecados contra os pobres, Israel chegou a mendigar por esta dádiva. Deus sentenciou através do Profeta Amós: "Virão dias - Oráculo do Senhor Javé - em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas fome e sede de ouvir a Palavra do Senhor. Andarão errantes de um mar a outro, vaguearão do Norte ao Oriente, correrão por toda parte buscando a Palavra do Senhor, e não a encontrarão." Am 8,11-12
    De fato, São Pedro atesta que sem a Manifestação do Cristo o Antigo Testamento fica sem sentido: "Esta Salvação tem sido o objeto das investigações e das meditações dos Profetas que proferiram oráculos sobre a Graça que vos era destinada. Eles investigaram a época e as circunstâncias indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava e que profetizava os sofrimentos do mesmo Cristo e as Glórias que os deviam seguir. Foi-lhes revelado que propunham não para si mesmos, senão para vós, estas revelações que agora vos têm sido anunciadas por aqueles que vos pregaram o Evangelho da parte do Espírito Santo, enviado do Céu. Revelações estas que os próprios anjos desejam contemplar." 1 Pd 1,10-12
    Razão pela qual os Profetas devem ser atentamente consultados, como faróis que nos levam a Cristo: "Assim demos ainda maior crédito à Palavra dos Profetas, à qual fazeis bem em atender como a uma lâmpada que brilha em um tenebroso lugar, até que desponte o dia e a estrela da manhã levante-se em vossos corações." 2 Pd 1,19
    Era o que Jesus dizia aos judeus: "Vós perscrutais as Escrituras julgando nelas encontrar a Vida Eterna. Pois bem! São elas mesmas que dão testemunho de Mim." Jo 5,39
    Sabemos, pois, que não há nova revelação, nem nova verdade, nem solução com a qual a humanidade possa se ater além do próprio Salvador: "Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda eternidade." Hb 13,8
    Sobre a inteireza da Revelação, São Judas Tadeu também falou desta definitiva "... , de uma vez para sempre confiada aos Santos." Jd 3b
    Afirmativamente, São João Evangelista testemunhou a autodeclaração de Jesus, quando Ele apresentou-Se como o início e o fim, a primeira e a última letra: "'Eu sou o Alfa e o Ômega', diz o Senhor Deus, 'Aquele que é, que era e que vem, o Dominador.'" Ap 1,8
    Bem como a exata precisão de Sua Palavra: "De Sua boca saía uma afiada espada, de dois gumes. Seu rosto assemelhava-Se ao sol, quando brilha com toda força." Ap 1,16b
    É ela que proferirá o Juízo: "De Sua boca sai uma afiada espada, para com ela ferir as nações pagãs, porque Ele deve governá-las com cetro de ferro e pisar o lagar do vinho da ardente ira do Deus Dominador. Ele traz escrito no manto e na coxa: 'Rei dos reis e Senhor dos senhores!'" Ap 19,15-16
    Por isso, pede arrependimento, caso contrário terão que enfrentar Seu Julgamento, como advertia a igreja de Pérgamo: "Arrepende-te, pois! Senão em breve virei a ti e combaterei contra eles com a espada de Minha boca." Ap 2,16
    E fora a Besta e o Falso Profeta, que serão lançados vivos no inferno, aqueles que combatem contra o Reino de Deus serão exterminados por Sua já lançada sentença: "Os demais foram mortos pelo Cavaleiro, com a espada que Lhe saía da boca." Ap 19,21
    Ora, os seguidores de São Paulo argumentaram: "Porque a Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração. Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos d'Aquele a Quem havemos de prestar contas." Hb 4,12-13
    E o próprio São Paulo assim se referia a ela: "... a espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus." Ef 6,17

    "Senhor, eu não sou digno que entreis em muinha morada, mas dizei uma só palavra e eu serei salvo!" (cf. Mt 8,8)