quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Ouvir a Deus


    O verbo obedecer, em hebraico, pode ser traduzido como 'ouvir a voz'. Por isso vemos na Bíblia tantas passagens que falam em 'ouvir'. O salmista, por exemplo, convida-nos a exaltar o Senhor e reza para que O ouçamos de coração aberto: "Entremos com louvor em Sua presença... Ele é Nosso Deus, e nós somos Seu povo, rebanho que Ele conduz. Oxalá escuteis hoje o que Ele diz: 'Não endureçais vossos corações...'" Sl 94,2.7-8
    Sem dúvida, essa foi a razão da prosperidade de Israel, como Deus disse a Isaac: "Multiplicarei tua posteridade como as estrelas do céu, dar-lhe-ei todas estas regiões, e nela serão benditas todas nações da terra, porque Abraão obedeceu à Minha voz e observou Meus preceitos, Meus Mandamentos e Minhas leis." Gn 26,4-5
    E acenando para o Advento, o salmista garante: "Escutarei o que diz o Senhor Deus, porque Ele diz palavras de Paz a Seu povo, a Seus fiéis, e àqueles cujos corações se voltam para Ele. Sim, Sua Salvação está bem perto dos que O temem, de sorte que Sua Glória retornará à nossa terra." Sl 84,9-10
    Coube a Moisés, o mais importante Profeta do povo hebreu, fazer o primeiro anúncio da Vinda do Messias. E sua recomendação singularmente reduzia-se a que nós O ouvíssemos: "O Senhor, Teu Deus, suscitará dentre teus irmãos um Profeta como eu: é a Ele que devereis ouvir." Dt 18,15
    Ora, Deus pessoalmente tratou de apresentar este 'Profeta' a três dos Apóstolos, o seleto grupo mais próximo de Jesus. Foi no momento de Sua Transfiguração, quando a voz do Pai se fez ouvir dentro de uma radiante nuvem, ordenando que O ouvissem: "Eis Meu amado Filho, em Quem pus toda Minha afeição. Ouvi-O!" Mt 17,4
    E tal audição causou-lhes tão grande pavor que só um toque da Mão de Jesus pôde aclamá-los: "Ouvindo esta Voz, os discípulos caíram com a face por terra e tiveram medo. Mas Jesus aproximou-Se deles e tocou-os, dizendo: 'Levantai-vos e não temais.' Eles levantaram os olhos e não viram mais ninguém, senão Jesus." Mt 17,6-8
    São João Apóstolo, em tarefa reconhecidamente difícil, assim explicou Quem é Jesus: o próprio Verbo que encarnou, a Palavra de Deus: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós. E vimos Sua Glória, a Glória que o Filho único recebe de Seu Pai, cheio de Graça e de Verdade." Jo 1,1.14
    Por isso, ao falar da fonte de Seus ensinamentos, Jesus atestou: "Em verdade, não falei por Mim mesmo, mas o Pai, que Me enviou, Ele mesmo Me prescreveu o que devo dizer e o que devo ensinar." Jo 12,49
    E dava exemplo: "... Eu também guardei os Mandamentos de Meu Pai, e persisto em Seu amor." Jo 15,10b
    Perante Pilatos, Ele declarou qual era Sua Missão e a quem era dirigida Sua Mensagem: "É para dar testemunho da Verdade que nasci e vim ao mundo. Todo aquele que é da Verdade ouve Minha voz." Jo 18,37
    E disse de Sua Igreja: "Minhas ovelhas ouvem Minha voz, eu conheço-as e elas seguem-Me." Jo 10,27
    Isso explica a pessoal realização de São João Batista, antes mesmo de ser preso e assassinado: "Aquele que tem a esposa é o Esposo. O amigo do Esposo, porém, que está presente e ouve-O, sobremodo se regozija com a voz do Esposo. Nisso consiste minha alegria, que agora se completa." Jo 3,29
    Com efeito, Jesus confirma, no livro do Apocalipse, esses tempos que vivemos desde Sua Vinda, que são os tempos dos Sacramentos, tempo da Igreja: "Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir Minha voz e abrir-Me a porta, entrarei em sua casa e cearemos, Eu com ele e ele Comigo." Ap 3,20
    Na parábola do Semeador, Jesus compara Sua Palavra a uma semente, e tudo mais se refere ao cuidado como nós a ouvimos: "O semeador semeia a Palavra. Alguns se encontram à beira do Caminho, onde ela é semeada; apenas a ouvem, vem Satanás tirar a Palavra neles semeada. Outros recebem a semente em pedregosos lugares; quando a ouvem, recebem-na com alegria; mas não têm raiz em si, são inconstantes, e assim que se levanta uma tribulação ou uma perseguição por causa da Palavra, eles tropeçam. Ainda outros recebem a semente entre os espinhos; ouvem a Palavra, mas as mundanas preocupações, a ilusão das riquezas, as múltiplas cobiças sufocam-na e tornam-na infrutífera. Mas aqueles que recebem a semente em terra boa escutam a Palavra, acolhem-na e dão fruto, trinta, sessenta e cem por um." Mc 4,14-20
    E antecipadamente Ele havia alertado: "Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!" Mc 4,9
    A Igreja, portanto, que Jesus pessoalmente edifica sobre a pessoa de São Pedro, é a guardiã de Sua Palavra. E não pode ser desprezada! Do contrário estaríamos renegando a Revelação, como o próprio Jesus afirmou: "E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano." Mt 18,17
    Onisciente, Ele confiou Sua Palavra a seres humanos, e assim nos induz ao consenso, a Salvação do homem pelo homem, enfim, à Santa Unidade. Ora, ouvir a Igreja é ouvir os Apóstolos, e ouvir os Apóstolos é ouvir a Ele mesmo e ao Pai: "Quem vos ouve, a Mim ouve. E quem vos rejeita, a Mim rejeita. E quem Me rejeita, rejeita aquele que Me enviou." Lc 10,16
    Num claro exemplo, temos que, antes de sua conversão, São Paulo perseguia a Igreja: "Saulo, porém, devastava a Igreja. Entrando pelas casas, arrancava delas homens e mulheres e entregava-os à prisão." At 8,3
    Mas Jesus acusava-o de estar perseguindo a Ele mesmo. E quando o futuro Apóstolo Lhe perguntou o que deveria fazer, Ele simplesmente mandou-o ouvir a Igreja: "Saulo disse: 'Quem és, Senhor?' Respondeu Ele: 'Eu sou Jesus, a Quem tu persegues. Duro é debater-te contra o aguilhão.' Então, trêmulo e atônito, disse ele: 'Senhor, que queres que eu faça?' Respondeu-lhe o Senhor: 'Levanta-te, entra na cidade. Aí te será dito o que deves fazer.'" At 9,5-6
    E exemplar foi a atitude de um estrangeiro que não tirava conclusões pessoais, mas pediu explicações do diácono Filipe: "Ora, um etíope, eunuco, ministro da rainha Candace, da Etiópia, e superintendente de todos seus tesouros, tinha ido a Jerusalém para adorar. Voltava sentado em seu carro, lendo o Profeta Isaías. O Espírito disse a Filipe: 'Aproxima-te para perto deste carro.' Filipe aproximou-se e ouviu que o eunuco lia o Profeta Isaías, e perguntou-lhe: 'Porventura entendes o que estás lendo?' Respondeu-lhe: 'Como é que posso, se não há alguém que mo explique?' E rogou a Filipe que subisse e sentasse junto a ele." At 8,27b-31
    Pois na oração que fez ao Pai pela Unidade da Igreja, Jesus pediu-Lhe não apenas pelos Apóstolos, mas também por nós, que ouviríamos Sua Palavra pela voz deles: "Eu não rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em Mim pela palavra deles." Jo 17,20
    E referindo-Se ao inicial acolhimento de Sua Palavra já lançada ao mundo, Ele garantiu: "Se guardaram Minha Palavra, também hão de guardar a vossa." Jo 15,20b
    Por isso, obedientemente diz São João Evangelista: "Aceitamos o testemunho dos homens." 1 Jo 5,9a
    A Missão de Jesus, portanto, é evidente: que alcancemos a Unidade do Reino de Deus, como Ele declarou ao apresentar-Se como o Bom Pastor: "... ouvirão Minha voz e haverá um só rebanho e um só Pastor." Jo 10,16
    Contudo, nem todos realmente buscam, desde então, entender Sua Mensagem, como Ele mesmo atestou diante dos judeus: "Por que não entendeis o que Eu falo?" Jo 8,43a
    Ele bem sabia, no entanto, o porquê! Era o inimigo, tal e qual na parábola do semeador, que fechava-lhes o coração: "É porque não sois capazes de ouvir Minha Palavra." Jo 8,43b
    E denunciava: "Quem é de Deus ouve as Palavras de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus." Jo 8,47
    São João Evangelista, na primeira de suas epístolas, diz algo muito parecido: "Eles são do mundo. É por isto que falam segundo o mundo, e o mundo ouve-os. Nós, porém, somos de Deus. Quem conhece a Deus, ouve-nos; quem não é de Deus, não nos ouve. É nisto que conhecemos o Espírito da Verdade e o espírito do erro." 1 Jo 4,5-6
    Jesus, de fato, reclamara de Nicodemos, que era doutor e bem intencionado, mas ainda carente das primícias do Espírito de Deus: "Se vos tenho falado das coisas terrenas e não Me credes, como crereis se vos falar das celestiais?" Jo 3,12
    Também reclamou de dois discípulos que iam a Emaús, no Domingo da Ressurreição: "Jesus disse-lhes: 'Ó gente sem inteligência! Como sois tardos de coração para crerdes em tudo que anunciaram os Profetas!'" Lc 24,25
    Aliás, dos próprios Apóstolos, quando ensinou que o mal sai do coração do homem: "Tomando então a palavra, Pedro disse: 'Explica-nos esta parábola.' Jesus respondeu: 'Também sois vós de tão pouca compreensão?'" Mt 15,15-16
    E aludindo à Sua Ressurreição, provocou até os ateus, através da parábola de Lázaro e do rico: "O rico disse: 'Então te rogo, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos, para testemunhar-lhes. Que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos.' Abraão respondeu: 'Eles lá têm Moisés e os Profetas. Ouçam-nos!' O rico replicou: 'Não, pai Abraão. Mas se for a eles algum dos mortos, arrepender-se-ão.' Abraão, no entanto, respondeu-lhe: 'Se não ouvirem a Moisés e aos Profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que alguém ressuscite dos mortos.'" Lc 16,27-31
    Pois mesmo àquela época essa insensatez já não era nenhuma novidade! Daniel, por sinal, confessa os pecados de Israel nestes termos: "Recusamos ouvir a voz do Senhor, Nosso Deus. Não seguimos as leis que Ele nos oferecia pela boca de Seus servos, os Profetas." Dn 10,10
    E São Pedro segue insistindo no conjunto da Revelação para o pleno conhecimento do Cristo: "Assim, demos ainda maior crédito à Palavra dos Profetas, à qual fazeis bem em atender, como a uma lâmpada que brilha num tenebroso lugar até que desponte o dia, e a estrela da manhã levante-se em vossos corações." 2 Pd 1,19
    Sobre aqueles que bem ouvem o Pai, Jesus já havia afirmado: "Ninguém pode vir a Mim se o Pai, que Me enviou, não o atrair. E Eu hei de ressuscitá-lo no Último Dia. Está escrito nos Profetas: 'Todos serão ensinados por Deus (Is 54,13).' Assim, todo aquele que ouviu o Pai e por Ele foi instruído, vem a Mim." Jo 6,44-45
    De tão manso e sereno, no entanto, Ele chegou a propor um teste prático: "Se alguém quiser cumprir a vontade de Deus, distinguirá se Minha Doutrina é de Deus ou se falo de Mim mesmo." Jo 7,17


PECADO E A PREGAÇÃO

    Mas apontar os desvios do povo de Deus, mesmo dos religiosos, também não era uma novidade. Através do salmista, o próprio Pai havia-Se pronunciado: "Escutai, ó Meu povo, que Eu vou falar. Israel, vou testemunhar contra ti. Deus, Teu Deus, sou Eu." Sl 49,7
    E após citar alguns graves pecados, Ele pergunta: "Eis o que fazes! E Eu? Hei de calar-Me? Pensas que Eu sou igual a ti? Não, mas vou repreender-te e lançar-te em rosto teus pecados." Sl 49,21
    Mesmo em Sua natureza humana, Jesus conhecia o coração da criatura humana e garantiu que Seu Juízo era o de Deus: "Tenho muitas coisas a dizer e a julgar a vosso respeito, mas o que Me enviou é verdadeiro e o que d'Ele ouvi Eu digo ao mundo." Jo 8,26
    E Seus ensinamentos, disse Ele, tem o dom de emancipar-nos do pecado: "Se permanecerdes em Minha Palavra, sereis Meus verdadeiros discípulos. Conhecereis a Verdade, e a Verdade libertar-vos-á." Jo 8,31-32
    Eles vão muito além de simples questões morais: tratam da própria vida espiritual: "Em verdade, em verdade, digo-vos: quem ouve Minha Palavra e crê n'Aquele que Me enviou, tem a Vida Eterna e não incorre na condenação, mas passou da morte para a Vida." Jo 5,24
    Porque precisamente essa havia sido a promessa de Deus, feita ao povo através do Profeta Isaías: "Inclinai vosso ouvido e vinde a Mim, ouvi e tereis Vida..." Is 55,3a
    E tão poderosa, a Palavra de Jesus é o próprio Juízo: "Se alguém ouve Minhas Palavras e não as guarda, Eu não o condenarei, porque não vim para condenar o mundo, mas para salvá-lo. Quem Me despreza e não recebe Minhas Palavras, tem quem o julgue. A Palavra que anunciei julgá-lo-á no Último Dia." Jo 12,47-48
    Ele já havia advertido: "Em verdade, em verdade, digo-vos: vem a hora, e já está aí, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. E aqueles que a ouvirem viverão." Jo 5,25
    Juízo que Ele proferiu depois entrar triunfalmente em Jerusalém no Domingo de Ramos: "Agora é o Juízo deste mundo. Agora será lançado fora o príncipe deste mundo." Jo 12,31
    De fato, falando das intenções e dos projetos meramente humanos, Ele coloca a Vida e a eterna condenação nesses termos: "Aquele, pois, que ouve Minhas Palavras e põe-nas em prática é semelhante a um prudente homem, que edificou sua casa sobre a rocha. Mas aquele que ouve Minhas Palavras e não as põe em prática, é semelhante a um insensato, que construiu sua casa na areia." Mt 7,24.26
    Diante de tão grave decisão e ressaltando a atualidade de Sua Palavra, adverte-nos a Carta aos Hebreus: "Guardai-vos, pois, de recusar ouvir Aquele que fala. Porque, se não escaparam do castigo aqueles que d'Ele se desviaram, quando lhes falava na terra, muito menos escaparemos nós se O repelirmos quando nos fala desde o Céu." Hb 12,25
    Pois, sobre a guia do Espírito Santo, as paróquias são portadoras de Sua Palavra, como Jesus mesmo repetidamente recomenda no livro do Apocalipse: "Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." Ap 2,29
    Não por acaso, enquanto Príncipe dos Apóstolos, São Pedro pediu exatamente isso ao Sinédrio, o mais alto conselho dos judeus: "Então Pedro, cheio do Espírito Santo, respondeu-lhes: 'Chefes do povo e anciãos, ouvi-me...'" At 4,8
    Pois o Verbo tem vida própria, como se viu no Pentecostes do Gentios: "Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos que ouviam a Palavra. Os fiéis da circuncisão, que tinham vindo com Pedro, admiraram-se profundamente vendo que o dom do Espírito Santo era derramado também sobre os não judeus..." At 10,44-45
    São Paulo, por sua vez, afirmando a insensibilidade do mundo e defendendo a importância da pregação, diz: "Já que o mundo, com sua sabedoria, não reconheceu a Deus na Divina Sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura de Sua Mensagem." 1 Cor 1,21
    Loucura, dizia ele, porque reconhecia que anunciar a Cristo é anunciar um mistério: "Orai também por nós. Pedi a Deus que dê livre curso à nossa palavra para que possamos anunciar o Mistério de Cristo. É por causa deste mistério que estou preso." Cl 4,3
    Mas mesmo assim os Apóstolos deram suas vidas para anunciá-Lo, como afirma o Apóstolo dos Gentios: "Tudo sofro para que seus corações sejam reconfortados e que, estreitamente unidos pela caridade, sejam enriquecidos de uma plenitude de inteligência, para conhecerem o Mistério de Deus, isto é, Cristo..." Cl 2,2
    Por isso, argumenta: "Porém, como invocarão Aquele em Quem não têm ? E como crerão n'Aquele de Quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados, como está escrito: 'Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas (Is 52,7)'? Mas não são todos que prestaram ouvido à Boa Nova. É o que exclama Isaías: 'Senhor, quem acreditou em nossa pregação (Is 53,1)?' Logo, a fé provém da pregação e a pregação exerce-se em razão da Palavra de Cristo." Rm 10,14-17
    Na verdade, sustenta ele, a verdadeira pregação não acontece se não for por obra do Divino Espírito Santo: "Nosso Evangelho foi-vos pregado não somente por palavra, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção." 1 Ts 1,5
    E falando sobre os poderes de Deus, ele testemunha: "Nós aniquilamos todo raciocínio e todo orgulho que se levantam contra o conhecimento de Deus, e cativamos todo pensamento e reduzimo-lo à obediência a Cristo." 2 Cor 10,5
    Sim, porque a esses tempos, como diz São Pedro, o próprio Evangelho já estava sendo deturpado. É a humanidade reenvidando sua teimosia e desobediência: "Reconhecei que a longa paciência de Nosso Senhor vos é salutar, como também vosso caríssimo irmão Paulo vos escreveu, segundo o dom de Sabedoria que lhe foi dado. É o que ele faz em todas suas cartas, nas quais fala nestes assuntos. Nelas há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido ignorantes ou pouco fortalecidos espíritos deturpam para sua própria ruína, como também o fazem com as demais Escrituras." 2 Pd 3,15-16
    São Paulo, em carta a São Tito, também os denunciou: "Com efeito, há muitos insubmissos, charlatães e sedutores, principalmente entre os da circuncisão. É necessário tapar-lhes a boca, porque transtornam famílias inteiras, ensinando o que não convém, e isso por vil espírito de lucro. Para os puros, todas as coisas são puras. Para os corruptos e descrentes nada é puro: até sua mente e consciência são corrompidas. Proclamam que conhecem a Deus, mas na prática renegam-nO, detestáveis que são, rebeldes e incapazes de qualquer boa obra." Tt 1,10-11.15-16
    E do mesmo modo demonstrou seu receio aos coríntios: "Mas temo que, como a serpente enganou Eva com sua astúcia, assim se corrompam vossos pensamentos e apartem-se da sinceridade para com Cristo." 2 Cor 11,3
    De fato, os Provérbios já haviam avisado: "Aquele que afasta o ouvido para não ouvir a Lei, até mesmo sua oração torna-se abominável." Pr 28,9
    Mas o Último Apóstolo não deixou de alegrar-se com aqueles que acolhiam o Evangelho, mesmo  que àquele tempo ainda não tivesse sido escrito: "Graças a Deus, porém, que, depois de terdes sido escravos do pecado, obedecestes de coração à regra da Doutrina na qual tendes sido instruídos." Rm 6,17
    Entre tantas outras grandes verdades que temos que aprender de Jesus, portanto, o Salvador conclamava-nos em especial a ouvir essa: Deus é um pai ciumento que, por tanto amor que nos tem, quer ser amado e amado por todas nossas capacidades: "Ouve, Israel, o Senhor Nosso Deus é o único Senhor. Amarás ao Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma, de todo teu entendimento e de todas tuas forças." Mc 12,29-30
    Inequivocamente, Deus merece ser amado. E tão grande é Seu amor por nós que Ele não poderia admitir outra coisa, senão nosso amor em retribuição. Quanto aos insensatos e seus insanos comentários sobre Suas obras, como vemos no livro de Jó, o Pai rechaça: "Quem é este que assim obscurece a Providência com discursos sem inteligência?" Jó 38,2
    Pois, seja por Suas obras ou por Si mesmo, Ele sempre Se dá a conhecer, como prometeu Moisés: "Então procurarás o Senhor, Teu Deus, e encontrar-Lo-ás, contanto que O busques de todo teu coração e de toda tua alma." Dt 4,29
    E a verdadeira conversão não acontece senão pela observação de Seus Mandamentos: "Moisés falou ao povo, dizendo: 'Ouve a voz do Senhor, Teu Deus, e observa todos Seus Mandamentos e preceitos, que estão escritos nesta Lei. Converte-te para o Senhor Teu Deus com todo teu coração e com toda tua alma.'" Dt 30,10
    São Tiago Menor, por fim, em veemente inspiração do Espírito de Deus, deixou-nos essa pérola sobre a Palavra da Vida: "Sede cumpridores da Palavra e não apenas ouvintes. Isto equivaleria a enganardes a vós mesmos. Aquele que escuta a Palavra sem praticá-la, assemelha-se a alguém que contempla num espelho a fisionomia que a natureza lhe deu: contempla-se e, mal sai dali, esquece-se de como era. Mas aquele que procura meditar com atenção a Lei Perfeita da Liberdade e nela persevera - não como ouvinte que facilmente se esquece, mas como fiel cumpridor do preceito -, este será feliz em seu proceder." Tg 1,22-25
    E sobre nossa disposição para ouvir, principalmente a Deus, ele dizia: "... todo homem deve ser pronto para ouvir, porém tardo para falar e tardo para irar-se..." Tg 1,19


MARIA, EXEMPLO DE QUEM OUVE

    Ao contrário do que pregam aqueles que distorcem a Palavra de Deus, a Santíssima Virgem é perfeito exemplo de quem ouve e guarda os divinos ensinamentos. No Evangelho de São Lucas, que mais escreveu sobre Nossa Mãe Celeste, são duas situações em que ela reage com respeitoso silêncio diante da Palavra de Seu amado Filho.
    A primeira situação é quando Jesus responde a uns, que diziam que Sua mãe e Seus irmãos queriam vê-Lo. Ele não os menospreza! Simplesmente aponta Sua verdadeira família em torno de Deus Pai, o que, sem dúvida, envolve muito mais pessoas que meros laços de sangue. E o vínculo dessa família é precisamente a Palavra: "Minha Mãe e Meus irmãos são estes, que ouvem a Palavra de Deus e observam-na!" Lc 8,21
    A segunda é quando uma mulher ressalta a Graça que teve Maria em trazer o Salvador ao mundo. E de novo Jesus põe como mais importante o ato de ouvir e obedecer à Palavra de Deus: "Enquanto Ele assim falava, uma mulher levantou a voz do meio do povo e disse-Lhe: 'Bem-aventurados o ventre que Te trouxe e os seios que Te amamentaram!' Mas Jesus replicou: 'Antes bem-aventurados aqueles que ouvem a Palavra de Deus e observam-na!'" Lc 11,27-28
    Longe de desmerecer a Nossa Senhora, indiretamente Jesus fazia-lhe um elogio. Sua importância não consistiam simplesmente em ser Sua mãe de sangue, ou de leite, fatos que não deixam de ser indizíveis privilégios. Na verdade, desde quando foi gerada no ventre de Santa Ana, sem nenhuma mácula, Maria sempre obedeceu a Deus. Foi o que aconteceu quando lhe apareceu o Arcanjo São Gabriel. Como poderia ela estar preparada para tão grandioso projeto se o Senhor não estivesse sempre com ela? O Santo Arcanjo afirmou: "Ave, cheia de Graça, o Senhor é convosco." Lc 1,28
    Perfeitamente afeita à vida espiritual, Nossa Imaculada Mãe não estranhou sua aparição, mas tão somente a mensagem: "Intrigou-se ela com estas palavras, e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação" Lc 1,29
    E demonstrando essa prontidão, além de ciência que os anjos são fieis cumpridores da Palavra de Deus, após rápidas explicações ela respondeu-lhe: "Então disse Maria: 'Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo tua palavra.'" Lc 1,38
    Quanto a guardar a Palavra de Deus, também temos dois episódios, igualmente registrados por São Lucas: na Apresentação de Jesus no Templo de Jerusalém, no oitavo dia do Seu Nascimento, quando Nossa Senhora ouviu a profecia de Simeão, que previa suas dores de Mãe do Salvador do Mundo: "Maria conservava todas estas palavras, meditando-as em seu coração." Lc 2,19
    E quando Jesus ficou no Templo de Jerusalém, aos 12 anos de idade, após a Páscoa, e pela primeira vez afirmou o indefectível vínculo com a Casa de Seu Pai: "Sua mãe guardava todas estas coisas em seu coração." Lc 2,51
    Maria, portanto, mesmo sendo Mãe, obedecia ao Seu Filho, pois, enquanto Bom Pastor, "... as ovelhas seguem-nO, pois conhecem Sua voz." Jo 10,4
    Até seus opositores, homens de armas e sem maior formação religiosa, mandados pelo sumo sacerdote para prendê-Lo, admiravam-se com Sua Palavra: "Os guardas responderam: 'Ninguém jamais falou como este homem!...'" Jo 7,46
    São Marcos, enfim, ao mencionar o momento em que Jesus, através das Escrituras, identifica-Se com o Filho de Deus, registrou: "E a grande multidão ouvia-O com satisfação." Mc 12,37b
    Façamos, pois, como Nossa Senhora: sejamos Suas ovelhas. Façamos como os peregrinos que estavam em Jerusalém na Páscoa em que Jesus foi imolado: "De manhã cedo, todo povo ia ao Templo para ouvi-Lo." Lc 21,38

    "Em Comunhão com toda a Igreja aqui estamos!"